Thaisa Galvão

8 de junho de 2014 às 23:37

Inauguração do ‘Aeroporto de Natal’ com presença de Dilma terá 4 discursos e apenas 300 convidados [1] Comentários | Deixe seu comentário.

90 minutos.

É o tempo previsto para permanência da presidente Dilma Rousseff (PT) em São Gonçalo do Amarante nesta segunda-feira, onde será inaugurado o 'Aeroporto de Natal'.

Dilma, que chega ao RN em avião da Força Aérea Brasileira, teria, obrigatoriamente, que desembarcar na Base Aérea, no Aeroporto Augusto Severo.

Mas, como a presença dela no Estado se dará por causa da inauguração do aeroporto, será em São Gonçalo o pouso do avião oficial.

Nos 90 minutos previstos estão programados 4 discursos: o do prefeito de São Gonçalo, Jaime Calado (PR), o do presidente da Câmara e governadorável, Henrique Alves (PMDB), o da governadora Rosalba Ciarlini (DEM) e o da presidente da República.

Para quem aposta em solenidade marcada por vaias, isso não deverá ocorrer.

Dilma pousa no aeroporto e já segue para uma área reservada, isolada, com apenas 300 convidados, dos quais 70 do Governo do Estado.

Os outros da Prefeitura local, da Presidência da Câmara e do Consórcio Inframérica, responsável pelo aeroporto.

Sem espaço para vaias.

Uma festa mega privada, que não terá vaias, nem votos.

Fatura zero, no local.

Os personagens do aeroporto terão que se esmerar nos discursos que serão reproduzidos via assessorias que estarão presentes e trabalharão em tempo real.

Pressa, muita pressa terão as assessorias, já que estarão no jogo, interesses contrários. E contrariados.

Quem trouxe o aeroporto para o Rio Grande do Norte?

Dilma vai dizer que foi ela, desde os tempos em que era ministra do governo Lula.

Se for por aí, vai ter que dar um crédito à ex-governadora Wilma de Faria, que hoje não está mais no palanque do PT.

Henrique jura que foi ele.

Rosalba garante que foi ela, pois sem seu Governo, um deputado não tinha como trazer a obra federal.

Ter a ponta era preciso, daí a aliança temporária de Henrique com Rosalba.

Tem dúvida que se a festa fosse popular, seria marcada por vaias?

Os discursos deverão acontecer por volta das 10h30, num horário em que não há embarque nem desembarque no novo aeroporto.

A menos que, como sempre acontece, Dilma demore, chegue atrasada, e mude o curso do que foi programado.

Neste domingo, a chegada ao aeroporto ganhou o tom… verde.

Verde bacurau?

 

20140608-233927-85167585.jpg

Viveiro Marina de plantão na área do aeroporto neste domingo

 

 

8 de junho de 2014 às 22:17

Presidente do sindicato dos agentes penitenciários afirma que não existe greve, e acusa Sejuc de fazer terrorismo para convencer justiça [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários do Rio Grande do Norte, Vilma Batista falou hoje ao Blog sobre o embate que vem sendo travado entre a Justiça e a categoria.

Vilma questiona as decisões judiciais, que fixam em 5 mil para ela e 100 mil para o sindicato, as multas por cada dia de greve, e por um motivo: não existe greve.

É o que garante a presidente do sindicato, afirmando que até o oficial de justiça que levou a notificação comprovou que não havia greve.

Vilma disse ao Blog que no dia 31 de maio os agentes penitenciários iniciaram uma greve, mas exatamente às 12h42 chegou a notificação da ilegalidade do movimento, e ela foi aos presídios explicar.

Para Vilma, está havendo um "terrorismo" por parte da Secretaria de Justiça e Cidadania do Estado que tem convencido, segundo a presidente do sindicato, o Tribunal de Justiça.

"O novo procurador do Estado e o secretário Júlio mais uma vez peticionaram dizendo que estamos descumprindo ordem judicial, o que não é verdade. Queria que alguém fosse numa unidade prisional para constatar que o governo induz o Judiciário ao erro. Os próprios oficiais de Justiça constataram isso. É uma injustiça", declarou Vilma, afirmando que os presídos funcionam sempre com 100% do efetivo.

