Thaisa Galvão

4 de fevereiro de 2021 às 20:04

Parceiro dileto: Para continuar deputado, Beto Rosado contrata advogado com trânsito no TSE e conhecido por salvar mandatos perdidos [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O deputado Beto Rosado, que agora tem o apoio total e incondicional do parça Arthur Lira, presidente da Câmara, segue ciscando em cima da lei para não devolver a Fernando Mineiro o mandato que tomou, a partir de uma manobra onde votos anulados, com provas, foram contados.

Depois de esgotar recursos junto ao TRE, que depois de ver o erro cometido, corrigiu e, diante de provas, reforçou que os votos contados deveriam mesmo ser anulados, o deputado Beto apelou para o TSE.

E para pedir a anulação do julgamento do TRE do Rio Grande do Norte, alegando que o Tribunal potiguar não esperou a retotalização do TSE para anunciar o resultado do julgamento local – tirando o poder da justiça eleitoral local e na tentativa de anular provas – Beto contratou, a peso de diamante – ouro pouco é bobagem – o advogado Gustavo Severo.

Gustavo, que tem banca poderosa em Brasília, já é conhecido por assinar ações desafiadoras e manter mandatos sob suspeita.

Para isso, mantém bom relacionamento com os poderosos do Tribunal Superior Eleitoral.

Severo já advogou para dois ex-presidentes: Dilma Rousseff e Michel Temer.

Em Mato Grosso, foi apontado como o salvador do mandato de um deputado do PDT, que “jogou pesado” para contratá-lo

Gustavo Severo também advogou para o governador Ricardo Coutinho, da Paraíba, e foi flagrado almoçando com o ministro que iria julgar uma ação contra Coutinho.

A conta do restaurante pode ter sido barata, mas a contratação pelo paraibano, certamente não foi.

O advogado Gustavo Severo é apontado como um ‘parceiro dileto’, como mostrou a revista Crusoé há exatamente um ano, em fevereiro de 2020, quando publicou a relação do escritório dele com a mulher do ministro Dias Toffoli.

Gustavo Severo defende o mandato de Beto Rosado.

No TSE, o processo já foi distribuído e tem como relator o ministro Luís Felipe Salomão.

Salomão foi o relator do processo que afastou, por unanimidade, a inelegibilidade por 8 anos do prefeito eleito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, e do ex-secretário de sua antiga gestão, Pedro Paulo, que cogitava disputar a Prefeitura do Rio em 2016.

Coincidência ou não, o advogado de Pedro Paulo era Gustavo Severo, e o de Eduardo Paes era Fernando Neves.

Neves, o advogado caro que vem defendendo o mandato de Beto, através de ações impetradas em nome de Kericlis Alves.

Eu sendo Mineiro…

#

Atualizando…

A ação assinada por Severo já começa dizendo que o TRE do Rio Grande do Norte cometeu ilegalidade…

Desmoraliza.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.