Holiday

Thaisa Galvão

8 de julho de 2012 às 0:53

A homenagem do vereador Edivan Martins a Ronaldo Cunha Lima [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Será neste domingo às 16 horas, no Cemitério Monte Santo, em Campina Grande, o enterro do ex-governador da Paraíba, Ronaldo Cunha Lima, que morreu de câncer na manhã deste sábado em João Pessoa.

O corpo de Cunha Lima já está sendo velado no Parque do Povo, em Campina, depois de ter sido velado no Palácio da Redenção, em João Pessoa.

Ronaldo Cunha Lima era Cidadão Natalense desde 2009.

Título que ele recebeu do presidente da Câmara, vereador Edivan Martins, que saudou o homenageado bem no estilo poeta de ser de Cunha Lima.

Abaixo, o texto de Edivan, para Ronaldo Cunha Lima, que o advogado-poeta Diógenes da Cunha Lima queria imortalizar…em um livro.

Edivan entregando título de Cidadão Natalense a Ronaldo (Foto: Elpídio Jr)

 

Saudação ao poeta Ronaldo Cunha Lima

 

EU NÃO SEI NEM POR ONDE COMEÇAR.
JÁ RABISQUEI O PAPEL E NÃO SAI NADA.
TÔ IGUAL CANTADOR DE EMBOLADA
QUANDO ENFRENTA INVENCÍVEL EMBOLADOR:
REZA TERÇO, ROGA PRA NOSSO SENHOR,
PRA QUE TUDO TERMINE NUMA RIMA,
JÁ IMPLOREI QUE A INSPIRAÇÃO CAIA DE CIMA,
ELA DISSE TUDO BEM: “SÓ UM REFRÃO.
VOU ABRIR PRA VOCÊ UMA EXCEÇÃO
PORQUE SE TRATA DE UM ILUSTRE CUNHA LIMA”
*
ERA NOITE DE RELÂMPAGO E TROVOADA.
A INVERNADA CLAREAVA A ESCURIDÃO.
DISTANTE SE ESCUTAVA UMA CANÇÃO:
UMA ZONA NA BEIRA DO RIACHO,
A SAPARIA EXAGERAVA NO COAXO,
CIGARRAS EM CORAL COM A GRILHARADA,
VIOLA, CONCERTINA, FORROZADA.
DE REPENTE PÁRA TUDO… ACABA A TROÇA.
SÓ A POEIRA E O CHIADO DA CARROÇA
NO ECOAR DOS PNEUS EM GEMEDEIRA.
COMO UMA DEUSA APIA DELA UMA PARTEIRA.
NASCE UM MENINO BEM DO BREJO, BEM DA ROÇA.
*
NÃO ERA TIÃO, NEM JOSÉ,
NEM ARTHUR, NEM MARCELO, NEM DIÓGENES,
TAMBÉM NÃO ERA SEVERINO, NEM DEMÓSTENES,
JOÃO CUNHA LIMA, O POETA, NEM COZETE,
NUNCA IVANDRO, PAI OU FILHO, OU ANIZETE,
CELESTINO, FERRERINHA OU TEOBALDO,
NÃO ERA CÁSSIO, MINERVINA OU CLODOALDO,
CLODOMIRO, JOÃO FURIBA OU PIRAUÁ,
NEM OTÍLIA, LOURINALDO OU ZÉ PREÁ,
MAS CUNHA LIMA COM PRENOME DE RONALDO.
*
COMO É BOM APRENDER COM A NATUREZA,
COM O CROCITAR MONOSSILÁBICO DA GARÇARADA,
COM SEU VOAR E PENDURAR NA GALHARADA,
