Thaisa Galvão

8 de dezembro de 2013 às 23:36

Petrobras desmonta os tanques das Rocas [1] Comentários | Deixe seu comentário.

Os antigos tanques da Petrobras que durante décadas fizeram parte do cenário do bairro das Rocas, em Natal, e que durante anos e gestões ensaisram deixar o local, para segurança dos moradores da região…finalmente firam desmontados.
O registro é do blog do fotógrafo Cláudio Abdon.Cláudio Abdon

20131208-233406.jpg
*

20131208-233425.jpg
*

20131208-233441.jpg

8 de dezembro de 2013 às 23:23

Para Rosalba, o Estado “não é de um partido nem de outro” [1] Comentários | Deixe seu comentário.

Na Tribuna do Norte deste domingo, entrevista com a governadora Rosalba Ciarlini:

“TUDO EXPLODIU NO MEU COLO”

Feliz com as obras em andamento que podem justificar o slogan de campanha “Pra Fazer Acontecer”, encantada com o estádio Arena das Dunas pelo potencial que um megaevento como a Copa do Mundo oferece ao turismo, mas preocupada com a possibilidade de um novo período de seca, a governadora Rosalba Ciarlini (DEM) está chegando ao fim do terceiro ano de mandato e entrando num momento decisivo para seu futuro político. Sobre eleições ela desconversa, prefere falar dos R$ 20 bilhões previstos para investimentos, dos 700 quilômetros de adutoras, do projeto do novo porto.
*
Se a empolgação permeia os comentários sobre os projetos que abraça, a franqueza se sobressai quando fala sobre medidas amargas que teve de tomar, mesmo sabendo do desgaste político. “É uma marca de minhas administrações. Sempre deixei as coisas ajustadas. Eu me apaixono pelas causas e as enfrento. Sei que há desgaste, tenho consciência das pesquisas, mas o mais importante é fazer.”

Nesta entrevista, ela demonstra preocupação com a seca, que poderá criar um colapso no abastecimento dos municípios do sertão potiguar, onde vivem atualmente 1,5 milhão de habitantes, e diz que está pagando o preço de tudo de ruim feito no passado.

