Thaisa Galvão

1 de junho de 2020 às 18:02

Empresário Afrânio Miranda vai disputar Prefeitura de Natal com apoio do senador Styvenson [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Dono da rede de lojas Miranda Computações, o empresário Afrânio Miranda vai disputar a Prefeitura de Natal.

Será o candidato do Podemos com apoio do senador Styvenson Valentim.

Para entrar na campanha, nesta terça-feira(02)  se afastará da presidência da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Rio Grande do Norte.

1 de junho de 2020 às 17:49

Lockdown (?): Secretário de Saúde Cipriano Maia acena com mais restrições em relação ao distanciamento social [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Na reunião da governadora Fátima Bezerra com prefeitos e secretários de Saúde, para tratar sobre pandemia, o secretário de Saúde do Estado, Cipriano Maia, acenou com um possível lockdown.

Depois da governadora falar e dizer que estava ali para ouvir, já que não toma decisões sozinha, o titular da Saúde disse que sua posição, diante dos números da Covid-19 no Rio Grande do Norte, é por “intensificar medidas de restrição”.

Para Cipriano, a receita é distanciamento social.

Participam da reunião, além de prefeitos, o procurador geral de Justiça, Eudo Leite, e o chefe da Casa Civil da Prefeitura de Natal, Fernando Fernandes.

Secretário de Saúde de Natal, quye nem pediu demissão nem foi demitido, também participa da reunião com a governadora.

1 de junho de 2020 às 17:39

Quem foi o prefeito ou secretário que abriu microfone e crianças interferiram na reunião com a governadora? [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Um participante da reunião da governadora Fátima Bezerra com prefeitos e secretários de Saúde não se ligou… Deixou o microfone aberto e crianças falando. O participante atrapalhou a fala do secretário de Saúde do Estado, Cipriano Maia, e levantou a questão para quem realmente estava na sala virtual. Muita gente que nem era prefeito nem era secretário…  

1 de junho de 2020 às 17:27

Grupo Anonymous volta a levantar tese que a Princesa Diana teria sido assassinada [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O grupo de hackers Anonymous, que estava desativado e voltou com gosto de gás prometendo expor podres do governo americano e de todo o mundo, divulgou que a Princesa Diana foi assassinada, e que a morte dela foi planejada pela família Real, da qual ela fazia parte.

No Twitter, a rede Anonymous garantiu que Diana de Gales estava ciente da participação da família de seu marido, o príncipe Charles, em uma rede de exploração sexual.

O coletivo de hackers incendiou a internet no fim de semana e após provar que o presidente americano Donald Trump também era investigado por estupro no caso de Jeffrey Epstein, bilionário americano condenado por tráfico sexual de menores, inclusive divulgando documentos oficiais com relato de uma vítima, apontou o envolvimento da família real britânica na morte da Princesa Diana.

Na filtragem de caracteres que o Anonymous fez hoje, os nomes dos personagens da realeza envolvidos no tráfico e exploração sexual de menores mantidos por Epstein são encontrados.

O bilionário foi encontrado morto na prisão no ano passado.

1 de junho de 2020 às 16:56

Nem o secretário de Saúde de Natal pediu demissão nem o prefeito demitiu o secretário de Saúde [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Nem o secretário de Saúde de Natal, Geirge Antunes, pediu demissão, nem o prefeito Álvaro Dias o demitiu.

Após dar uma entrevista apresentando suas convicções, contra a flexibilização, Antunes foi conversar com Álvaro, que tem uma posição menos radical em relação à flexibilização, mesmo sabendo que não é bem o momento, vez que os números apontam para o pico da contaminação na capital.

Antunes e Álvaro conversaram e o secretário continua secretário, já que nem pediu demissão nem foi demitido.

1 de junho de 2020 às 16:55

Contra flexibilização, secretário George Antunes pede ‘pelo amor de Jesus Cristo’ para a população ficar em casa para evitar que contaminados morram nas calçadas de hospitais [0] Comentários | Deixe seu comentário.

E o secretário George Antunes foi firme em suas convicções.

E não estava errado quando disse que a flexibilização contida nos decretos estadual e municipais ainda é um risco à população.

Claro que a retomada das atividades econômicas é essencial, mas não no momento em que não há um leito vago em um hospital.