COM O SILÊNCIO DO RIACHO BEM CEDINHO,
COM A LIMPIDEZ DO ARACAGI EM BOM CAMINHO,
COM O ESCALAR DA ALTA SERRA DA JUREMA,
COM O VISLUMBRAR DE LÁ, A ALTIVA BORBOREMA,
COM O EMBRENHAR NA CAATINGA DO SERTÃO,
COM A PROMESSA FEITA PRA FREI DAMIÃO,
COM O CURAR DAS RAÍZES MILAGROSAS,
COM OS VAQUEIROS E MATUTOS: BELAS PROSAS,
COM O REPENTE VEEMENTE DO CANTADOR,
COM AS MADRUGADAS ESTRELADAS DE AMOR,
COM O JURAR AMARRADO POR UMA EMBIRA.
ESSE MENINO DOS MONTES DA GUARABIRA
FEZ-SE POETA, EXÍMIO IMPROVISADOR.
*
A INFÂNCIA SOFRIDA E APERTADA
SEUS SONHOS INFANTIS NÃO FORAM BELOS,
ELE NÃO PÔDE SEQUER FAZER CASTELOS,
POIS SEU QUINTAL FALTAVA ATÉ AREIA.
COMO JONAS CONHECEU SUA BALEIA
E TRAGADO PELAS FORÇAS DO DESTINO
AS LEMBRANÇAS QUE GUARDA DE MENINO
É A MORTE DO PAI DEMÓSTENES, MUITO CEDO,
HERDOU COM ISSO O MEDO DE NÃO TER MEDO
E A CORAGEM DE NENZINHA – A MATRIARCA.
COMO NOÉ JUNTOU TODOS NUMA ARCA,
ERA MENINO… NUM SE CONTAVA NEM NOS DEDO.
*
FOI GAZETEIRO NAS MANHÃS DE CHUVA E SOL.
CADA MANCHETE GRITAVA SOBREVIVÊNCIA,
CADA GRITO REVELAVA A CIÊNCIA,
DO VIVER, DO RESISTIR, DO OBSTINAR,
DO SER MESTRE NA ARTE DE OUSAR,
DA BELA ARTE DE VENCER ADVERSIDADE,
BELA LUTA, MAGNÍFICA FACULDADE,
COROADA COM OUTRA NOBRÍSSIMA MISSÃO:
COM CERVEJA E TIRAGOSTO EM SUA MÃO
SEU IMPROVISO NUNCA MAIS O DEIXOU LISO,
POIS FOI GARÇOM LÁ DO BAR DE ALUÍSIO
ONDE APRENDEU A SERVIR SEM DISTINÇÃO.
*
SUA MÃE SEMPRE RÍGIDA E AMOROSA
ESCUTA DO FILHO ESFUZIANTE:
MINHA MÃE EU SOU BOM ESTUDANTE,
VEJA AQUI TIREI A NOTA PRATA
FUI SEGUNDO LUGAR, QUE COISA GRATA!
DONA NENZINHA DEU-LHE AQUELE OLHAR CERTEIRO:
ATÉ NAS AULAS VOCÊ QUER SER GAZETEIRO?
SEU RONALDO VOCÊ AGORA VAI ESCUTAR:
SE VOCÊ GOSTASSE DE ESTUDAR
EU GARANTO QUE VOCÊ ERA O PRIMEIRO.
*
QUANDO VIA SEU FILHO CHEGAR DA RUA
BEM MAGRINHO, COM OS JORNAIS JÁ AMASSADOS,
JÁ BEM ROUCO DOS GRITOS PROPALADOS
NAS ESQUINAS VENDENDO: OLHO O JORNAL.
DONA NENZINHA JÁ VIA O POTENCIAL
E DIZIA: “MEU FILHO AINDA VOU LER,
NESSE DIÁRIO QUE HOJE ANDAS A VENDER
MUITA NOTÍCIA, REPORTAGEM E COISA E TAL,
AS MANCHETONAS, COM LETRA GARRAFAL:
COISAS BOAS QUE AINDA VAIS FAZER.”
*
OS SONHOS DE MÃE LOGO VIERAM:
RONALDO JÁ É ADVOGADO
DEPOIS COMEÇOU A SER VOTADO
VEREADOR, DEPUTADO E DEPUTADO.
AINDA FICOU UMA DÉCADA CASSADO,
