Thaisa Galvão

28 de fevereiro de 2016 às 11:29

Deputado Beto Rosado defende venda de campos desativados pela Petrobras e manutenção de 5 mil empregos [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O deputado federal Beto Rosado leu com preocupação o noticiário sobre o desligamento de três máquinas perfuratrizes da Petrobras. 

Segundo o Sindipetro, o desligamento vai derrubar em 60% a perfuração de novos poços e, consequentemente, causar a demissão de cinco mil trabalhadores do setor até o mês de setembro.
Como presidente da Frente Parlamentar do Petróleo e Gás na Câmara Federal, Beto Rosado fez discurdo na tribuna da Câmara contra a venda dos campos maduros.

Segundo Beto, a Petrobras tem um custo de exploração por barril que se aproxima do preço de venda, atualmente em US$ 30, o que torna a produção nesses campos inviável para a companhia. 

Por outro lado, o custo da exploração por empresas privadas pode chegar a US$ 8, o que torna viável o negócio. 

As informações levadas à tribuna pelo deputado são da Associação Brasileira dos Produtores Independentes de Petróleo e Gás, ABPIP.
“Quando o ex-deputado Betinho Rosado defendeu a abertura da exploração dos poços maduros para a iniciativa privada, há mais ou menos 20 anos, foi mal compreendido e acusado de querer privatizar a Petrobras. Na verdade, o que ele queria era assegurar os empregos que hoje estão sendo perdidos. Pensou na frente”, destacou Beto Rosado, explicando que vender os campos maduros significa liberar somente os poços de baixa produção que a Petrobras está deixando de lado. 

“A estatal continuará explorando o petróleo em terra com os poços mais produtivos. Isso garante o emprego daqueles que atuam nesses poços, sem prejudicar a abertura de novos empregos a partir da exploração dos campos maduros pela iniciativa privada. A nossa briga é pelo emprego”, concluiu.
Foto Vanessa d’Oliviêr 

  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.