Thaisa Galvão

21 de dezembro de 2011 às 22:45

Governadora e prefeita saúdam novo arcebispo de Natal [0] Comentários | Deixe seu comentário.

A governadora Rosalba Ciarlini e a prefeita de Natal, Micarla de Sousa, repercutiram hoje a nomeação, pelo Papa Bento XVI, de Dom Jaime Vieira da Rocha para assumir a Arquidiocese de Natal em substituição a Dom Matias Patrício.

Rosalba parabenizou Dom Jaime pelo telefone. “Fiquei muito feliz em saber da escolha do senhor. Agora que está voltando à sua terra, quero caminhar ao seu lado. Vamos fazer boas parcerias”, reforçou Rosalba.

Micarla emitiu nota dando as boas vindas ao novo arcebispo.

“A Arquidiocese de Natal ganha ao ter como novo representante um homem íntegro que vive a palavra de Deus e que certamente arrebanhará mais fieis para a Igreja Católica em Natal. Faço votos que Dom Jaime conduza com sabedoria os novos rumos da igreja”, declarou Micarla, enaltecendo o papel do religioso que deixa o cargo.

“Dom Matias é um pastor admirável e sempre foi incansável na propagação da fé em Deus e dos atos de amor e solidariedade ao próximo. O trabalho realizado por ele na Arquidiocese de Natal certamente fincou raízes e será perpetuado por Dom Jaime”, completou a prefeita.

21 de dezembro de 2011 às 22:17

Cid Arruda e Robinson Faria juntos em Nova Cruz [2] Comentários | Deixe seu comentário.

Depois de um longo tempo afastados, eis que o ex-prefeito-prefeitável Cid Arruda e o vice-governador Robinson Faria estão juntos neste momento no município de Nova Cruz, participando da confraternização de natal da rádio Agreste.

Cid estava afastado de Robinson desde que, ainda no começo da atual gestão estadual, rompeu com a governadora Rosalba Ciarlini.

Quando questionado sobre as pazes com Robinson, Cid deixa claro que havia rompido com o governo, e como Robinson, apesar de vice-governador, não representa o governo….

E o vice-governador Robinson Faria voltou a fazer valer o apelido de Andarilho.

Ontem foi a Apodi, hoje está em Nova Cruz e amanhã tem agenda em Monte Alegre.

 

21 de dezembro de 2011 às 22:16

Aliado de Robinson ausente da Vice-Governadoria [8] Comentários | Deixe seu comentário.

E a pergunta que não quer calar nos corredores da vice-governadoria.

Por onde anda Faustinho, o ex-prefeito de Serra Caiada, ocupante do cargo de secretário-geral da Vice, que não tem aparecido para trabalhar?

Há quem garanta que Faustinho se aproximou da Governadoria e estaria prestes a se afastar de Robinson, apesar de estar filiado ao PSD.

Mas até agora ele não entregou o cargo.

Hoje Robinson reuniu os funcionários da Vice para um almoço de confraternização natalina no restaurante Camarões.

Faustinho foi a ausência sentida.

Mas mandou um recado para o vice-governador: disse que estava em Recife, que estava tudo OK, e que segunda-feira apareceria para lhe dar um abraço de feliz natal….depois do natal…

Robinson cumprimentando os servidores da Vice-Governadoria (Fotos: Márlio Forte)

Confraternização: faltando um

 

21 de dezembro de 2011 às 22:13

Serra Caiada: Socorro ou Faustinho? [10] Comentários | Deixe seu comentário.

O que se sabe em Serra Caiada é que a mulher do ex-prefeito Faustinho, Socorro, será candidata à prefeita do município.

Fonte do Blog que circula pela BR que liga Natal a Caicó, e passa por Serra Caiada, afirmou que o candidato mesmo será Faustinho, e não Socorro.

Convém aguardar.

 

21 de dezembro de 2011 às 22:03

Teledata: Abelardo Rodrigues lidera pesquisa em Alto do Rodrigues [1] Comentários | Deixe seu comentário.

