Thaisa Galvão

2 de abril de 2016 às 11:06

Ex-prefeito Kerginaldo explica porque renunciou ao cargo e promete voltar aos palanques de Elói de Souza daqui a 4 anos [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O ex-prefeito de Elói de Souza, Kerginaldo Medeiros (PMDB), explicou ao Blog o porquê de sua renúncia na quarta-feira.
Ele disse que quando estava no palanque, na campanha pela reeleição, nos seus discursos ele falava para o vice Grimalde Ferreira (PT) que no dia 31 de março de 2016 renunciaria ao cargo e passaria a Prefeitura a ele, 9 meses antes de concluído o mandato.
E assim foi feito, segundo o prefeito, que disse primar pela palavra.
“Eu podia ter enganado, mentido, mas eu tenho palavra”, disse Kerginaldo, que deixou a Prefeitura, segundo ele, com as contas em dia, servidores e fornecedores com pagamentos feitos, e obras inauguradas com recursos próprios em plena crise.
Kerginaldo ainda saiu festejando com a população o que para ele era um compromisso com o vice. Fez um jantar para 400 pessoas e botou na rua os mesmos artistas que se apresentaram na sua primeira eleição: Dedin Gouveia e Ferro na Boneca.
Kerginaldo disse que além de praças na cidade e na zona rural, deixou as escolas de Elói de Souza todas reformadas e pronta uma sede nova da Prefeitura, que vai ser usada pelo atual prefeito. Tudo com recursos próprios.
O agora ex-prefeito saiu, mas já avisando que pretende voltar.
Na quarta-feira quando falava no palco da festa, disse a Grimalde que cuidasse de fazer a tradicional Festa de Reis, e que se lembrasse que ele só terá 4, pois as próximas será ele, Kerginaldo, quem vai comandar.
Traduzindo, o ex-prefeito quis dizer que Grimalde, candidato à reeleição com seu apoio, terá 4 anos de gestão, já que em outubro próximo estará disputando reeleição, e em 2020 quem estará de volta é ele, Kerginaldo.
O ex-prefeito disse que tem adiantado para a população as suas decisões políticas: na primeira eleição, afirmou no palanque que seria candidato à reeleição, e no palanque da reeleição, adiantou que entregaria a Prefeitura ao vice no dia 31 de março.
Conta inteligente de quem não quer passar 8 anos sem mandato.
Melhor renunciar dentro do prazo da justiça eleitoral para o vice assumir e já se comprometer com a reeleição 9 meses depois, ficando impedido, portanto, de disputar uma nova eleição 4 anos depois.
Perdendo 9 meses, Kerginaldo fica fora da Prefeitura por 4 anos. Se tivesse ido até o fim da gestão, correria o risco de ficar 8 anos, caso o eleito em outubro próximo se reelegesse em 2020.
O ex-prefeito parece se garantir e diz que a receita que deu certo é trabalho: deixou a família em Natal e alugou uma casa na frente da Prefeitura onde morou durante seus mandatos. O resultado fez com que prefeitos de outros municípios lhe procurassem para entender como ele estava driblando a crise.
“A crise não afetou o município de Elói de Souza”, disse Kerginaldo ao Blog, disposto a voltar aos palanques daqui a 4 anos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*