MAS O POVO QUANDO QUER… NÃO TEM JEITO
VOLTOU PRA CAMPINA E FOI PREFEITO
E DEPOIS O HOMEM DESEMBESTOU
FOI PRO SENADO E AINDA FOI GOVERNADOR
SÓ NÃO FOI MISS: PORQUE AÍ NÃO LEVA JEITO.
*
VIROU POETA PELAS RUAS DE CAMPINA
TAMBÉM: NASCEU ENTRE RAINHAS.
A DO BREJO, DA BORBOREMA E A NENZINHA.
E SE FEZ PRÍNCIPE DO ALTO DA JANELA.
AS RAPARIGAS ERAM SUA CINDERELA;
O SEU PALÁCIO: CABARÉS, BECOS E BARES;
SUA COROA: OS VERSOS POPULARES;
OS BÊBADOS: COMPETENTES CONSULTORES.
NO SEU TRONO, REINAVAM SEUS AMORES.
SUAS ARMAS: A POESIA E O VIOLÃO,
QUE CERTA VEZ LEVOU VOZ DE PRISÃO.
DECLAROU-SE GUERRA EM SEU REINADO.
RONALDO SACOU DE SEU RIMADO
E COM HABIAS PINHO FEZ DO PRESO UMA CANÇÃO.
*
SUA POESIA É FURNIDA IGUAL A COURO.
TEM A GRIFE DE ZEFA TRIBUTINA,
A BARROQUINHA NO ROSTINHO DA MENINA,
O DESVIO MENTAL DE JOANINHA,
DE BREU COM COLA, DA FEIRA DA FARINHA,
DO AMOR NO BEQUINHO ARROCHADO:
O DO EMBOCA, TEM HISTÓRIA… TEM PASSADO
E PRA TU TERES TANTAS LÁUREAS, LOURO E GLÓRIA,
TENS QUE PUXAR DESSE BECO A MEMÓRIA
E SENTIR QUE DO SUL E DO OESTE,
DO NORTE E TAMBÉM DA PARTE LESTE
PRA ONDE VAIS TENS AO LADO A PRÓPRIA GLÓRIA.
*
CASOU COM SUA MARIA.
FELIZ QUEM TEM ESSA GLÓRIA,
OUTRA, GLÓRIA, OUTRA GLÓRIA, QUATRO GLÓRIAS:
SAVIGNY, RONALDO, CÁSSIO E GAL.
UMA PROLE, FAMÍLIA GENIAL.
PRA CÁSSIO FEZ: CAMPINA, MINHA CAMPINA,
O AMOR QUE NUNCA TERMINA,
NOSSOS PASSOS SÃO IGUAIS.
O HORIZONTE NÃO É LIMITE
TEU HORIZONTE É UM CONVITE
PRA GENTE ANDAR MUITO MAIS.
*
SEUS SONETOS TÊM O SABOR DA SOPA DO HILÁRIO,
DA VISÃO EMBOLADORA DAS CEGUINHAS,
DOS COCOS, DAS TROVAS, DAS QUADRINHAS,
DA FORÇA MITOLÓGICA DE DEMÓSTENES,
DA CONVIVÊNCIA POÉTICA COM DIÔGENES,
DOS ALMOCREVES, MATUTOS E TROPEIROS,
DO BILHAR, DOS SEGREDOS ALCOVITEIROS,
DE PINTA CEGA, MIÚRA E BARRÃO,
DA CORNETA QUE CHAMAVA A ATENÇÃO,
REUNINDO COMO EM GUERRA, O QUARTEL.
MARCHAVAM UNIDOS, DO SOLDADO AO CORONEL,
PRO CABARÉ DE MARIA BATALHÃO.
*
DAS TERRAS CAMPINENSES DA PARAÍBA
COMO TROPEIRO DOS VERSOS AQUI CHEGOU,
COMO GARÇON DA POESIA SE DOOU,
REPARTINDO COM ALUNOS SEU SABER.
SEM COBRAR, SEM GANHAR, SEM RECEBER,
FEITO APÓSTOLO NÃO PEDIU OURO, NEM PRATA.
POR ISSO ESTA CIDADE LHE É GRATA
NA UNANIMIDADE DE NOSSOS VEREADORES
COM TAPETES DE XANANAS – NOSSAS FLORES
