#JornalismoSemFakeNews

28 de julho de 2021 às 12:38

Morre aos 89 anos a educadora Maria José Mamede Galvão

[1] Comentários | Deixe seu comentário.

Morreu nesta quarta-feira, a educadora Maria José Mamede Galvão.
Ela foi internada há uma semana após sofrer um AVC, do qual sofreu complicações depois.
Irmã da poetisa Zila Mamede, ‘Dona Maria José Mamede’ também era escritora.
Deixa os filhos Fátima, Moema, Marise, Jório, Marília, Ana Elídia e Luciana.
No céu reencontrou os filhos Jorácio e Jácio, e o marido Juarez Pires Galvão.
No ano passado ela enfrentou a morte do filho Jácio, em um acidente de barco nas águas do Gargalheiras.
Só este ano perdeu os irmãos Zezinho, Ivonete e Elyfá.
Na semana passada, um dia antes de sofrer o AVC, perdeu o genro João Paulo.
O corpo está sendo velado no Grupo Escolar Tomaz de Araújo, em Acari, cidade onde será sepultada às 16 horas.

A escritora lançou dois livros: ‘Tessituras de Memórias’ e ‘Tempo Absoluto’.

Um dos escritos da poetisa…

Uma resposta para “Morre aos 89 anos a educadora Maria José Mamede Galvão”

  1. Francisco Canindé Targino disse:

    Prezada Thaís!

    Rendo minhas homenagens a família Mamede Galvão! Meus mais sinceros votos de pesar a essa família muito tradicional de Acari onde nasci e de Currais Novos onde vivi por muitos anos e onde me formei.
    D. Maria José foi um símbolo na educação. Lembrar dela será sempre pelas boas lembranças do ensino, do saber, da arte de ser professor e da arte de criar uma família com os maiores predicados que se possa imaginar. Tive o privilégio de estudar três anos com Marília e perceber a educação de uma mãe. Como aluno na UFRN vi o quanto tratava bem as pessoas.
    D. Maria José deixa um legado para muitos e deixa uma história de vida para Acari e Currais Novos.
    Deus certamente já a recebeu com uma fileira de Anjos perto de si.
    Desejamos força a família e de longe em orações rezarei por sua alma.
    Grupo Escolar Tomaz Araújo foi onde aprendi a ler e escrever também se despede dela.
    Descanse em paz D. Maria José Mamede Galvão!

    Francisco Canindé Targino

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.