Thaisa Galvão

20 de agosto de 2015 às 22:37

Assalto a loja de conveniências de posto em Cidade Verde termina com morte de vigilante [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Assalto na loja de conveniências do Posto Ypiranga, em Cidade Verde terminou na morte do vigia Damião Sérgio.

Damião reagiu à ação dos 3 assaltantes e levou um tiro no rosto.

VÍDEO Clique Aqui e veja o vídeo da luta corporal do vigia com os assaltantes

O vídeo foi gravado pelas câmeras de segurança da loja de conveniências e publicado no Portal BO.

20 de agosto de 2015 às 21:35

Programa Ronda Cidadã é tema de palestra em Parnamirim [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Primeira cidade do interior a instalar o programa Ronda Cidadã, da Secretaria de Segurança do Estado, Parnamirim sediou hoje uma palestra do ex-secretário de Segurança Nacional, Ricardo Balestreri.
O evento foi promovido pela Secretaria com apoio da Prefeitura de Parnamirim. “É preciso que a população crie uma cultura para novos modelos que aproximam a comunidade para os órgãos de segurança. O policial não deve ser visto como agente aparteado das pessoas, mas como um agente importante nesse relacionamento com os atores dessa sociedade”, explicou Balestreri.
Balestreri mostrou os principais benefícios de políticas públicas de segurança que tenham confiança e participação efetiva da população.
“È importante uma palestra que traga entendimento sobre um tema que uma das prioridades da população”, disse o comandante do 3º Batalhão de Policia Militar de Parnamirim, Coronel Jair Júnior.
“O prefeito Maurício Marques tem sido um grande parceiro nos cedendo espaços e colocando seu secretariado à disposição para apoiar nossas atividades. O programa Ronda Cidadã deverá ser implantado em Parnamirim muito em breve”, finalizou o oficial.

20 de agosto de 2015 às 19:55

Janot denuncia Eduardo Cunha e pede que ele devolva 80 milhões de dólares [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Do G1

Janot apresenta ao STF denúncia por corrupção contra Cunha e Collor

Procurador-geral diz que os dois receberam dinheiro desviado da Petrobras. Se STF aceitar denúncia, parlamentares viram réus. Eles negam acusações

Por Vladimir Netto e Mariana Oliveira

Da TV Globo, em Brasília
O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, apresentou nesta quinta-feira (20) ao Supremo Tribunal Federal (STF) denúncias contra o presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e contra o senador Fernando Collor de Mello (PTB-AL) por suposto envolvimento no esquema de corrupção na Petrobras investigado pela Operação Lava Jato.

Nas denúncias, o procurador-geral pede a condenação dos dois sob a acusação de terem cometido crimes de corrupção e lavagem de dinheiro. De acordo com a Procuradoria, eles receberam propina de contratos firmados entre a Petrobras e fornecedores da estatal. Ambos os parlamentares negam as acusações.

Na denúncia contra Eduardo Cunha, a Procuradoria também pede que ele devolva US$ 80 milhões – US$ 40 milhões como restituição de valores supostamente desviados e mais US$ 40 milhões por reparação de danos. A PGR estima essa quantia em R$ 277,36 milhões, pela cotação atual.

Também foram alvos de denúncia de Janot a ex-deputada Solange Almeida (PMDB-RJ), aliada de Cunha e atual prefeita de Rio Bonito (RJ), além de Pedro Paulo Leoni Ramos, ministro do governo Collor, e mais três pessoas ligadas ao senador.

O STF terá agora de decidir se aceita ou não as denúncias. Se aceitar, os denunciados se tornarão réus e responderão a ações penais no Supremo – devido ao foro privilegiado decorrente da condição de parlamentares, Cunha e Collor não podem ser processados em outra instância da Justiça.

Na hipótese de o STF aceitar a denúncia, Cunha – devido à condição de presidente da Câmara – será julgado pelo plenário do tribunal, formado pelos 11 ministros. O julgamento de Collor ficaria a cargo da Segunda Turma do Supremo, integrada por cinco ministros, entre os quais Teori Zavascki, relator dos inquéritos da Operação Lava Jato referentes a autoridades com foro privilegiado.

Após o recebimento da denúncia, Zavascki notificará as defesas para apresentação de respostas por escrito. Depois da apresentação das respostas, o processo voltará o Ministério Público, que dará um parecer. O ministro fará então um relatório e levará o caso ao plenário, que decidirá pela abertura ou não de ação penal – não há prazo para isso.

