#JornalismoSemFakeNews

21 de novembro de 2018 às 9:57

‘Par ou ímpar’ entre Mineiro e Beto Rosado segue até decisão do TSE

[2] Comentários | Deixe seu comentário.

A disputa pela vaga de deputado federal na bancada do Rio Grande do Norte continua até que o TSE se pronuncie sobre a contagem ou não, dos votos do candidato a deputado federal Kerinho (PDT), que teve 8.990 votos que não foram computados, vez que sua candidatura estava indeferida pelo TRE por ausência de documentação, porém, aguardando recurso da instância superior.

O despacho do TSE, divulgado ontem, dá conta da entrega de “documentos complementares” do candidato, na última hora do prazo exigido pela justiça eleitoral…

E como na lista apresentada no despacho do TSE não consta o documento de “quitação eleitoral”, agora se questiona esta outra pendência.

O que mantém em silêncio, tanto Mineiro quanto Beto Rosado, que aguardam a posição do ministro Jorge Mussi, do TSE, sobre o assunto.

No dia 11 passado entrevistei Kerinho, e ele garantiu que entregou toda a documentação exigida.

Leia trecho do que foi publicado pelo Blog.

Porém, na lista apresentada no despacho, não consta quitação.

Resta saber se os documentos apresentados no despacho são os “complementares” ou os totais.

E se além desse despacho o ministro do TSE conta com mais alguma informação ainda não divulgada.

Os dias se seguirão ainda em clima de ‘par ou ímpar’ entre o anunciado eleito Fernando Mineiro, e o anunciado como derrotado, Beto Rosado.

2 respostas para “‘Par ou ímpar’ entre Mineiro e Beto Rosado segue até decisão do TSE”

  1. Cássia Floquet disse:

    Boa sorte! Ao que levar..

  2. Ilustre jornalista,
    Parece estranho que um sistema tão eficiente quanto o da Justiça Eleitoral tenha ignorado a leitura de documentos apresentados pelo candidato a deputado do PDT. A situação causaria perplexidade e apreensão doravante para candidatos a cargos eletivos no Rio Grande do Norte e pelo País como um todo.
    No mais, na relação apresentada pelo Blog, não vi a CERTIDÃO DE QUITAÇÃO ELEITORAL, indispensável para qualquer candidatura, salvo engano.
    Soa como “tentativa de tomada no tapetão” a tentativa do deputado federal não reeleito Beto Rosado, que tenta a ferro e fogo tomar o mandato legitimamente conquistado por Fernando Mineiro pelo voto direto.
    Por fim, anote-se que eventual mudança no cenário político-eleitoral do RN nesse particular demonstraria por A mais B que o atual sistema é bastante falho, eis que um candidato que recebeu muito menos votos que outro tomaria deste, muito mais votado, o seu lugar na Câmara Federal.
    Tomara que a Justiça Eleitoral continue a seguir a jurisprudência já firmada na sua Corte Superior Máxima, e mantenha o mandato do deputado federal legitimamente e legalmente eleito Fernando Mineiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.