#JornalismoSemFakeNews

14 de outubro de 2021 às 17:47

Depois de viagem de 45 pessoas a Nova York, cidadão brasileiro paga conta de 69 pessoas em “passeio” a Dubai

[0] Comentários | Deixe seu comentário.

Do Globo, sobre mais uma farra milionária na conta dos brasileiros.

BRASÍLIA — A viagem de integrantes do governo a Dubai para promover o turismo no Brasil já foi definida pelo secretário de Pesca, Jorge Seif, como um “trabalho-passeio”, “top demais”, tamanho foi o seu deslumbre com a cidade dos Emirados Árabes.

Mas ele não é o único que vai desfrutar das benesses do lugar, que promove um megaevento de negócios ligados a tecnologia e turismo.

O Executivo federal autorizou o envio de uma comitiva de 69 pessoas para feiras e exposições entre setembro e outubro e deve desembolsar no mínimo R$ 3,6 milhões na cidade, segundo levantamento do GLOBO. Até o momento, gastou R$ 1,17 milhão entre passagens aéreas e diárias para membros de nove ministérios e da Vice-Presidência, segundo dados do Painel de Viagens, mantido pelo Ministério da Economia.

O gasto em diárias deve ser ainda maior, mas ainda não aparece nos Portais de Transparência e sua estimativa total não foi informada pelos ministérios, procurados pelo GLOBO. A legislação prevê uma diária que varia entre US$ 300 e US$ 350 para uma viagem aos Emirados Árabes. Com o câmbio atual, é um gasto de R$ 1.652 a R$ 1.927 por dia por pessoa.

A comitiva — cuja quantidade de pessoas chegou a ser questionada internamente pela área técnica de alguns ministérios, segundo apurou O GLOBO — participa da Expo Dubai 2020 (adiada devido à pandemia) ou de eventos relacionados.

Para a Assembleia Geral da ONU em setembro, por exemplo, foram enviadas cerca de 45 pessoas a Nova York. O valor total das viagens à cidade ficou em R$ 1,1 milhão — diferentemente da excursão a Dubai, essa soma já inclui a maioria dos gastos em diárias.

Sem licitação

A Embratur contratou gastos em divulgação nos Emirados: R$ 922 mil com material promocional; R$ 50 mil com réplica do Cristo Redentor; R$ 380 mil com apresentações de “cunho artístico”; e R$ 2,3 milhões com a montagem da exposição, conforme o Diário Oficial da União. O Brasil montou um pavilhão cujo tema é floresta amazônica. O contrato da mostra pela Embratur foi sem licitação.

O Ministério do Turismo disse ao GLOBO que a Expo Dubai (que vai até março de 2022) é o “maior evento do mundo sobre países” e que serve como um espaço para reuniões com “empresários e potenciais investidores”.

Além do titular da pasta, Gilson Machado, e de Seif, que postou um vídeo na praia fazendo piada com tubarão — seu “animal predileto”—, esteve por lá o vice-presidente Hamilton Mourão, ministrando uma palestra sobre sustentabilidade. Este mês, será a vez de o Ministério da Ciência e Tecnologia e Inovações (MCTI) enviar uma comitiva de ao menos 24 pessoas, além do próprio ministro Marcos Pontes.

Outros ministérios enviaram ou vão mandar delegações de até quatro pessoas: Comunicações, Economia, Meio Ambiente, Minas e Energia, Turismo, Agricultura, Infraestrutura e Secretaria-Geral da Presidência. A pasta de Meio Ambiente informou que as duas secretárias enviadas a Dubai participaram da Semana de Mudança do Clima e Biodiversidade.

A Embratur e o MCTI não responderam, assim como as pastas de Comunicações, Economia, Minas e Energia e Secretaria-Geral. A Agricultura informou que Seif apresentou um balanço para a iniciativa privada em que destaca a urgência de se explorar novos mercados, já que o Brasil não exporta pescado para a Comunidade Europeia desde 2017.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.