Thaisa Galvão

15 de janeiro de 2016 às 23:41

Quem é essa, papai? – Compositora sonha com Ivete Sangalo cantando sua marchinha [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Do UOL:

‘Quem é essa, papai?’: pito de Ivete Sangalo em marido vira marchinha

A bronca da cantora Ivete Sangalo em seu marido Daniel Cady em um show na praia de Guarajuba, na Bahia, no primeiro dia do ano, ainda deve dar muito o que falar até o Carnaval. O pito, que já virou o bordão, inspirou a cantora carioca Micheline Cardoso, de 35 anos, a fazer a marchinha “Quem é essa, papai?”. A composição participa do Concurso Nacional de Marchinhas da Fundição Progresso, no Rio de Janeiro.

Com versos como “Cheia de assunto/só dá risada/essa mulher tá muito dada” , a composição quer virar hit da folia em um ano em que as músicas carnavalescas com temas políticos, como “Japonês da Federal” e “Não enche o saco do Chico”, já fazem sucesso nas redes sociais. Por enquanto, a marchinha inspirada em Ivete tem cerca de 50 mil visualizações no Facebook e pouco mais de 5 mil no Youtube.
  

“Marchinhas sobre Dilma, Cunha e sobre política têm várias no concurso, sobre a Ivete só a minha”, diz Micheline, que gostou da bronca da cantora baiana em público. “Eu vibrei com aquilo. Eu gosto de gente autêntica, sincera. Ela falou o que queria falar e eu fiquei com aquela bronca na cabeça”, conta a compositora, que diz ter acordado às 6h da manhã com letra e melodia prontas.

Casada há 13 anos com o produtor musical Luiz Antonio Gomes e cantora desde os 16, Micheline, que já trabalhou como backing vocal de Tim Maia, Geraldo Azevedo e Nando Reis, afirma que nunca nenhuma mulher ficou “cheia de assunto” para o lado do marido enquanto ela estava cantando. “Ainda bem. Eu não gostaria de ver a minha reação”, diz.

Para este Carnaval, Micheline sonha em ver sua composição tocando no Rio, São Paulo e Pernambuco. Mas, como fã de Ivete Sangalo, queria mesmo que a cantora cantasse a marchinha em seu trio, em Salvador, na Bahia. “Seria um sonho. A realização plena.”

15 de janeiro de 2016 às 21:18

Associação de juízes federais emite nota contra repúdio de advogados ao juiz Sérgio Moro e à operação lava jato [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Diante da revolta de um grupo de advogados contra o juiz Sérgio Moro e as medidas tomadas pela justiça na operação Lava Jato, a AJUFE – Associação de Juízes Federais – se pronunciou através de nota.

Eis:

Nota Pública da Associação dos Juízes Federais do Brasil sobre a Operação Lava Jato

Diante do manifesto de advogados da Operação Lava Jato com críticas à atuação do juiz Sérgio Moro, a Ajufe esclarece:
A quebra de um paradigma vigente na sociedade nunca vem desacompanhada de manifestações de resistência. Gritam e esperneiam alguns operadores desse frágil sistema que se sentem desconfortáveis com a nova realidade nascente.
Há décadas, a imprensa brasileira veicula notícias referentes a desvios de bens e recursos públicos, cujos responsáveis – políticos, empresários, pessoas poderosas – raramente pagavam pelo crime cometido. O poder financeiro lhes possibilitava contratar renomadas bancas de advogados para ingressar com infindáveis recursos protelatórios nos tribunais – manobras que, em geral, levavam à prescrição da pena e à impunidade do infrator.

Tal quadro começou a se alterar nos últimos anos, fruto da redemocratização do país e da Constituição Federal de 1988. O Poder Judiciário, o Ministério Público e a Polícia Federal vêm adquirindo cada vez mais autonomia, tanto do ponto de vista orçamentário como operacional. É aí que surge um novo capítulo na história do Brasil.

A Operação Lava Jato coroa um lento e gradual processo de amadurecimento das instituições republicanas brasileiras, que não se colocam em posição subalterna em relação aos interesses econômicos. A Justiça Federal realiza um trabalho imparcial e exemplar, sem dar tratamento privilegiado a réus que dispõem dos recursos necessários para contratar os advogados mais renomados do país. Essa ausência de benesses resulta em um cenário incomum: empreiteiros, políticos e dirigentes partidários sendo presos.

