Thaisa Galvão

18 de dezembro de 2011 às 14:05

Abertas inscrições para concursos do INSS, Caixa Econômica e Prefeitura de Parnamirim [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Segunda-feira de oportunidades…

Além da abertura de inscrições para o concurso do INSS, o dia também será de inscirções abertas para concursos da Caixa Econômica, da Prefeitura de Parnamirim…e de mais outros pelo Brasil afora…

Veja reportagem do G1:

INSS, CAIXA E 12 ÓRGÃOS ABREM PRAZO PARA 20 MIL VAGAS NA SEGUNDA-FEIRA

Pelo menos 14 órgãos públicos abrem inscrições na segunda-feira (19) para 19.975 vagas e formação de cadastro de reserva em cargos de todos os níveis de escolaridade. Os salários chegam a R$ 9.070,93 no Instituto Nacional do Seguro Social.

Só a Prefeitura de Guarujá, no litoral de São Paulo, oferece 14.987 vagas. Já a Polícia Militar do Estado de São Paulo abriu 1.992 vagas. No caso do INSS são 1.875 vagas.

Os órgãos que abrem as inscrições na segunda-feira são os seguintes: Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), Caixa Econômica Federal, Conselho Federal de Educação Física, Hospital Universitário Lauro Wanderley, na Paraíba, Polícia Militar de Santa Catarina, Polícia Militar de São Paulo, Prefeitura de Amparo (SP), Prefeitura de Conceição da Feira (BA), Prefeitura de Guarujá (SP), Prefeitura de Parnamirim (RN), Prefeitura de Pirapemas (MA), Prefeitura e a Câmara Municipal de Santa Rita do Trivelato (MT), Prefeitura de São Vicente Ferrer (PE) e Prefeitura de Sebastião Leal (PI).

18 de dezembro de 2011 às 13:42

Novidade sem novidade [0] Comentários | Deixe seu comentário.

A declaração do jurista Paulo de Tarso Fernandes causou um frisson…na imprensa apenas…

É que nunca foi novidade para a governadora Rosalba Ciarlini nem para a prefeita de Mossoró, Fafá Rosado, que para a atual vice mossoroense Ruth Ciarlini disputar a prefeitura de Mossoró, Fafá terá que renunciar seis meses antes.

Alguma novidade nisso?

Só os leitores do Blog já devem ter lido sobre o assunto umas 5 vezes.

Quinta-feira passada o Blog publicou nota informando exatamente o que os jornais apontam hoje como a novidade da política…

Eis o trecho da nota publicada sob título “Larissa Rosado e seus atributos para ser a candidata da Rosa

A vice-prefeita Ruth Ciarlini é a preferida da irmã governadora. Mas aí o caminho para chegar à candidatura dela é muito longo. Teria que passar pela renúncia da prefeita Fafá Rosado até abril do próximo ano, para que Ruth pudesse assumir a gestão e conquistasse, só assim, o direito de buscar nas urnas sua reeleição.

Por ser irmã da governadora, Ruth não pode ser eleita. Mas pode ser reeleita. Estando na condição de prefeita de fato, pode buscar a manutenção do mandato sem problemas com o nepotismo.

A distância entre o desejo de Ruth e Rosalba e a renúncia de Fafá é muito longa. Mesmo que para a prefeita, caia do céu um cargo vitalício de conselheira do Tribunal de Contas do Estado.

Apostando no certo, e não no duvidoso, Fafá tem resistido à ideia de renunciar. O promotor de Justiça da Comarca de Mossoró já alertou que, caso se constate uma articulação familiar para indicação do cargo no TCE, o Ministério Público se pronunciará.

 

18 de dezembro de 2011 às 13:32

Rogério Marinho engolindo mosca [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O deputado-prefeitável Rogério Marinho (PSDB) anda engolindo mosca.

Desde que foi apontado como o preferido do casal-governo, Carlos Augusto Rosado e Rosalba Ciarlini, que Rogério tem levado falta nas programações às quais a governadora participa.

Acompanhando Rosalba, o persistente deputado-prefeitável Hermano Morais (PMDB).

Ontem lá estava Hermano na formatura do Proerd…

Hoje cedo lá estava Hermano com a Rosa na confraternização do Clube de Mães e da 3ª Idade Nevinha Lucena, no Soledade I, zona Norte de Natal.

Café da manhã onde os integrantes do Clube agradeceram à governadora pelos investimentos em programas de combate a doenças que afetam a visão como catarata, pterígio e calázio.