O COROAMOS COM A NOSSA MAIOR LÁUREA,
RECEBA, POIS, DESTA CASA A INDUMENTÁRIA,
NO COROLÁRIO DOS CIDADÃOS MERECEDORES.
*
AQUI DEIXASTES REGISTRADOS NOS ANAIS
A SUA HISTÓRIA NO PROGRAMA MEMÓRIA VIVA,
A ECONOMIA DO ESTADO MAIS ATIVA
COM AS ESTRADAS QUE O SENHOR PAVIMENTOU;
POR OURO BRANCO, UM NOVO OURO AQUILATOU,
POR NOVA CRUZ, O ESTADO EVOLUÍA,
MAS NÃO FOI ESSA A MAIOR BENFEITORIA,
QUE MARCOU SUA LIGAÇÃO COM A CIDADE.
FOI TRAÇO FORTE DE SUA PERSONALIDADE,
QUE NÃO HÁ PREÇO E NEM TEM EM TODA ESQUINA.
A GRANDE MARCA DE RONALDO CUNHA LIMA:
É O VALOR DA SINCERA AMIZADE.
*
DE RONALDO CUNHA LIMA
PARA O PRIMO E AMIGO DIÓGENES DA CUNHA LIMA:
*
DÁ PRA CONTAR NAS MÃOS OS MEUS AMIGOS,
AMIGOS QUE ME ABRAÇAM E QUE EU ABRAÇO.
ÀS VEZES ERRO NAS CONTAS E AS REFAÇO
PELA AUSÊNCIA DE AMIGOS MAIS ANTIGOS.
NÃO CONSIGO CONTAR OS INIMIGOS,
SE INIMIGOS REAIS EU NUNCA FAÇO.
NÃO OS VEJO DA VIDA EM MEU ESPAÇO,
NEM PRESSINTO NO TEMPO OS SEUS FUSTIGOS.
*
E SE NENHUM AMIGO EU MAIS CONTASSE
E A VIDA DE SER SÓ NÃO ME BASTASSE,
BASTARIA LEMBRAR-ME DE JESUS.
BASTARIA, SOMENTE, QUE O LOUVASSE
PARA SENTIR PRESENTE, FACE A FACE,
O AMIGO QUE POR MIM MORREU NA CRUZ.
*
A RELAÇÃO ENTRE PRIMOS E AMIGOS
NEM SEMPRE É A MELHOR OU CORDIAL.
CERTA VEZ NUMA FARRA JOVIAL
DIÓGENES ARRANJOU UMA NAMORADA.
TUDO OK. CEM POR CENTO. A NOITADA.
ORGULHOSO ELE APRESENTA A PROMETIDA
RONALDO QUANDO A VÊ TEM UMA CAÍDA
E DISSE: AH! DIÓGENES HOJE ELA É MINHA
MAS FOI A MIM QUE ELA, A NOITE, PROMETEU.
*
“PROMETEU, PROMETEU
PARA TE AMAR, COMO SE TIVESSE ZIMA,
PARA TE AMAR SÓ NASCEU UM CUNHA LIMA,
E ESSE CUNHA LIMA DEVE TER SIDO EU.”
*
A MEMÓRIA É PRODÍGIO DE VALOR
QUE RONALDO GUARDA BEM ENGAVETADA.
QUANDO SOLTA É IGUAL À METRALHADA,
FUZILANDO A PERGUNTA QUE VIER.
O BRASIL LHE APLAUDIU TODO DE PÉ
NA EDIÇÃO DO PROGRAMA SHOW DO LIMITE.
ATÉ HOJE NÃO VI QUEM LHE IMITE.
E AQUI EU FALO SEM ESBANJOS
PRA FALAR SOBRE AUGUSTO DOS ANJOS
É SÓ MANDAR PRA RONALDO O CONVITE.
*
POUCA GENTE SABE MENSURAR
O VALOR QUE TEM UMA AMIZADE.
CULTUAR A SIMPLICIDADE.
SER LUZ REPARTINDO SEMPRE O BRILHO,
POIS O ACADÊMICO MURILO MELO FILHO
SOCORREU RONALDO NA TV,
LEVOU OBRAS DE AUGUSTO PRA ELE LER,
AUMENTANDO ASSIM SUA BAGAGEM
E RONALDO NÃO PERDER SUA VIAGEM
IR POR SUL, DISPUTAR, DEPOIS VENCER.