20131208-230548.jpg
*

Existe um cenário de crise política e econômica na sua gestão?
A crise se configura quando a economia está parando ou retroagindo. E isso não está acontecendo. As estatísticas mostram que o Rio Grande do Norte está avançando em termos de desenvolvimento econômico. Se um Estado estivesse vivendo essa crise que se comenta, será que estaria atraindo investimentos, os empresários estariam investindo em novas indústrias, novas espaços de comércio, novos empreendimentos turísticos? E uma coisa interessante: existem novos polos de desenvolvimento no interior. Se você for a Pau dos Ferros vai ver a transformação. [Na semana passada] chegamos em Parelhas e utilizamos um aeródromo de um particular, de uma indústria que foi implantada no começo de 2012 e já está duplicando sua capacidade. Só a fábrica está dando 300 empregos diretos. Se chegar em Baraúna, vai encontrar um distrito industrial consolidado. O investimento da Votorantim e mais duas que estão se implantando lá é de R$ 700 milhões. Para retirar o cimento de lá são necessárias 700 carretas por dia. Se você chegar em São José do Seridó, o prefeito vai dizer que lá existe emprego pleno. E por que isso está acontecendo lá? Porque é um polo de confecção. Isso é uma realidade que, daqui (de Natal) não se tem essa percepção.
*
E a reforma do Proadi pedida pelos empresários?
Nós acatamos em parte as reivindicações dos empresários. No Rio Grande do Norte há uma diferença em relação a outros Estados. O nosso representa uma renúncia fiscal de R$ 30 milhões, mês. Mas esse valor, que não recebemos, é contabilizado para não prejudicar o Fundo de Participação dos Municípios, o Fundeb. A solicitação da Fiern é que os incentivos possam ser prorrogado além do previsto na lei atual (20 anos). O que estamos colocando na negociação? Que essa prorrogação seja feita em troca de uma série de garantias. E não pode ser prorrogado indefinidamente. Concordamos com a proposta, mas que seja numa situação de expansão, que gere mais empregos.
*
As críticas sobre o setor eólico têm razão de ser?
Participo dessas discussões desde que era senadora. Quando assumi, havia uma reclamação muito grande do setor. Fizemos uma reunião discutindo os obstáculos. Atendendo a uma reivindicação deles, criamos um setor específico para agilizar os processos de licenciamento ambiental. A partir daí, as empresas nunca me procuraram com essa reclamação. Ninguém deixou de participar de leilões ou de montar seu parque eólico por entraves ambientais. Na questão das eólicas, o Estado tem feito sua parte e dado seu apoio.
*
Até que ponto a quebra de alianças políticas prejudica os investimentos?
Uma coisa são as alianças eleitorais e outra a consciência de que o Estado não é de um partido nem de outro. Temos de estar unidos. Tenho procurado e tido respostas muito positivas das parcerias com o governo federal. Aprovamos R$ 1,4 bilhão para saneamento básico, coisa que nunca aconteceu e que é fundamental. Em primeiro lugar para a saúde, em segundo lugar para a sustentabilidade econômica. Desenvolvimento não se faz sem a garantir de saneamento básico. Um Estado que tem vocação turística, como o nosso, não pode deixar que a falta de saneamento prejudique nosso cartão de visita que são as praias, as lagoas. Quando assumi, encontrei muitos problemas. Um deles, o Distrito Industrial de Macaíba que não tinha saneamento nem pavimentação. Eles exportam para o exterior. O sinal amarelo já estava aceso porque os Estados Unidos não mais vão aceitar produto de um local que não tem saneamento.
*
A Inframérica defende a adoção de incentivos para atrair voos e tornar o RN mais competitivo em relação aos outros Estados. É possível atender às reivindicações?
Uma coisa que já praticamos hoje é a isenção [da tarifa de ICMS para o querosene de aviação] que é zero para voos internacionais. O Ceará baixou agora para 12% e baixou para novos voos internacionais. Eles deram também para operações de manutenção de aeronaves. Sabe o que significa a renúncia do ICMS para voos internacionais? R$ 700 mil por semana. Logo que assumimos, fizemos uma lei dando isenção de ICMS para Mossoró e Caicó como forma de criar a aviação regional, mas não apareceu nenhum interessado.
*
E o gargalo do porto? Como anda o projeto da construção de um novo terminal portuário?
Precisamos de um novo porto. Não há possibilidade de expansão de nosso porto devido a questões de ordem ambiental, temos o projeto de construção de um porto entre Macau e Porto do Mangue, mais viável tecnicamente e ficaria próximo das áreas de exploração de minério, petróleo, cimento e fruticultura. Estamos discutindo com o governo federal e apostando numa parceria público privada, como ocorreu com o aeroporto e o Arena das Dunas.
*
Governadora, e o Terminal Pesqueiro? A construção naquele local foi um erro de planejamento?
Foi. Estamos trabalhando numa saída provisória para escoar a produção porque ele é fundamental para nossa pesca.