O clube é comandado por Salete Campelo, mais conhecida por dona Salete.

Hermano com Rosalba no Clube de Idosos (Foto: Demis Roussos)

18 de dezembro de 2011 às 13:13

Feliz Natal… [2] Comentários | Deixe seu comentário.

O Blog aproveita o domingo para agradecer e retribuir mensagens carinhosas, presentes e desejos de boas festas enviadas por amigos, leitores, clientes…

E desejar felicidade a todos, rogando que a felicidade não dependa do tempo, nem do dinheiro…mas das amizades, do amor no coração, da fé em Deus…de você.

Feliz Natal para Denise Pereira Gaspar (primeiro cartão recebido), deputado Felipe Maia, deputado Ricardo Motta, deputado Gustavo Fernandes, Carla e Cantídio Neto (Metro Quadrado), Professores Toinho e Irany (Complexo Contemporâneo), Churrascaria Sal e Brasa, Mônica Faria, Vidalvo Costa (Samanaú), Anísio (Rigare), deputado Vivaldo Costa, deputada Sandra Rosado, senador José Agripino, deputado Henrique Alves, Paulo de Tarso Teixeira (Consult), Liege Barbalho, Marília Sá de Paula, Adriana Trindade, Bobstore, Simone Nunnes, Prefeitura de Tibau do Sul, Geraldo Júnior e família, Ivanaldo Fernandes, Comunicativa Associados, Letra A Comunicação, Assessoria de Imprensa da Sesap, Leandro Carlos Prudêncio, Sinpol RN, CAP-IBDES, Amopin, Abelardo Rodrigues e família, Públio José e Ritinha, Jornal A Esperança, Câmara Municipal de Ceará-Mirim, Blog de Poço Branco, Fapern, Sônia Gomes, Prefeitura de Montanhas

18 de dezembro de 2011 às 12:02

Grupo ALE vai divulgar nota negando venda de suas ações como mostra reportagem de capa da IstoÉ Dinheiro [1] Comentários | Deixe seu comentário.

 A revista IstoÉ Dinheiro está nas bancas com uma grande reportagem, manchete de capa, sobre a venda de 50% do Grupo ALE, presidido pelo potiguar Marcelo Alecrim.

A notícia traz detalhes sobre o negócio, apesar de não publicar nenhuma declaração, nem do alto comando da Bunge nem da ALE…

 

Mas…a ALE vai soltar uma nota nesta segunda-feira negando a transação.

Tudo continua como antes. A ALE com seus 100% e a Bunge sem metade da ALE.

Para entender melhor o ti-ti-ti, eis a reportagem completa da revista.

BUNGE COM O TANQUE CHEIO

Exclusivo: a gigante do setor de alimentos e do etanol, comandada pelo executivo Pedro Parente, prepara sua estreia no varejo de combustíveis ao adquirir 50% da ALE, depois de comprar as rivais Etti e Salsaretti.

O escritor americano James Dale Davidson, em seu livro The Sovereign Individual (O Indivíduo Soberano), previu há mais de uma década que as empresas do futuro só resistiriam às rápidas mudanças da economia mundial se desenvolvessem a capacidade de diversificar seus ramos de atuação sem negligenciar a atividade principal. A multinacional americana Bunge, gigante dos setores de alimentos, commodities agrícolas e etanol, tem seguido à risca a cartilha de Davidson. Na última semana, em uma ofensiva sincronizada, a companhia, presidida pelo ex-ministro Pedro Parente, comprou as fabricantes de molho de tomate Etti e Salsaretti, ambas da Hypermarcas, por R$ 180 milhões, e intensificou a disputa com a rival PepsiCo pela aquisição da biscoitos Marilan – em uma batalha ainda indefinida. A jogada que mais caracterizou a nova estratégia da Bunge de acelerar suas frentes de ataque, no entanto, foi a aquisição de 50% da ALE Distribuidora, a quarta maior rede de combustíveis do mercado nacional, com 1,8 mil postos de serviços espalhados por 21 Estados do País.

