#JornalismoSemFakeNews

31 de março de 2015 às 7:23

Resolvida a crise com Renan, presidente deve anunciar hoje nome de Henrique para Ministério do Turismo

[0] Comentários | Deixe seu comentário.

De Gerson Camarotti em seu blog no portal G1, na noite desta segunda-feira:

Planalto avisa que nomeação de Alves sai nesta terça

Caciques do PMDB foram informados na noite desta segunda-feira por emissários do Palácio do Planalto que será nesta terça-feira o anúncio de que o ex-deputado e ex-presidente da Câmara Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) vai assumir o Ministério do Turismo. 

De todo jeito, os peemedebistas estão cautelosos, já que esse anúncio foi adiado na semana passada. 

Para compensar o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), que vai perder a influência no Turismo com a saída do seu afilhado, o ministro Vinícius Lage, a expectativa é que haja um tratamento especial para Alagoas, governado por Renan Filho.

*

À tarde, Camarotti havia postado a nota abaixo:

PMDB incomodado com demora na nomeação de Henrique Alves

A bancada do PMDB na Câmara dos Deputados já começa a emitir sinais de incômodo com a demora da presidente Dilma Rousseff em nomear o ex-presidente da Casa Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) para o comando do Ministério do Turismo. O partido aliado avalia que essa demora acaba deixando Alves exposto por muito tempo.

Os peemedebistas ressaltam que o acerto original entre o partido e o Palácio do Planalto era de que o ex-presidente da Câmara  que ficou sem mandato após ser derrotado em outubro na disputa pelo governo do Rio Grande do Norte  seria nomeado para a pasta assim que fosse confirmado que ele não fazia parte da lista de políticos investigados pela Operação Lava Jato.

“Como deixam tanto tempo exposto um ex-presidente da Câmara. É falta de sensibilidade”, disse um cacique peemedebista ao Blog.

*

Do Blog – No final da semana passada, Henrique voltou de Brasília certíssimo de que tomaria posse hoje no Ministério do Turismo.

Presidente do Senado, Renan Calheiros bateu o pé para não tirar do cargo o seu apadrinhado, o atual ministro Vinícius Lages.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.