Aqueles que não podem comprovar seu ponto de vista pela via do Direito só têm uma opção: atirar ilações contra a lisura do processo. Fazem isso em uma tentativa vã de forjar na opinião pública a impressão de que a prisão é pena excessiva para quem desviou mais de R$ 2 bilhões, montante já recuperado pela Operação Lava Jato.
A Lava Jato não corre frouxa, isolada, inalcançável pelos mecanismos de controle do Poder Judiciário. Além de respaldada pelo juízo federal de 1º grau, a operação tem tido a grande maioria de seus procedimentos mantidos pelo Tribunal Regional Federal da 4ª região (TRF4), pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) e pelo Supremo Tribunal Federal (STF).
Aludir genericamente a violações de regras do “justo processo” sem a correspondente ação judicial reparatória é mero falatório, fumaça, que não gera benefício nem para o cliente pretensamente protegido.

O desrespeito aos direitos dos réus, por quem quer que seja, é uma conduta passível de questionamento. Nada impede que um advogado, se estiver certo da violação, postule a devida correção no âmbito da Justiça.
Quando há provas de um vício ou equívoco processual, o natural é apresentá-las ao Tribunal, para que se mude o curso do caso. Quando elas não existem, uma carta nos jornais parece um meio de dar satisfação aos próprios contratantes. Os advogados não podem tirá-los da cadeia – as condenações estão sendo corroboradas pelas instâncias superiores do Judiciário – então, a única solução encontrada é reclamar em alto e bom som.
Interessante notar como as críticas de alguns poucos advogados revelam o desajeito deles com este novo contexto. Tal se revela sobretudo na busca de neologismos marqueteiros. Chamar de neoinquisição o funcionamento das instituições republicanas é um desrespeito com as verdadeiras vítimas históricas da inquisição, que – todos sabemos – perseguiu, torturou e assassinou por motivos religiosos. Na ausência do que dizer, atacam desmedidamente e revelam escasso conhecimento histórico.
A impossibilidade de se ganhar a causa dentro do devido processo legal leva a todo tipo de afronta à decisão tomada em juízo. O manifesto desse pequeno grupo de advogados dá a entender a ideia absurda de que o Judiciário, o Ministério Público e a Polícia Federal se uniram com o propósito de manejar a opinião pública para pressionar o próprio Judiciário. Não só a história não é factível, como parece o roteiro de uma ficcional teoria da conspiração.

A posição institucional da OAB, que mantém uma postura de respeito às instituições, é louvável. A maioria dos advogados têm respaldado as investigações conduzidas. Sabemos que a iniciativa de ataque à Lava Jato é isolada e decorrente do desespero de quem se vê diante da perda iminente e definitiva da causa. Diversos advogados têm endossado as ações da Lava-Jato, em pronunciamentos públicos. As leviandades expressas na carta não encontram eco na advocacia brasileira.

Sobre os supostos “vazamentos” de informações sigilosas, destaca-se que os processos judiciais, em regra, são públicos e qualquer pessoa pode ter acesso, inclusive às audiências, salvo nas hipóteses de segredo de justiça de acordo com as previsões legais dos artigos 5º, LX, e 93, IX da Constituição. A publicidade dos processos e das decisões judiciais visa exatamente a garantir o controle público sobre a atividade da Justiça.
A magistratura federal brasileira está unida e reconhece a independência judicial como princípio máximo do Estado Democrático de Direito. Assim, reconhece também a relevância de todas as decisões de todos os magistrados que trabalharam nesses processos e, em especial, as tomadas pelo juiz federal Sérgio Moro, no 1º grau, pelo desembargador João Pedro Gebran Neto, relator dos processos da Lava Jato no TRF4, e pelos desembargadores Victor Luiz dos Santos Laus e Leandro Paulsen, que também compõem a 4ª turma.
No STJ, sabemos quão operosos são os ministros Felix Fischer, relator dos processos da Lava Jato, e Jorge Mussi, Gurgel de Faria, Reynaldo Soares e Ribeiro Dantas, que compõem a 5ª turma. Eles não se prestam à violação de direitos de qualquer réu.

Da mesma forma, confiamos plenamente nos ministros Teori Zavascki, relator da Lava Jato no STF, e Celso de Mello, Gilmar Mendes, Cármen Lúcia e Dias Toffoli, que integram a 2ª turma, bem como nos demais ministros da Corte. Eles dão a garantia final de que os processos da Lava Jato correram conforme o devido processo legal.
A magistratura brasileira avançou muito nos últimos anos, assim como a nossa sociedade democrática. Os magistrados não sucumbirão àqueles que usam o Direito e Justiça para perpetuar impunidades sob o manto do sagrado direito de defesa.

Antônio César Bochenek

Presidente da AJUFE

15 de janeiro de 2016 às 17:04

PMDB de olho na Educação de Natal [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Nas varandas silenciosas do verão peemedebista, o que se diz é que o PMDB está com a indicação de Luís Eduardo Carneiro para a Secretaria de Educação.