Fechado na última semana de novembro, o negócio, segundo a DINHEIRO apurou, é estimado em R$ 1,2 bilhão – R$ 800 milhões em dinheiro e a assunção de dívidas de R$ 400 milhões com o Bradesco. A operação, que deverá ser anunciada oficialmente em fevereiro, depois de concluída uma auditoria interna promovida pelo comprador, promete inflamar ainda mais a guerra em um mercado dominado por poderosas distribuidoras, como a BR, da Petrobras; a Shell/Cosan, da Raízen; e a Ipiranga/Texaco, do Grupo Ultra. A julgar pelo seu apetite por aquisições, a Bunge, que faturou R$ 22,8 bilhões no País em 2010, está preparada para a briga tanto no segmento de distribuição de combustíveis quanto em uma de suas principais áreas de atuação, o setor de alimentos. Com a aquisição da unidade de negócios de alimentos da Hypermarcas, a Bunge mais do que dobra seu portfólio. Serão agregados aos 100  itens atuais, mais 122 das marcas Etti, Salsaretti, Puropurê e Cajamar.

“A ampliação de produtos em nosso portfólio foi o principal motivo da negociação”, diz Adalgiso Telles, diretor de assuntos corporativos da Bunge Brasil. A operação reforça a presença em alimentos da Bunge, que em maio deste ano anunciou também sua entrada no segmento de atomatados por meio da marca premium Primor – tradicional em margarinas –, com atuação no Norte e Nordeste do Brasil. “Com os produtos da Etti e Salsaretti focados no Sul e Sudeste, teremos mais abrangência nacional”, diz Telles. No início de novembro, a Bunge perdeu a disputa pela fabricante de biscoitos Mabel para a PepsiCo. No sigiloso episódio da aquisição de uma fatia da mineira ALE, a concretização da compra põe fim a uma longa e conturbada negociação. Em dezembro do ano passado, executivos da Bunge se deslocaram da sede da empresa, em White Plains, nos arredores de Nova York, para o QG da distribuidora, em Belo Horizonte, com uma proposta praticamente irrecusável debaixo do braço: comprar 100% da empresa por R$ 1,1 bilhão.
A ALE, dona de um faturamento de R$ 7 bilhões em 2010, tinha uma conflituosa composição acionária: 50% de seu capital estava sob controle do grupo mineiro Asamar, do setor de construção civil. Uma outra fatia de 26% pertencia ao fundo de investimento Darby Overseas Investments. Os demais 24% da ALE estavam sob controle do empresário potiguar Marcelo Alecrim, fundador e atual presidente da empresa. O imponente valor proposto pela Bunge era idêntico ao preço pago pelo Grupo Ultra na compra dos dois mil postos da Texaco no País, controlada pela americana Chevron, com 200 postos a mais do que possui hoje a ALE.  Para a Bunge, cada tostão oferecido era justificável: terceiro maior fabricante de etanol no Brasil, com 900 milhões de litros, a empresa contaria de uma hora para outra com uma poderosa rede de postos de serviços, já pronta, para fazer chegar sua produção até o consumidor final.

O CEO mundial da Bunge, Alberto Weisser, anunciou em agosto à presidenta Dilma investimento de US$ 2,5 bilhões

A bilionária aquisição, no entanto, esbarrou inicialmente no desinteresse de Alecrim de abrir mão de sua fatia na rede, decisão que chegou a desencorajar os executivos da Bunge a fazer uma nova tentativa, num primeiro momento. “O Marcelo Alecrim é um nordestino de difícil trato, que quer ser conhecido como um self-made man do setor de combustíveis”, disse, naquela época, um alto executivo da Bunge. “Enquanto ele quer usufruir do glamour de ser sócio da Bunge em uma empresa que terá de crescer a qualquer custo e, evidentemente, se valorizar, nós temos pressa de nos livrarmos dos obstáculos acionários para conseguir fazer a empresa decolar.” Meses depois da primeira investida, a Bunge voltou à carga com uma nova proposta, a de contentar-se com uma fatia de 50%, mantendo o relutante Alecrim como acionista. Por essa metade, que pertencia ao grupo Asamar, o valor desembolsado pela Bunge subiu para R$ 1,2 bilhão.