Para o secretário George Antunes, se o que está ocorrendo no Rio Grande do Norte não for contido, daqui a pouco vai ter gente morrendo nas calçadas dos hospitais.

O secretário afirmou que o pico da pandemia será pelo meio do mês de junho.

1 de junho de 2020 às 16:50

Para secretário de Saúde de Natal, fechamento de UPA em Parnamirim pode ser classificado como ‘omissão de socorro’ [0] Comentários | Deixe seu comentário.

E o secretário de Saúde de Natal, George Antunes, criticou a Prefeitura de Parnamirim pelo fechamento de uma UPA.

Para Antunes, o que aconteceu em Parnamirim pode ser classificado como “omissão de socorro”.

1 de junho de 2020 às 16:34

Semana do Meio Ambiente em Natal terá ampla programação em meios digitais [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Mesmo com as medidas de restrição em virtude da pandemia da Covid-19, a Prefeitura de Natal vai promover nesta semana uma extensa programação de atividades para marcar a Semana do Meio Ambiente de 2020.

Todas as iniciativas ocorrerão por meios digitais. O tema da edição deste ano é “Biodiversidade Urbana: Natal Preservando Seus Espaços”, com o objetivo de despertar na população uma maior consciência ambiental, agora também diante dos desafios impostos pela pandemia.

As atividades ocorrerão desta segunda-feira (01) até o próximo sábado, dia 06 de junho.

Os canais de transmissão serão concentrados nos perfis da Prefeitura de Natal nas redes sociais. Os conteúdos serão disponibilizados  no Youtube (https://www.youtube.com/user/natalprefeitura), Instagram (https://www.instagram.com/natalprefeitura), Facebook (https://facebook.com/prefeituradonatal) e  Twitter (https://twitter.com/NatalPrefeitura), por meio de vídeos, podcasts, lives, posts no feed, stories e pelo IGTV.

Além do envio de boletins diários via whatsapp. Para isso, basta adicionar o número do serviço WhatsNatal (84) 98831-7611 à sua lista de contatos para receber o conteúdo.

A programação está diversificada e irá abordar ao longo da semana vários assuntos, entre eles as BioDicas, com orientações sobre aplicativos, livros e documentários com temática ambiental, para quem deseja assistir em casa neste período de isolamento social.

Outra novidade é o Quiz Ambiental para os usuários interagirem e testarem seus conhecimentos sobre Meio Ambiente.  E ainda um momento de relaxamento com uma live “Yoga do Pôr do Sol, transmitida do Parque da Cidade, às 17h, no dia 5.

Além disso, várias oficinas irão compor a programação da Semana, como a de Bonsai, de Brinquedos com material reciclável, como fazer uma horta orgânica para cultivo do tomate e apresentação de mamulengos.

Também haverá exposição virtual “Passarinhada do Parque da Cidade”, que vai possibilitar a visualização de fotos e sons das aves que compõem a avifauna do parque.

Para discutir temas da atualidade, será realizado um Webinar para debater “A importância dos parques urbanos na retomada do turismo”.

A live será transmitida pelo canal do Youtube da Prefeitura, na sexta-feira (05), às 9h, e contará com a participação do secretário da Semurb, Thiago Mesquita, do secretário de Turismo (Setur), Joham Xavier, e do diretor da Luck Receptivos, George Costa.

Confira a programação completa aqui (https://bit.ly/SemaNatal2020)

 

ECO-ZAP E DRIVE-TRHU LIXO ELETRÔNICO

Ao longo da semana, será incentivado o uso da ferramenta Ecozap Lixo Eletrônico, em parceria com a Urbana e a empresa Natal Reciclagem, para que a população realize o descarte de resíduos eletrônicos e funcionará de duas maneiras.

A primeira modalidade acontece de segunda a sexta-feira.

O interessado que tiver algum lixo eletrônico e queira realizar o descarte sem sair de casa pode enviar uma mensagem para o WhatsApp (84) 99966-4010, com fotos dos resíduos, com nome e o endereço de quem solicita.

