Thaisa Galvão

1 de outubro de 2020 às 23:29

Ataques e ‘tamo junto’ marcaram o primeiro bloco do debate da Band entre os pré-candidatos a prefeito de Natal [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Terminado o primeiro bloco do debate entre os pré-candidatos a prefeito de Natal, uma constatação: o prefeito pré-candidato à reeleição, Álvaro Dias (PSDB), parece não ter perdido nada com a ausência.

O bloco foi marcado por peculiaridades.

O pré-candidato Afrânio Miranda (Podemos) tentou falar mal do transporte público da capital potiguar mas terminou mesmo atacando os paraibanos. “A frota de ônibus é uma sucata da Paraíba”, disse o dono das lojas Miranda Computações.

O pré-candidato Carlos Alberto (PV), confrontando com o senador Jean (PT), fez críticas ao PT, e Jean lembrou que ele já foi candidato pelo PT…

O pré-candidato Fernando Freitas (PCdoB) até tentou…mas se perdeu no tempo e não fez a primeira pergunta.

O delegado Sérgio Leocádio (PSL) disse que o Rio Grande do Norte não tem grupos políticos. “Tem facções”.

“Vim aqui chutar o pau da barraca”, disse o pré-candidato, concluindo que o Rio Grande do Norte é cheio de “velhos ladrões da política”.

O pré-candidato Fernando Pinto (Novo) se dirigiu ao pré-candidato Kelps Lima (SD) perguntando quem era ele e lembrando que ele até mudou de cor…referindo-se à reportagem do jornal O Globo que incluiu o deputado como um dos mais de 20 mil candidatos no Brasil que já se apresentaram como branco e hoje se apresentam como preto.

Foto: Eduardo Maia – Kelps e Fernando Pinto

Kelps rebateu Pinto dizendo que na próxima semana ele será chamado a depor pela Polícia Federal por ter criado um programa de robôs e perfis falsos.

Fernando Pinto treplicou chamando Kelps de “Fakes Lima” e alertando: “Você é uma hiena, um oportunista, o leão sou eu. A gente se vê na justiça”.

Confrontando amigavelmente com o Coronel Hélio (PSL), Kelps Lima disse que os partidos não servem de nada, e o que vale são as pessoas.

Só faltou mesmo um “tamo junto” entre os dois pré-candidatos.

O “tamo junto” também valeu para o debate entre Kelps e Hermano Morais (PSB).

Enquanto dois pré-candidatos debatiam no púlpito, os outros 11 ficavam no celular…certamente falando com assessores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.