A denúncia contra Cunha

O presidente da Câmara, Eduardo Cunha, foi denunciado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, sob a acusação de ter recebido, entre junho de 2006 e outubro de 2012, pelo menos US$ 5 milhões para viabilizar a contratação de dois navios-sonda para a Petrobras.

O procurador-geral inicia a denúncia com uma frase de Mahatma Gandhi: “Quando me desespero, eu me lembro de que, durante toda a história, o caminho da verdade e do amor sempre ganharam. Têm existido tiranos e assassinos, e por um tempo eles parecem invencíveis, mas no final sempre caem. Pense nisto: sempre.”

De acordo com a denúncia, a Samsung Heavy Industry, empresa responsável pelo fornecimento dos navios-sonda, destinados à exploração de petróleo, pagou US$ 40 milhões para o ex-consultor Júlio Camargo, apontado como um dos intermediários da propina recebida pelo esquema e que fez acordo de delação premiada com o Ministério Público Federal.

Camargo, segundo a denúncia, foi o responsável por distribuir o dinheiro entre integrantes do esquema.

A quantia paga pela Samsung Heavy Industry teria sido depositada no exterior, em contas indicadas pelo lobista Fernando Baiano, apontado como operador do PMDB no esquema de corrupção e preso na Operação Lava Jato – o partido nega vínculos com Baiano.

A Procuradoria informa na denúncia que identificou 60 operações de lavagem de dinheiro, entre as quais remessas ao exterior, entrega de dinheiro vivo, simulação de contratos de consultoria, emissão de notas frias e transferências para uma igreja vinculada a Cunha, a título de doações religiosas.

De acordo com as investigações, após o fornecimento das sondas, a Samsung Heavy Industry parou de pagar as comissões a Júlio Camargo, o que teria levado Eduardo Cunhaa pressionar para voltar a receber a propina.

Para isso, segundo a PGR, a então deputada Solange Almeida (PMDB-RJ), aliada de Cunha, apresentou à Comissão de Fiscalização e Controle da Câmara requerimentos pedindo ao Tribunal de Contas da União (TCU) e ao Ministério de Minas e Energia informações sobre Júlio Camargo, Samsung Heavy Industry e o grupo Mitsui, envolvido nas negociações de um dos contratos. Conforme a denúncia, Cunha foi o autor “material e intelectual” dos requerimentos – ele nega.

Depois da apresentação dos requerimentos, Júlio Camargo procurou o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa – preso na Lava Jato e que também fez acordo de delação premiada – para reclamar da pressão pela retomada do pagamento da propina, diz a denúncia da PGR.

Segundo o texto da denúncia, Júlio Camargo pediu a Costa uma reunião com o então ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, do PMDB. Essa reunião teria ocorrido em 31 de agosto de 2011, na base aérea do aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro, segundo relata a Procuradoria com base em depoimento de Camargo, que no encontro teria relatado a Lobão as pressões que vinha sofrendo.

“Isso é coisa do Eduardo”, teria afirmado Lobão, segundo reproduz a denúncia. Em seguida, diante de Camargo, o ministro teria telefonado para o deputado e indagado: “Eduardo, estou com o Júlio Camargo aqui do meu lado. Você enlouqueceu?”.

Após a suposta reunião com Lobão, Camargo teria relatado para Fernando Baiano a conversa com o então ministro. Segundo o texto da denúncia, ele disse que ouviu de Fernando Baiano: “Você pode falar com quem você quiser. Enquanto não pagar o que você deve, a pressão continuará cada vez maior”.

Júlio Camargo teria, então, pedido ajuda ao doleiro Alberto Youssef para que ele negociasse uma solução com Eduardo Cunha. Youssef respondeu que a única alternativa era pagar os valores devidos a Eduardo Cunha, diz o texto da PGR.

Julio Camargo pediu então a Fernando Baiano que marcasse um encontro pessoal com Eduardo Cunha. De acordo com a Procuradoria, o encontro se deu em setembro de 2011, em um domingo à noite, numa sala de um prédio comercial do Leblon, no Rio de Janeiro.

Segundo relato de Camargo reproduzido na denúncia, Cunha disse não ter nada de pessoal contra ele, mas que era necessário uma solução para a retomada dos pagamentos da propina.