*
A senhora chegou a temer que o Arena das Dunas não ficasse pronto para a Copa do Mundo?
Imagine meu dilema, quantas noites passei pensando. Problemas de toda ordem quando assumi o governo e ainda surge esse problemão que era a garantia de R$ 400 milhões a uma empresa e o Estado na situação que estava. Era uma decisão minha. Se não desse [a garantia] não teríamos o Arena. Mas decidi correr esse risco porque Natal não podia perder a Copa. Para você ter ideia, o valor do Arena se paga cinco vezes só com a realização da Copa. De acordo com estudos técnicos, a movimentação de tributos que teremos durante a Copa com hotéis ocupados, etc., será da ordem de R$ 2 bilhões. Sabe quanto custou o Arena? R$ 420 milhões, sem o Estado ter tirado um único centavo de seus cofres. É uma coisa que precisa ser dita porque ficou a imagem de que o Estado tirou dinheiro da Educação e da Saúde para fazer o Arena. Esperamos que, com essa lucratividade, se pague ao BNDES. O nosso “trade” turístico tem que valorizar isso.
*
A Copa será uma vitrine para o turismo do Rio Grande do Norte…
É uma porta escancarada para todo o mundo. Eu já dei entrevista até para a Al-Jazira (mais influente rede de TV do mundo árabe), televisões do Japão e da Inglaterra. Estamos recebendo agora 22 jornalistas da Ásia e da Europa. A nossa Arena é mais bonita e Natal está encantando a todos que vêm aqui. E foi por causa da Copa que estão vindo verbas para as obras de mobilidade.
*
O trade turístico chora demais?
Olha, não é bem isso! Acho até que estamos precisando conversar mais para que eles entendam o tamanho do investimento que o RN vem fazendo para dar as condições estruturais ao turismo para crescer. A Copa é o maior evento. Fora outros que trouxemos para cá.
*
O Governo tem algum plano B para enfrentar um novo ano de seca? Ou vamos ter de rezar para que isso não ocorra, já que no semiárido vivem 1,5 milhão de pessoas?
Minha maior preocupação, hoje, é com a seca. No primeiro ano de seca você faz as medidas emergenciais e estruturais, mas nada substitui as chuvas. Sempre tem alguém dizendo que o governo não está fazendo nada, embora a gente esteja trabalhando. O segundo ano agudizou o problema. Não tivemos safra (cultura de subsistência) e houve queda na produção de castanha, na cadeia do leite, na mandioca. No segundo ano o Estado começou a sentir o efeito na economia. Tanto que nossa expectativa de crescimento do ICMS foi frustrada. Esperávamos 10 a 12% e não chega a 8%. Estamos fazendo essa avaliação agora no final do ano. O sertanejo diz que o ano terminado em 4 é bom de inverno. Conversei com o Dr. Carlos Nobre, do Inpe, ele disse que até agora não tem nada de concreto sobre a previsão de inverno.
*
E as reivindicações salariais do servidores?
Recebemos uma herança de planos salariais aprovados pela Assembleia Legislativa, encaminhados pelo governo passado que, no caso de algumas categorias, triplica salários. A Assembleia aprovou, mas temos que ficar de acordo com a Lei de Responsabilidade Fiscal. Foram muitos planos. É um direito dos servidores brigar por seus direitos. Mas se o Estado não tem os recursos?
*
Mas o Estado, a cada mês, não está arrecadando mais do que gasta?
É isso o que vocês precisam entender. Se o Estado estivesse com toda essa condição teríamos passado pela situação de setembro e outubro de não poder pagar a folha toda dentro do mês? Agora mesmo estão faltando 2%. Quando o Estado pega o ICMS, que este ano não está correspondendo ao crescimento previsto no orçamento, isso não gera superávit. Salário mínimo subiu, o remédio subiu, alimentação dos presos subiu, escola aumentou, tudo aumentou. Assumimos com um déficit de mais de 800 milhões e em situação de inadimplência. Não tinha dinheiro para nada. Um dia desses entramos no Cauc por causa de uma dívida trabalhista de 1974, da Fundac. Tivemos de fazer o pagamento para sair do Cauc e assinar com o Banco Mundial. Não sei o que é isso. Tudo, tudo, tudo nestes 2 anos e onze meses, explodiu no meu colo.
*
E como a senhora espera deixar 2014? Com as contas em dia?
É uma marca de minhas administrações. Fui administradora da Unimed, prefeita três vezes de Mossoró, diretora de hospital público e privado durante 12 anos e sempre deixei as coisas ajustadas. É uma coisa de criação. Procure no Rio Grande do Norte uma dívida da cidadã Rosalba que você não vai encontrar. Espero trabalhar pelo meu Estado. Acho que não tenho característica de política. Aliás, não sei como entrei na política. Eu me apaixono pelas causas e enfrento. Sei que há desgaste, tenho consciência [do que dizem as pesquisas], mas o mais importante é fazer.”
*
A senhora vai querer entrar 2014 já com nova equipe?
Quanto antes melhor, mas não há essa pressa de entrar 2014. É bom que eles fiquem liberados para a campanha. Vamos ter mudanças agora em função do pedido de exoneração do secretário de Turismo.

