Holiday

Thaisa Galvão

17 de março de 2013 às 23:08

Município de Alto do Rodrigues está fora da lista de emergência desde o ano passado, diz secretário [5] Comentários | Deixe seu comentário.

Secretário municipal de Alto do Rodrigues, Abelardo Neto diz que o município não está mais na lista da emergência por causa da seca.

Desde o ano passado, através de decreto da gestão anterior, que o município saiu da lista.

Para o secretário, que enviou ao Blog, cópia do decreto de revogação publicado no Diário Oficial, o governo não tinha porque prorrogar o que não existia. Pelo menos, em relação a Alto do Rodrigues.

Eis o decreto:

 

Ainda segundo o secretário Abelardo Neto, “todas as festas que promovemos, desde o carnaval, que o prefeito Abelardo Rodrigues tem o cuidado de agendar audiência previamente com o promotor de Justiça para entregar a planilha de custos dos eventos. E todas as contratações de bandas são feitas direto com o escritório, sem intermediário. O Chiclete vai custar a metade do preço de Luan Santana, contratado pelo ex-prefeito para se apresentar no ano passado”, afirma o secretário.

17 de março de 2013 às 16:27

Com ajuda do Sebrae, potiguares conseguem trocar Bolsa-Família por bons negócios [1] Comentários | Deixe seu comentário.

Da Folha de S. Paulo de hoje, histórias que, com a ajuda do Sebrae, mudaram a vida de quem vivia às custas do governo, mas conseguiu desenvolver seu próprio negócio.

A repórter da Folha veio ao RN a convite do Sebrae-RN.

Eis:

 

 

Com próprio negócio, pequenos comerciantes conseguem deixar o Bolsa Família

CLAUDIA ROLLI

ENVIADA ESPECIAL AO RIO GRANDE DO NORTE

 

Felipe Victor Gomes dos Santos deixou para trás a plantação de milho e batata, o medo de pescar em alto-mar e a ajuda que recebeu durante anos do Bolsa Família para se tornar o único eletricista qualificado de São Miguel do Gostoso, cidade com 9.000 habitantes no litoral do Rio Grande do Norte.

Há dois anos é “patrão de si mesmo” e de outros dois estudantes de 17 anos que, assim como Felipe, planejam montar seu próprio negócio.

No uniforme e no cartão de visitas, para reforçar a experiência profissional, o desenho de um pequeno raio anuncia: residencial e predial.

“Viver do trabalho era um sonho, entre outros que ainda quero realizar”, diz Felipe, 22, que hoje ajuda os pais a cuidar de quatro irmãos.

No quintal da casa do eletricista ficam espalhados escadas, ferramentas e equipamentos de segurança, antes transportados em um carrinho de pedreiro e agora levados em uma moto.

A poucos metros dali está o Mercadinho 2 Irmãos. No estabelecimento de um único caixa, a ex-sacoleira de Caruaru (PE) Silvana Januário da Silva, 28, faz as contas ao lado do marido, Manoel Barbosa da Silva, o Pepeca, 33, e controla o que falta nas prateleiras para atender moradores e turistas atraídos pelos fortes ventos da costa, ideais para a prática do kitesurfe.

Para conseguir fechar o balanço, em uma comunidade na qual a maior parte dos clientes “pendura” as compras na caderneta e paga por semana, o casal decidiu abrir as portas antes da concorrência, às 5h30, e fechá-las também mais tarde, às 20h.

A meta é aumentar o faturamento e pagar o empréstimo feito para montar o mercadinho. Com o CNPJ de microempreendedora em mãos, Silvana deixou há três meses de receber o Bolsa Família.

 

REI DO PASTEL

Distante 330 km de Felipe e Silvana, Giovani Soares de Paiva, 46, trocou a vida de subsistência como lenhador para ser o “Rei do Pastel” do sertão, em Messias Targino, no interior potiguar. Com a mulher, Lena, 45, e o filho Juan Gustavo, 19, montou uma barraca em frente a sua casa.

A família já faz a conta de como é viver sem ajuda dos cerca de R$ 70 mensais que recebiam do Bolsa Família.

Dona Lena ajuda a fechar o orçamento fazendo faxina na casa de quem precisa –R$ 10 a R$ 20, dependendo de quem pagará a conta.

O “Rei do Pastel” virou atração para os 4.000 habitantes de Messias Targino.

A massa é comprada pronta, de um revendedor de Caicó, cidade próxima, e o produto é frito na hora. São 1.200 pastéis vendidos por semana, a R$ 0,75 cada um. O valor sai do bolso de estudantes e moradores da cidade, que vivem de aposentadoria, do salário de funcionalismo ou de bicos.