“Julio, em primeiro lugar, quero dizer que não é nenhum problema pessoal em relação a você. O problema que eu tenho é com o Fernando e não com você. Acontece que o Fernando não me paga porque diz que você não o paga. Como o Fernando não tem capacidade de me pagar, eu preciso que você me pague”, disse Cunha, segundo reproduziu a PGR.

De acordo com o texto, depois dessa reunião, os pagamentos teriam sido retomados.

A denúncia apresentada nesta quinta pelo procurador-geral não esgota a investigação do parlamentar. Isso porque uma parte da investigação – a que se refere à suposta entrega de dinheiro a aliados de Cunha – ainda continuará em apuração em inquérito que tramita no Supremo Tribunal Federal.

Cunha nega as acusações

Eduardo Cunha sempre negou ser o autor dos requerimentos de Solange Almeida e disse que jamais recebeu propina no esquema da Petrobras.

Nos primeiros depoimentos à Justiça, Julio Camargo não mencionou o nome do deputado. Posteriormente, mudou a versão e passou a incriminar Cunha. Segundo a defesa de Camargo, ele não falou antes sobre o envolvimento do presidente da Câmara por “receio” de sofrer retaliação.

Eduardo Cunha afirma que o procurador-geral da República atuou em conjunto com o Executivo para convencer Júlio Camargo a “mentir” e incriminá-lo. Depois que Julio Camargo acusou Cunha, o deputado anunciou rompimento com o governo e disse que passaria a atuar como deputado de oposição.

Na noite desta quarta-feira, Eduardo Cunha afirmou que, mesmo denunciado, não se afastará da presidência da Câmara.

“Eu não farei afastamento de nenhuma natureza. Vou continuar exatamente no exercício pelo qual eu fui eleito pela maioria da Casa. Absolutamente tranquilo e sereno com relação a isso”, disse na noite de quarta (20).

O líder do PMDB na Câmara, deputado Leonardo Picciani (RJ), aliado de Eduardo Cunha, disse acreditar que a denúncia não é motivo suficiente para um afastamento dele do comando da Câmara, como quer um grupo de parlamentares de diferentes partidos, entre os quais PSOL, PSB e PT. Eles avaliam formular um pedido para Cunha renunciar ou requerer ao Conselho de Ètica a abertura de um processo por quebra de decoro parlamentar.

Picciani defendeu que não haja uma condenação antecipada e disse que a “presunção de inocência” serve para qualquer cidadão, inclusive o presidente da Casa.

“Num Estado de Direito, qualquer cidadão pode vir a ser réu. O que precisa é concluir o julgamento. Apenas a condenação pode delimitar isso. Qualquer coisa diferente disso é uma antecipação de condenação, de suposições que não condizem com o Estado de Direito, seja para o presidente da Câmara quanto para qualquer cidadão”, afirmou.

Advogado e PMDB

O advogado Antonio Fernando de Souza, responsável pela defesa de Cunha, afirmou ao G1 que ainda não teve conhecimento do teor da denúncia.

“Quando tivermos acesso, vamos preparar a defesa. Mas não podemos adiantar nada, porque não sabemos nada ainda. Vamos aguardar para ver no que consistiu a denúncia, vamos examinar antes”, declarou.

O G1 procurou a direção nacional do PMDB, mas a assessoria do partido informou que não se manifestaria sobre a denúncia contra Cunha e a ex-deputada Solange Almeida.

A denúncia contra Collor

O senador Fernando Collor foi denunciado por pelo menos dois crimes – corrupção ativa e lavagem de dinheiro. O teor da denúncia contra Collor não foi divulgado porque cita trechos de delações premiadas ainda não validadas pela Justiça.

As investigações da Operação Lava Jato apontam que o senador Fernando Collor de Mello (PTB-AL) recebeu, entre 2010 e 2014, R$ 26 milhões como pagamento de propinapor contratos firmados na BR Distribuidora.

Delatores da Lava Jato afirmaram que chegaram a pagar faturas de cartão de crédito de Collor e que o senador recebeu parte da propina em dinheiro vivo e em mãos.

Antes de o dinheiro chegar às mãos do ex-presidente da República, afirmaram esses delatores, a quantia teria circulado em um carro-forte de uma empresa de valores e em carros blindados.