A pasta hoje é ocupada pela suplente de vereador, Justina Iva, filiada ao PCdoB.

PCdoB que já afirmou que terá candidato a prefeito em Natal.

15 de janeiro de 2016 às 16:38

Vídeo: Criança cai do 3º andar e sofre apenas arranhões [2] Comentários | Deixe seu comentário.

Do G1 Ceará:

‘Só escutei o grito’, diz mãe de criança que sobreviveu a queda do 3º andar

Garota sofreu arranhões e já deixou hospital; vídeo mostra queda.

Elias Bruno

  

A mãe da criança de um ano que sobreviveu a uma queda do terceiro andar em um prédio em Fortaleza diz que o acidente ocorreu no momento em que família dormia, por volta das 6h desta sexta-feira (15).
“Foi coisa assim de um minuto, que eu fechei o olho e só escutei o grito dela. Quando procurei, ela não estava em casa”, relata a manicure Aline Joice Nascimento, de 29 anos, mãe de Helena Beatriz.

A cama onde a mãe e filha dormiam fica próxima à janela do apartamento. Segundo Aline, Beatriz tentava alcançar brinquedos que estavam na janela, quando sofreu o acidente.
“A cama fica um pouco longe da janela justamente por causa do risco. Quem mora em apartamento, independente de ser baixo ou não, é arriscado, é um perigo. Mas como os brinquedos estavam encostados na janela, quando eu vi que ela queria pegar, já tinha acontecido”, afirma.

Precauções
Após o acidente, Aline afirmou que vai tomar precauções para evitar que aconteça novamente algo parecido. “A lição que fica é ter mais atenção com a minha filha.” Ela pensa em morar em outro lugar.

De acordo com algumas testemunhas, a criança esbarrou na fiação elétrica antes de cair no chão, o que pode ter amortecido o impacto. A família também acredita na hipótese, mas ainda não há confirmação.

15 de janeiro de 2016 às 15:58

Secretário Ricardo Lagreca fala a uma rádio americana sobre Zika Vírus no RN [0] Comentários | Deixe seu comentário.

  
O secretário de Saúde do Rio Hrande do Norte, Ricardo Lagreca, deu entrevista a correspondentes no Brasil da National Público Rádio/The Times, dos Estados Unidos.

Pauta: os casos de microcefalia registrados no RN, causados, possivelmente, pelo sobre Zika Vírus.

15 de janeiro de 2016 às 15:48

Lobista da lava jato é expulso de restaurante em Angra dos Reis [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Do jornal O Tempo, de Pampulha, Minas Gerais:
  

COM AGÊNCIAS

O lobista e ex-consultor da Toyo Setal, Júlio Camargo, foi expulso, na quinta-feira (7), por clientes em um restaurante na ilha da Gipóia, em Angra do Reis (RJ).

 

O jornal “Folha de S. Paulo” recebeu o vídeo com a cena do lobista sendo hostilizado por pessoas que estavam no local. Nas imagens, Camargo, que estava acompanhado de familiares, chegou a empurrar um dos clientes e deixou o restaurante aos gritos de “vagabundo”, “pilantra” e “vai por tornozeleira” .

Ainda segundo informações do “Folha de S. Paulo”, Angra dos Reis sempre foi um destino frequentado pelo lobista, onde ia a festas badaladas e circulava de barco entra as ilhas.

 

Júlio Camargo foi autor das revelações da denúncia da Procuradoria-Geral da República contra Eduardo Cunha (PMBD-RJ), presidente da Câmara. Ele foi condenado a 14 anos de prisão por corrução e lavagem de dinheiro, mas não chegou a ser preso devido a acordo de Delação premiada que fez com o Ministério Público.

*

No youtube, e repercutido nas redes sociais, o filho do ex-presidente Lula estaria no grupo expulso do restaurante.
O jornal O Tempo não cita filho de Lula.

15 de janeiro de 2016 às 14:44

Mulher e filha do presidente do PTB são assaltadas na praia em frente ao condomínio onde veraneiam prefeito e governador [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Bandidos armados com revólveres assaltaram há pouco a esposa, a filha e uma amiga do secretário de Habitação da Prefeitura de Natal e presidente estadual do PTB, Getúlio Batista.

Elas estavam na praia em frente ao concomínio Porto Brasil, onde estão veraneando, e onde veraneiam, em casas vizinhas, separadas apenas por um terreno, o prefeito de Natal, Carlos Eduardo, e o governador Robinson Faria.