8 de dezembro de 2013 às 22:54

Carnatal de paz [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O Carnatal terminou na madrugada deste domingo sem registrar nenhuma grande ocorrência policial.
Foi seguro, e para quem foi, a festa foi animada.
O modelo de festa reduzida e indoor parece ter sido aprovada.
No último dia, até o ex-governador Lavoisier Maia foi conferir o novo modelo do Carnatal.
Foi recebido pelos donos da festa, o empresário Roberto Bezerra e o deputado Gustavo Carvalho.
Fotos: Márlio Forte

20131208-225343.jpg

8 de dezembro de 2013 às 22:46

Pub sem projeto acústico é interditado durante show de Luizinho Nobre [7] Comentários | Deixe seu comentário.

A Semurb e a Companhia Independente de Proteção Ambiental, da Polícia Militar, interditaram agora há poucono Chafariz Pub, em Ponta Negra.

Motivo: denúncia de poluição sonora.
A casa não teria entregue o projeto acústico exigido.

Houve tumulto mas o bar foi interditado e o show do cantor Luizinho Nobre, suspenso.

8 de dezembro de 2013 às 19:48

No dia internacional contra a corrupção, ministra Eliana Calmon faz palestra em Natal [0] Comentários | Deixe seu comentário.

A ministra do STJ, Eliana Calmon, será palestrante do evento promovido pelo MARCCO – Movimento Articulado de Combate à Corrupção, e pela CGU – Controladoria Geral da União, nesta segunda-feira, em Natal.
O evento, para lembrar o Dia Internacional contra a Corrupção, acontecerá na Escola de Governo, no Centro Administrativo, das 14h às 18h.
A palestra está programada para às 14h.
Depois serão apresentadas as principais ações do MARCCO e haverá o lançamento de selo comemorativo à data.

20131208-194542.jpg

8 de dezembro de 2013 às 18:25

Briga de torcedores deixa feridos em estado grave e interrompe Atlético-PR x Vasco [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Da Folha de S. Paulo:
*
Uma grande briga na arquibancada interrompeu a partida entre Atlético-PR e Vasco por cerca de uma hora e 15 minutos, na Arena Joinville, em Joinville (SC).

Segundo o médico José Eduardo Dias, dois casos de torcedores machucados foram aparentemente mais graves. Um estava consciente. O outro, o médico não soube dizer.
“O que estava no Águia [helicóptero] não sei o seu estado”, disse Dias.

A partida estava no 17º minuto do primeiro tempo quando torcedores entraram em conflito, sem a presença de policiais para separá-los.

Os jogadores até tentaram em campo pedir para que os torcedores parassem de brigar, mas não adiantou.

Depois de chegar ao local, a polícia teve muito trabalho para conter a violência.

As agressões foram forte e alguns torcedores, que caíram, tiveram suas cabeças chutadas por rivais.

Um helicóptero entrou em campo para atender os machucados.

O Atlético-PR vencia a partida por 1 a 0 no momento que começou a confusão.

O comandante da polícia militar Adilson Moreira afirmou que quem deveria atuar dentro do estádio seriam seguranças contratados pelo clube mandante, o Atlético-PR.

“São 160 policiais militares dentro do estádio e alguns na parte de fora. Além disso, há 80 seguranças privados da empresa contratada pelo Atlético-PR. O que aconteceu ali poderia ter acontecido com o nosso policiamento também. Esse tipo de torcedor quando quer brigar, vem para o estádio para fazer isso”, disse em entrevista para a SporTV. “Há um entendimento do Ministério Público e da PM de que trata-se de um evento privado e tem que ter segurança privada. A PM faz [o trabalho] na parte externa do estádio”, completou.

20131208-182310.jpg
*
O técnico do Vasco, Adilson Batista, falou sobre a briga entre os torcedores.

“Lamentável ver imagens assim em um momento que se fala de Copa do Mundo no país”, disse Adilson.

O treinador atleticano, Vagner Mancini, também comentou o incidente.

“A vontade é de sair do estádio e ir embora para casa. Nunca vi cenas assim”, disse Mancini.

Mesmo depois de tanta confusão, a partida recomeçou.

20131208-182337.jpg

8 de dezembro de 2013 às 17:03

Assassinado em Janduís o irmão da ex-candidata à prefeita [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Crime bárbaro em Janduís.
O fazendeiro Marcelo Saldanha estava em casa quando se surpreendeu com a chegada de um homem armado.
Tentou correr mas foi atingido por tiros na cabeça.
Marcelo é irmão de Nailka, candidata do PT à Prefeitura de Janduís na eleição passada, e atualmente casada com o ex-prefeito Salomão Gurgel (PT).
*
Com informações do twitter @cezaralves

8 de dezembro de 2013 às 12:57

2014: novo ano terá novo aumento nos preços dos combustíveis [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Da Folha de S. Paulo de hoje:

GASOLINA DEVE CONTINUAR A SUBIR EM ANO ELEITORAL
DENISE LUNA
PEDRO SOARES
BERNARDO MELLO FRANCO
DO RIO

Na semana em que a Petrobras chegou a perder 10% de seu valor na Bolsa em um dia, a presidente da empresa, Graça Foster, disse esperar uma “compreensão maior” do mercado para o reajuste de preços recém-anunciado.
*
No dia 29, a estatal aumentou o diesel em 8% e a gasolina em 4%. Os valores ficaram abaixo do esperado pelos investidores, o que levou à forte queda das ações.

