Thaisa Galvão

2 de dezembro de 2011 às 16:37

Juíza converte 5 prisões temporárias em preventivas e manda soltar 5 envolvidos na Operação Sinal Fechado [1] Comentários | Deixe seu comentário.

O Ministério Público queria transformar em prisão preventiva, as temporárias de todos o envolvidos na Operação Sinal Fechado.

Mas, a juíza Emanuella Pereira Fernandes deferiu apenas parte do pedido, e a partir de agora, estão presos por tempo indeterminado, os denunciados Nilton José de Meira, Flávio Ganen Rillo, Caio Biagio Zuliani, Fabiano Lindemberg Santos Romeiro e Edson Cézar Cavalcanti Silva.

A juíza não achou necessária a permanência na custódia do suplente de senador João Faustino Ferreira Neto, do seu genro Marcus Vinicius Saldanha Procópio, do ex-diretor geral do Detran Carlos Theodorico de Carvalho Bezerra, do empresário José Gilmar de Carvalho Lopes, e de Marco Aurélio Doninelli Fernandes, e para tanto já determinou que fossem expedidos mandados de soltura.

O MP alegou a necessidade de prisão preventiva o fato de considerar que “os fatos revelam que as fraudes estavam a ponto de prosseguir, inclusive com nova licitação para a contratação de empresa para a execução do serviço de registro de financiamento de veículos, que se ultimaria no dia 25 de novembro passado junto ao Detran/RN, e de que o implemento da atividade delituosa em outros Estados da Federação também foi demonstrado, de modo que soltos poderão continuar a prática das atividades criminosas”.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*