O instituto Teledata concluiu hoje pesquisa realizada no dia 18, em Alto do Rodrigues, onde ouviu 252 eleitores, sobre as eleições municipais do próximo ano.

Na pesquisa estimulada, eis o resultado quando o entrevistador queria saber em quem o entrevistado votaria para prefeito se a eleição fosse hoje:

Abelardo Rodrigues (DEM) – 48,02%

Eider Medeiros (PMDB) – 26,98%

Oliveira (PV) – 5,56%

Indecisos – 9,52%

Brancos-Nulos – 4,37%

Não sabem – Não responderam – 5,56%

A pesquisa também mediu os índices de rejeição dos pré-candidatos quando quis saber em quem o eleitor não votaria de jeito nenhum.

Eider Medeiros – 32,94%

Oliveira – 15,48%

Abelardo Rodrigues – 13,49%

Não sabem – Não responderam – 38,10%

O instituto também quis saber dos eleitores de Alto do Rodrigues como eles classificam a administração do prefeito Eider Medeiros. Eis o resultado:

Regular – 31,35%

Péssima – 25%

Boa – 16,67%

Ruim – 16,67%

Não sabem – Não responderam – 2,78%

 

 

21 de dezembro de 2011 às 21:24

Rosalba e Sandra Rosado com Dilma em Brasília [2] Comentários | Deixe seu comentário.

Cada vez mais unidas…

Hoje em Brasília, lá estavam a deputada-líder Sandra Rosado (PSB) com a governadora Rosalba Ciarlini (DEM), na cerimônia de contratação de 1.114 obras de saneamento do PAC 2, em 1.116 municípios com até 50 mil habitantes.

A solenidade, que contou com a presença da presidenta Dilma Rousseff, aconteceu no Palácio do Planalto.

Sandra é mãe da deputada-prefeitável Larissa Rosado, líder nas pesquisas em Mossoró.

Rosalba, mossoroense, ainda não tem candidato à sucessão da prefeita Fafá Rosado.

E na cerimônia com presença da presidente Dilma Rousseff, um encontrinho rápido, pose para fotos…

Rosalba, Dilma e Sandra

Rosalba com Sandra na cerimônia do PAC 2

21 de dezembro de 2011 às 18:35

Kalazans Bezerra nega participação nos contratos de aluguel [0] Comentários | Deixe seu comentário.

A CEI dos Contratos pegou fogo hoje.

Primeiro, com o depoimento do chefe da Casa Civil, Kalazans Bezerra.

Que primeiro se atrapalhou, e em vez de 8h30, como estava marcado, só chegou às 11 horas.

Durante todo o depoimento e respostas a questionamentos dos vereadores, Kalazans negou que tenha tido qualquer ingerência em relação ao contrato de aluguel do Novotel Ladeira do Sol, para funcionamento das Secretarias de Saúde e de Educação.

Uma acareação chegou a ser sugerida entre Kalazans e o ex-secretário de Saúde Thiago Trindade.

Quando depôs, Thiago declarou que todos os contratos – em se referindo à pasta da Saúde – foram feitos em comum acordo com o gabinete da prefeita.

No caso, com participação do chefe de gabinete.

E o depoimento todo foi de negativas e negações.

 

21 de dezembro de 2011 às 18:34

CEI tenta encontrar caixa-preta na comunicação da Prefeitura ao ouvir secretário [1] Comentários | Deixe seu comentário.

Mas o depoimento que esquentou o plenário da Câmara mesmo foi o do jornalista Jean Valério, secretário de Comunicação da Prefeitura.

Os vereadores queriam porque queriam saber a quem e quanto a Prefeitura paga para divulgar notícias boas da gestão.

O secretário abriu a planilha para mostrar que não há caixa preta.