Graça reconheceu que a desvalorização foi “muito ruim”, mas prometeu recuperar a confiança dos acionistas e reduzir, aos poucos, a diferença entre os preços cobrados no Brasil e no exterior.
*
Com uma tabela nas mãos, mostrou que a defasagem em relação ao mercado internacional seis dias após o reajuste ainda era de 17,8% para o diesel e 14% para a gasolina.

Ela negou que a empresa tenha desistido de implantar uma nova metodologia para os reajustes, conforme anunciara ao mercado em outubro.
*
Apesar de a inflação ter se tornado tema central no debate eleitoral, avisou que os preços podem voltar a subir em 2014 com a aplicação da fórmula. Graça falou à Folha anteontem, em sua primeira entrevista desde o reajuste.

20131208-124150.jpg
*

Folha – Como a sra. reagiu à queda das ações da Petrobras?

Graça Foster – É muito ruim. Fiquei apreensiva pela discussão. Óbvio que ver uma queda de 10% em um dia [é ruim]. Mas tenho certeza de que à medida de que o mercado enxergue o efeito dessa metodologia…

Primeiro, estou dizendo que ela existe. Jamais faria um fato relevante [comunicado ao mercado] em cima de uma metodologia que não existe. E jamais faria uma metodologia que não trabalhasse com fatos realistas.

Esperava compreensão maior do mercado, que ele tivesse compreendido o grande avanço que fizemos. Não é “Poxa, me compreenda”. É a compreensão do que estava escrito nos fatos relevantes. Mas também é preciso tempo para explicar e quantificar os efeitos da metodologia.
*
Podemos esperar novos aumentos em 2014?

É possível, pela metodologia, que nós possamos ter que praticar novos aumentos.
*

Por que não divulgar a fórmula do reajuste?

O Conselho de Administração colocou da seguinte forma: que outra metodologia, que outra fórmula de precificação da Petrobras é levada a mercado? Nenhuma. Não havia de fato a previsão de levar detalhes da metodologia, nem na sua versão inicial.
*
Por que o reajuste não será automático, como se esperava?

Foi uma grande discussão entre nós. Na primeira versão, o mercado entendeu que não haveria nenhuma interação da diretoria sobre o aumento. Mas [o reajuste] não é automático, passa pelo poder discricionário da diretoria da Petrobras.

Em 2009, quando o [barril de petróleo tipo] Brent estava a US$ 145 e caiu a US$ 45, ficamos ao menos um ano com preços no Brasil muito acima dos de fora. Se fosse assim [automático], a diretoria não poderia não mexer no preço.

O poder discricionário é extremamente importante. Afinal, a gente tem 100% do mercado. Não é possível repassar toda a diferença do preço internacional para fazer caixa. A gente sabe que não é assim que funciona.
*
E deveria ser assim?

Para a Petrobras, seria péssimo perder mercado, se a gente repassa tudo para fazer caixa e ficar sustentável. Não vale perder mercado.

Quando você coloca 4% [de reajuste] na gasolina, nas nossas simulações, já perde 0,7% de mercado. A gente pegou dois anos e viu qual é a partida que precisamos ter. Qualquer início [de aumento] tem impacto na inflação.
*
Houve queda de braço entre a sra. e o ministro da Fazenda, Guido Mantega, que era contrário ao reajuste?

O que houve foi uma intensa discussão técnica sobre a metodologia. É minha obrigação mostrar à companhia seu raio-x. Briga, embate, eu não confirmo de forma alguma. Agora, a gente mostra o que precisa produzir e captar.

Não podemos esquecer que tivemos a classificação rebaixada pela Moody’s [agência que avalia risco]. Não é uma discussão trivial. Mas queda de braço não houve.
*
O debate arranhou a relação?

Nossa relação profissional foi engrandecida, até. O produto de tudo isso é extremamente positivo. Eu tenho uma política [de preços] referendada, uma metodologia.
*
E com a presidente Dilma?

