Thaisa Galvão

10 de fevereiro de 2013 às 15:58

Para ser o prefeito da Copa, Carlos Eduardo está fora da disputa pelo governo do RN [2] Comentários | Deixe seu comentário.

Muito tem se falado numa possível candidatura do prefeito de Natal, Carlos Eduardo, ao governo do Rio Grande do Norte no próximo ano.

O sonho de Carlos seria o sonho maior do pai, o deputado Agnelo Alves.

O sonho passa pela história que se repetiria…

A então prefeita Wilma de Faria, que tinha Carlos Eduardo como vice, renunciou à Prefeitura, entregou a gestão a ele e foi disputar o governo.

Ganhou e se reelegeu, sendo governadora por 7 anos, até renunciar para disputar, sem sucesso, o Senado Federal.

 

 

O sonho que seria de Carlos, que é de Agnelo, teria a mesma dupla como protagonistas.

Só que agora, Carlos prefeito e Wilma vice.

Aí o enredo contaria com a renúncia de Carlos para entregar a gestão a Wilma e ir buscar o governo.

 

 

O que ninguém tem contado até agora: o tempo.

Para ser candidato à sucessão da governadora Rosalba Ciarlini, o prefeito Carlos Eduardo teria que renunciar ao cargo de prefeito até 2 de abril do próximo ano.

Com apenas 1 ano e 3 meses de mandato.

Não pegaria bem.

Sem contar que Carlos vislumbra ser o prefeito da Copa.

Herdou – como coisa boa da gestão da prefeita Micarla de Sousa – contratos de mobilidade da Copa já aprovados que somam 800 milhões de reais.

A meta do prefeito é licitar mais de um bilhão em obras até julho.

Renunciar em abril, jogaria tudo isso pelo ralo.

E ainda descredenciaria o discurso de Carlos Eduardo, que assumiu a Prefeitura prometendo à população devolver a cada um, o orgulho de ser natalense.

Cairia no descrédito do eleitor e perderia a oportunidade de ser o prefeito que ele imaginou ser, desde a campanha, visando os recursos já garantidos para a Copa.

 

 

Portanto…

Diante das evidências…

Apesar do sonho de pai e filho, o prefeito Carlos Eduardo é hoje forte candidato a continuar administrando Natal.

Cumprindo o que prometeu.

Para isso, tem a faca e o queijo na mão.

Basta ter pulso para fazer sua equipe usar bem a faca e cortar bem o queijo.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*