O fundador, que teve seu pedido de preservação da marca ALE atendido, continuará como membro do Conselho de Administração da distribuidora, mas caberá à Bunge nomear o novo presidente. O outro acionista, o fundo Darby Overseas, venderá sua parte para o banco americano Morgan Stanley. A pressa e as concessões tinham razão de existir. No momento em que tentava ficar com o passe da ALE, a Bunge e seus principais concorrentes no ramo de distribuição de combustíveis executavam manobras estratégicas importantes. O Grupo Ultra já estava implementando um agressivo processo de expansão da rede Ipiranga, com a abertura de 400 postos só neste ano.  Ao mesmo tempo, a anglo-holandesa Shell e a brasileira Cosan, do empresário Rubens Ometto, que haviam anunciado no início de 2010 sua intenção de juntar as forças no segmento de produção e distribuição de etanol, estavam criando a  Raízen – a maior empresa de processamento de cana-de-açúcar do mundo, com faturamento anual de US$ 50 bilhões.
“Não podemos perder o timing do setor”, disse o CEO da Bunge, Pedro Parente, em reunião com seus executivos. “A ordem que vem da matriz é comprar uma rede de postos no Brasil.” A partir dessa determinação, a ALE era, de fato, a melhor alternativa para a Bunge. No fim de 2008, a empresa de Minas Gerais havia levantado R$ 400 milhões junto ao Bradesco para expandir suas operações. Com o dinheiro, a rede adquiriu, por R$ 130 milhões, os 327 postos da espanhola Repsol YPF,  que detinha 0,5% do mercado nacional de combustíveis. Com a aquisição, a ALE assumiu uma fatia de 4,6% do mercado e ampliou em 20% seu volume de vendas de etanol, gasolina e diesel, para 300 milhões de litros por mês. Naquele mesmo ciclo de aquisições, a empresa comprou, por um valor não informado, a rede catarinense Polipetro, que operava 130 postos no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina.

As aquisições deram mais musculatura à ALE, que estava capitalizada com o empréstimo do Bradesco, transformando-a em um alvo ainda mais sedutor para a Bunge. Não por acaso, apesar das resistências iniciais de Alecrim, o presidente da ALE, a Bunge não desistiu da empreitada e voltou à carga. Em agosto, o CEO mundial da companhia, o paulista Alberto Weisser, revelou à presidenta Dilma Rousseff, em reunião fechada em Brasília, que o Brasil se tornara o foco dos investimentos estratégicos da Bunge para os próximos anos, especialmente nos setores de commodities agrícolas e biocombustíveis. Na ocasião, o executivo anunciou um plano de investimentos de US$ 2,5 bilhões no setor de açúcar e bioenergia no Brasil para o período 2012-2016, voltado, principalmente, para a expansão industrial das oito usinas do grupo, que processa 21 milhões de toneladas de cana por ano. Em açúcar e bioenergia, o Brasil é o lugar ideal para se investir”, disse Weisser.

No fim de novembro, Parente,  CEO da Bunge no Brasil, reforçou a posição de Weisser, durante a inauguração da usina de etanol Pedro Afonso, no interior do Estado de Tocantins. “Cerca de 80% desse valor é destinado a dobrar o tamanho dos negócios do grupo em biocombustíveis, tamanha a nossa aposta no segmento”, afirmou o executivo. Além de se tratar de um importante avanço no campo dos combustíveis verdes, a decisão de reforçar os investimentos no Brasil e ampliar a diversificação com a compra da ALE, é uma forma de compensar a desaceleração no mercado interno das vendas da Bunge, em queda desde 2009, quando o seu faturamento chegou a US$ 15,4 bilhões. No ano passado, as receitas haviam caído para US$ 14,7 bilhões e a previsão é de que fiquem em torno de US$ 14,3  bilhões em 2011. Neste ano, todas as áreas de atuação da companhia, com exceção de fertilizantes, registraram resultado negativo até o terceiro trimestre.

A companhia, hoje a terceira maior produtora de etanol do país, ampliará em 50 mil hectares sua lavoura no Brasil

O pior desempenho foi observado na área de açúcar e bioenergia, que registrou Ebit (ganhos antes de impostos e taxas) negativo de US$ 43 milhões. Mesmo assim, a empresa resolveu reforçar-se nessa área e já decidiu ampliar em 50 mil hectares suas lavouras de cana-de-açúcar na próxima colheita, garantindo o abastecimento de matéria-prima para suas usinas, ao mesmo tempo em que amplia seu poder de fogo na distribuição de etanol e biodiesel. “Mesmo em um quadro de menor crescimento econômico, o mundo precisa de ofertas adicionais de culturas, de modo que os preços devem permanecer em níveis atrativos”, justificou o CEO mundial, Weisser. O desempenho da subsidiária brasileira se deu na contramão do grupo. No terceiro trimestre deste ano, por exemplo, a Bunge registrou um faturamento de US$ 15,6 bilhões, contra  US$ 11,6 bilhões em igual período do ano passado. Em 2010, o resultado mundial da Bunge atingiu a cifra de US$ 45,7 bilhões, com 30 mil funcionários e 150 unidades industriais no mundo. No ano anterior, as receitas haviam somado US$ 41,9 bilhões.

