#JornalismoSemFakeNews

12 de maio de 2015 às 15:54

Vereadora Kátia Pires propõe fim da verba indenizatória na Câmara de Parnamirim

[2] Comentários | Deixe seu comentário.

A vereadora de Parnamirim, Kátia Pires (DEM), apresentou um projeto polêmico à mesa diretora da Câmara local.

O projeto de Resolução n. 318/2015 propõe a extinção da verba indenizatória de gabinete que reembolsa os gastos dos parlamentares com serviços destinados aos mandatos como telefone, gastos com veículos ou materiais de escritórios.

Antes de ser votado o projeto passará por uma comissão técnica. 

“Isso é algo singular. Espero que o projeto sirva de inspiração para demais Câmaras, Assembleias Legislativas e até para o Congresso Nacional”, declarou a vereadora, lembrando que a Câmara de Belo Horizonte é pioneira na extinção da verba de gabinete.

Segundo Kátia Pires, pelo modelo de BH, os vereadores terão seus gastos pagos diretamente pela casa, por meio de licitação técnica para contratar serviços.

  

Kátia hoje em Minas com o presidente da Câmara de Parnamirim, Ricardo Gurgel, com o diretor da Câmara de BH, Saulo Carvalho

2 respostas para “Vereadora Kátia Pires propõe fim da verba indenizatória na Câmara de Parnamirim”

  1. LELEU FONTES disse:

    Com todo respeito a colega, mas isso são sintomas da febre chikungunya

     

  2. George Fernandes Marcelino disse:

    Vi ontem a notícia sobre o Projeto de Lei, da vereadora Kátia Carvalho Câmara Municipal de PARNAMIRIM, que acaba com a verba de gabinete e fiquei intrigado, sou Gestor Público e aprovo toda e qualquer ação pública que venha trazer transparência na Gestão e na relação Público & Privado. Quando olho uma lei ou um projeto a primeira pergunta que vem na minha mente é: QUEM SERÁ O BENEFICIADO? e neste caso, ao acabar com a verba indenizatória dos vereadores, QUEM SERÁ O BENEFICIADO?
    A RESPOSTA: O povo não é, a despesa seria a mesma, o município não será, o repasse é um percentual da arrecadação, os vereadores não serão, o processo atual mudaria radicalmente e as despesas entrarão no sistema burocrático da Câmara dificultando ainda mais as ações de cada um tirando autonomia na condução de seu mandato e o pior aumentaria muito a dependência de cada um dos vereadores ao Presidente e a mesa diretora da Câmara, então a RESPOSTA É: O único beneficiado seria o Presidente da Câmara. 
    Tenho aqui, no FACEBOOK, vários amigos gestores e professores de Gestão Pública, Se eu estiver errado que me convençam do contrário, ou seja, vamos aprofundar a discussão sobre o assunto.

     

     

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.