Thaisa Galvão

31 de dezembro de 2020 às 21:00

Consequências das maiores aglomerações no RN deverão ser creditadas nas contas dos prefeitos de São Miguel do Gostoso e Tibau do Sul [0] Comentários | Deixe seu comentário.

As aglomerações autorizadas pelo poder público nas praias de São Miguel do Gostoso e Pipa colocam em xeque dois prefeitos: Renato de Doquinha (PSD), de São Miguel, e Modesto Macedo (PSD), de Tibau do Sul (Pipa).

Os dois foram os primeiros a consentir a realização das festas, por meio de decretos.

Qualquer consequência em relação a aumento de casos, e até a possíveis registros da nova cepa do coronavírus, já que as festas atraem público do Brasil e de outros países, deverá ser creditada na conta dos dois.

Renato foi reeleito, e para ficar “bem“ com a população que votou nele e não tem dinheiro para participar do badalado e caro “Réveillon do Gostoso”, botou bandas para o povo na Praia da Xêpa durante a virada, sem se importar se está esticando a corda da contaminação.

Modesto até tentou se manter no cargo mas foi derrotado.

Nesta sexta-feira entrega o cargo e pode pegar o beco, nem ligando para o que poderá vir a acontecer.

Ficará na conta do prefeito eleito.

O prefeito que permitiu o réveillon pode até deixar a cidade, passar férias bem longe de Pipa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.