Thaisa Galvão

16 de julho de 2020 às 17:56

Deputado Allyson Bezerra oficializa pré-candidatura a prefeito de Mossoró [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O deputado estadual Allyson Bezerra, no primeiro mandato na Assembleia Legislativa, oficializou nesta quarta-feira sua pré-candidatura a prefeito de Mossoró.

“Foi nessa terra que fui criado pelos meus pais, onde tive minhas primeiras oportunidades de vencer na vida. Eu olho pra Mossoró com muito orgulho, com muita paixão. Estou me colocando à disposição da cidade de Mossoró”, disse o parlamentar em uma live transmitida pela sua conta do facebook.

“Meu maior desafio não é só enfrentar um sistema que existe há 70 anos, que decide quem entra e quem sai, nós enfrentaremos, mas o meu maior desafio é trabalhar para enfrentar o desafio da fome, do desemprego. Esse projeto não vai ser pautado na intriga, na briga ou picuinha, esse projeto é pautado pela tranquilidade e acima de tudo falando a verdade para o povo”, disse o deputado afirmando que está preparado para administrar a segunda maior cidade do Rio Grande do Norte.

Allyson é filiado ao Solidariedade e fará oposição à prefeita Rosalba Ciarlini, pré-candidata a disputar o quinto mandato em Mossoró.

A candidatura de Allyson divide a oposição em Mossoró, já que sua colega de Parlamento, deputada Isolda Dantas, filiada ao PT, também vai disputar o mandato de prefeita tendo como principal adversária a atual prefeita Rosalba.

Com a oposição dividida – dois deputados na dis´puta contra a atual gestora – Rosalba tende a se fortalecer…

16 de julho de 2020 às 14:44

Projeto do deputado João Maia sobre tributação a empresas estrangeiras no Brasil será explicado pelo ministro Paulo Guedes [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Ministro Paulo Guedes deve explicar à Câmara sobre projeto do deputado João Maia que tributa grandes empresas digitais estrangeiras com atuação no Brasil

A Câmara dos Deputados aprovou na noite de quarta-feira o requerimento, dirigido nominalmente ao ministro da Economia, Paulo Guedes, para obter informações sobre os tributos cobrados das empresas globais de internet no Brasil. O alvo são companhias de peso como Facebook, Google e Amazon, que, segundo o pedido, se beneficiariam da baixa ou falta de tributação dos serviços digitais.

O requerimento foi apresentado pelo deputado João Maia (PL-RN). Ele é autor do Projeto de Lei nº 2.358, que propõe a criação da Cide Digital. O parlamentar defende uma cobrança progressiva sobre a receita bruta dos grandes grupos de tecnologia, com sede em outros países. A proposta considera debates e estudos promovidos pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

Por meio do documento, o deputado requer, de forma agregada para evitar a quebra de sigilo fiscal, a seguintes informações: o percentual médio da tributação dos lucros no Brasil; o percentual médio da tributação de lucros das empresas brasileiras de outros setores da economia; e o percentual médio da tributação incidente sobre as remessas ao exterior das empresas globais de internet.

Na justificativa, o parlamentar ressalta que, “desde 2016, as grandes empresas internacionais são obrigadas a prestar informações sobre suas atividades nos diversos países do mundo, inclusive sobre a alocação global de renda e os impostos pagos, nas declarações país-a-país”. Alega ainda que os dados são compartilhados entre “todas” as autoridades tributárias do mundo — no Brasil, a Receita Federal.

Ainda na justificativa do requerimento, o deputado informa que, os grandes grupos de tecnologia pagam em média 9,5% de impostos sobre seus lucros, contra 23,2% das empresas de outros setores, considerando estimativas de 2018 da Comissão Europeia. E cita que, com base nas “declarações país-a-país”, as empresas americanas de tecnologia tiveram um retorno de 22% sobre seus ativos, com 8% considerados “normais” e 14% acima da média, entre 2016 e 2019.

O questionamento surge no momento em que o ministro da Economia articula com lideranças do Congresso Nacional para criar um imposto sobre transações financeiras, nos moldes da antiga CPMF. O autor da proposta de Cide Digital é contra a iniciativa para resolver a questão das empresas globais de internet, por considerar que vai na contramão da discussão mundial sobre a tributação nesse setor e ainda coloca a carga tributária em cima do contribuinte.

