Thaisa Galvão

21 de outubro de 2017 às 20:07

Durante homenagem, Tião Couto diz que governo joga dinheiro fora com estratégias erradas de combater efeitos da seca [2] Comentários | Deixe seu comentário.

Um dos nomes discutidos para disputar o Governo do RN nas eleições do próximo ano, o

empresário Tião Couto recebeu neste sábado o título de Cidadão Areiabranquense.

Foi durante sessão solene na Câmara em comemoração aos 90 anos de emancipação política do município.

O título foi proposto pelo vereador Aldo de Oliveira Dantas (PSDB).

Tião foi o escolhido para falar em nome dos homenageados, ocasião em que ele abordou um dos mais sérios problemas que aflige a população da região salineira e de todo o interior do Estado.

“Muitos pensam que nossa principal dificuldade é a crise no sal ou mesmo a queda dos investimentos da Petrobras na região ou ainda a retração na Fruticultura; eu digo que nossa principal crise é a água. Nossos mananciais de superfície estão todos secando e ninguém está se preocupando com isso”, disse Tião em seu discurso.

“Eu vejo que o Governo gastou mais de R$ 100 milhões com a adutora de Apodi a Mossoró e esta obra está parada há anos, o  dinheiro foi desperdiçado. Com este dinheiro dava para perfurar 30 poços profundos em toda essa região e garantiria abastecimento sem problema pelos próximos 60 anos”, disse Tião.

“Vejo muitos políticos correndo atrás dos canais trazendo água do São Francisco para o Rio Grande do Norte, mas esquecem de fazer o dever de casa que é preparar os reservatórios para armazenar essa água quando ela vier, do jeito que está aí, a água vai passar e vai se perder no mar”, denunciou o empresário preocupado com os rumos que a seca ainda poderá tomar no interior do Rio Grande do Norte.

2 respostas para “Durante homenagem, Tião Couto diz que governo joga dinheiro fora com estratégias erradas de combater efeitos da seca”

  1. Mairton França disse:

    Boa tarde. Mandei uma mensagem em seu Facebook, uma vez que precisei de mais espaço do que o que é possível por aqui. Agradeço se puder publicar. Obrigado!

  2. Mairton França disse:

    Gostaria de esclarecer alguns pontos, no que diz respeito ao que foi comentado pelo empresário Tião Couto sobre o Projeto da Transposição do Rio São Francisco.

    A recuperação das barragens é de responsabilidade do Ministério da Integração. No momento em que as barragens envolvidas no Projeto estiverem recuperadas, possivelmente (já que esta é uma questão ainda em discussão entre o Ministério da Integração e o DNOCS), sua operação será repassada para os Estados. Até mesmo quanto a isso, ainda não é consenso entre os quatro Estados beneficiados se de fato irão aceitar esse ponto da negociação que vem se desenrolando desde 2015. Quanto aos projetos de recuperação das barragens, um dos resultados das pressões que o Governo Estadual tem feito sobre o Governo Federal, com apoio maciço da nossa bancada federal, é a assinatura da ordem de serviço para a recuperação de nossa maior barragem, a de Armando Ribeiro Gonçalves. Graças a essas pressões a ordem de serviço já está assinada: a obra custará 20 milhões. Bom também que ,o agora Areibranquense, saiba que, em virtude de quase 7 anos de seca, é mínima a possibilidade ‘da água’ do São Francisco “passar e se perder no mar”, isso porque o nível do nosso maior reservatório, ARG, o único que está previsto receber água do PISF (Projeto de Integração do Rio São Francisco com as Bacias do Nordeste Setentrional) está com apenas 15 % de sua capacidade de reservação. De qualquer forma as águas do São Francisco somente chegarão ao RN (e apenas pela Bacia do Piranhas-Açu, bom esclarecer também que ela virá pelo leito do Rio e não por canais, nessa bacia) não antes do final do ano de 2018, provavelmente somente no início de 2019. É importante também esclarecer que a obra do Eixo Norte do PISF, Eixo que trará água para o RN, esteve parada por quase um ano, atrasando sobremaneira os benefícios do Projeto para os Estados do CE e do RN. Para que ARG venha a verter e “perder água”, nas condições atuais, seria necessária que caia sobre a toda a bacia do Piranha-Açu, especialmente a montante de ARG, uma chuva milenar (a maior em mil anos), ou superior, poderíamos cogitar que se isso vier a acontecer, não seria por responsabilidade do Estado, mas sim uma questão natural (que, nós oestanos já vimos acontecer em muitos momentos).

    Quanto à adutora Apodi-Mossoró, os problemas que não possibilitaram ainda que ela entre em operação imediatamente originam-se no Governo de Wilma de Faria. Hoje ela está com 86% concluída e se fez necessário alterar o projeto incluindo a adução de água oriunda de poços profundos existentes em Apodi (é importante que quem tenha planos de governar o nosso Estado saiba que nossa reserva de água subterrânea é de conhecimento do Estado e do Staff do Governador Robinson Faria, não por acaso, o único Plano Emergencial de Segurança Hídrica já elaborado por algum governo no RN é de autoria de Robinson e está protocolado no Ministério da Integração desde 2015: veja-se por exemplo que a adutora emergencial de Caicó, prevista no Plano como prioridade número 1, já encontra-se em funcionamento, foi projeto do Governo do Estado e foi executado pelo DNOCS, numa decisão política bastante questionada no ano passado). Também é bom informar aos leitores deste Blog que a empresa contratada em processo licitatório, herdado dos governos anteriores, para a execução da obra da Adutora, não possui as certidões necessárias para dar legalidade à continuidade do seu contrato e da obra, assim, a CAERN está se preparando para relicitá-la.

    Para finalizar, gostaria de dizer que ha muitas outras questões importantes para informar a população do RN sobre a Transposição do São Francisco, nesse aspecto me coloco à inteira disposição deste conceituado Blog para que maiores detalhes cheguem ao conhecimento de seus leitores. Um abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.