Thaisa Galvão

20 de fevereiro de 2021 às 11:24

Governadora Fátima recebeu aval dos Poderes para editar decreto com medidas restritivas que visam minimizar efeitos da pandemia [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Antes de baixar o decreto com medidas restritivas para tentar conter os efeitos da pandemia, diante do aumento no número de casos e de mortes por covid, a governadora se reuniu com os comandos dos Poderes no Rio Grande do Norte.

Presentes à discussão virtual os presidentes do Tribunal de Justiça, desembargador Vivaldo Pinheiro; do Tribunal de Contas, Paulo Roberto Alves; da Assembleia Legislativa, Ezequiel Ferreira; do procurador geral do Ministério Público, Eudo Leite; do defensor público geral, Marcos Vinícius Soares, e de alguns auxiliares do governo.

Reunião afinada, segundo declarou o secretário de Projetos do Governo, Fernando Mineiro, em entrevista que nos concedeu no Jornal da Noite, da 95MaisFM.

“Foi uma tarde de consensos diante da delicadeza do momento que estamos vivendo”, disse Mineiro, afirmando que os Poderes estavam alinhados com as medidas restritivas discutidas e que fazem parte do decreto da governadora Fátima Bezerra, publicado neste sábado depois do aval dos Poderes.

O decreto retirou a questão relacionada às escolas privadas, que pelo comitê científico do governo seriam fechadas por 14 dias.

Tanto Fátima quanto outros representantes de Poderes concordaram que as escolas tem seguido protocolos, mas o procurador geral do MP, Eudo Leite ressaltou que as escolas precisam ajustar suas regras em relação às aulas online e presenciais.

E o governo já anunciou, na reunião, que o gabinete civil vai se reunir com a associação de escolas particulares na próxima semana em torno de regras para o ensino híbrido como cobrou o representante do Ministério Público.

A governadora Fátima chamou o comando dos Poderes para a reunião virtual, logo depois da reunião com prefeitos da região metropolitana para tratar do decreto.

Lembrando que são os hospitais da região metropolitana que estão lotados, sem vagas para receber pacientes com covid.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.