Em até 24h, uma equipe irá recolher o material em sua casa. Já a segunda modalidade, em formato drive-thru, funcionará somente na quinta (4) e sexta-feira (5), de 8 às 12 horas, com dois pontos de coleta: Palácio dos Esportes, na Zona Leste, e Ginásio Nélio Dias, na Zona Norte.

1 de junho de 2020 às 13:09

Paraíba: Já avaliado em 80 milhões, Resort Mussulo vai a leilão com lance mínimo estimado em 15 milhões [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Avaliado em outubro do ano passado por 80 milhões de reais, o Resort Mussulo by Mantra, na Paraíba, vai a leilão com lance mínimo estimado em 15 milhões.

O leilão foi determinado pelo Tribunal Regional do Trabalho da Paraíba (TRT 13) para quitação de dívidas trabalhistas.

O resort badalado paraibano está sendo vendido a preço de banana.

O leilão público presencial ocorrerá no fórum Maximiano Figueiredo, em João Pessoa, nos dias 23 de julho e 22 de outubro a partir das 8h30.

1 de junho de 2020 às 12:28

Bolsonaro entrega programa bilionário da Educação a chefe de gabinete de senador denunciado pela lava jato [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O presidente Bolsonaro entregou o bilionário Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) ao chefe de gabinete do senador Ciro Nogueira, do PP.

Ciro foi denunciado na lava jato por ter recebido mais de 7 milhões em propina.

O senador indicou seu ‘homem de confiança’ Marcelo Lopes da Ponte para cuidar dos bilhões.

O orçamento do FNDE para este ano, previsto no ano passado, é de R$ 55 bilhões.

O fundo responde pela execução dos polpudos Programa Nacional do Livro e Material Didático (PNLD), Programa Nacional de Reestruturação e Aquisição de Equipamentos para a Rede Escolar Pública de Educação Infantil (Proinfância) e Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE).

Programas onde circula muito dinheiro.

Para um governo que prometeu ser diferente, para uma gestão que foi eleita prometendo acabar com a corrupção, tudo não passa do mais do mesmo.

Para se manter no cargo, o presidente Bolsonaro apelou para o Centrão, o grupo de partidos e deputados que sempre estiveram próximos dos presidentes Dilma, Lula, FHC…

1 de junho de 2020 às 12:19

Empresário que agrediu a polícia em São Paulo pede desculpas para tentar escapar do que pode vir por aí [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Sabe o ‘todo-poderoso’ que agrediu a mulher em São Paulo, foi denunciado pela própria, recebeu a polícia em casa e humilhou o policial dizendo que ele ganhava só mil reais e ele, o dito cujo, ganhava 300 mil reais por mês?

Pois bem…

Ivan Storel vai ter que se explicar sobre o tal faturamento.

É que ele é proprietário de uma empresa ativa desde novembro de 2013, de compra e venda de joias, localizada na região da Sé, no centro de São Paulo, com capital social declarado de apenas R$ 20 mil.

No registro, Storel é classificado como empresário individual.

Para tentar se livrar do caos em que se meteu, gravou um vídeo pedindo desculpas…

Çey…

Até máscara usou, ao contrário do dia em que agrediu os policiais.

Tá difícil…

Você também acha que a Polícia não vai desculpar?

1 de junho de 2020 às 12:06

Denúncia de governadores do Nordeste que sofreram calote na compra de respiradores resulta em operação com 3 presos na Bahia [0] Comentários | Deixe seu comentário.

A Polícia Civil da Bahia deflagrou, na manhã desta segunda-feira (1), a operação Ragnarok, que cumpriu três mandados de prisão e 15 de busca e apreensão em Salvador, São Paulo, Rio de Janeiro e no Distrito Federal.

A operação atuou contra uma quadrilha que fraudou a venda de equipamentos hospitalares.

O grupo criminoso foi descoberto graças à denúncia do Consórcio Nordeste, formado pelos governadores da região, que tentou adquirir 300 respiradores para o combate ao Coronavírus com a “empresa” que se apresentava como revendedor dos produtos.

Os fraudadores tentaram negociar com vários setores no país, entre eles os Hospitais de Campanha e de Base do Exército, ambos em Brasília.

A operação, coordenada pelo Governo da Bahia, por meio da Secretaria de Segurança, contou com a participação da Polícia Civil da Bahia, através da Coordenação de Crimes Econômicos e Contra Administração Pública, da Polícia Civil de SP, do Distrito Federal e do Ministério Público da Bahia.