O fortalecimento da Bunge na indústria de distribuição de combustíveis virá em boa hora, especialmente para o etanol. Projeções da União da Indústria de Cana-de-açúcar (Unica) apontam que o Brasil terá de investir R$ 156 bilhões na construção de 120 novas usinas até 2020 para conseguir manter sua participação no comércio mundial de açúcar e para atender, no mínimo, a 50% da frota flex com etanol hidratado – hoje atende a 36%. Atualmente, o Brasil responde por 25% da produção mundial de açúcar e por 50% das exportações globais do produto, números que deverão aumentar de forma significativa em uma década. A atual moagem brasileira, de 550 milhões de toneladas de cana, deve duplicar para 1,2 bilhão até 2020. “O monopólio da Petrobras no refino de combustível e o fato de o Brasil controlar o preço da gasolina e do diesel está deixando o setor de distribuição, especialmente o de etanol, cada vez mais atrativo para as estrangeiras investirem”, afirma Adriano Pires, diretor do Centro Brasileiro de Infraestrutura (Cbie).

O presidente da Ale, Marcelo Alecrim, manteve sua fatia de 24% , mas terá de passar o comando a um executivo da Bunge

O ousado plano de verticalizar as operações no Brasil aparentemente tem seus riscos calculados pela Bunge. Em um passado não muito remoto, o grupo chegou a ser um dos maiores e mais diversificados conglomerados industriais do País. Os negócios iam de seguros (Vera Cruz Seguradora, comprada pela espanhola Mapfre), passando pelo têxtil (Santista), cimentos (Serrana), química e até imobiliário. A empresa foi a incorporadora do Centro Empresarial de São Paulo, na capital paulista. Na primeira metade dos anos 1990, porém, a empresa, em crise, sofreu um processo de emagrecimento, e se concentrou basicamente em alimentos e commodities. O fato é que, nas últimas décadas, poucas companhias souberam pulverizar suas marcas tão bem quanto a Bunge. Seu nome não é conhecido no varejo, mas é dona de marcas tradicionais nos lares brasileiros. Entre elas estão as margarinas Delícia e Primor, o óleo de soja Soya, o azeite de oliva Andorinha, além dos produtos conhecidos no campo, como os fertilizantes Serrana, Manah e IAP.

Com a aposta da Bunge na indústria dos biocombustíveis, a compra da ALE tende a turbinar as operações brasileiras da companhia. As oito usinas da empresa processarão aproximadamente 30 milhões de toneladas de cana-de-açúcar em 2012, quase 50% acima do esmagado neste ano. “Há sinais de que o governo, nos próximos anos, terá de estimular o setor de etanol, visto que a concorrência com a gasolina, que tem preço controlado, nos prejudica demais”, diz o presidente da Unica, Marcos Jank. Atualmente, os tributos representam 35% do preço da gasolina e 31% do preço do etanol. “Ao receber um tratamento tributário mais justo, o setor de etanol irá disparar, e, por consequência, as empresas que hoje estão no mercado vão crescer junto.” Procuradas, a Bunge e a ALE não comentaram a negociação.
-Colaborou Marcio Orsolini

18 de dezembro de 2011 às 10:13

Definido apoio em Natal, Rosalba dará início à reforma para acomodar aliados [0] Comentários | Deixe seu comentário.

A definição da governadora Rosalba Ciarlini pelo apoio a uma candidatura em Natal – tudo leva a crer que será o deputado Rogério Marinho, como o primeiro-damo Carlos Augusto Rosado anunciou o desejo – é o start que precisa para que a Rosa Gove dê início à reforma político-administrativa que o Blog adiantou há quase um mês.

Rosalba espera fechar os acertos políticos para depois fechar a reforma, onde terão espaços os new aliados que estarão com ela tanto em 2012 quanto em 2014.

Alguns auxiliares com DNA mossoroense podem estar com dias contados, pois assumiram com o título – sem divulgação, please – de interinos.

São pessoas que estão com Rosalba ‘para o que der e vier’, e jamais vão estribuchar se perder o emprego.

Pode até estrebuchar, mas vai dizer que está tudo muito do ótimo.

