Thaisa Galvão

15 de maio de 2020 às 18:05

Ex-ministro da Saúde diz que tem nome a zelar [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O presidente Jair Bolsonaro tem ideia fixa por cloroquina.

Não é médico, não entende bulhufas sobre Ciência, mas achou que, por ser presidente, bater no peito e dizer, ‘eu mando’, pode sair passando receita a torto e à direita, para cura da covid.

E o uso da cloroquina como receita do Palácio do Planalto, não desceu de goela abaixo por Nelson Teich, que é médico, pesquisador, e entende que não é bem assim.

Por ter um nome como médico a zelar, deixou Bolsonaro falando sozinho a “língua” dele, já que ele mostra todos os dias que não tem nome nenhum a zelar.

Brasil como epicentro da pandemia de coronavírus é prova disso.

Ontem à noite o presidente fez uma live e anunciou que iria mudar o protocolo do governo em relação à cloroquina.

Como o ministro tem um nome a zelar como médico que conhece cloroquina bem mais do que ouvir falar, pediu para sair.

Nelson Teich foi tarde.

Era para ter ficado em casa já no dia que passou vergonha ao ser pego de surpresa com um decreto ‘determinado’ pela sua pasta, quando ele na realidade não sabia de nada.

Para quem não lembra, o decreto de Bolsonaro liberando salões de beleza, barbearias e academias de ginástica, assinado por Bolsonaro, dizia que a liberação ‘obedecia determinação’ do Ministério da Saúde.

Era mentira.

E quem mente, não tem nome a zelar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*