As vendas aumentam com as promoções feitas na rádio local, apregoadas em cartazes afixados na fachada da casa ou enviadas por celular -os clientes são catalogados por operadora, e quatro chips dão conta do recado.

“Com o óleo da fritura, faço sabão para o consumo da família e não poluo o ambiente”, informa o texto que chega do celular de seu Giovani para o da Folha, assim que a reportagem deixou a cidade.

No vocabulário do empreendedor, que foi fazer cursos do Sebrae no município vizinho para estudar o mercado em que atuaria, já constam palavras e conceitos de quem pensa mais longe: “Se tivesse capital de giro, montaria filial e ampliaria o cardápio”.

Felipe, Silvana e Giovani são três dos 244.761 microempreendedores individuais, os MEIs, que foram ou ainda são beneficiários do Bolsa Família, programa de transferência de renda que beneficia famílias em situação de pobreza em todo o país. Foram 13,5 milhões em fevereiro.

Não é possível saber quantos deixaram o programa e passaram a viver com a renda do próprio negócio, mas o Sebrae já identificou essa migração em algumas regiões.

Dos 2,6 milhões de microempresários individuais (formalizados), 9,3% são oriundos do Bolsa Família. “O empreendedorismo é uma porta de saída”, afirma Luiz Barretto, presidente do Sebrae. “Se o negócio não der certo, ele tem prioridade para retornar e receber o benefício.”

Quase um terço dos empreendedores do Bolsa Família vive nos Territórios da Cidadania, áreas com baixo desenvolvimento que recebem, do Sebrae e do Ministério do Desenvolvimento Social, apoio de agentes de orientação empresarial e de microcrédito.

“São iniciativas que podem ajudar, mas estão longe de resolver a desigualdade regional. O PIB per capita no Nordeste ainda vale 49% do do Sudeste”, diz Alexandre Rands Barros, professor da Universidade Federal do Pernambuco, que estuda o tema.

 

*

Abacaxi garante renda a famílias do Rio Grande do Norte

 

O que para muitos é sinônimo de problema, para 120 famílias de Ielmo Marinho, cidade do agreste do Rio Grande do Norte, é solução.

“Nossa vida é o abacaxi”, resume José Xavier de Andrade Júnior, 41, que representa os agricultores da Associação de Desenvolvimento Rural Ramada 1, donos desde 2010 de uma pequena fábrica de doces e geleia, financiada pelo Programa de Desenvolvimento Solidário, com recursos do Banco Mundial.

Foi em 2005 que os agricultores compraram as terras que durante anos arrendavam para plantar o fruto.

Com o apoio da Secretaria de Reforma Agrária do Estado, fizeram financiamento de 15 anos, pago com a renda conseguida na produção.

Na área, já são quatro ramadas –o nome vem dos ramos do abacaxi e serve para estampar os rótulos dos potes de doce de abacaxi e de outras frutas plantadas também no quintal das casas dos agricultores e que viram compota. São 30 famílias em cada ramada, e 12 hectares para cada família.

Aos poucos os agricultores que podem vão se desligando de programas como o Bolsa Família e o Bolsa Estiagem –benefício que auxilia trabalhadores da agricultura familiar com renda mensal média de até dois salários mínimos e que vivem em áreas castigadas pela seca ou por situações de calamidade pública.

São 18 meses de cultivo até a colheita. Neste ano, foram 24 mil abacaxis por hectare, vendidos entre R$ 0,80 e R$ 1 por unidade –o preço cai quando a oferta é maior.

Encerrada a colheita, o gado entra em campo para se alimentar da palha do abacaxi e adubar a terra. “Com a seca deste ano, vendemos até a palha do fruto para outras fazendas de regiões próximas”, diz Francisco Freitas da Silva, 36, conhecido no assentamento como Henrique.

 

 

ÁGUA NO ABACAXI

Pela primeira vez, os agricultores vão conseguir neste ano plantar fora de época, o que deve lhes render um preço melhor por fruto. A associação conseguiu crédito com o Pronaf (Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar) para fazer irrigação das áreas de plantio.

Os canos e os motores para bombear água já estão sendo instalados na vila comunitária onde vivem as famílias e nos açudes dos agricultores.

“Aprendemos com apoio técnico do Sebrae, por exemplo, a usar o carbureto de cálcio na produção. Assim o abacaxizal cresce todo no mesmo padrão”, afirma a agricultora Janete Januário, 45.

Ela foi tentar a vida no Rio e na Paraíba, mas decidiu voltar em 2001 para o assentamento. “Viver na cidade grande é uma ilusão. Tenho o sangue da terra na veia.”