 

"Nós nunca deixamos os 30% (da lei de greve) porque são poucos agentes. Temos unidades com 520 presos e 4 agentes de plantão. De 4 não temos como tirar 30%", explicou Vilma Batista, esclarecendo que o embate se dá mesmo no que diz respeito à lei de execuções penais.

 

"No dia seguinte à greve nós cumprimos apenas a lei de execuções penais e é aí onde está o embate, que diz que a lei de execução penal, se você olhar lá, nos artigos 10, 11 e 13, que fala da assistência, diz que quem tem que dar assistência ao preso é o Estado. Só que, o que acontece, na prática, como o Estado é muito capenga, não dá estrutura nenhuma ao servidor nem ao próprio preso, aí há aquelas regalias, aquelas facilitações, que é pra amenizar o sistema. Aí o que acontece? As famílias dos presos trazem uma lista de feira enorme, toda quarta, sexta e sábado. Então como é dever do Estado, nós não temos obrigação de revistar essas comidas, até porque nós nãi temos nenhum equipamento pra revistar essas comidas, tudo é feito manualmente. Então essa comida que vem de fora, nós não temos obrigação de revistar. Não é que a gente proíba, o diretor que bote pra dentro, mas nós não temos obrigação. Nós temos obrigação de revistar os familiares, as visitas e a comida que a visita vai comer lá dentro, não essas feiras.Que fi a polêmica do domingo (passado)", explicou Vilma, afirmando que de lá pra cá não houve nenhum movimento por parte dos agentes.

 

8 de junho de 2014 às 21:02

Prefeitos de Arez e Senador Georgino Avelino declaram apoio a Walter Alves [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Na disputa por uma vaga de deputado federal, Walter Alves, líder do PMDB na Assembleia Legislativa, recebeu apoio de mais dois prefeitos.

O de Arez, Erço Paiva e o de Senador Georgino Avelino, Val Bezerra.

O anúncio foram feitos em Arez, na convenção do PMDB, onde Walter foi com o ministro Garibaldi Filho.

20140608-210400-75840472.jpg

8 de junho de 2014 às 19:44

Candidatíssimo a federal, deputado Walter Alves é citado na Tribuna como candidato à reeleição [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Não entendi.

A torcida do Flamengo tambem não.

Por que a Tribuna do Norte desconhece a candidatura do deputado Walter Alves (PMDB) a deputado federal?

Todo mundo sabe que todo mundo sabe que Walter já trabalha para disputar cadeira na Câmara dos Deputados.

Todo mundo sabe que todo mundo sabe que Walter deverá ser dos mais votados, senão o mais.

Mas, o jornal da familia de Walter inclui o deputado estadual na lista dos candiatos à reeleição.

Todo mundo sabe que todo mundo sabe que Walter só não seria candidato a deputado federal se o deputado federal Henrique Alves (PMDB) não fosse candidato a governador e sim a deputado federal de novo.

Quando a TN desconhece o projeto de Walter, estaria acenando para uma nova decisão de Henrique?

 

8 de junho de 2014 às 18:08

José Agripino: “Ninguém vai ouvir de mim nenhuma palavra de demérito a Rosalba” [1] Comentários | Deixe seu comentário.

Depois de ler a entrevista da governadora Rosalba Ciarlini, telefonei para o senador José Agripino Maia, presidente nacional do DEM.

A caminho para o aeroporto, onde embarcaria para Brasília, ele conversou com o Blog.

Já havia lido a entrevista de Rosalba publicada na página online da revista Época.

 

Thaisa Galvão – E aí, senador, o DEM vai sumir? Ou a governadora Rosalba vai sumir?

José Agripino – Em primeiro lugar quero deixar bem claro que ninguém vai ouvir de mim nenhuma palavra de demérito a Rosalba. O que está jogo é a relação política, não a pessoal. O que está em jogo é a sobrevivência do partido.

 

Thaisa Galvão – Mas, quem some senador, o DEM ou Rosalba?

