Thaisa Galvão

10 de novembro de 2020 às 3:12

Robinson Faria e Carlos Eduardo Alves: a “luta” dos ex para garantir um mandato em 2022 [1] Comentários | Deixe seu comentário.

Como vem lutando os últimos ex mais importantes do Rio Grande do Norte para sobreviver politicamente…
O ex-governador Robinson Faria, presidente do PSD, botou o pé na estrada desde o início da campanha.
Todo dia está em um palanque.
O ex-prefeito de Natal, Carlos Eduardo Alves, presidente do PDT, tem se mantido de frente para o mar. Ou no seu apartamento em Areia Preta ou em sua casa do condomínio Porto Brasil, em Pirangi.
Robinson quer ser deputado federal.
Carlos Eduardo quer ser governador.
No mínimo, senador.
Robinson tem trabalhado para fortalecer o PSD, partido que poderá garantir um mandato em 2022.
Carlos Eduardo não tem feito nada pelo PDT, que vem se desmilinguindo a cada eleição no Rio Grande do Norte.
O PSD de Robinson tem candidato a prefeito em 34 municípios do Estado: Alexandria, Antônio Martins, Baraúna, Barcelona, Bodó, Ceará-Mirim, Cerro-Corá, Cruzeta, Equador, Goianinha, Jardim do Seridó, João Dias, Lagoa de Pedras, Lagoa Nova, Macau, Marcelino Vieira, Montanhas, Nova Cruz, Paraná, Paraú, Pau dos Ferros, Pendências, Rafael Godeiro, Riacho de Santana, São Bento do Norte, São Bento do Trairí, Santana do Seridó, São Miguel, São Miguel do Gostoso, Serrinha, Taboleiro Grande, Taipu, Tenente Ananias e Tibau do Sul…
O PDT de Carlos Eduardo Alves tem candidato a prefeito em 5 municípios: Baía Formosa, Canguaretama, Passa e Fica, Ruy Barbosa e Tangará.
O PSD de Robinson tem vários prefeitos no Estado, de colégios eleitorais importantes, e dos 34 candidatos, vários com possibilidade de ganhar a eleição no próximo domingo.
O PDT de Carlos Eduardo não tem nenhum prefeito e a esperança é Passa e Fica, com a “vaga aberta” depois do indeferimento do registro de candidatura do atual prefeito.
O PSD de Robinson elegeu mais de 50 prefeitos em 2016, mas com o fim do mandato de governador, o número caiu para 34, mesmo assim, com votos e apoios que poderão garantir sua eleição para deputado federal.
O PDT de Carlos Eduardo elegeu dois: Raimundinho, de José da Penha, que hoje está no PSDB, e ele próprio, Carlos Eduardo Alves, prefeito de Natal, que na tentativa de chegar ao Governo, renunciou em 2018, deixando o PDT sem prefeito nenhum.
Robinson segue pedindo votos.
Em Cruzeta, onde o prefeito Sally, candidato à reeleição, é do PSD, foi bem recebido.


Carlos Eduardo Alves saiu de casa no final de semana. Foi pedir votos para o primo, Felipe Alves, vereador e candidato à reeleição em Natal.



Robinson encomenda pesquisas para saber como andam os seus apoiadores pelo estado afora.
Carlos Eduardo se engana com pesquisas encomendadas por amigos que dizem que ele será governador ou senador em 2022, apesar dos números não terem sido coletados além dos arredores de Natal.
Com apoio levado a muitos candidatos, Robinson vai garantindo apoio à sua própria eleição daqui a dois anos.
Sem levar apoio a ninguém pelo estado afora, Carlos Eduardo acredita que as forças políticas do interior irão fazê-lo governador.
Quem faz política sabe: 2020 é o alicerce de 2022.
Só tem apoio em 2022 quem apoiou em 2020.
Básico.

Robinson e Carlos Eduardo moram no mesmo prédio em Areia Preta.
Pelo visto Carlos segue subindo e descendo pelo elevador social.
Robinson, pelo de serviço.

Uma resposta para “Robinson Faria e Carlos Eduardo Alves: a “luta” dos ex para garantir um mandato em 2022”

  1. Marcos Bezerra disse:

    Análise muito boa e com um desfecho melhor ainda

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.