Ielmo Marinho faz parte do programa Território da Cidadania do Potengi, com outros dez municípios do agreste do Rio Grande do Norte. É uma das 1.609 cidades em territórios atendidos pelo Sebrae.

“A ideia é aproveitar o potencial de cada região, do turismo à agricultura, e capacitar os empreendedores locais para interiorizar o desenvolvimento e permitir a melhora na vida dessas essoas”, diz André Silva Spínola, gerente de Desenvolvimento Territorial do Sebrae.

 

 

Desafio do governo ainda é diminuir desigualdades regionais

 

Apesar da diminuição dos índices de pobreza no Brasil e da melhora de vida principalmente em cidades menores (mais dependentes de programas de transferências de renda), a desigualdade regional ainda é o maior desafio que o governo Dilma Rousseff e outros deverão enfrentar, ao menos, nas próximas duas décadas.

A opinião é de especialistas de diferentes universidades e regiões do país.

Para Marcelo Medeiros, pesquisador do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) e professor da Universidade de Brasília, a mobilidade social no país é grande, mas as pessoas ainda se movem em curtas distâncias.

“De empregada doméstica informal, passa para manicure, por exemplo. A situação melhora um pouco, mas a distância ainda é pequena de uma situação de maior risco”, diz.

No caso da migração identificada pelo Sebrae, faz um alerta: “Qualquer tipo de negócio, seja entre pessoas mais ou menos favorecidas, vai enfrentar a competição com outros, além de poder ter falhas e fecharem. Não existem soluções mágicas”.

Na opinião do economista Arilson Favareto, da Universidade Federal do ABC e pesquisador do Cebrap (Centro Brasileiro de Análise e Planejamento), o desafio é criar meios para que os que vivem de pequenos negócios consigam de fato se inserir na economia local.

Para o sociólogo Jessé de Souza, da Universidade Federal de Juiz de Fora, não se pode considerar apenas a situação econômica para entender por que algumas pessoas ascendem e outras não.

“No Bolsa Família ou noutro programa, é preciso considerar a economia afetiva, a solidariedade. Não se pode medir só consumo e renda para dizer que a vida melhorou.”(CLAUDIA ROLLI)

 

 

 

17 de março de 2013 às 13:47

Governo cria comissão de licitação para projeto de mobilidade da avenida Engenheiro Roberto Freire [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Formada, pelo governo do Estado, a comissão de licitação do Projeto Executivo de Engenharia para melhorias da circulação na avenida Engenheiro Roberto Freire.

A comissão foi formada através de decreto da governadora Rosalba Ciarlini, publicado na edição deste sábado, do Diário Oficial.

 

                        Art. 1o Fica constituída, no âmbito da Secretaria de Estado da Infra-Estrutura(SIN), Comissão Especial de Licitação com a finalidade de realizar o procedimento licitatório, na modalidade de Regime Diferenciado de Contratações Públicas, para contratação da obra de Reestruturação da Av. Engenheiro Roberto Freire, em Natal/RN.

 

A comissão será presidida por Joábio Batista da Costa e tem como membros Marcelo Lucas da Silva, e Luiz Eduardo Ferreira da Silva, e como suplente, Breno Carvalho Roos.

Já a comissão técnica, que dará apoio à comissão de licitação, foi formada por Antemildo Batista de Andrade, Luciano Cavalcante Xavier, e Rafael Brandão Mendes, tendo Ronald Cavalcante Dantas como suplente.

 

17 de março de 2013 às 9:34

Governo prorroga estado de emergência por causa da seca e Prefeitura de Alto do Rodrigues contrata banda Chiclete com Banana [5] Comentários | Deixe seu comentário.

Na contramão da seca que assola o Rio Grande do Norte e assusta a população, e contrariando recomendação do Ministério Público e determinação do Tribunal de Contas, a Prefeitura de Alto do Rodrigues, na lista dos municípios em estado de emergência, contratou a banda de cachê altíssimo, Chiclete com Banana, para a festa de aniversário da cidade.

Outros shows também acontecerão entre os dias 24 e 28, agora do mês de março.

 

Na contramão da Prefeitura de Alto do Rodrigues, o governo do Estado acaba de decretar a prorrogação, por mais 180 dias, da situação de emergência no Rio Grande do Norte, por causa da seca.

O decreto, publicado no Diário Oficial deste sábado, atinge 144 municípios, entre eles…Alto do Rodrigues.