José Agripino – Depois do ataque do PSD ao qual o DEM resistiu, o partido só cresceu. Não tinha nenhuma prefeitura de capitais e hoje tem Salvador, Aracaju e Vila Velha, a maior cidade do Espírito Santo. Agora tem na mão a perspectiva segura de eleger o governador do quarto Estado do Brasil, a Bahia. Paulo Souto tem mais intenção de votos do que todos os outros candidatos juntos. Lamentavelmente o estado onde o DEM não cresceu foi aqui, o nosso Estado. Sou obrigado a fazer a constatação. Foi o nosso estado que perdeu um deputado federal (referindo-se a Betinho Rosado, cunhado da governadora, que deixou o DEM). Na Bahia e Sergipe enfrentamos todo tipo de adversidades e ganhamos. Crescemos e crescemos juntos. Na Bahia ganhamos nas duas maiores cidades, Salvador e Feira de Santana.

 

Thaisa Galvão – A revista Época perguntou à governadora qual a vantagem do DEM apoiar Henrique Alves. Ela não respondeu e disse que o DEM poderia responder. O senhor responde?

José Agripino – Estamos propondo uma coligação na eleição proporcional. A tese é de, na convenção, se propor coligação na eleição proporcional, e não na majoritária. O partido ficará livre para para apoiar candidaturas que se sentirem confortáveis nos municípios.

 

Thaisa Galvão – Mas o senhor não acha que a liberdade que o DEM dá aos aliados dos municípios, tira da governadora, caso ela queira disputar a reeleição?

José Agripino – Ela terá todo direito. Não fechamos a possibilidade de apresentação de outras teses. Até 48 horas antes da convenção (até às 9 horas da sexta-feira, 13) podem ser registradas novas propostas ou chapas alternativas.

 

Thaisa Galvão – O que levaria o DEM a rever a posição em relação à governadora Rosalba Ciarlini?

José Agripino – Se ela apresentar a elegibilidade e alianças mínimas. Se ela conseguir, por exemplo, o apoio do PROS e do PMN como ela chegou conversar com os deputados Felipe Maia e Getúlio Rêgo. Se ela não reverter a inelegibilidade e não conseguir aliança mínima, querer ser candidata é suicídio. A pré-condição primeiro é política, e segundo, a da inelegibilidade.

 

Thaisa Galvão – Ontem o senhor se reuniu com os deputados Henrique Alves, João Maia e Ricardo Motta. Ricardo do PROS. Há possibilidade do PROS se aliar ao projeto da governadora?

José Agripino – Nunca. Possibilidade zero. Nenhuma possibilidade.

 

Thaisa Galvão – Senador e os deputados? O caso de Getúlio Rêgo é bem claro. Ele não apóia a candidatura de Henrique. Ele seria um desses casos de apoio na proporcional e liberdade para se posicionar nos municípios?

José Agripino – Se Henrique quiser ganhar a eleição vai ter que se comportar como um candidato que agregue. Vai ter que chamar os dissidentes, plr exemplo, Pau dos Ferros, urrais Novos, Acari, Santana do Matos. Cabe a ele conciliar esses interesses.Eu já fiz isso pra ter os dois lados do meu lado. Na última campanha para o Senado mesmo. Ele tem que fazer isso e ele vai fazer isso. Equilibrar. Como eu já fiz, como Garibaldi já fez, como João Maia pode ajudar a fazer. A tarefa de conquistar o voto será de Henrique, do candidato a governador. Uma coligação proporcional existe espaço para essa conquista? Na minha opinião existe.

 

Thaisa Galvão – Hoje há mais clima de desapontamento de Rosalba com José Agripino ou de José Agripino com Rosalba?

José Agripino – Não é uma questão de disputa. Vou repetir o que disse: ninguém nunca vai ouvir nenhuma palavra de demérito a Rosalba. Mas, como presidente nacional do DEM, minha obrigação é preservar a sobrevivência do meu partido.

8 de junho de 2014 às 13:20

Em entrevista à Época, Rosalba conta detalhes da reunião do DEM, conta mágoas do partido e diz que a legenda tende a se acabar [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Da revista Época Online:


20140608-132105-48065320.jpg

 

Governadora do Rio Grande do Norte, Rosalba Ciarlini é um espécime em extinção em seu partido, o DEM.

Enquanto o PT tem quatro governadores de estado, o PSDB cinco e o PMDB sete, o DEM tem apenas um – no caso, Rosalba. Até 2010 ela tinha a companhia de Raimundo Colombo, governador de Santa Catarina. Mas, em 2011, Colombo seguiu como vários companheiros para outro hábitat, o PSD.

Agora, a espécie dos governadores corre risco de extinção no hábitat do DEM.