Nem há necessidade, pois quando uma empresa de comunicação, seja ela a InterTV Cabugi, a Tribuna do Norte, o Novo Jornal ou este Blog, recebe por um anúncio, emite nota fiscal e paga imposto à Receita Federal.

Portanto, longe de fazer parte de uma caixa preta.

A vereadora Júlia Arruda ainda tentou questionar diferenças de tabelas entre um veículo e outro.

Mas aí ela, que antes de se eleger vereadora atuava como publicitária, sabe mais do que ninguém que as TVs Ponta Negra, Tropical e Band nunca chegaram a receber, por um mesmo anúncio, nem perto do que recebe a InterTV Cabugi, afiliada da Globo e dona da maior audiência do Estado.

Sabe que o jornal de sua família – o Novo Jornal – não tem a mesma tabela da Tribuna do Norte.

Sabe ainda mais – e na agência em que ela trabalhava, a Art&C, tem um departamento para atender contas privadas e outro de política – que uma tabela de veículo, qualquer que seja ele, tem preço diferenciado entre o setor privado, que paga em dia, e o setor público, que já inclui na conta os atrasos costumeiros. Nenhuma novidade para a vereadora publicitária.

Que sabe ainda que a diferença acontece também no setor publicitário. A agência que atende, por exemplo, ao governo do estado e a uma empresa, ao mesmo tempo, não tem uma tabela fixa para cobrar do governo o mesmo valor do que cobra a uma empresa.

Mas…CEI é CEI, e a intenção era descobrir a tal caixa preta…

 

21 de dezembro de 2011 às 18:33

Vereador Raniere Barbosa não vê improbidade em comunicação da Prefeitura [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Aberta a planilha da comunicação pelo secretário Jean Valério, eis que o auxiliar do governo municipal terminou seu depoimento recebendo elogios do vereador de oposição rasgada à prefeita Micarla de Sousa, Raniere Barbosa.

Para Raniere, a atitude do secretário comprovou que não há caixa preta.

O vereador disse que entendia de contabilidade, que conhecia a planilha, e que não havia ali nenhum indício de improbidade.

 

21 de dezembro de 2011 às 18:32

Aval isento [0] Comentários | Deixe seu comentário.

E apesar de críticas pessoais, o Blog também recebeu o aval  do vereador de oposição, Raniere Barbosa.

Quem em novembro passado, ainda um pouco distante do calor da CEI, enviou mensagem pelo telefone, que publico na íntegra:

Tenho lido seu Blog e quero parabenizá-la pela isenção política e imparcialidade jornalística. Esta foi a jornalista que conheci e passei a admirar com muito respeito. Parabéns.

 

21 de dezembro de 2011 às 18:31

Grito de enlameado não tem efeito [1] Comentários | Deixe seu comentário.

E uma frase qualificada que vale o dia: “Quando alguém que está toda enlameada lhe critica, saiba que você, naquele momento, cresceu ainda mais no conceito da vida. Credibilidade não se aplica a quem afirma, e deixa gravado para reafirmar, que para ser o que é na vida, compra pessoas e consciências”.

E o filósofo conclui: “Quem quiser que vista a carapuça”.
E eu acrescento: quando a moeda da política tem como base a roubalheira, o desvio de dinheiro público, a indicação, não de cargos, mas de empresas em troca dos 20%…quem trabalha com honestidade acaba virando vidraça.
E os outros posando de bons moços. Ou boas moças.

Ponto.

 

 

 

 

21 de dezembro de 2011 às 12:00

Feliz Natal [2] Comentários | Deixe seu comentário.

O Blog agradece mensagens de boas festas, presentes, sentimentos…e deseja que no Natal, assim como em todos os dias do ano, você, leitor, abra o coração e deixe que o Amor entre, e faça dele sua eterna moradia.