16 de julho de 2020 às 11:11

Um texto para Acariense e para quem gosta de um texto [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Como eu sou adepta de um texto bem escrito e bem pensado, e sou acariense ‘ausente’ da gema, vou publicar o ‘recebido’ de Heraldo Palmeira, produtor cultural de Acari que atua mesmo em São Paulo, e que escreveu sobre a partida do amigo Jácio Mamede.

Um texto para quem é de Acari e para quem gosta de um bom texto.

DE TÃO LIGEIRO QUE PASSA!


O que estava aqui ontem e anteontem pode não ser de hoje e nem de amanhã. E o que é o amanhã se a gente nem sabe direito o que é hoje, de tão ligeiro que passa? Dizem que faz parte do mistério da vida. Mas a gente também não sabe.

Ah, e como passa ligeiro! Parece que foi ontem que a gente ia para o Jardim de Infância, ali ao lado da Matriz de Nossa Senhora da Guia. A gente nem sabia direito o que significava Nossa Senhora da Guia, mas gostava e pronto. E já entendia que o padre era maioral.

Dizem que a gente ia estudar. Mas, pelo que me lembro, ia mesmo era brincar de ser feliz, com o intervalo da merenda. E a gente dividia o lanche que levava de casa, porque cada casa tinha seus sabores.

A gente passava na porta do Tomáz de Araújo e sabia que um dia entraríamos lá, cheios de orgulho naquele uniforme azul e branco. Quem danado ia saber que entrar lá significava estar crescendo, ficando mais velho, deixando de ser criança? Por isso, eu acho que era melhor ficar assim, nunca sair da infância. Qual é a graça de crescer? Um dia eu ainda vou conversar sobre isso com Deus. Pode acreditar!

Ora, a gente estava só no começo, nem sabia que o tempo passava e que tudo tem fim num dia como outro qualquer. É quando não haverá amanhã. E a gente segue sem saber se é fim ou se é o começo de uma segunda parte.

Dizem que tem segunda parte e que é muito melhor, mas nunca ninguém que foi veio contar. Pelo visto, é melhor deixar para saber na hora. Cada coisa no seu tempo.

Cabra véi, você já foi e por aqui todo mundo ficou achando que era cedo, antes da hora. E não fique tirando onda só porque agora aprendeu a voar. Um dia, nós todos vamos bater asa aí por cima, também.

Não adianta tentar se esconder, nós vamos lhe achar, seu besta! Em qualquer lugar tem acariense ausente. É só gritar o prefixo “Viva Nossa Senhora da Guia”! E não fique se achando só porque já a conheceu pessoalmente. Não esqueça que fui eu quem gravou o hino Dela – morro de medo que Ela não tenha gostado, mas não precisa comentar nada, não. Pode deixar que depois eu mesmo pergunto.

Rapaz, Jesus de Ritinha de Miúdo andou me contando das últimas andanças de vocês pelo Alto Oeste, das conversas até as altas horas da madrugada nos hotéis. Aquilo é um tirador de onda, chamando você de Richard Gere do Sertão pelas suas costas. É um babão!

E ainda fica de arenga com Goga de Gabriel, que prefere lhe chamar de Major das Ribeiras D’Acauã. Outro babão!

Imagine que Andinho de Bulhões até está batendo bem pouquinha palma enquanto fala de você naqueles vídeos dele. Eu fiquei impressionado porque tinha certeza de que ele batia palma para dar ar no fole e poder falar. Veja o que faz a saudade. Aliás, o tom da voz de Andinho foi a tradução da nossa esperança e da nossa tristeza. A gente ficava aguardando os boletins da “TV Bulhões” para saber notícias de você.

Sabe, Jácio, eu preferi escrever porque ninguém pode ver a cara triste de um teclado e nem ouvir o silêncio de uma tela. Esse povo sabido do estrangeiro que inventou esta geringonça pensou em tudo. A coisa melhor do mundo é nem precisar mais de papel. Assim, a gente não molha a alvura dele enquanto escreve dores.

Saudade, seu filho de dona Maria José Mamede! Brincadeirinha muito sem graça essa sua. Vá pros quintos do céu, seu Pitoco de uma figa!

(Heraldo Palmeira)

16 de julho de 2020 às 10:05

Veto do presidente a artigo que permitia renovação de contratos de estatais de saneamento é a principal irritação no Senado [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre, cancelou a sessão do Congresso marcada para esta quinta-feira para deliberação de vetos presidenciais.

Na pauta, entre 30 matérias, o veto do presidente Bolsonaro à ampliação do auxílio emergencial.