Mais de 150 contas bancárias vinculadas ao grupo foram bloqueadas pela Justiça.

1 de junho de 2020 às 10:05

Minuto da Câmara – prestando contas [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Após devolução de quase R$ 6 milhões, Câmara de Natal devolve mais R$ 1 milhão à Prefeitura de Natal para combate ao Coronavírus.

Nos últimos meses, os esforços da Casa foram intensificados para a redução do custeio e das verbas de gabinete, que não foram utilizadas em sua totalidade por alguns vereadores neste período de pandemia.

Saiba mais sobre a notícia e sobre os projetos de combate à Covid-19: www.cmnat.rn.gov.br

#PeloBemdaNossaCidade

 

 

1 de junho de 2020 às 6:34

Alexandre de Moraes prepara prato principal [0] Comentários | Deixe seu comentário.

De Lauro Jardim, n’O Globo:

1 de junho de 2020 às 6:21

Plataforma que alerta empresas a não anunciarem em veículos de fake news chega ao Brasil e é recebida com ataques por filho de Bolsonaro [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Dentro do projeto de combate a robôs que disseminam informações falsas no Brasil, o jorna O Globo publica nesta segunda-feira entrevista com o publicitário Matt Rivitz, criador do projeto “Gigantes Adormecidos” (Sleeping Giants), que se tornou uma marca contra a disseminação de discursos de ódio e de fake news na internet.

Confira:

Tornar-se o rosto de um movimento contra a disseminação de discursos de ódio e de fake news não estava nos planos do publicitário Matt Rivitz, de 47 anos. Mas é assim que tem sido desde 2018, quando, após dois anos de atuação anônima nos bastidores do projeto “Sleeping Giants” (“Gigantes adormecidos”), o americano teve a identidade exposta contra sua vontade e passou a responder publicamente pela iniciativa, cujo objetivo é alertar e pressionar empresas por meio do Twitter a interromperem a veiculação de publicidade em páginas dedicadas à intolerância e à desinformação na internet.

Em entrevista ao GLOBO, Rivitz se mostrou surpreso com a máquina de informações falsas no Brasil e disse nunca ter visto em outro país uma resistência semelhante a que aliados do presidente Jair Bolsonaro têm colocado ao “Sleeping Giants”. A franquia foi importada para o país no mês passado, por coordenadores que preferem se manter no anonimato, e foi recebida com ataques pelo vereador Carlos Bolsonaro.

Por João Paulo Saconi

Quais são suas impressões sobre a versão brasileira do “Sleeping Giants”?

Eu estou obcecado com ela. É incrível. Nos Estados Unidos, demoramos entre seis meses e um ano para compreender o poder do movimento e as reações de pessoas, empresas e trolls (usuários mais enfurecidos de redes sociais). Com o auxílio desse roteiro, a equipe no Brasil parece entender o que está fazendo, tanto que o sucesso dela já é maior entre os usuários (são 324 mil seguidores no país, cerca de 40 mil a mais do que nos EUA).

O “Jornal da Cidade”, que se tornou alvo da plataforma por publicar notícias falsas e recebia verbas do Banco do Brasil, está à direita do espectro político. O “Sleeping Giants” faz o mesmo esforço contra sites de esquerda?

Se estiverem propagando desinformação, eu diria para as pessoas do movimento lutarem contra ele. É uma luta por verdade. O ódio não é uma questão política e não deve ser tratado como se fosse. Desinformação e intolerância, como racismo, machismo e outras formas de preconceito, não são exclusividade de um único partido político, embora alguns deles possam escolher trilhar esse caminho em graus diferentes.

Um dos filhos do presidente Jair Bolsonaro criticou a retirada de anúncios do banco público deste site. Já houve algo parecido?

Foi um episódio único, um movimento feito abertamente para forçar uma empresa a gastar o próprio dinheiro em algo específico, como um portal de notícias. Considero inédito do ponto de vista da publicidade. Não me pareceu uma ação pró-liberdade de discurso. Sempre fui muito focado no que estava acontecendo nos EUA, mas grande parte do meu feed (página de atualizações do Twitter) está em português agora. Tenho que traduzir muitas coisas para entender o que está acontecendo. Nunca visitei o Brasil e seria o primeiro lugar que eu visitaria após o fim dessa pandemia.