FELIZ NATAL para Erick Pereira, deputada Gesane Marinho, deputado João Maia, Câmara Municipal de Natal, Saulo Carvalho (Potigás), Lu Mamede, Prefeitura de Natal, Marluce Bezerra (D’Amis), Bebeto Torres, Oral Estética, Maurício Pandolphi, Nélio Júnior, João Batista (JB Cerimonial), Fecomércio, Cifrão Factoring, Programa RN Turismo, prefeito Nivaldo Alves (Lajes Pintadas), Idema, Cerne (Jean-Paul Prates), Assessoria de Imprensa da Semarh, ABIH-RN, Valério Mesquita, deputado Paulo Wagner, Gracioli Comunicação, Aldísio Silva, Rinaldo Barros, Danilo Bezerra (Biblioteca JK), Cláudia Santa Rosa (IDE), Ecoar Agência de Notícias, Edições Shalom, Michelle Tour, Planc Natal, Insider 2 Comunicações, ABTC, vereador Sérgio Andrade, Ceamo…

 

21 de dezembro de 2011 às 11:16

Lu Mamede na Caras [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Estilista que abriu loja com suas marcas próprias (LuMamede, Marcô e Anna Marcolina), Luciana Mamede ganhou espaço na revista Caras dessa semana.

Que registrou a inauguração da LU, na Afonso Pena.

21 de dezembro de 2011 às 10:30

Resíduos sólidos para 2012 [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Momento político na agenda da governadora Rosalba Ciarlini na terça-feira: o encontro com prefeitos da região do Seridó.

Na pauta, discussão sobre o Consórcio Público Regional de Resíduos Sólidos, previsto no Plano Estadual de Resíduos Sólidos que tem como objetivo gerir o sistema de aterro sanitário coletivo por região, promovendo o descarte correto do lixo produzido nos municípios.

O Consórcio do Seridó é composto por 25 municípios e será presidido pelo prefeito de Caicó, Bibi Costa.

A discussão ocorreu, o interesse por parte dos prefeitos, claro que existe…mas os prefeitos foram à Governadoria mesmo interessados em outro tema: reeleição.

Como será o apoio do governo aos candidatos…etc, etc…

Resíduos sólidos, muito sólidos….rumo a 2012.

Na retaguarda do encontrão, o secretário de Articulação com os Municípios, Esdras Alves e o presidente da Assembleia Legislativa, Ricardo Motta.

Pense num encontro que a governadora gosta (Fotos: Márlio Forte)

A discussão em torno do Plano de Resíduos Sólidos

E a conversinha tête-à-tête com os prefeitos

Sobre os resíduos de 2012

21 de dezembro de 2011 às 10:00

A preferência de Felipe Maia por Rogério Marinho [1] Comentários | Deixe seu comentário.

Do deputado ex-prefeitável Felipe Maia  (DEM) sobre o deputado-prefeitável Rogério Marinho (PSDB):

“Rogério é o candidato mais preparado para administrar Natal”.

Quem fala assim é porque não está mais na disputa.

 

 

21 de dezembro de 2011 às 9:57

Chefe de gabinete da Sesap pede exoneração [3] Comentários | Deixe seu comentário.

Quase candidata à deputada estadual nas eleições passadas – desistiu em cima da hora – Valéria Cavalcanti pediu exoneração do cargo de chefe de gabinete da Secretaria Estadual de Saúde.

Justificativa: quer se dedicar, integralmente, às atividades particulares.

Valéria é casada com o médico otorrinolaringologista Pedro Cavalcanti, que expandiu a clínica que leva seu nome por vários locais do RN.

 

21 de dezembro de 2011 às 9:30

Ingrid Betancourt, por Paulo Araújo [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O Blog reproduz, na íntegra e muito mais, entrevista feita pelo jornalista Paulo Araújo, diretor de Jornalismo da SimTV, com a ex-senadora colombiana Ingrid Betancourt, publicada pela revista Viver Bem.

Com um detalhe: as *duas últimas perguntas, que acabaram ficando fora da página por falta de espaço, são exclusivas do Blog.

