Thaisa Galvão

20 de novembro de 2020 às 22:50

Só para lembrar: decreto do prefeito Álvaro Dias proibindo aglomerações na campanha foi derrubado e casos de covid cresceram em Natal [1] Comentários | Deixe seu comentário.

E os casos de covid aumentam em Natal…

E eu lembro do início da campanha, quando o prefeito Álvaro Dias baixou decreto proibindo atos públicos de campanha….

Aí os partidos de oposição foram à justiça cobrar a realização de atos de campanha, alegando que o prefeito seria beneficiado com a proibição de aglomerações.

Resultado…

Os movimentos aconteceram, o prefeito foi reeleito no primeiro turno do mesmo jeito…e a covid se espalhou…

Será que os partidos que foram à justiça cobrar os atos de campanha – pior que a justiça acatou, viu? – estão lembrados que tem culpa no cartório?

20 de novembro de 2020 às 22:41

Campanha termina em Caicó com 90 casos confirmados de covid, sendo 17 nesta sexta, quando acontece festa para duas mil pessoas [0] Comentários | Deixe seu comentário.

A Secretaria de Saúde da Prefeitura de Caicó registrou essa semana, pós aglomerações da campanha eleitoral, 90 casos confirmados de covid.

Só nesta sexta-feira foram 17 confirmações.

Porém…

Na noite desta sexta, no clube Assec, festa privada, com cobrança de ingressos para um público de 2 mil pessoas.

Confira o boletim da Secretaria de Saúde:

Boletim COVID-19: Caicó

Nesta sexta-feira (20), a Secretaria Municipal de Saúde vem por meio desta divulgar o registro de 17 (DEZESSETE) novos casos de COVID-19 no município, sendo TODOS comunitários.

Com relação aos casos de hoje, foram 06 homens e 11 mulheres.

Os casos residem:
02 -Barra Nova;
02- Centro;
02- Paraíba;
01-Penedo;
01- Jardim Satélite;
02- Boa Passagem;
02- Canutos e Filhos;
01- Paulo VI;
01- João XXIII;
02- Vila do Príncipe;
01- Walfredo Gurgel.

Destes, 02 foram confirmados por Sorologia, 02 por TR e 13 por RT-PCR.

Informamos ainda, a RECUPERAÇÃO de 29 pessoas na comunidade.

Reforçamos a importância das medidas preventivas, como distanciamento social, etiqueta respiratória, higienização das mãos e uso de máscara quando precisar sair de casa.

*

E o movimento pós-campanha segue em Caicó com a realização de uma festa promovida pelo vice-prefeito do município, Marcos do Manhoso.

Um tracionai forró no sítio que todos os anos reúne entre 3 e 4 mil pessoas.

20 de novembro de 2020 às 21:49

Prefeitura de Natal ratifica apoio às medidas de combate à covid recomendadas pelo Comitê Científico [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Da Prefeitura de Natal, nota oficial sobre as medidas de prevenção à covid recomendadas pelo Comitê Científico do município:

NOTA OFICIAL

Em respeito à população de Natal e aos princípios da Ciência, a Prefeitura desse município ratifica sua plena convicção e apoio às medidas recomendadas pelo Comitê Científico Municipal e seu presidente, o infectologista e professor doutor, Fernando Suassuna.

Essas medidas abrangem o tratamento da Covid-19 e a recomendação do uso da Ivermectina de forma sistemática para uso profilático e terapêutico.

A Prefeitura e o Comitê se baseiam em dois fatores para sustentar esse posicionamento. O primeiro deles é o técnico-científico. Embora ainda contestada por alguns, a aplicação preventiva da Ivermectina teve sua eficácia comprovada em vários estudos observacionais e científicos, realizados por instituições renomadas em todo o mundo.