Entregador do doleiro Alberto Youssef, preso na Lava Jato, o depoente Rafael Ângulo disse que entregou dinheiro vivo a Collor no apartamento dele, em São Paulo – R$ 60 mil em notas de R$ 100.

De acordo com os delatores, o principal articulador do acordo que teria resultado em propina para dirigentes da BR e para o próprio senador foi Pedro Paulo Leoni Ramos, ministro de Assuntos Estratégicos do governo Collor.

Youssef narrou, em depoimento, ter sido procurado por Leoni Ramos para lavar dinheiro desviado da BR Distribuidora.

A investigação apontou que parte do dinheiro desviado teria sido usado por Collor para a compra de carros de luxo em nome de empresas de fachada.

Em julho, a Polícia Federal apreendeu três veículos de luxo na casa de Collor em Brasília: uma Ferrari, um Porsche e uma Lamborghini. Segundo as investigações, os veículos foram comprados com dinheiro de propina supostamente recebida no esquema – o senador nega.

Conforme a apuração, os carros não estão em nome de Collor, mas sim, em nome de empresas de fechada. Dois carros são propriedade da Água Branca Participações, empresa de Collor que, conforme investigadores, não tem funcionários e é usada para lavagem de dinheiro.

As investigações também indicaram que as prestações do financiamento do Lamborghini estão atrasadas. Para a cúpula da Lava Jato, os pagamentos pararam em razão da operação, porque a propina parou de ser distribuída. Já existe, inclusive, um processo na Justiça de São Paulo para reaver o bem em razão da inadimplência.

Collor nega as acusações

Desde que foi mencionado nas investigações, Collor sempre negou as acusações e disse estranhar a inclusão de seu nome na lista de políticos supostamente envolvidos no esquema.

Em diversas ocasiões, o senador subiu à tribuna do Senado para criticar a condução da Operação Lava Jato pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot. Collor chegou a usar um palavrão para xingar Janot em um desses discursos.

Para o ex-presidente, Janot promoveu “vazamentos seletivos” em uma “sórdida estratégia midiática”. Ele também acusou o procurador-geral de ter orquestrado as investigações para vinculá-lo ao esquema de corrupção que atuava na Petrobras.

No dia em que contestou a denúncia de que recebeu R$ 26 milhões em propina, o senador do PTB disse “nada ter a ver” com os fatos a ele imputados. E declarou ter certeza de que “a verdade, mais uma vez, virá à tona”.

Quanto aos carros de luxo apreendidos pela Operação Politeia, um desdobramento da Lava Jato, o senador disse que são propriedade de empresas das quais é sócio majoritário e afirmou que é o responsável pelos seus financiamentos. Para ele, a apreensão dos veículos superesportivos foi “espetaculosa” e midiática”.

No discurso em que xingou o procurador-geral na tribuna do Senado, Collor voltou a dizer que as acusações contra ele são “ilações”.

“Reafirmo que tudo não passa de ilações. São falsas versões impingidas à opinião pública de forma a esterilizar a verdade, a escamotear as reais intenções midiáticas do procurador-geral da República e a impor a narrativa que a ele interessa”, disse Collor no discurso.

Advogado e PTB

Ao G1, o vice-presidente do PTB, deputado Jovair Arantes (GO), afirmou que, para ele, a denúncia da PGR, a investigação por parte do STF e a defesa do senador Fernando Collor fazem parte do processo democrático. O dirigente do PTB disse estar certo de que Collor “irá se defender de maneira adequada.

“Eu acho que não é o caso de ele [Collor] ser expulso do partido. Ele tem o direito dele à ampla defesa, ele vai se defender, preparar suas respostas. Quem vai decidir se ele é culpado ou não é a Justiça. Eu acho muito arriscado você condendar alguém se a Justiça julgar, chegar a uma conclusão. Ele precisa ainda apresentar sua defesa”, ressaltou o vice-presidente do PTB.

O G1 procurou o advogado Fernando Neves, que defende o senador Fernando Collor, mas não tinha conseguido contato com ele até a última atualização desta reportagem.

20 de agosto de 2015 às 17:01

Promotores afirmam que operação na AL terá desdobramentos [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Os promotores do Patrimônio Público reuniram a imprensa para explicarem a operação que cumpriu hoje 19 mandados de busca e apreensão e dois de prisão de servidores da Assembleia Legislativa do RN.A operação, a partir de investigações desde 2009, culminou hoje com a prisão da procuradora geral da Casa e de uma auxiliar, Rita das Mercês e Ana Paula Moura, respectivamente.