As palavras de Ingrid ao jornalista emocionam. Mas elas são apenas o gostinho do que, certamente, é o livro da ex-senadora. Que eu vou correndo comprar.

Entrevista/Ingrid Betancourt

“LIBERDADE É PODER DECIDIR QUEM SOMOS”

Como a ex-senadora colombiana que ficou seis anos e meio sequestrada na selva amazônica transformou o inferno do cativeiro numa lição de vida, coragem e perdão

Por Paulo Araújo para Viver Bem

Uma vida segura e confortável, um segundo casamento feliz, dois filhos adolescentes, uma carreira política vitoriosa como senadora e uma campanha eleitoral que provavelmente a conduziria à presidência da Colômbia dali a poucos dias. Tudo ia muito bem na vida de Ingrid Betancourt quando, em fevereiro de 2002, aos 41 anos, ela e os membros da sua equipe foram sequestrados pelos guerrilheiros das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), organização terrorista que já havia matado outros 15 candidatos à presidência do país.

Obrigada a viver como nômade na selva amazônica colombiana em meio às condições mais degradantes que um ser humano possa imaginar durante seis anos e meio, Ingrid amargou o cotidiano infernal de um cativeiro que durou exatos 2 321 dias – a maioria deles acorrentada pelo pescoço às árvores da floresta – aprendeu a escutar a sua alma de forma quase monástica e foi libertada numa operação cinematográfica acompanhada por todo o mundo em julho de 2008. A partir daí, a mulher que um dia pensou em melhorar seu país por meio da política passou a rodar o mundo fazendo um relato dramático, assustador e revoltante dos anos como prisioneira das Farc por meio do que ela considera o maior veículo de todas as revoluções: a palavra.

No final de outubro, Ingrid Betancourt esteve em Natal para lançar o livro “Não Há Silêncio que Não Termine” (Cia das Letras) e contar aos participantes de um fórum de gestão como desenvolveu estratégias para escapar das garras do “diabo que vive na selva” planejando uma fuga impossível, tentando escapar diversas vezes, sendo invariavelmente recapturada pela guerrilha, faminta e perdida na selva. Nesta entrevista à VIVEM BEM, marcada por olhares de meiguice e cansaço, voz gentil e uma expressão corporal em que tudo parece frágil – além da lembrança de que nasceu no dia 25 de dezembro e por pouco não foi batizada com o mesmo nome da nossa cidade – Ingrid transmite uma lição de força para resistir, em meio à doença e à fome, ao desespero, e ensina: “os medos são os maiores presentes que podemos ter na vida”.

Viver Bem –  Qual foi a primeira sensação que a senhora teve ao se dar conta de que havia sido sequestrada?

Ingrid Betancourt – Nos primeiros dias, eu só pensava em fugir para reencontrar meu pai, que havia sofrido um infarto há três semanas, no hospital em Bogotá. Eu havia dado uma pausa na campanha para cuidar dele e, na minha cabeça. Muito pior do que aquela situação de privação de liberdade era o desespero de, talvez, não voltar a vê-lo com vida. Nos primeiros dias, minha família fez apelos pelo rádio para os guerrilheiros me soltarem, mas nada adiantou. Eles, inclusive, nos proibiram de ouvir o rádio. Um mês depois que fui sequestrada, na hora exata da captura, meu pai faleceu.

Viver Bem – Como a senhora ficou sabendo?

Ingrid Betancourt – Muito tempo depois. Nossa alimentação era somente farinha e feijoca (uma semente de uma flor parecida com feijão), água e açúcar. Certo dia, eles trouxeram repolho cozido envolto num jornal. Louca por notícias do mundo aqui fora, desembrulhei o repolho, alisei o jornal no colo e me deparei com a foto de um padre, rodeado por jornalistas, e a legenda abaixo: consternação pela morte do pai da senadora Ingrid Betancourt. Não sei como não morri naquele momento. Eles fizeram de propósito.

Viver Bem – E a partir daí?