Nunca houve ruídos como esse com Trump nos EUA? Steve Bannon, ex-chefe de estratégia da Casa Branca, fundou o Breitbart, um site desmonetizado por você.

Trump nunca falou sobre nós. É como se quisesse permanecer longe da discussão, que, na verdade, nunca foi sobre ele. Bannon foi a grande razão pela qual começamos. Ele tinha relevância nas eleições de 2016 e utilizava o racismo como ferramenta. Por isso, atuamos contra o Breitbart. Bannon, em um documentário, disse que o “Sleeping Giants” o fez deixar de ganhar mais de 8 milhões de euros (cerca de R$ 51 milhões). E ele não pareceu revoltado, demonstrou até certo respeito.

Uma crítica à plataforma é ser pouco clara sobre orientação política dos envolvidos.

Tenho sido chamado de comunista e marxista com frequência. Jogam todos os nomes em você para tentar te fazer desistir. Eu acredito no capitalismo, é como as coisas funcionam quando pedimos que organizações financeiras façam boas escolhas para os seus recursos. Atuar sob anonimato é uma escolha daqueles que precisam se poupar de ataques. Entendo que trabalhar de outras maneiras pode trazer mais credibilidade para o movimento. É uma escolha pessoal e depende do suporte que você tem em torno de si. Fui atacado por meses quando um site me expôs. Meus filhos foram ameaçados de morte.

Como é possível não ferir a liberdade de expressão diante da complexidade em definir o que é ou não notícia falsa?

Nosso movimento é contra os lucros com a desinformação e o ódio. Se esses administradores realmente se importassem com a liberdade de seus discursos, eles continuariam mantendo seus portais mesmo sem lucrar. Eles não gostam de perder recursos. Para mim, quando desmonetizamos esses espaços na internet, o recado que passamos é: “Se você quer ser racista, não tenha lucro com isso”. Fazemos o máximo para que plataformas se responsabilizem pelo que está sendo veiculado, especialmente nesta pandemia da Covid-19. Há exemplos de fatos provados cientificamente e que estão sendo negados em campanhas de desinformação.

Como ocorre a exportação do projeto “Sleeping Giants” para um país como o Brasil?

Há maneiras muito diferentes. Há países onde há operações feitas por time e em outros há apenas uma pessoa. No caso do Brasil, um interessado me procurou interessada após eu ter concedido uma entrevista sobre o projeto. Conversamos e ficou estabelecido que a marca poderia ser utilizada dentro da nossa missão e do que estamos tentando fazer. A conversa foi bastante produtiva. Tivemos outra iniciativa brasileira em 2017, que durou apenas duas semanas. É complexo: voluntários têm vida, trabalho e família. E precisam insistir no movimento por anos sem ganhar um centavo. É um trabalho por amor e muitas vezes solitário.

Há ingerência da “matriz” na escolha dos alvos da campanha em outros países?

Não. As iniciativas funcionam de forma independente, de acordo com o que já fizemos aqui. A ideia é focar em negócios, não artigos ou publicações pontuais, mas empreendimentos que promovem a desinformação com frequência. É preciso ter um padrão. Eu não estaria confortável em apontar o que é verdadeiro ou falso em outro país, nem como a intolerância acontece neles. Já é difícil acompanhar o que está acontecendo aqui nos Estados Unidos.

João Paulo Saconi

1 de junho de 2020 às 5:52

O Globo compra briga com robôs que disseminam fake news e lança projeto que revela o jogo por trás de perfis nas redes sociaie [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O jornal O Globo decidiu comprar a briga com os robôs que se infestaram nas redes sociais, e descobrir como eles funcionam e como são bancados.

Veja como na reportagem da edição do domingo:

Desde as eleições presidenciais americanas de 2016 e brasileiras de 2018, cresce a influência das redes sociais e aplicativos de mensagem no posicionamento político de eleitores e no comportamento destes nas urnas. Panfletagens nas ruas, carreatas, comícios, reuniões domiciliares ainda existem em campanhas eleitorais, mas já não são mais suficientes para determinar os rumos políticos de uma cidade, estado ou país.