Entre deputados e senadores em Brasília, o que se diz, em relação a pauta de 30 vetos presidenciais, que seriam analisados na sessão cancelada pelo presidente do Congresso Davi Alcolumbre, a grande batalha vai ser travada na análise dos vetos da extensão da desoneração da folha e no artigo 16 do Marco Legal do saneamento.

O artigo 16 da nova lei, que foi vetado pelo presidente Bolsonaro, autorizava que as estatais responsáveis pala distribuição de água (Caern no caso do Rio Grande do Norte), renovassem por mais 30 anos os contratos atuais e vencidos, desde que isso ocorresse até março de 2022.

Segundo publicação da Arko Advice, Alcolumbre diz que o governo não pode fazer acordo e não cumprir.

O líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), sai desgastado e pode comprometer negociações futuras.

Apesar da irritação dos senadores não será fácil reverter os vetos.

O dispositivo tem o apoio de boa parte dos deputados.

Para derrubar um veto presidencial é necessário o apoio da maioria absoluta tanto da Câmara (257) quanto do Senado (41).

Governadores, que enviaram carta ao presidente pedindo que não vetasse o artigo 16, devem tentar fazer pressão junto às suas bancadas, assim como prefeitos.

16 de julho de 2020 às 9:23

Agora com apoio de deputados e senadores do Centrão, governo Bolsonaro volta a insistir na criação de novo imposto [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O governo Bolsonaro continua insistindo em empurrar de goela abaixo para os brasileiros, mais um imposto.

O ministro Paulo Guedes voltou com a ideia da CPMF, a extinta Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF), o imposto sobre transações financeiras, só que agora digital.

Quando começou a debater a ideia, o governo ainda não tinha o apoio do Centrão, aqueles partidos que, em troca de cargos, apoiam qualquer governo: de Fernando Henrique Cardoso a Lula e Dilma, até Bolsonaro, dependendo da oferta.

O Centrão começou fora do governo, não porque quisesse, mas porque Bolsonaro se elegeu prometendo aos eleitores que ficaria longe do Centrão, que não negociaria com o Congresso, que não compraria deputado ou senador, que não seria igual aos outros governos.

Porém o governo Bolsonaro mordeu a língua e segue agora, amigo de infância do Centrão.

Amigo de infância dos deputados e senadores que na campanha ele julgava como corruptos.

E agora com esse apoio – de graça rsrsrsrs – Paulo Guedes toma fôlego para botar no colo dos deputados, principalmente os do Centrão, a criação de um novo imposto para o Brasil.

Mas apesar desse apoio todo, o governo parece não estar tendo a simpatia no Congresso, a menos que dobre a oferta (será?).

No Congresso a maioria dos líderes se diz contra a criação do novo imposto e cobram mesmo a simplificação da cobrança de tributos sobre bens e serviços, que estaria inserida na reforma tributária, por enquanto engavetada.

Mas Paulo Guedes insiste, e até definiu que a alíquota estudada atualmente está entre 0,2% e 0,4% sobre toda a economia digital e o comércio eletrônico, inclusive transações feitas em aplicativos de celular ou na Bolsa de Valores.

16 de julho de 2020 às 8:55

O que as pessoas precisam saber sobre o alto número de mortes por covid em Natal e no Rio Grande do Norte [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Mais um dia onde o consórcio dos principais veículos de comunicação do país aponta o Rio Grande do Norte com índices de mortes por covid em queda.

O que dá uma sensação de alívio para os mais sensatos, e de liberou geral para quem sabe pouco ou nada sobre empatia, e decide aposentar a máscara e os cuidados com o distanciamento social.

Mas o que essas pessoas precisam saber termina sendo maquiado pela intenção de não colocar o Rio Grande do Norte numa posição negativa; pelo desejo de mostrar que tudo está sendo feito para o estado/capital vencer a covid.

O que essas pessoas precisam ter consciência é que há um número alto de mortes em análise.

São pessoas que morrerem com os sintomas, foram consideradas com covid pelas suas famílias, foram sepultadas seguindo os protocolos da doença, porém não tem um resultado de exame.

Até o final do dia desta quarta-feira eram 220 mortes em análise no Rio Grande do Norte que, talvez, se tivessem suas informações concluídas, não dessem ao Rio Grande do Norte e Natal a posição confortável que faz as pessoas vibrarem ao assistirem ao Jornal Nacional.