Não sei nem por que poderia ter sido prejudicada.
*
A sra. pensou em entregar o cargo, como se especulou?

Definitivamente não [repete]. Os dias aqui são extremamente longos. Você tem problemas de toda sorte e notícias boas de toda sorte.
*

20131208-125104.jpg
*
A Petrobras foi tema de debate nas últimas eleições presidenciais. A sra. está pronta para ataques em 2014?

Não vou discutir nem com a oposição nem com a situação. Sou uma técnica, uma engenheira, e virei presidente da Petrobras.

Se você perguntar o que eu acho do modelo de partilha [no pré-sal], considero que, em linhas gerais, é bastante conveniente.

A Petrobras neste ano entrou nos três leilões [de novos blocos de petróleo]. Deu a sua contribuição. A gente precisava renovar a nossa carteira [de áreas a serem exploradas]. Nosso portfólio já estava muito “carne de pescoço”.
*
A sra. é cotada para assumir a Casa Civil na reforma ministerial de março. Há essa chance?

Só a presidente [Dilma Rousseff] para falar. Acho que tenho um desafio enorme na Petrobras. Aqui é a minha casa. Tenho a minha tribo aqui. Estou bem.
*
E se for chamada?

Eu sou extremamente disciplinada, mas não levo isso nos meus planos, não.
*
Este ano ficará marcado pela derrocada de Eike Batista. Isso pode prejudicar a imagem do Brasil com investidores?

Não. Deve haver umas 60 empresas que operam no Brasil [com gás e petróleo]. Acharia muito bom se a HRT e a OGX [de Eike] estivessem bem. Outra empresa se projetando seria bom. A gente divide as notícias positivas.
*
A Petrobras é credora da OSX, de Eike. A sra. teme perdas na recuperação judicial deles?

A gente acompanha com muita atenção. Mas a preocupação é geral em toda a indústria de bens e serviços.

Temos duas integrações de construção de módulos [para plataformas de petróleo], com o Integra, um consórcio com a Mendes Júnior e a OSX. Está indo. Mas a gente sempre tem de ter um plano B, C…

8 de dezembro de 2013 às 12:22

Jornalistas de agências que cobrem o mundo visitam a Arena das Dunas [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Quarenta e três jornalistas de veiculos de comunicação do mundo, de órgãos do governo brasileiro e da Fifa, visistaram agora há pouco a Arena das Dunas.
Eles foram recebidos pelo jornalista Saint-Clair Milesi responsável pelo setor de comunicação do Comitê Orgabizador Local, COL, e pelo diretor do Consórcio Arena das Dunas, Charles Maia.
O governo do Estado foi represenado pelo vice-diretor da Emprotur, jornalista Alexandre Mulatinho, acompanhado da gerente de promoções internacionais Gina Robinson e da assessora de imprensa da Secopa, Lidiane Lins.
O secretário de Turismo Fernando Bezerril representou o Município, e estava acompanhada do assessor de Comunicação da Prefeitura, Heverton de Freitas.
*
Estão em Natal representantes dos seguintes veículos, alguns com até 3 profissionais de comunicação:

AFP – agência de notícias francesa
AP – mais antiga e a maior agência do mundo com sede nos EUA
Bloomberg News – agência de notícias internacional com sede em Nova York
dpa – agência de imprensa alemã
EFE – agência de notícias espanhola internacional
epa – uma das quatro principais agências de fotografias de notícias internacionais
GES-Sportfoto – FIFA
Getty Images – agência de banco americano com sede em Seattle (EUA)
ITAR-TASS – agência de notícias russa
JIJI Press – agência de notícias japonesa
Kyodo News – agência de notícias sediada em Minato, Tokyo
Press Association agência nacional de notícias do Reino Unido
Reuters – agência européia
RIA Novosti – uma das maiores agências de notícias da Rússia
SID
XINHUA NEWS – agência de imprensa oficial da República Popular da China
Secretaria de Communicação da Presidênca do Brasil
Ministério dos Esportes do Brasil
Embratur
Ogilvy – agência de comunicação de marketing com representações em mais de 160 cidades do mundo
FIFA
LOC – Comitê Organizador Local
*

20131208-122204.jpg
Correspondentes na Arena
*

20131208-122243.jpg
Imagens que serão mostradas ao mundo
*

20131208-122320.jpg
Visita na manhã deste domingo
*

20131208-122403.jpg
Heverton de Freitas, Alexandre Mulatinho e Saint Clair Milesi
*
Além de Natal, os correspondentes estrangeiros vão visitar as outras 11 sedes da Copa do Mundo de 2014.
O roteiro de visitas será concluído em Brasília, onde deverão ser recebidos pela presidente Dilma Rousseff.