O assalto chegou a ser anunciado como tendo ocorrido dentro do condomínio, o que não é verdade.

Também se falou em “praia privada”, mas não existe praia privada.

Os bandidos levaram relógios, celulares e dinheiro.

Disseram que iriam levar a mulher de Getúlio por ela não ter também um celular, como tinham as meninas.

Assaltaram e saíram correndo em direção à prainha.

Armados, nunguém teve coragem de ir atrás, nem de fazer nada.

15 de janeiro de 2016 às 13:41

Pagando o Pato: Brasileiros repassam 819 milhões para eleger políticos que não lhe representam [2] Comentários | Deixe seu comentário.

Por Thaisa Galvão

A presidente Dilma Rousseff cortou repasses para a educação, para obras em estradas, para o projeto Minha Casa Minha Vida…

A presidente Dilma cortou repasses para estados e municípios…

Porém, a presidente Dilma sancionou, sem vetos, o Orçamento de 2016, que garante o repasse de 819 milhões de reais para Fundo Partidário.

Você sabe o que significa isso?

São 819 milhões de reais para sustentar os partidos que são negociados ao bel prazer de seus dirigentes.

E para que os partidos precisam dessa dinheirama toda?

Para eleger quem não lhe representa, caro leitor.

E muitas vezes, para pagar contas pessoais. Rombos de campanha.

Partidos ganham dinheiro sim, se é que você não já sabia.

São 35 partidos hoje registrados no TSE para dividir o bolo de 819 milhões em 2016.

Caso o bolo fosse repartido por igual, cada legenda receberia no ano, pouco mais de 23 milhões.

Mas a divisão é feita por tamanho de partido. Quem tem mais representantes no Congresso, ganha mais.

PMDB e PT ganham na disputa pelo título de maior partido.

E aí os milhões são muitos.

Dinheiro que muitos estados ou municípios gostariam de ter para construir escolas no país da Pátria Educadora, para equipar hospitais com UTIs, por exemplo, para garantir a segurança no país que vendeu, mas não entregou o programa ‘Brasil Mais Seguro’.

Mas não…

Hoje o Diário Oficial da União publicou a sanção da presidente Dilma ao orçamento sem cortes para 2016, incluindo os 819 milhões para os 35 partidos.

Muito dinheiro sem critério nenhum para ser utilizado, pois os presidentes nacionais das legendas recebem, e quase nunca repassam para os diretórios estaduais, que dirá para os municipais.

Ao bel prazer mesmo.

Mas aí o governo, ou os governistas, pode justificar que do ano passado para cá, houve uma redução de 48 milhões, pois em 2015 o governo repassou 867 milhões para a farra dos partidos.

É, mas o corte desse ano é o mínimo que o governo Dilma poderia fazer, depois de ter, de 2014 para 2015, triplicado o montante destinado a Fundo Partidário.

Tudo porque as doações de empresas, que representavam mais de 60% dos valores de campanhas, foram proibidas.
Uma compensação aos partidos que não poderão ter mais as “doações legais” da OAS, Andrade Gutierrez, UTC, Odebrecht e etc…

Já não basta o roubo descarado desvendado – em parte – pelo mensalão e lava jato, o governo ainda repassa 819 milhões para candidatos.

E o brasileiro sempre pagando o pato, contribuindo com a eleição de quem não lhe representa.

brasil sem jeito. brasil com b pequeno.

15 de janeiro de 2016 às 13:14

Acidente envolve inspetor de trânsito da STTU [0] Comentários | Deixe seu comentário.

De Kennedy Diniz:

   
 
O acidente envolveu dois carros e a moto do agente de trânsito.

Há informação que um dos condutores estava com sintoma de que teria ingerido bebida alcoólica.

15 de janeiro de 2016 às 11:24

Limite de gastos na campanha vai fomentar caixa 2 e terceirizações de serviços [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Do Globo:

  
Do Blog – Pronto! É exatamente aí que vão rolar caixa 2 e terceirizações.

Certeza que muitos financiadores de campanha vão pagar, por fora, por serviços prestados.

Quem vai impedir que, por exemplo, uma empresa pague por um serviço de publicidade prestado a sua empresa, quando na realidade o serviço será prestado à campanha?

Quem vai impedir, por exemplo, que uma empresa contrate um advogado e pague por um serviço prestado a sua empresa, quando na realidade o serviço será prestado à campanha?

Nunca, jamais, na história do universo, a política brasileira vai se regenerar assim tão rápido, só por causa de um mensalão ou de um lava jato.

Tanto que teve condenado no mensalão atuando na lava jato.

É essa a nossa pátria educadora, infelizmente.