Outro fator que sustenta nossa política de prevenção e tratamento contra a pandemia em Natal está relacionado aos excelentes resultados alcançados pelo protocolo médico adotado. Esses resultados posicionam Natal como um dos casos mais bem sucedidos do Brasil, no enfrentamento à pandemia. Enquanto outras cidades oscilaram nos casos da doença, Natal registrou queda contínua, durante 4 meses seguidos, no número de casos e óbitos decorrentes do Coronavírus. Desde julho passado, usando o protocolo aprovado pelo Comitê Científico Municipal e pelo Conselho Regional de Medicina (CRM), o volume de contágio e de mortes causadas pela Covid 19 caiu seguida e substancialmente.

A Prefeitura repudia as tentativas que estão sendo feitas por segmentos equivocados para politizar a questão. Entende que tal direcionamento afronta os esforços que estão sendo empreendidos pelo corpo técnico da rede municipal de Saúde, formado por médicos, enfermeiros e outros profissionais. São servidores que se dedicam diuturnamente, muitas vezes ao custo de enorme sacrifício pessoal, para salvar vidas ameaçadas pelo novo coronavírus. Os efeitos nocivos da politização do debate quanto ao tratamento da Covid-19 não se encerram neste ponto. Longe disso, a tentativa de contaminação ideológica desse processo tem nosso total repúdio porque, além do reconhecimento de que isto cria grandes dificuldades, traz, sobretudo, riscos para a saúde pública e para a vida das pessoas.

Seguimos trabalhando para evitar que esse surto se dissemine, se desenvolva e se instale em Natal. O propósito permanece o mesmo: proteger a população e salvar vidas. Por isso, ratificamos o apoio às recomendações feitas pelo presidente do nosso Comitê Científico, o médico e professor doutor Fernando Antônio Brandão Suassuna.

Prefeitura Municipal do Natal

20 de novembro de 2020 às 21:15

Depois de suspender aulas em duas turmas, CEI Romualdo cancela as aulas presenciais de todo o ensino médio por causa do aumento de casos de covid [0] Comentários | Deixe seu comentário.

A decisão do Colégio CEI Romualdo, em Natal, de suspender aulas do ensino médio por causa dos casos de covid, é reflexo da liberação geral de festas e shows, dos encontros para comemorar aniversários…com todo mundo sem usar máscara e sem cumprir o distanciamento exigido pelos organismos de saúde.

Sem contar com a campanha política que provocou aglomerações por todo o Rio Grande do Norte.

O Colégio CEI enviou comunicado aos pais suspendendo as aulas do ensino médio por causa dos casos de covid confirmados entre os alunos.

Desde a semana passada duas turmas do 1º ano do ensino médio já estavam com as aulas presenciais suspensas, mas a escola achou prudente a suspensão geral.

Eis o comunicado recebido pelos pais:

20 de novembro de 2020 às 20:59

Bebê morto na UTI da maternidade Januário Cicco nasceu em julho com 650 gramas [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Tristeza a notícia que chamou atenção nesta sexta-feira em Natal, quando um princípio de incêndio na UTI Neonatal da Maternidade Januário Cicco, pertencente à UFRN, resultou na morte de um bebê que nasceu prematuro e há 4 meses estava internado.

O bebê era um dos 11 internados na ala atingida pela fumaça e que foram transferidos, e foi o único que não resistiu.

Segundo nota emitida pela maternidade, o bebê nasceu em julho pesando 650 gramas.