Ingrid Betancourt – Passei o primeiro ano todo sem dormir, passando pelo sono durante poucos minutos e tendo sempre o mesmo pesadelo: eu era uma menina que ia levando o meu pai pela mão para um hospital, até chegar num taxi. Acordava nesse ponto. Durante esse período tinha a esperança de que fossem me resgatar, mas a partir do segundo ano fui tomando consciência de que estava no meio da selva, completamente perdida, sem saber como e para onde fugir.

Viver Bem – Mas a senhora tentou fugir várias vezes. Como se preparava?

Ingrid Betancourt – Antes de uma das fugas, aprendi a beber água barrenta de um rio para provar a mim mesma que sobreviveria aos parasitas quando fugisse. Colecionei restos de isopor que vinham em caixas de remedios para fabricar bóias e nao ter de nadar no rio o tempo todo, além de ficar longe das margens, onde estavam os jacarés. Numa dessas várias tentativas de fugas frustradas, recebi como castigo ficar com uma corrente de ferro pesada no pescoço, amarrada numa árvore. Durante meses ficava nessa situação, proibida de falar com qualquer companheiro, obrigada a fazer as necessidades fisiológicas na frente dos guardas.

Viver Bem – A senhora teve medo de morrer?
Ingrid Betancourt – Sim, a morte foi uma companhia constante, todos os dias. Aprendi que ela, mesmo sendo uma coisa negativa, é o que nos faz humanos. Todos os dias, me perguntava: por que a mim? Por que tenho que morrer aqui? Mas aí fui, lentamente, aprendendo que a liberdade é a condição fundamental e indispensável para a dignidade humana. E passei a lutar por ela com todas as minhas forças. Não queria mais morrer. Me apeguei a isso.

Viver Bem – O que acontece ao ser humano que é submetido a tantos anos de cativeiro?

Ingrid Betancourt – Perdem todo o sentido de solidariedade e se engalfinham em disputas por um pedaço de queijo, um comprimido de vitamina C e até um lugar para armar uma rede.

Viver Bem – Do que a senhora mais sentia falta do mundo aqui fora?

Ingrid Betancourt – Coisas simples como sentir um cheio de um perfume, abrir uma geladeira ou usar um sapato de salto alto. Por outro lado, cada vez que hoje eu sinto cheiro de mata recém-cortada ou escuto barulho de helicóptero preciso correr ate o banheiro para vomitar.

Viver Bem – Sua libertação virou uma causa mundial e os terroristas das Farc tinham consciência disso. Em que medida isso ajudou ou atrapalhou sua integridade física?

Ingrid Betancourt – Os terroristas estavam sempre em fuga do Exército colombiano e isso nos obrigava a estar sempre mudando o local do acampamento. Caminhávamos horas, dias, semanas, meses, escoltados por um comandante cruel, que sentia prazer em matar um animal bonito como um papapaio e dizer: “aqui eu mato quem eu quiser”. No meu caso, não havia qualquer preocupação em me manter viva, pois fui submetida a castigos como levar coronhadas de fuzil nas costas, ser jogada na lama…Numa das mudanças, eu estava muito debilitada pela hepatite e não conseguia caminhar. Fui carregada numa rede por dois guerrilheiros que faziam questão de balançá-la contra galhos e espinhos. Por outro lado, a guerrilha permitiu que eu enviasse poucas cartas à minha família e gravaram vídeos como prova de que eu estava viva. Esses foram os únicos resquícios do mundo aqui fora de que eu continuava viva. Só sobrevivi por que Deus quis. Estou em Natal por causa dele.

Viver Bem – Falando em religião, como a senhora manteve o seu espírito tranquilo?

Ingrid Betancourt – Os dois únicos livros que me deixaram ter no cativeiro foram um dicionário e uma Bíblia. Neste segundo, que é realmente o maior livro do mundo, encontrei toda força necessária para sobreviver. Nunca perdi minha fé. Cheguei a confeccionar um terço com restos de botão de um uniforme militar e barbantes e estava sempre conectada com Deus. Rezava muito, pois aprendi que Deus, ao criar o mundo, tomou uma decisão fundamental: nos fazer livres.