Na semana passada, em uma reunião em Natal comandada pelo senador José Agripino Maia, ficou decidido que Rosalba não será candidata à reeleição.

A intenção do encontro foi antecipar uma decisão que deveria ser tomada na convenção do partido no estado, marcada para o dia 15.

Como a gestão de Rosalba é mal avaliada nas pesquisas, Agripino preferiu desistir dela para apoiar o candidato do PMDB, o presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves.

A ideia de Agripino é, com a aliança, tentar eleger uma bancada maior de deputados estaduais e federais para sobreviver – afinal, o DEM vem diminuindo de tamanho desde 2003.

Impedida de tentar a reeleição, Rosalba falou de sua situação nesta entrevista a ÉPOCA. Seus muitos momentos de silêncio durante a conversa e as escusas nas respostas dizem tanto quanto suas palavras sobre o assunto.

Mesmo cuidadosa, ela vaticina: “O DEM tende a sumir”.

 

ÉPOCAQual é a importância para o DEM da sua não-candidatura? A senhora é a única governadora do partido.


Rosalba – Eu acho que você tem de perguntar a eles.



 

ÉPOCA – Mas qual a opinião da senhora? 


Rosalba – Só tínhamos dois (governadores). Perdemos um. A única que ficou está sem condições de colocar seu nome. O DEM tende a sumir. 



 

ÉPOCA – Com a decisão de impedir a sua reeleição, o DEM está se apequenando?

Rosalba – Eu acho que, na realidade, era para estarmos lutando para termos mais governadores, como se luta para ter mais prefeitos, que são a base das eleições. Tendo mais governador cresce também a bancada. Muita coisa eu não posso responder por eles.



 

ÉPOCA – Como foi a reunião da semana passada? A senhora já percebeu um clima desfavorável?


Rosalba – Já percebi, porque na realidade o diretório vem de longas datas, ele (o senador José Agripino Maia) é o presidente do partido, sempre foi. Então, é claro que não tem se renovado muito o diretório. Teve votos nulos, votos em branco, teve abstenções – poucas, mas teve. Então, não havia unanimidade.

 

ÉPOCA – A votação foi aberta?


Rosalba – Não, foi secreta. 



 

ÉPOCA – O senador Agripino Maia fez algum tipo de consideração?


Rosalba – Não, foi só isso. Ele encaminhou mostrando a necessidade de o partido crescer suas bancadas e, para isso, não poderia ficar só (na disputa eleitoral); que o governo até então não tinha montado uma arco de alianças. Eu ponderei que, para você montar um arco de alianças, você precisa que as lideranças do partido ajudem.



 

ÉPOCA – A senhora está desapontada com ele?


Rosalba – Eu preferia não fazer nenhuma observação. 



 

ÉPOCA – Por quê?

Rosalba – (silêncio) Deixa… Eu estou refletindo.



 

ÉPOCA – A senhora conversa com o senador Agripino sobre sua situação?


Rosalba – Somos do mesmo estado e o conheço há mais de 50 anos. Frequenta a minha casa e nos tratamos muito bem. Sempre houve confiança de ambas as partes. Durante todo esse período, fui tentada a trocar de partido e isso poderia até ter sido mais promissor para mim politicamente. Mas eu não mudei porque Agripino era o presidente do partido e me mantive no DEM por uma questão de lealdade e respeito a ele.



 

ÉPOCA – Quais partidos a convidaram para que deixasse o DEM?

Rosalba – Tive convite do PSD, PROS, PTB, PP e de partidos menores. Qual é o partido do Marcelo Crivella? PRB. Tive convite do PRB. Mas fiquei no DEM.



 

ÉPOCA – Mas o que Agripino disse à senhora recentemente?