Veja a nota na íntegra

– A Maternidade Escola Januário Cicco – MEJC vem a público prestar informações quanto ao sobreaquecimento do cabo da instalação elétrica do ar-condicionado, localizado na Ala 1 da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Neonatal da instituição. O incidente ocorreu por volta das 3h15 do dia de hoje (20), sendo prontamente debelado. Em virtude do ocorrido, foi necessária a transferência dos 11 recém-nascidos da referida ala, para outras alas da UTI Neonatal.
Um bebê prematuro extremo que nasceu em Julho deste ano, com 650g e, como todo bebê de extrema prematuridade, apresentava várias complicações durante todo o tempo em que esteve internado em nossa Unidade, veio a óbito.
O bebê em questão foi o primeiro a ser transferido, ao chegar na ala sofreu uma parada cardíaca e, apesar de todas as manobras feitas pela equipe médica de plantão, não resistiu.
A MEJC se solidariza com a dor da família, colocando à disposição toda sua equipe.
Ressaltamos que todos os bebês da UTI Neonatal estão devidamente acomodados em suas incubadoras com todos os equipamentos e assistência necessária para a preservação de suas vidas.
Somos uma maternidade escola que cuida de pacientes de alto risco, mães e bebes e, como maternidade referência, temos uma ação preventiva de toda nossa infraestrutura. Dispomos de 166 extintores, plano de ação emergencial, atendendo as normas e exigências dos órgãos fiscalizadores. Paralelo a isso são realizadas capacitações dos profissionais para atuarem na prevenção e no combate a princípios de incêndio, treinamento esse, fundamental para o incidente elétrico ter sido contido da forma adequada, evitando transtornos maiores.
Os setores e órgãos responsáveis emitirão laudos técnicos que possibilitarão a análise precisa da causa do ocorrido. Os mesmos serão disponibilizados em tempo oportuno.

Natal, 20 de novembro de 2020
Superintendência da MEJC

*

Em entrevista, a médica Maria da Guia de Medeiros Garcia, gerente de Atenção à Saúde da maternidade, disse que “houve uma grande dificuldade de fazer uma reintubação, houve a reintubação, mas como o bebê passou bastante tempo nesse transporte, não conseguiu retornar. Foram feitas todas as manobras para ressuscitação, mas ele não voltou e foi a óbito”, afirmou a médica, garantindo que o bebê não teve contato com a fumaça já que a incubadora não foi atingida.

20 de novembro de 2020 às 16:22

Campanhas, festas, encontros sem uso de máscara e os casos de covid aumentando sem parar [1] Comentários | Deixe seu comentário.

A Federação dos Municípios do Rio Grande do Norte bem que poderia interferir junto aos municípios para evitar festas de comemoração de eleições.

Já não basta as aglomerações durante a campanha…

Pode parecer hipocrisia permitir aglomerados na campanha e não fazer festa de comemoração?

Não.

Porque se levar em consideração os números atualizados da covid, os índices de transmissibilidade aumentaram.

Em Natal as festas autorizadas aumentaram os casos.

Há pouco tempo era difícil encontrar alguém que conhecia alguém com covid.

Agora é difícil encontrar alguém que não saiba de pelo menos 5 casos.

Mas…

As festas, as campanhas, os jantares, aniversários, comemorações, shows…tudo registrado nos perfis de instagram e facebook, onde ninguém usa máscara, justificam os casos de covid no Rio Grande do Norte.

20 de novembro de 2020 às 16:15

Prefeito eleito de Mossoró Allyson Bezerra informa que está com covid [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O prefeito eleito de Mossoró, Allyson Bezerra, informou nas suas redes sociais que testou positivo para covid.

Ainda bem que, como muitos eleitos, não estava com festa programada para comemorar o resultado da eleição.

20 de novembro de 2020 às 4:14

Jornal da Cidade: periódico mensal é distribuído de graça nas regiões Salineira e Vale do Açu [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Já curculando com entrega grátis em municípios das regiões Salineira e Vale do Açu, o periódico mensal “Jornal da Cidade”, editado pelo jornalista Celso Amâncio com colaboração de Max Almeida.

A segunda edição que está sendo diatribuída traz análises dos resultados das eleições.

O jornal também pode ser consultado em sua versão digital e nas plataformas sociais.

20 de novembro de 2020 às 3:54

Em artigo sobre retomada da economia no Brasil, deputado/economista João Maia acena para processo de ‘desglobalização’ [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Em artigo escrito a 4 mãos, em parceria com o deputado Arnaldo Jardim (SP), relator da Comissão Especial de PPPs e Concessões da Câmara, o deputado federal João Maia (RN) fala sobre o crescimento do Brasil depois da pandemia.

Ele relata um processo interno onde cada país vai olhar para dentro e cuidar do próprio crescimento, o que poderá acarretar um processo de desglobalização.

O artigo levanta ainda o temor de novas possíveis demissões, a partir da reestruturação do mercado.