Eis trecho do decreto:

 

 

D E C R E T A:

 

Art. 1º Fica declarada “Situação de Emergência por Seca” nos 144 municípios afetados, conforme anexo; haja vista a situação de emergência provocada por desastre natural climatológico, caracterizando uma estiagem prolongada, provocando a redução sustentada das reservas hídricas existentes no Estado do Rio Grande do Norte –COBRADE/1.4.1.2.0 – Seca.

Art.2º Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação, devendo viger por um prazo de 180 (cento e oitenta) dias.

 

 

Eis a lista, publicada no Diário Oficial, de municípios em estado de emergência por mais 180 dias:

 

1) Acari, 2) Assu, 3) Afonso Bezerra, 4) Água Nova, 5) Alexandria, 6) Almino Afonso, 7) Alto dos Rodrigues, 8) Angicos, 9) Antônio Martins, 10) Apodi, 11) Areia Branca, 12) Baraúnas, 13) Barcelona, 14) Bento Fernandes, 15) Bodó, 16) Brejinho, 17) Boa Saúde, 18) Bom Jesus, 19) Caiçara do Norte, 20) Caiçara do Rio do Vento, 21) Caicó, 22) Campo Redondo , 23) Caraúbas, 24) Carnaúba  dos Dantas, 25) Carnaubais, 26) Cerro-Corá, 27) Coronel Ezequiel, 28) Campo Grande, 29) Coronel João Pessoa, 30) Cruzeta, 31) Currais Novos, 32) Doutor Severiano, 33) Encanto, 34) Equador, 35) Felipe Guerra, 36) FernandoPedroza, 37) Florânia, 38) Francisco Dantas, 39) Frutuoso Gomes, 40) Galinhos, 41)Governador Dix-Sept Rosado, 42) Grossos, 43) Guamaré, 44) Ielmo Marinho, 45)Ipanguaçu, 46) Ipueira, 47) Itajá, 48) Itaú, 49) Jaçanã, 50) Jandaíra, 51) Janduís, 52  ) Japi, 53) Jardim de Angicos, 54)Jardim de Piranhas, 55) Jardim do Seridó, 56) João Câmara, 57) João Dias, 58) José da Penha, 59) Jucurutu, 60) Lagoa Nova, 61) Lagoa Salgada, 62) Lagoad’Anta, 63) Lagoa de Pedras, 64) Lagoa de Velhos, 65) Lajes Pintadas, 66) Lajes, 67)Lucrécia, 68) Luís Gomes, 69) Macaíba, 70) Major Sales, 71) Marcelino Vieira, 72) Martins, 73) Messias Targino, 74) Monte das Gameleiras, 75) 76) Monte Alegre, 77) Mossoró, 78) Nova Cruz, 79) Olho d’Água dos Borges, 80) Ouro Branco, 81) Passagem, 82) Paraná, 83)Paraú, 84) Parazinho, 85) Parelhas, 86) Passa e Fica, 87) Patu, 88) Pau dos Ferros, 89) Pedra Grande, 90) Pedra Preta, 91) Pedro Avelino, 92) Pendências, 93) Pilões, 94) Poço Branco, 95) Portalegre, 96) Porto do Mangue, 97) Serra Caiada, 98) Rafael Fernandes, 99) Rafael Godeiro, 100) Riacho da Cruz, 101) Riacho de Santana, 102) Riachuelo, 103) Rodolfo Fernandes, 104) Ruy Barbosa, 105) Santa Cruz, 106) Santa Maria, 107) Santana do Matos, 108) Santana do Seridó, 109) Santo Antônio, 110) São Bento do Norte, 111) São Bento do Trairi, 112) São Fernando, 113) São Francisco do Oeste, 114) São João doSabugi, 115) São José do Campestre, 116) São José do Seridó, 117) São M. de Touros, 118) São Miguel, 119) São Paulo do Potengi, 120)São Pedro, 120) São Rafael, 121) São Tomé, 122) São Vicente, 123) Senador  Elói de Souza, 124) Serra Negra do Norte, 125) Serra de São Bento, 126) Serra do Mel, 127) Serrinha dos Pintos, 128) Serrinha, 129) Severiano Melo, 130) Sítio Novo, 131) Taboleiro Grande, 132) Taipu, 133) Tangará, 134) Tenente Ananias, 135) Tenente Laurentino Cruz, 136) Tibau, 137) Timbaúba dos Batistas, 138) Touros, 139) Triunfo Potiguar, 140) Umarizal, 141) Upanema, 142) Venha-Ver,  143) Viçosa e 144) Vera Cruz.

17 de março de 2013 às 9:04

Motorista resgatado com vida após acidente que destruiu metade do carro [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Do Instagram do jornalista Cristiano Félix, o registro do acidente em frente ao shopping Via Direta, na manhã de hoje.