Para a reforma, mais PMDB?

E o PR do deputado João Maia?

E o PP de Sérgio Andrade?

A reforma deverá acontecer até março. No máximo.

Com

18 de dezembro de 2011 às 9:45

Pesquisas do Sinduscon não terão vínculo com veículos de comunicação [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Perfeita a estratégia do presidente do Sinduscon, Arnaldo Gaspar Júnior, para contratação e divulgação de pesquisas eleitorais em Natal.

A cada uma das 5 pesquisas contratadas ao Instituto Consult, Arnaldo vai reunir a imprensa para, na presença de jornalistas de todos os veículos, abrir os envelopes e divulgar os números.

Sem vínculo com veículos de comunicação – jornais, rádios e TVs – o Sinduscon se livra de vincular a pesquisa a algum candidato.

Portanto, os resultados serão anunciados para todos os veículos de uma vez só.

Nos bastidores das campanhas, muitos insatisfeitos…tentando já criar rótulos em torno do instituto….e tentam adiantar números…

 

18 de dezembro de 2011 às 9:44

Sinduscon atrai parcerias e revitaliza o calçadão de Ponta Negra [2] Comentários | Deixe seu comentário.

E o presidente do Sinduscon vai entregar, no próximo dia 24, um feito inédito em Natal.

Com parceria de 12 empresas privadas, o presidente do sindicato da construção civil, Arnaldo Gaspar Júnior, vai entregar o calçadão da praia de Ponta Negra totalmente limpo, pintado, com lixeiras…

No dia 22 o Sinduscon reunirá a imprensa para apresentar o projeto.

18 de dezembro de 2011 às 9:01

Inscrições para concurso do INSS começam amanhã [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Já publicado no Diário Oficial da União o Edital do concurso do INSS, que, como já havia declarado o ministro Garibaldi Filho, abrirá 1.875 vagas, sendo 1,5 mil para Técnico do Seguro Social, exigido nível médio, e 375 vagas para Perito Médico Previdenciário.

O concurso será realizado pela A Fundação Carlos Chagas e as inscrições serão abertas nesta segunda-feira a partir das 10h, se encerrando no dia 11 de janeiro de 2012.

Os interessados em se inscrever devem entrar no site da organizadora (www.fcc.org.br) ou procurar os locais de inscrição indicados no edital.

As inscrições para o cargo de Técnico do Seguro Social custam R$ 51,70 e as de Perito Médico R$ 61,70.

 

18 de dezembro de 2011 às 8:10

Colunista da Época diz que Planalto patrocina surgimento de adversário para Henrique na disputa pela presidência da Câmara [1] Comentários | Deixe seu comentário.

Da coluna Primeiro Plano assinada pelo jornalista Felipe Patury, na revista Época que está nas bancas.

Do Blog – Nenhuma surpresa para o Blog que vem escrevendo sobre esse assunto, exatamente assim como está publicado, há muuuitos meses.

 

18 de dezembro de 2011 às 7:20

Estilista potiguar no Rio Fashion Business [0] Comentários | Deixe seu comentário.

A estilista Luciana Mamede, que recentemente abriu a LU, na Afonso Pena, em Natal, levará sua grife Anna Marcolina para o Rio Fashion Business – evento paralelo ao Fashion Rio.

Como integrante do projeto “Natal Pensando Moda”, em parceria com o Sebrae, a grife potiguar levará sua coleção ao centro de negócios já sexta vez.

Na coleção Outono/Inverno 2012, a inspiração veio das inscrições rupestres do sítio arqueológico de Serra Verde, no município de Cerro Corá, interior do Rio Grande do Norte.

DNA da coleção: crochê e outros trabalhos artesanais.

 

 

18 de dezembro de 2011 às 7:00

D’Amis na rede [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Em tempos de moda na rede mundial de computadores, a natalense Marluce Bezerra lançou o site de sua D’Amis: www.damis.ind.br

Com os modelitos-dicas para presentes de Natal como as camisas Dudalina e os anéis gigantes, febre do momento.

Roupas...

E acessórios...

 

Wood’s Bar

18 de dezembro de 2011 às 6:31

Marina Elali emplaca mais uma música em novela da Globo [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Do Globo Online:

MÚSICA DE MARINA ELALI EMBALA SUCESSO DE CELINA E LOURENÇO

 Aos 29 anos, a cantora Marina Elali acaba de emplacar mais um sucesso. A canção “Atrás da Porta” embala o conturbado casal  Celina(Leona Cavalli) e Lourenço (Leonardo Medeiros), de A Vida da Gente.