8 de dezembro de 2013 às 12:21

Correspondentes estrangeiros preocupados com o futuro da Arena das Dunas [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Na visita agora há pouco à Arena das Dunas, os jornalistas estrangeiros se mostraram encantados com o projeto e a estrutura do estádio que vai sediar jogos da Copa.
Mas…preocupação geral.
O que será do belo estádio passada a Copa do Mundo?
30% dos jogos da Copa acontecerão no Nordeste, nos estádios de Natal, Fortaleza, Recife e Salvador.
A resposta pode estar por aí…ou não.
*
Hoje a comitiva de correspondentes estrangeiros, que ontem fez passeio de bugue pelas praias do litoral potiguar, tem um jantar com a governadora Rosalba Ciarlini e com o prefeito de Natal, Carlos Eduardo.
No restaurante Camarões Potiguar.

8 de dezembro de 2013 às 12:05

Fifa reabre venda de ingressos para Copa mas não disponibiliza entradas para jogos de baertura e final [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Quem sonha em assistir aos jogos da Copa ao vivo, nos estádios, pode começar a tentar se inscrever para conseguir ingressos a partir de hoje.
As tentativas, de hoje até às 9 horas (horário de Brasília) do dia 30 de janeiro, podem ser feitas pelo www.fifa.com/ingressos

Detalhe: a Fifa não disponibilizou entradas para o jogo de abertura, entre Brasil x Croácia, no dia 12 de junho, em São Paulo, nem para a final, no dia 13 de julho, no Rio.

As compras começaraão a ser confirmadas no dia 31 de janeiro.

8 de dezembro de 2013 às 11:12

O vigia da Previdência [0] Comentários | Deixe seu comentário.

De Vera Magalhães, na coluna Painel, Folha de hoje:

20131208-111037.jpg

8 de dezembro de 2013 às 10:53

Primo do presidente do PT assassinado em Serra do Mel também é morto em praça pública [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Sábado sangrento no pequeno município de Serra do Mel.
Eduardo Filgueira (Dudu) estava na praça com um filho pequeno quando foi assassinado.
Homens encapuzados passaram em um carro e atiraram contra a vítima.
Eduardo era primo de Edinaldo Filgueira, blogueiro e presidente do PT local, que também foi assassinado.

*
Seis acusados pela morte do blogueiro foram condenados pelo juri popular, há 2 dias.

Francisco Fábio Ferreira, o Galego, condenado a 19 anos de prisão em regime fechado
Paulo Ricardo da Costa, o Paulinho – 19 anos de prisão em regime fechado
Abinadab Ismael Nunes Pereira da Silva – 23 anos de prisão em regime fechado
Daniel dos Santos Azevedo – 20 anos de prisão em regime fechado
Marcélio de Sousa Moura – 23 anos de prisão em regime fechado
Rafânio Brito de Azevedo, o Alemão – 23 anos de prisão em regime fechado

8 de dezembro de 2013 às 10:20

Acidente com brinquedo em parque de diversões deixa feridos em Ceará-Mirim [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Noite de agonia na festa da padroeira de Ceará-Mirim, neste sábado.
Um brinquedo do parque de diversões do Nacional Center Park parou, com as pessoas de cabeça para baixo…
Uma pessoa teria caído e outra teria pulado.
As duas ficaram feridas.

As primeiras informações e fotos são do http://cearamirimvale.blogspot.com.br

20131208-101912.jpg
O brinquedo parou e teria pendido para um lado
*

20131208-101955.jpg
*
Atualizando às 12h30:

Em Ceará-Mirim, o Corpo de Bombeiros resgatou 14 pessoas que ficaram presas no brinquedo do parque de diversões que parou e ficou inclinado na noite deste sábado, durante as festividade da padroeira.
A operação iniciou por volta de 1 hora da manhã e se encerrou por volta das 4 horas.
Várias viaturas de salvamento, incluindo a Auto Plataforma, estiveram no local.