Confira o texto que foi divulgado no TELECO – maior portal de informações do setor de Telecomunicações.

-Nos últimos anos a economia brasileira estagnou. As dificuldades econômicas tiveram início em 2014, ano em que o país cresceu apenas 0,5%. Os anos de 2015 e 2016 trouxeram uma retração do Produto Interno Bruto de 3,5% e 3,3%, respectivamente. E apesar do ambiente econômico ter melhorado nos anos de 2017, 2018 e 2019, triênio em que a economia cresceu na média de 1%, a evolução do PIB foi muito aquém da nossa capacidade de produzir riqueza e da nossa necessidade de geração de emprego.

As contas públicas, em consequência, deterioram durante o período. Em 2018, o déficit chegou a R$ 120 bilhões e, em 2019, o caixa ficou negativo em R$ 95 bilhões. Um endividamento considerado elevado pelos analistas financeiro e que projetava um baixo crescimento para os anos seguintes.

Esta era a realidade da economia brasileira quando os primeiros casos da Covid – 19 começaram a ser notificados no País. Os cenários pessimistas de estagnação traçados por muitos, logo se transformaram em uma certeza de retração da economia. Nas projeções mais recentes do relatório Focus do Banco Central para o ano de 2020, é prevista uma queda do PIB de 4,8 % e um déficit público da ordem de R$ 876 bilhões, levando a dívida líquida do setor público para o patamar de 67,8 % do Produto Interno Bruto, frente aos 56% do ano de 2019.

As consequências econômicas da pandemia terão forte reflexo na vida dos brasileiros. O endividamento das famílias, que em setembro de 2020 era, segundo a Confederação Nacional do Comércio – CNC, de 67,2 % deverá se situar entre 68 % e 70% no final de 2020. A retomada da economia, e, portanto, da renda, será lenta, apesar da ajuda emergencial do Governo Federal às famílias, aos profissionais autônomos e às empresas.

A reorganização da atividade produtiva pode levar um longo período, havendo risco de um surto de recuperações judiciais, falências e fechamentos de empresas por todo o país. A restruturação do sistema produtivo pode aprofundar ainda mais a onda de demissões e a recuperação fiscal da nossa economia, que depende essencialmente da retomada do crescimento, poderá se estender por alguns anos.

É interessante notar que, antes de a pandemia se espalhar pelo mundo, havia grande disponibilidade de recursos privados no mercado internacional, que poderiam ter como destino projetos de longo prazo no Brasil. Entretanto, o novo Coronavirus alterou radicalmente este cenário, que aponta, hoje, para uma onda de desglobalização da economia, ou seja, os Países estão se voltando para a produção local com o objetivo de recuperar a atividade econômica, gerar empregos para os seus próprios cidadãos e, principalmente, livrarem-se da dependência da produção chinesa.

O mais provável então é que Estados Unidos, França, Alemanha e Japão, dentre outros, disputem de maneira mais agressiva com os mercados em desenvolvimento os recursos de seus próprios investidores, estimulando-os a investirem nos seus mercados internos. Nesse novo contexto, o Brasil somente terá chances de atrair grandes volumes de Investimentos estrangeiros se oferecer segurança jurídica e, principalmente, boas perspectivas de retorno financeiro dos investimentos. Um ambiente político estável também contribui na atração do capital privado estrangeiro, portanto, uma atuação equilibrada do Executivo, Legislativo e Judiciário, com forte presença do Estado como viabilizador destas condições, será fundamental. O Legislativo deve ser o protagonista deste esforço, captando as aspirações da sociedade e produzindo leis que viabilizem os investimentos – sem boas leis e sem a garantia de segurança jurídica, os investimentos não virão. Continuarão, pelo contrário, indo embora do Brasil.

Desta forma, após superarmos a crise sanitária, o nosso grande desafio será de como enfrentar esse cenário de baixa atratividade para os investimentos privados, num ambiente de retração e de reorganização econômica. Acreditamos firmemente que somente será possível com a modernização dos marcos legais, principalmente aqueles relacionados ao financiamento dos projetos, ou seja, inerente às regras que estabeleçam de forma clara, para os investidores, a estabilidade e a segurança jurídica dos contratos.