O clássico da MPB, de autoria de Francis Hime, foi gravado pela cantora para o seu primeiro DVD, “Longe ou Perto”, tendo sido indicada pelo diretor Jayme Monjardim para compor a trilha da novela. Marina Elali conta que está encantada pela trama, em especial, claro, pelo núcleo de Celina e Lourenço.

“Acho que a música combina muito com a história da Celina, que se separou depois de o marido aceitar R$ 1 milhão para doar sêmen. É uma questão muito delicada. A gente só sabe o que faria se realmente estivesse vivendo a situação. Eu torço para a Celina perdoar o Lourenço”, ressalta.

Em visita ao Projac, a cantora matou um pouco da saudade de quando participou doreality show Fama, em 2004. Marina Elali aproveitou a ocasião para conhecer a cidade cenográfica de A Vida da Gente, que retrata as cidades de Porto Alegre e Gramado, no Rio Grande Sul. Adepta do sol e das praias de Natal, capital do Rio Grande do Norte, onde ela nasceu, Marina confessa que também curte um friozinho.

“Eu tive a oportunidade de conhecer Gramado, mas não passei o Natal lá. Já soube, inclusive, que tem o Natal mais bonito do Brasil. Eu amo o Sul do Brasil, o povo de lá, mas, em especial, adoro o sotaque e o frio da terra”, comenta.

 Durante a visita ao Projac, Marina Elali também foi aos estúdios de gravação da novela, onde assistiu a uma cena de Alice(Sthefany Brito), Suzana (Daniela Escobar) eCícero (Marcelo Airoldi). Feliz com o momento da carreira, a cantora comenta a importância de emprestar sua voz a outra trilha sonora de novela:

“É a oportunidade de mostrar o trabalho, a voz para o Brasil inteiro, por meio da novela. As pessoas se envolvem com os personagens, e, por isso, a música tem uma abrangência muito maior”, ressalta.

A cantora lembra que, durante a novela Páginas da Vida, viveu bons momentos com a consagração da música “One Last Cry”. O sucesso da canção foi tamanho que lhe rendeu a conquista do Disco de Ouro. Coincidentemente, Fernanda Vasconcellos também era protagonista na trama.

18 de dezembro de 2011 às 1:50

PT contra acordo com PMDB ou com Henrique? [0] Comentários | Deixe seu comentário.

De Cláudio Humberto, na Tribuna do Norte de hoje:

18/12/2011 | 00:00
SE BOBEAR, HENRIQUE ALVES PERDE A PRESIDÊNCIA
A escolha de Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) como sucessor de Marco Maia (PT-RS) na presidência da Câmara dos Deputados não é uma questão fechada, apesar do acordo (por escrito) firmado entre os dois partidos. Foi isso o que insinuou o próprio Maia a jornalistas, esta semana. O desejo de inviabilizar o projeto de Alves cresce no PT na mesma proporção que aumenta a popularidade da presidenta Dilma.
ROLO COMPRESSOR
“Desde a campanha, sempre que Dilma cresce nas pesquisas, o PT tenta ‘patrolar’ a gente”, lembrar importante líder do PMDB.
DISCURSO PADRÃO
Para o líder do PT, Paulo Teixeira (SP), só o próprio PMDB pode inviabilizar Henrique Alves. “O PT está firme no acordo”, desconversa.
MANGAS DE FORA
Atual vice, Rose de Freitas (PMDB-ES) adverte que eleição para presidente da Câmara “é uma disputa, não um processo automático”.
MÁ INFLUÊNCIA
Contrário “a vala comum de Eduardo Cunha”, Osmar Terra (RS) diz que Henrique Alves terá apoio descolando-se do deputado fluminense.
Do Blog – A vice-presidente da Câmara, Rose de Freitas, é forte candidata a ocupar o lugar de Henrique na disputa pela presidência. Ela aposta na mesma sorte que teve o atual presidente Marco Maia. Era vice, fora de cogitação para a disputa e terminou presidente.
Os que firmaram acordo…dançaram.

18 de dezembro de 2011 às 0:52

Camarotes da Arena do Dragão já estão quase todos vendidos [4] Comentários | Deixe seu comentário.

