Thaisa Galvão

15 de outubro de 2020 às 10:43

Senador flagrado escondendo dinheiro entre as nádegas é fiel amigo de viagem de Bolsonaro e nomeou primo dos filhos do presidente em seu gabinete [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Quem é o senador flagrado com uma mistura de dinheiro e cocô na cueca, na operação deflagrada pela Polícia Federal nesta quarta-feira em Boa Vista (RR)?

O senador Chico Rodrigues, do DEM, não é somente um vice-líder do presidente Jair Bolsonaro.

É amigão das antigas e companheiro de viagem de Bolsonaro, como revela a revista Crusoé.

Flagrado com dinheiro entre as nádegas ao ter a casa vasculhada pela Polícia Federal na manhã desta quarta-feira, 14, como revelou Crusoé, Chico Rodrigues está na política há pouco mais de três décadas.

Apesar de novato no Salão Azul do Congresso, o parlamentar já cumpriu cinco mandatos de deputado federal, entre 1991 e 2010, época em conviveu com Jair Bolsonaro.

Em 2018, quando decidiu concorrer ao Senado, viu a candidatura deslanchar após a divulgação de um vídeo em que o capitão da reserva pedia votos para ele. Com o apoio, desbancou figurões da política nacional, como Romero Jucá e acabou eleito com 22.76% dos votos.

Ao chegar ao Senado, de pronto, foi designado pelo presidente da República para uma das vagas de vice-líder do governo.

Um mês depois, Chico empregou em seu gabinete um primo dos filhos de Bolsonaro.

Leonardo Rodrigues de Jesus, conhecido como Leo Índio, trabalha ao lado do senador até hoje, com salário bruto mensal de 22,9 mil reais. À época, como publicamos aqui, o parlamentar negou que a nomeação fosse um pedido da família Bolsonaro. “Ele tem relação de amizade com o pessoal do meu gabinete”, disse

O senador é visto com frequência em missões internacionais junto a integrantes do clã Bolsonaro. Em 2019, por exemplo, acompanhou o presidente em viagem a Israel. Como vice-líder do governo, também costuma marcar presença nas habituais reuniões no Planalto. Há exatos sete dias, lá esteve durante um almoço promovido pelo chefe do Executivo para discutir pautas do Congresso e confraternizar com os aliados.

Além de senador e deputado federal, Chico Rodrigues já atuou no Executivo. Em 2010, foi eleito vice-govemador de Roraima na chapa de José de Anchieta Júnior. Assumiu o governo em abril de 2014 para um mandato-tampão de nove meses, após o afastamento do titular.

Ao tentar a reeleição para o comando de Roraima, Chico saiu derrotado e, logo depois, teve o mandato cassado pelo Tribunal Regional Eleitoral devido a identificação de gastos ilícitos durante a sua campanha de 2010.

Nesta quarta-feira, Chico foi alvo da Operação Desvid-19, que investiga um esquema de desvio de 20 milhões de reais de emendas parlamentares destinadas à Secretaria de Saúde de Roraima para o combate à pandemia de coronavirus.

Em nota publicada nas redes sociais, o senador afirmou que acredita “na justiça dos homens e na justiça divina” ‘

Tive meu lar invadido por apenas ter feito meu trabalho como parlamentar, trazendo recursos para o combate ao Covid-19 para a saúde do meu estado. Tenho um passado limpo e uma vida decente”.

**

Do Blog – “passado limpo”, mas pelo jeito, ou pelo cheiro, presente sujo de…

Ao dizer que acredita na justiça, o senador do círculo do presidente está sugerindo que a justiça entenda como “o quê?” esse dinheiro vivo dentro da cueca e da bunda?

Só não deve ser normal né? Porque nem papel higiênico, que serve para fazer a limpeza do local, fica guardado lá, como estava o dinheiro.

Que fedor…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.