Thaisa Galvão

11 de setembro de 2020 às 14:37

Cristiane Brasil é a “fada madrinha” de empresa responsável por contratos fraudulentos, afirma juíza [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Por que Cristiane Brasil, do PTB, que tem mandado de prisão expedido pela justiça do Rio de Janeiro, pode ser presa a qualquer momento?

Será que é porque é pré-candidata à prefeitura do Rio?

Não, né?

Isso é o que ela fala.

Cristiane, que já tem condenação, e já foi impedida de ser ministra no governo Michel Temer, é apontada pela juíza Ana Helena Vale, que aceitou a denúncia contra Cristiane e os demais envolvidos no esquema de desvio de dinheiro público, como a “fada madrinha da empresa Servilog”, acusada de assinar contratos fraudulentos com a Fundação Leão XIII, do governo do Rio.

De acordo com a decisão, assinada na terça (8/9), Cristiane Brasil tem “influência e ligação fortíssima” com Flavio Chadud, dono da empresa Servilog.

A companhia é a responsável pelos contratos do Programa Novo Olhar, fonte dos desvios na Fundação Leão XIII, segundo a denúncia apresentada pelo MP do Rio.

Segundo a juíza, Cristiane Brasil recebeu propina em euros:

“As denunciadas VERA GORGULHO e SUELY SOARES eram as responsáveis em receber os valores ilícitos ‘devidos’ à denunciada CRISTIANE BRASIL. Registre-se que, durante todo este período, a denunciada CRISTIANE BRASIL, demonstrou influência e fortíssima ligação com FLAVIO CHADUD, sendo a ‘fada madrinha’ da empresa SERVILOG. Há noticias de pagamento em euros recebidos pela denunciada. No presente feito apura-se, também, os diversos crimes licitatórios ocorridos no Projeto Novo Olhar, peculato, corrupção ativa, lavagem de capitais e o crime de embaraço da investigação de OCRIM (Obstrução de Justiça).”, diz a decisão da juíza.

Cristiane é filha do ex-deputado Roberto Jefferson, o aliado queridinho do presidente Bolsonaro.

Jefferson também já foi condenado e preso por corrupção.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.