Viver Bem – E o que é a liberdade para a senhora?

Ingrid Betancourt – É a possibilidade de decidirmos quem somos. No cativeiro, começaram a nos chamar por números e todos os dias, na hora da contagem dos prisioneiros, tínhamos que dizer: “1, 2, 3”. O meu era o 10. Até que um dia tomei coragem e disse: “Ingrid Betancourt”. Aquilo provocou uma revolta imensa no comandante mas foi minha primeira reação de coragem: dizer o meu nome verdadeiro, quem eu era. “Ingrid Betancourt, Ingrid Betancourt”. E os outros prisioneiros passaram a fazer isso também. Nos libertamos, primeiro, ao dizermos o nosso nome. Já que eu não podia defender meu corpo, defendia minha alma.

Viver Bem – Como a senhora lidou com o medo de morrer?

Ingrid Betancourt – No começo, como já disse, meu medo não era do sequestro em si, mas da possibilidade de não ver mais meu pai com vida, o que acabou acontecendo. Depois, passei a ser confrontada com aquilo que foi sendo o maior temor, à medida que os anos passavam, que era o terror da privação de liberdade. E é importante respeitarmos os nossos temores. Eles não podem ser ignorados. Os medos são os maiores presentes da nossa vida, pois nos dão a oportunidade de nos vermos de frente e pensar: “e agora?”.

Viver Bem – Como foi retomar sua vida aqui fora depois da libertação?

Ingrid Betancourt – Os cinco minutos que se passaram dentro do helicóptero no trajeto entre a selva e a primeira cidade que encontramos foram como séculos para mim, depois de seis anos e meio de espera para ser libertada. Senti um terror imenso de encarar de novo a liberdade. Fugir, depois de seis anos e meio, implicava sair do conforto. Como iria encontrar meus filhos, que eu havia deixado com 16 e 13 anos? E o meu marido?

Viver Bem – Como ficou sua vida?
Ingrid Betancourt – Assim como todos os outros companheiro, acabei me divorciando do meu segundo marido e hoje vivo entre Nova York e Paris, onde moram meus filhos. Talvez pela experiência de constante mobilidade no cativeiro, hoje não consigo mais passar muito tempo no mesmo lugar. Brinco que a minha casa hoje é uma mala.

Viver Bem – O seu livro não fala de política ou ideologia. Por quê?

Ingrid Betancourt – Em “Não Há Silêncio Que Não Termine” procurei fazer um relato intimista, reflexivo, emocionado, às vezes até mesmo colegial do que foram aqueles dias. Durante doze meses, escrevi furiosamente das 8 da manhã às 4 da tarde, sem parar. Em alguns dias, as memórias eram tão dolorosas que eu não conseguia avançar.

*Viver Bem – A senhora foi uma das senadoras mais atuantes da Colômbia. Não pensa em voltar à política?

Ingrid Betancourt – Não. Passei por experiências tão recompensadoras nos anos de cativeiro que em lugar nenhum encontraria mais a realização que tive, em meio ao inferno do cativeiro, como aproveitar coisas simples como a beleza de uma lua cheia, vista no meio do rio durante uma das minhas tentativas de fuga.

Viver Bem – A presidente do Brasil, Dilma Roussef, também viveu a experiência do cativeiro durante a ditadura militar no Brasil. Como a senhora avalia a nossa presidente?

Ingrid Betancourt – Com muita admiração e respeito, pois ela nunca fez dessa condição de prisioneira uma espécie de vitimização pessoal. É uma líder que sabe enfrentar dificuldade como poucos, certamente.

21 de dezembro de 2011 às 9:29

Responsável pelo curso Abril de Jornalismo de férias em Natal [0] Comentários | Deixe seu comentário.