O Brasil precisa urgentemente modernizar e crescer a sua infraestrutura. A fraqueza da nossa fica evidente quando se analisa o estoque de capital – ou seja, tudo o que foi investido na infraestrutura. Hoje, o indicador está em 36% do PIB, patamar muito aquém do registrado por outros países e que, segundo o IPEA, desde de 2016 os investimentos são insuficientes para repor a depreciação da nossa infraestrutura. Em Países emergentes do BRICS, como Índia, China e África do Sul, o nível de estoque é de 58%, 76% e 87% do PIB, respectivamente.

Modernizar a legislação para atrair investimentos privados já era uma preocupação mesmo antes do surto da Covid -19. Em agosto de 2019, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, constituiu Comissão Especial, presidida pelo Deputado João Maia, para analisar todos os regulamentos do setor e elaborar um novo marco legal para as Concessões e Parcerias Público-Privadas, para projetos de infraestrutura.

Após 4 meses de intenso trabalho, e ouvindo diversos setores, a comissão optou por elaborar um projeto que contivesse um elenco de instrumentos e mecanismos mais seguros, mais ágeis e menos custosos, ou seja, que a experiência acumulada nos últimos 20 anos de contratações públicas servisse para a adequação da legislação aos problemas de ordem prática encontrados nos processos licitatórios. No final de novembro de 2019, a Comissão Especial aprovou, por unanimidade, o parecer final, relatado pelo Deputado Arnaldo Jardim.

Tendo em vista a necessidade urgente de financiamento dos setores de infraestrutura para a superação da crise, decidimos retirar do Projeto de Lei da Lei Geral das Concessões a disciplina relativa às fontes de financiamento e apresentar o Projeto de Lei 2646/2020, apoiado por 12 Deputados de diversos partidos que subscreveram o projeto, que cria as debêntures de infraestrutura. As debêntures são importante instrumento de democratização do acesso ao mercado de capitais e de financiamento dos projetos de infraestrutura.

As empresas, por meio do lançamento desses papeis, podem captar recurso para aumentar capital, custear projetos ou pagar dívidas para investir em suas atividades a uma taxa de juros muito menor do aquela praticada pelo sistema bancário. Porém, diferentemente das debêntures incentivadas, que concedem benefícios fiscais aos investidores pessoas físicas, as debêntures de infraestrutura concedem benefícios ao emissor, que pode repassar esse incentivo ao investidor a partir do pagamento de juros mais interessantes.

Se aprovado, o PL 2646/2020 poderá aumentar, a curto prazo, a participação dos investimentos privados em infraestrutura de 65% para 84% – recursos que podem chegar a R$ 112 bilhões, anualmente, bem como elevar, a longo prazo, o investimento, que hoje é de 1,87% do PIB, para 4,15%, criando as condições para a realização de investimentos adicionais de R$ 162 bilhões por ano, em valores atuais.

Acreditamos que as debêntures de infraestrutura serão um instrumento de captação de recursos mais adequado para financiar os investimentos na tecnologia 5 G. Esta tecnologia é estratégica para que o Brasil possa ingressar na quarta revolução tecnológica possibilitando a implantação da indústria 4.0, fundamental para aumentar a produtividade e a competitividade da economia brasileira.

O aperfeiçoamento dos marcos legais dos setores com forte potencial de criação de empregos, complementada por políticas de ajustes fiscais graduais, vai acelerar a retomada sustentável da economia e será a porta de saída da crise provocada pela Covid-19.

20 de novembro de 2020 às 3:06

Jornalista Alan Oliveira festeja vitórias em 11 campanhas parceiras da Fácil [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O jornalista Alan Oliveira comemora vitórias na campanha eleitoral.

A sua agência ‘Fácil’, especializada em comunicação integrada há 18 anos, registrou em vídeo os 80% de aproveitamento em 11 campanhas vencedoras das quais participou,

Foram 9 cidades, com 7 prefeitos e quatro vereadores eleitos.