Ainda está morrendo muita gente de covid e os números do Ministério da Saúde continuam mostrando que, proporcionalmente, até mais do que em São Paulo, o epicentro da pandemia no Brasil.

Nesta quarta-feira, o número de mortos por 100 mil habitantes no RN continuava maior do que o de São Paulo.

E maior em relação aos números da terça-feira, com Natal se distanciando de São Paulo.

Veja os números da terça:

E os de ontem:

O Rio Grande do Norte também segue à frente de São Paulo.

Outro dado: Brasil e Estados Unidos tem se apresentado como os países mais letais por covid.

E pelo número de mortos por 100 mil habitantes, o Rio Grande do Norte ultrapassa os Estados Unidos.

Pelos números de ontem do Ministério da Saúde, o Rio Grande do Norte registrava o acumulado de 42,6 mortes por 100 mil habitantes.

Pelos números de ontem da Faculdade de Medicina John Hopkins, os Estados Unidos revistravam o acumulado de 41,7 mortes por 100 mil habitantes.

Os dados são ruins?

São.

Incomodam?

Muito.

Mas é uma informação que não pode e não deve deixar de ser mostrada.

Não para assustar, mas para conscientizar que tudo o que a gente diz que ‘vai passar’, ainda não passou.

16 de julho de 2020 às 2:17

Artistas começam repaginação da Escadaria de Mãe Luiza com mosaicos e grafites [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Começa, nesta quarta-feira (15), o projeto de repaginação da escadaria de Mãe Luiza-Areia Preta, que receberá uma intervenção artística em formato de mosaico e graffitis em pórticos e degraus. A partir de hoje, 20 artistas potiguares se revezam em horários e grupos, tudo dentro das orientações de distanciamento social e higiene na luta contra a Covid-19. O projeto é da Prefeitura do Natal, através da Secretaria de Cultura (Secult-Funcarte) e a previsão de conclusão é de três semanas.

O projeto da escadaria de Mãe Luiza terá produção de 133 espelhos dos degraus de 0,15m de altura por 4m de largura, com dois arcos medindo 30m² de área a serem revestidos. Dez artistas por turno (dois turnos entre 9h e 20h), sendo 5 em cada parede começam o processo de isolamento da área com tapumes e fitas de isolamento. Andaimes serão montados durante 15 dias para possibilitar a pintura e mosaicos nas partes mais altas.

Local preferido por moradores da Zona Leste para atividades físicas, o espaço teve o projeto elaborado pelos mosaicistas Gildeci Pereira, Liana Diógenes, João Batista de Lima, Rosangela Rocha e Wendell Eduardo. A coordenação é do artista plástico Migue Carcará, da Secretaria de Cultura de Natal.

O mosaico é um trabalho feito com pedras estilhaçadas ou roladas, pastilhas e cerâmicas estilhaçadas ou riscadas e cortadas. A matéria prima é de grande resistência e durabilidade. Os materiais vítreos são produzidos pela indústria para resistir ao efeito erosivo e manter a durabilidade das cores, servindo também como proteção para as áreas revestidas. Então além da beleza e durabilidade, esta modalidade ainda tem a função de impermeabilizar os espaços onde são fixadas.

16 de julho de 2020 às 0:52

Sem quórum, reforma da previdência não é votada e deputado diz que oposição amiga de Rogério Marinho deveria perguntar ao ministro se a votação pode ser adiada [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Previsto para ser votada nesta quarta-feira em primeiro turno, a reforma da previdência estadual empancou na Assembleia Legislativa.

Faltou quórum necessário para votação na sessão remota.

Na sessão da terça, a maioria do plenário rejeitou a proposta do Solidariedade – deputados Kelps Lima, Allyson Bezerra e Cristiane Dantas – que queria prorrogar o prazo da votação da reforma, alegando que precisava debater com as categorias trabalhistas.

Detalhe: o prazo é nacional, e se a reforma dos estados não for apeovada até 31 de julho, o estado que não votar ficará impedido de receber recursos federais.

Rebatendo às críticas da oposição, o deputado Francisco do PT usou de seu humor fino…

“Mas aqui tem tanto deputado amigo de Rogério Marinho, que foi o principal mentor da reforma da previdência, por que não perguntam a ele se pode ou não pode adiar pra depois do dia 31 de julho sem ter penalidades pra um estado já tão combalido nas suas finanças?”, questionou Francisco, apontando para a pessoa exata a se discutir sobre prazo.