Hermano, ao lado de Alex Padang, apresentando o mega-projeto

Ainda na presidência do América FC, antes de ser substituído pelo presidente eleito Alex Padang, o prefeitável Hermano Morais apresentou o projeto do estádio Arena do Dragão, em Parnamirim – estádio do América – com um saldo pra lá de positivo: dos 128 camarotes projetados, 105 foram vendidos.

O projeto do arquiteto Ricardo Dantas deverá começar a ser executado no primeiro semestre do próximo ano e a previsão é de seja inaugurado primeiro para receber 5 mil torcedores, e para 2013, a previsão dobra para 10 mil lugares.

As maquetes eletrônicas apresentadas foram desenvolvidas por Leonardo Somenzari Cardoso.

-Com informações e fotos do www.americadenatal.com.br

Perspectiva do estádio (Reprodução do site oficial do América)

Vista do camarote

18 de dezembro de 2011 às 0:31

Ministro e governadora no fã-clube de Caetano Veloso [3] Comentários | Deixe seu comentário.

Noite de sábado se encerrando e a governadora Rosalba Ciarlini e o ministro Garibaldi continuam juntos.

Os dois chegaram de Brejinho, correram para dar um up no visual, e foram ao Teatro Riachuelo, que comemorou um ano com show de Caetano Veloso e Maria Gadu.

Com direito a momento fã-clube no camarim como registrou a blogueira Laurita Arruda em seu twitter.

Detalhe: enquanto Garibaldi se preparava para elogiar Caetano, recebeu foi elogios do cantor famoso. Elogios sobre a entrevista do ministro às páginas amarelas da revista Veja.

Caetano e Rosalba (Fotwitters @LauritaArruda)

Garibaldi, Caetano e os donos da casa, Flávio Rocha e Anna Cláudia

 

18 de dezembro de 2011 às 0:16

Rosalba em Parnamirim com Gilson Moura e Maurício Marques [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Depois de prestigiar a formatura do Proerd na zona Norte de Natal, neste sábado, a governadora Rosalba Ciarlini foi à formatura dos estudantes de Parnamirim.

Festão que encheu de gente a frente da Câmara Municipal, e que reuniu em torno da Rosa, governo e oposição.

Basta ver pelas fotos…

Em um momento a Rosa seguida pelo deputado Gilson Moura (PV), ex-candidato a prefeito e prefeitável, e em outro ao lado do prefeito-prefeitável Maurício Marques (PDT)…

Gilson colando em Rosalba (Fotos: Demis Roussos)

E a governadora com o prefeito Maurício Marques

 

 

18 de dezembro de 2011 às 0:14

Rosalba e Garibaldi participam de inaugurações em Brejinho [0] Comentários | Deixe seu comentário.

E a noite de sábado da governadora Rosalba Ciarlini foi ao lado do ministro Garibaldi Filho, no município de Brejinho.

Na festa de inauguração do primeiro teatro municipal da região Agreste e de uma creche para crianças de 0 a 6 anos.

Garibaldi colheu os louros do Teatro Municipal Sinézio José Chacon, construído com repasse de uma emenda apresentada por Garibaldi quando estava no Senado.

A creche também foi construída com verba federal.

Rosalba e Garibaldi em Brejinho (Foto: Demis Roussos)

 

18 de dezembro de 2011 às 0:11

Sucessão em Natal: Garibaldi X Rosalba [0] Comentários | Deixe seu comentário.

E o ministro Garibaldi Filho que tem colado na governadora Rosalba Ciarlini, garante que o fato dos dois não estarem no mesmo palanque na sucessão de Natal, não significa rompimento, já que os dois estarão juntos em vários palanques de municípios do interior do Rio Grande do Norte.

Em Natal, Garibaldi estará no palanque do deputado-prefeitável Hermano Morais (PMDB), e Rosalba, pelo que declarou o primeiro-damo Carlos Augusto Rosado, deverá subir no palanque do deputado-prefeitável Rogério Marinho (PSDB).

E para quem ainda acha que o PMDB pode abrir mão do projeto para se aliar ao candidato governista, eis declaração de Garibaldi ao JH neste sábado:

“Nós do PMDB temos um compromisso com um cidadão chamado Hermano Morais”.

Hermano e Rogério disputam um terceiro lugar nas pesquisas, lideradas pelo ex-prefeito Carlos Eduardo Alves (PDT) – sonho de Garibaldi – e seguida pela ex-governadora Wilma de Faria (PSB).