*
NO SENADO DEFENDEU A NOSSA LÍNGUA,
PROTEGENDO O PATRIMÔNIO NACIONAL.
IRONIZOU QUEM DEFENDE ESSE NÔ RAU,
LEVANTOU BANDEIRAS DO NORDESTE,
INDAGOU PORQUE É QUE É QUE NÃO SE INVESTE
NO PROJETO DA TRANSPOSIÇÃO.
SEUS DISCURSOS PARECIAM MAIS SERMÃO.
DO NORDESTE ELE ABORDOU TEMA DE TUDO
E DAQUI ESCOLHEU CÂMARA CASCUDO
PRA FAZER VERDADEIRA LOUVAÇÃO.
*
FUI BUSCAR NO AMANHECER,
NO DEUS DA MITOLOGIA,
NAS GARÇAS DO FIM DO DIA
UM POUCO DE INSPIRAÇÃO.
FUI OUVIR O VIOLEIRO,
O ABOIADOR, O TROPEIRO,
A CENTENÁRIA CANELA
E A LUA ORVALHADA E BELA.
COM NADA A POESIA VINHA.
O SEGREDO RONALDO TINHA
É SÓ ABRIR A JANELA.
*
ÉS ÍNDIO DOS ARIÚS;
DESTA TERRA ÉS CIDADÃO:
DA TRIBO DE CAMARÃO,
CASCUDO E MIGUELINHO.
TENS AGORA UM NOVO NINHO
IGUAL TEU BODOCONGÓ.
SOMOS IRMAÕS, MESMO PÓ,
MESMA RAÇA NORDETINA;
NAS AGRURAS, MESMA SINA,
RESISTÊNCIA DE GIGANTE,
DOIS CHÃOS COM UM MARCO IMPORTANTE:
A FAMÍLIA CUNHA LIMA.
*
JÁ VEJO A RÉSTEA DO TEMPO
BATENDO O TEMPO DA HORA.
É HORA DE OLHAR A HORA
EVITAR UM CONTRATEMPO.
E, SE RELEVEI O TEMPO,
ATREVI-ME A FAZER RIMA
NÃO FUI EU, FOI LÁ DE CIMA,
MODESTA INSPIRAÇÃO.
CULPA DE TANTO REFRÃO:
É RONALDO CUNHA LIMA.
*
POETA TEM VIDA ETERNA
VIVE DA ETERNA POESIA,
VIVE ATÉ AS MADRUGADAS
SEREM TROCADAS POR DIA.
ENQUANTO A VIOLA TOCAR,
FAZER SORRIR E CHORAR
E A CHUVA DESCER BIQUEIRAS.
ENQUANTO AS NOSSAS RENDEIRAS,
RENDER VERSOS PRO SERTÃO,
EXISTIR O MAIOR SÃO JOÃO,
NA ALEGRE PRAÇA DO POVO.
ENQUANTO O POEMA NOVO
NOVO DEIXAR O POETA,
O POETA NÃO SE AQUIETA
E NÃO SE AFETA COM ESTORVO.
*
RONALDO. NATAL TEM SUAS JANELAS.
DELAS, NO OUTONO, VEMOS FOLHAS PELO CHÃO,
ACÁCIAS COLORINDO O VERÃO,
A INVERNADA CHUVISCANDO A CIDADE
E A PRIMAVERA FLORIDA DE SAUDADE.
POETA. NOSSAS JANELAS TÊM VIDA…
A NOITE, DE SUA FENDA ATREVIDA,
VEMOS A PONTA NEGRA NO MAR,
AS DUNAS EM ROMANCE COM O LUAR
E O LUAR NAMORICANDO O POTENGI.
ISSO TORNA QUEM CHEGA POR AQUI,
REFÉM DE UMA PAIXÃO QUE NÃO TEM FIM,
SE INFUSA COM O BÁLSAMO DO ALECRIM,
RECEBE UM ALFOBRE ENSOLARADO NA LAPELA,
E PRA QUE NUNCA, NUNCA, NUNCA, ESQUEÇA DELA.
DESTA CASA, LEVE GRAFADO NO SEU PEITO,
UM CAMAFEU ENRELEVADO DE RESPEITO
E ORNAMENTE SUA MAIS LINDA JANELA.

 

Edivan Martins

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*