E o jornalista Paulo Araújo vai receber em Natal, a partir de domingo, a gerente de produção do Curso Abril de Jornalismo, o mesmo que Paulo fez e que o levou para a revista Veja durante alguns anos.

Wania Capelli atua na Abril há cerca de 30 anos, e já passou por várias funções, entre tantas, foi secretária do vice-presidente Victor Civita.

Ela escolheu Natal para passar o reveillon.

Deverá acompanhar Paulo à festa do InMare (Cyrela), na praia de Cotovelo.

 

 

21 de dezembro de 2011 às 7:50

Ricardo Motta na confraternização do PP [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O presidente do PP-RN, Sérgio Andrade, reuniu representantes do partido para confraternização de fim de ano.

Presença do prefeito de Assu, Ivan Júnior e do candidato a vereador de Natal, Rafael Motta.

Que garantiu a presença do presidente da Assembleia Legislativa, deputado Ricardo Motta (PMN).

Sérgio Andrade, Rafael Motta, Ricardo Motta e Ivan Júnior

Confraternização

21 de dezembro de 2011 às 7:20

Papa acaba de nomear Dom Jaime Vieira Rocha para ser o Arcebispo Metropolitano de Natal [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O potiguar Dom Jaime Vieira Rocha foi nomeado agora há pouco, pelo Papa Bento XVI, novo Arcebispo Metropolitano de Natal.

O Papa aceitou HOJE a renúncia do Arcebispo Metropolitano de Natal, Dom Matias Patrício de Macêdo, em conformidade com o Código de Direito Canônico, que recomenda que todo Bispo que complete 75 anos de idade deve apresentar renúncia ao cargo. Dom Matias completou 75 anos em 14 de abril de 2011, mês em que apresentou o pedido de renúncia ao Papa.

O Papa nomeou HOJE o Bispo de Campina Grande-PB, Dom Jaime Vieira Rocha, como o novo Arcebispo Metropolitano de Natal. A posse de Dom Jaime na Arquidiocese está marcada para o dia 26 de fevereiro, na Catedral Metropolitana de Natal.

A partir de hoje até o dia da posse, Dom Matias será o Administrador Apostólico da Arquidiocese de Natal.

Dom Jaime – Dom Jaime Vieira Rocha é natural de Tangará-RN, paróquia da Arquidiocese de Natal. Nasceu no dia 30 de março de 1947, filho de José Patrício de Melo e Maria Nini Rocha.  Estudou Filosofia e Teologia na Faculdade de Teologia Nossa Senhora da Assunção, em São Paulo-SP. É formado em Ciências Sociais, pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte – UFRN, e IBRADES, no Rio de Janeiro-RJ. Também fez o curso de Atualização para Formadores de Seminários, em Roma, Itália.

Foi ordenado Padre em Natal, no dia 1 de fevereiro de 1975. Foi nomeado Bispo da Diocese de Caicó-RN, em 29 de novembro de 1995. A ordenação episcopal aconteceu no dia 6 de janeiro de 1996, na Basílica de São Pedro, em Roma, na Itália, pelo então Papa João Paulo II. Escolheu como lema: “Scio Cui Crediti” (Sei em quem acreditei). Dom Jaime governou a Diocese de Caicó por nove anos – de 1996 a 2005. Em 2005 foi transferido para a Diocese de Campina Grande-PB, onde permaneceu até agora.

No período de 1997 a 2003, Dom Jaime foi o Bispo Referencial da Comissão Episcopal Regional para a Vida e a Família; de 2007 a 2008, acumulou o cargo de Bispo da Diocese de Campina Grande com o de Administrador Apostólico da Diocese de Guarabira-PB. Atualmente é o Bispo Referencial da Comissão Episcopal Regional para os Ministérios Ordenados e a Vida Consagrada, do Regional Nordeste 2; e membro da Comissão Episcopal para a Amazônia, da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil – CNBB.

Fonte: Arquidiocese de Natal