Segundo o jornalista, o motorista, que bateu no poste, ficou preso nas ferragens do carro que teve a frente destruída, e foi resgatado com vida pelos bombeiros.

17 de março de 2013 às 8:28

Arquiteto e design potiguar, Felipe Bezerra é premiado na Itália [1] Comentários | Deixe seu comentário.

Do Estadão deste domingo:

 

 

Estúdio de design de Natal conquista prêmios com peças irreverentes, como a mesa Centopeia, que também serve como banco. O móvel, que terá edição limitada, ficou com a prata em Milão.

ANA PAULA GARRIDO

 

Com formas divertidas e contornos marcantes, o estúdio Mula Preta, de Natal, foi premiado no A’Design Award & Competition, neste mês, com protótipos de mobiliário. Em sua 3.ª edição, o concurso realizado em Milão, na Itália, com 80 categorias, já chama a atenção dos designers brasileiros.

“É um prêmio em ascensão. Por isso, digo que começamos com o pé direito”, afirma o arquiteto Felipe Bezerra, sócio do engenheiro André Gurgel no escritório, que já havia conquistado o 1.º lugar na categoria Iluminação no ano passado, com o abajur Six Table. Desta vez, eles ganharam o ouro entre os Móveis com a poltrona Basquete, que representa uma bola amassada. “Buscamos trazer irreverência e brincadeira ao design”, disse Bezerra.

Primeiro lugar na categoria Móveis

Mesa terá edição limitada

Prata

Bronze em Milão

 

17 de março de 2013 às 7:25

Kelps Lima: aliado ou advesário? [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Quando o governo oferece ao deputado Kelps Lima, a Secretaria de Saúde, e depois a de Esporte, sabendo que ele jamais assumiria…não tem outra justificativa.

Não interessa ao governo que Kelps assuma uma secretaria.

Além de falar muito….Kelps é genro do ex-prefeito Pinheiro, de Apodi.

Pinheiro é adversário ferrenho da governadora Rosalba.

Na campanha para o Senado, quando o ministro Garibaldi Filho disputava o governo, os dois chegaram juntos à casa de Pinheiro.

Só Garibaldi foi levado para a cozinha para fazer um lanche.

Adversária…a Rosa ficou lá fora esperando Garibaldi lanchar…

17 de março de 2013 às 7:07

Sem presença de Rosalba, aliados discutem nomes para o governo [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Coube ao senador José Agripino Maia (DEM), anfitrião da reunião de aliados, neste sábado em Natal, comunicar ao ministro Garibaldi Filho e ao deputado-presidente da Câmara, Henrique Alves, do PMDB, e ao presidente da Assembleia Legislativa, deputado Ricardo Motta, do PMN, que a governadora Rosalba Ciarlini e o marido-chefe da Casa Civil, Carlos Augusto Rosado, do DEM, não mais participariam da reunião, como esperavam os aliados.

 

Agripino também comunicou que a partir de agora o modelo do governo discutir com os aliados – leia-se PMDB – será outro.

O grupo discute e envia a proposta para que a governadora tome conhecimento, pondere, questione…aceite ou não.

 

E na reunião de hoje, sem a presença dos personagens principais, alguns nomes foram discutidos.

O ex-prefeito de Pau dos Ferros, Leonardo Rêgo, que não quis a Saúde, vai para a pasta de Recursos Hídricos.

A Agricultura voltou a ter como nome certo, o de Júnior Teixeira, presidente da Anorc.

Teixeira havia dito não. E o nome em discussão passou a ser o de Orlando Procópio.

Hoje, Júnior Teixeira voltou à cena e o nome foi enviado à governadora.

 

O nome do deputado Kelps Lima (PR), que também não aceitou a Saúde, foi sondado para a pasta de Esporte, que até então não havia entrado na lista das secretarias em processo de substituição.

O assunto parou com mais uma negativa de Kelps.

Da Assembleia Legislativa surgiu ainda o nome de Fred, servidor de carreira que participou da equipe de transição do governo Rosa.

 

Para a Saúde…sondagens.

E muito mistério em torno do nome.

É que o sondado fez questão de discrição em torno do assunto.

Não quer ser citado na imprensa. Pelo menos até dizer Sim…ou Não.

 

 

Da reunião, também participou o vice-presidente do PMDB, Elias Fernandes.

Para quem o PMDB tentava repassar-lhe a secretaria de Recursos Hídricos, agora ocupada pelo DEM.

Quem não participou foi o deputado João Maia, que estava em Apodi, no encontro do PR.