As investigações identificaram o pagamento de cheques salários, com aval do gerente da agência local do Santander, Oswaldo Ananias Pereira Júnior, feitos por procurações, em nome de pessoas que não tinham ligação com a AL.

O MP pediu o afastamento cautelar dos servidores envolvidos e o sequestro dos bens.

O gerente do banco está impedido de entrar na agência.

Segundo os promotores, as investigação terão desdobramentos.

  

20 de agosto de 2015 às 13:33

Câmara debate preparação para Conferência da Juventude [0] Comentários | Deixe seu comentário.

A Frente Parlamentar em Defesa de Políticas Públicas para a Juventude, da Câmara Municipal de Natal, reuniu-se hoje para acompanhar o andamento da preparação para a Conferência Estadual de Juventude, que será realizada de 30 de outubro a 1º de novembro.
Presidida pelo vereador Hugo Manso (PT), a reunião contou com a presença de representantes de movimentos sociais e secretarias de Juventude do Estado e do Município.

“Nos reunimos para entender como esta mobilização está acontecendo. A ideia dessas conferências é criar um plano estadual a ser contemplado no plano nacional de juventude. Precisamos mobilizar as diversas juventudes em seus diferentes aspectos para que participem e suas políticas públicas sejam contempladas”, destaca Hugo Manso.

20 de agosto de 2015 às 12:06

Assembleia Legislativa suspende atividades durante investigações [0] Comentários | Deixe seu comentário.

A Assembleia Legislativa emitiu agora uma nota há pouco, informando sobre a suspensão das atividades de hoje:
A Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte suspende as atividades de sessão plenária, solene e audiência pública nesta quinta-feira (20) enquanto a operação de investigação estiver em curso em setores administrativos da sede do Poder Legislativo Estadual.
Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte

Palácio José Augusto

20 de agosto de 2015 às 11:49

Deputado Beto Rosado recebeu vereadores do RN para jantar [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Depois do encontro com vereadores ontem, em Brasília, o deputado Beto Rosado (PP) recebeu parlamentares de Natal e de cidades do Rio Grande do Norte para jantar.Os legisladores municipais foram à capital federa para a Marcha dos Vereadores. 

Ações para convivência com a seca e liberação de recursos para obras importantes no estado foram os temas levados para a Marcha Que levou mais de cinco mil vereadores do Brasil à Corte.

Do Rio Grande do Norte a delegação conta com aproximadamente 50 integrantes, entre eles, o presidente da União dos Vereadores, Bruno Melo, da Câmara Municipal de Severiano Melo.

Fotos Vanessa d’Olivier

  

20 de agosto de 2015 às 11:38

Femurn discute com prefeitos medidas urgentes para combater crise [0] Comentários | Deixe seu comentário.

A Federação dos Municípios do Rio Grande do Norte, que reuniu hoje 80 prefeitos, vai adotar medidas urgentes e em bloco para aliviar os efeitos da crise financeira que abateu os municípios. 
A primeira é solicitar a devolução imediata de servidores cedidos a outros órgãos públicos, de todas as esferas de poder. 
Outra decisão é o corte imediato do custeio municipal com as despesas da Polícia Militar e Civil, prática muito comum em cidades do interior do Estado. 
Outras medidas alternativas estão sendo avaliadas pelo corpo jurídico da Federação, inclusive a possível devolução de programas federais cujos repasses não estão sendo realizados com regularidade.
“Atravessamos a pior crise da história. Mas os prefeitos estão unidos e a partir de agora tomaremos decisões em conjunto em busca do equilíbrio financeiro das contas públicas municipais. A primeira delas é quanto à cessão de servidores. Agora, somente quando o órgão beneficiado com a cessão arcar com o ônus financeiro”, destacou o presidente da Femurn, prefeito de Mossoró Francisco José Júnior. 
O presidente ficou de agendar audiências com o Governo e o Tribunal de Justiça para tratar do pagamento da Farmácia Básica em atraso.
Também irá ao Tribunal de Contas do Estado. 
“Os prefeitos estão desesperados. Não têm mais de onde cortar custos. É preciso que os governos federal e estadual olhem com cuidado para as cidades”, destaca Francisco José.
Os prefeitos reclamaram da falta de atenção do Governo Federal e do Congresso Nacional em relação aos pedidos de socorro encaminhados pelos municípios.