Para traduzir este universo aos assinantes, O GLOBO decidiu mergulhar nas redes sociais e revelar como o que acontece ali influencia o debate político nacional. Por meio do projeto Sonar, em parceria com agências especializadas na leitura dessas mídias, o jornal produzirá reportagens exclusivas que mostrarão os principais influenciadores de todos os espectros ideológicos e como eles impactam a opinião pública, além do jogo sujo por trás de alguns destes perfis.

Os conteúdos do projeto Sonar, que estreia hoje, estarão reunidos neste blog no site do GLOBO, mas também serão levados à edição impressa e aos demais canais do jornal, como newsletters e podcasts. Serão reportagens investigativas, notas curtas, pesquisas e entrevistas, dentre outros. Repórteres da Redação Integrada estarão conectados a agências e instituições especializadas em monitorar as redes, com ferramentas aplicadas ao jornalismo. Por ora, estarão no Sonar a Arquimedes, a DAPP/FGV, a Bites e a Quaest.

“O Sonar nasce da aliança com as mais sofisticadas ferramentas de análise de big data dos nossos parceiros e da fome da nossa equipe de trazer entrevistas, reportagens e furos desse universo digital que tornou-se a principal arena do debate político no Brasil e no mundo”, explica o editor de O País do GLOBO, Thiago Prado.

Atenção ao whatsapp

A primeira reportagem mostra como anúncios das estatais brasileiras Petrobras e Eletrobras vão parar em sites de fake news e defensores de intervenção militar no país.

Nesta segunda-feira será a vez de uma entrevista exclusiva com Matt Rivitz, criador do Sleeping Giants, perfil do Twitter americano — que possui sua versão brasileira — que alerta grandes empresas sobre propagandas em páginas da internet que disseminam notícias falsas.

O Sonar vai dar voz também às grandes empresas e aos políticos envolvidos diretamente no debate sobre liberdade de expressão, legislação e políticas de privacidade. O tema ganha ainda mais relevância quando os presidentes dos EUA, Donald Trump, e do Brasil, Jair Bolsonaro, são tarjados pelas redes como Facebook, Instagram e Twitter com alertas de que as informações publicadas em seus perfis oficiais violam os termos de uso, seja com desinformação ou apelo à violência policial.

A Justiça brasileira também ganhou protagonismo ao analisar casos de manipulação das redes e decidir sobre crimes cometidos em campanhas difamatórias. Inquérito em curso no Supremo Tribunal Federal (STF) atingiu, na semana passada, aliados do presidente Bolsonaro e quebrou sigilo fiscal de empresários suspeitos de financiar ataques virtuais.

O WhatsApp será outra ferramenta de trabalho dos jornalistas envolvidos no projeto. Entender como funcionam grupos públicos e seus impactos na formação das ondas políticas que podem, de um dia para o outro, virar o resultado de uma eleição é fundamental na cobertura política. Do jogo limpo ao jogo sujo, as estratégias virtuais são o foco do Sonar.

Novos personagens

Outra grande aposta do Sonar será a publicação de rankings e painéis periódicos sobre quem mais influencia politicamente as redes, além das personalidades mais atacadas e também as mais defendidas. Recentemente, nomes famosos antes ligados apenas ao entretenimento, como o youtuber Felipe Neto e a cantora Anitta, passaram a ganhar voz política. Tudo pelas redes.

O Sonar é lançado quatro meses após o Analítico, outra plataforma que joga luz sobre os acontecimentos, com textos curtos e feitos para explicar as notícias que não param de chegar. Ambos os endereços estão disponíveis no site do GLOBO e também têm textos publicados na versão impressa.

— Levantamentos sobre comportamento das redes diante de acontecimentos marcantes e debates públicos.

— Investigações e reportagens aprofundadas sobre uso coordenado de conteúdos políticos para influenciar as redes.

— Análises sobre estratégias e movimentos de personagens da política centrais nas redes.

— Rankings e painéis periódicos sobre quem mais influencia politicamente as redes.

— Entrevistas com especialistas e influenciadores digitais.

*

Na edição do domingo, quem bancou os 28 mil anúncios em sites de fake news: