Thaisa Galvão

17 de abril de 2021 às 16:46

Ministro Fábio Faria admite força de Lula contra Bolsonaro, diz que petista ‘mata’ candidaturas de centro, que presidente não lidera mais pesquisas e que terá tempo de se explicar na CPI [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Em entrevista à jornalista Lilian Tahan, do portal Metrópoles, o ministro das Comunicações Fábio Faria, apontado como articulador político do presidente Jair Bolsonaro ressaltou o que será o calo no sapato de Bolsonaro na disputa pela reeleição no próximo ano: Lula.

Apesar de Fábio acreditar que o ex-presidente traz para a campanha a rejeição da sociedade ao próprio Lula e ao PT, Fábio mostrou que o petista não será um adversário fácil.

Fábio disse que conhece grande empresário que nem ia mais votar, mas que já se posiciona em favor de Lula com a decisão do Supremo, de ter anulado as condenações dele nos processos da lava jato.

Na entrevista Fábio declarou que Lula “matou o Centrão”, referindo-se a possíveis candidaturas como as do governador João Dória, dos ex-ministros Sergio Moro e Luiz Henrique Mandetta, do apresentador Luciano Huck…

“São dois candidatos altamente populares, com muito tempero”, disse Fábio sobre Bolsonaro e Lula, afirmando que a campanha será um Fla-Flu, coberta de amor e ódio.

Sobre pesquisas, admitou a dianteira de Lula e que a pandemia é o principal motivo para a queda de popularidade do presidente.

“As pessoas estão em casa e muita gente morrendo de covid”, justificou Fábio Faria, deixando claro, mesmo sem querer, que as pessoas atribuem a Bolsonaro o alto índice de mortes registrado no Brasil.

Não fosse isso, Bolsonaro seguia liderando pesquisas.

Sobre a CPI da Covid, Fábio acredita (claro que ele não acredita nisso), que será positiva para Bolsonaro, já que ele terá oportunidade de explicar a sua gestão antes da campanha começar.

Fábio ressaltou a participação de estados e municípios na CPI, mas não explicou que só serão investigados estados ou municípios que tiverem sido denunciados por mau uso de recursos da União, e que denúncias sobre mau uso de recursos originários dos governos estaduais ou municipais terão que ser investigados pelas suas assembleias legislativas ou câmaras municipais.

Confira a entrevista do ministro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.