  

20 de agosto de 2015 às 10:31

Dois suspeitos pelos estupros que assustaram Natal nos últimos dias são menores [0] Comentários | Deixe seu comentário.

A polícia prendeu, finalmente, os suspeitos pelos estupros coletivos ocorridos em Natal. E daqui a pouco, às 11 horas, em entrevista coletiva, divulgará detalhes das prisões.

Os estupros ocorreram no San Vale e Planalto.

Dos 3 suspeitos, um tem 22 anos e os outros dois, 17 anos.

A coletiva será na sede da Delegacia Geral de Polícia.

*

Ontem à noite a Câmara aprovou a redução da maioridade penal para 16 anos, mas a matéria ainda será votada no Senado.

20 de agosto de 2015 às 10:04

Ministro do Turismo vai conferir estado de abandono do Forte dos Reis Magos [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O ministro do Turismo Henrique Alves vai visitar amanhã, às 16h, o Forte dos Reis Magos.Vai ver de perto o estado de conservação do principal monumento histórico do Rio Grande do Norte.

Há alguns anos o Forte foi entregue à Fundação José Augusto que nada fez para manter e valorizar o turismo no local, e depois foi resgatado pwlo IPHAN, do governo federal, que também não deu cabimento.

E o que é história, hoje está entregue às traças.

Na torcida para que o Ministério do Turismo tenha dinheiro para resgatar o Forte.

20 de agosto de 2015 às 9:27

Garibaldi vai à inauguração da 1ª etapa da transposição pedir a Dilma que obras sejam aceleradas [1] Comentários | Deixe seu comentário.

No pronunciamento que fez ontem no Senado, o senador Garibaldi Filho fez um apelo ao governo federal para acelerar as obras da transposição do Rio São Francisco.“Caso isso não ocorra, frente à possibilidade cada vez mais consolidada de falta de recarga dos reservatórios na próxima quadra chuvosa, poderemos ter instalada uma situação caótica no sertão nordestino”, discursou o senador, preocupado com as chances de o El Niño provocar, em 2016, um período chuvoso inferior ao deste ano. 

O senador lembrou que o inverno deste ano, que já acabou no Nordeste, foi suficiente para repor apenas 25% do volume dos açudes da região.

 

Na sexta-feira pela manhã Garibaldi vai acompanhar a entrega da primeira etapa do eixo norte da transposição, em Cabrobó (PE), com presença da presidente Dilma Rousseff.

“Vou participar da solenidade para solicitar a antecipação do prazo final da transposição, pois estamos com quatro anos de seca e vivendo um quadro de extrema gravidade que pode se ampliar”, disse o senador.

“Recebi com satisfação a informação de que as bombas da primeira estação elevatória do Eixo Norte começaram a ser testadas. É um marco histórico que merece ser comemorado. Entretanto, muito precisa ser feito para que o caminho que leva a água até Engenheiro Ávidos, em Cajazeiras (PB), perfazendo 260 km, esteja integralmente concluído. Desse ponto em diante as águas caminharão em leitos naturais em território paraibano e depois no Rio Grande do Norte”.

  

20 de agosto de 2015 às 8:12

MP deflagra operação para investigar servidores  na Assembleia [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O Ministério Público deflagrou hoje a opersção Dama de Espadas.Desde o começo da manhã cumpre 19 mandados de busca e apreensão expedidos pelo Juízo da 8ª Vara Criminal da Comarca de Natal.

A operação faz parte de investigações de desvio de recursos através de cheques salários por servidores e um gerente de banco.
Os valores desviados segundo investigações ultrapassariam 5 milhões.
Participam da operação 17 Promotores de Justiça e cerca de 60 Policiais Militares.

As buscas a ontecem em Natal, Santa Cruz/RN e Areia/PB.

20 de agosto de 2015 às 7:44

Preso provisório é atingido e tem pulmão perfurado em Mossoró [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Durante apagão registrado ontem em Mossoró, um preso foi ferido na Cadeia Pública Juiz Manoel Onofre de Souza.
Durante o período no escuro, Railton de Souza Oliveira teve o pulmão perfurado, mas está bem e não corre risco de morte.
O objeto perfurante ainda não foi identificado.
A vítima é um preso provisório aguardando audiência na Justiça.