Rosalba – Há duas semanas estive com Agripino na casa dele em Natal. Ele disse que se eu tivesse condições eleitorais, poderia tentar. Mas qual seria o problema se eu me candidatasse? Tem candidato que entrou derrotado numa eleição e acabou eleito; e outros que entraram eleitos e saíram derrotados. Uma vez um candidato foi dormir achando que tinha ganhado a eleição em Natal. No outro dia descobriu ter perdido para Aldo Tinoco, um sanitarista que não era muito conhecido. O candidato derrotado foi (o presidente da Câmara) Henrique (Alves) e o povo lá em Natal comenta muito sobre isso. Mas voltando, se eu me candidatasse, o que poderia acontecer? Eu poderia não chegar ao segundo turno. Mas ainda assim o partido seria o fiel da balança no segundo turno e sairíamos ainda mais valorizados. Mas a preocupação era sempre com as eleições para deputados e senador porque não poderia ir só o Democratas. Eu disse que garantiria dois partidos (na aliança) e com chance de angariar o apoio de outros. Mas eu disse a Agripino que precisava de um aceno de que eu seria candidata, porque não posso propor aliança sem saber se vou ser candidata. Aí ele disse que faríamos uma reunião para ouvir o diretório.

 

ÉPOCA – Mas quais foram as condições impostas por Agripino para que pudesse apoiá-la? 


Rosalba – Ele apontou com clareza as minhas dificuldades. Disse que eu precisava dessas alianças. Também se mostrou preocupado com uma questão jurídica no Tribunal Superior Eleitoral que pede minha inelegibilidade. Mas estou tranquila quanto a isso. No meu caso só cabe uma multa, não a inelegibilidade. O processo fala na chegada de um equipamento a uma semana antes da eleição. Mas eu não estive nesse local da entrega do equipamento e a presidente da comunidade beneficiada disse que eu não estava lá e que ninguém pediu voto.



 

ÉPOCA – O que a senhora pediu na reunião de segunda-feira? 


Rosalba – Pedi que aguardássemos até a convenção do partido para eu ter tempo de costurar as alianças. Historicamente nenhum governador, por mais desgaste que teve, chega a uma eleição com menos de 25% – e eu já estava chegando perto, mesmo sem ser candidata. Aliás, se estou tão desgastada, por que todos têm tanto medo de me enfrentar? O partido cria todo tipo de dificuldade para eu ser candidata. É uma coisa incrível. Depois da reunião os jornais deram destaque que o partido tinha negado a legenda para a minha candidatura. Apesar de não ser oficial, pois o assunto deve ser tratado na convenção, isso dificultou a minha situação ainda mais.



 

ÉPOCA – E o que aconteceu?


Rosalba – O que me surpreendeu é que o meu apelo não foi levado em consideração. Só que na reunião só se falou sobre eleição proporcional (deputados e senador). Quando isso aconteceu, percebi que se tratava de uma cassação branca. Deixei a reunião para não parecer que estava aceitando aquilo. Fui acompanhada de algumas pessoas. Dizem que dar atenção às eleições proporcionais é uma decisão nacional do DEM com o objetivo de o partido crescer. Acho importante essa preocupação com as eleições proporcionais. Mas fica mais fácil tendo um candidato majoritário. Esse é o meu pensamento. Se na convenção eu percebesse que não teria condições, desistiria. Mas o partido chegou a antecipar as convenções.



 

ÉPOCA – Quando será a convenção do DEM no Rio Grande do Norte?


Rosalba – Vai ser no dia 15, quando todas serão depois do dia 25. Mal começou a Copa… Era (para ser no dia) 13, é porque já gritaram lá que é o dia do primeiro jogo (da Copa) em Natal! Então, (foi) tudo montado. Assim, pareceu uma coisa muito… como se diz: não quer, não quer, não quer.



 

ÉPOCA – O governo da senhora tem sido mal avaliado. Numa pesquisa a senhora ficou na pior posição entre os 27 governadores.


Rosalba – Não digo que vou ganhar a eleição. Mas o nosso partido tinha chance de disputar a eleição. Minha candidatura levaria a eleição no Rio Grande do Norte para o segundo turno. Eu teria a oportunidade de esclarecer muita coisa sobre o meu governo.

 

ÉPOCA – Como a avaliação do seu governo chegou a esse nível? Isso foi levado em conta na reunião?


Rosalba – Não, isso não (foi levado em conta). Até porque eles sabem que isso (a avaliação do governo) vem melhorando. O governo que eu peguei, como eu disse, estava falido. Os hospitais eram o caos do caos. Com toda essa loucura, nós fizemos mutirão de cirurgias para acabar com as filas e acabamos em muitos lugares, aumentamos 88 leitos de UTI, 140 leitos de retaguarda. (o Rio Grande do Norte) É o estado que tem a maior cobertura de SAMU. Nós temos SAMU em todo estado: toda cidade com mais de 20.000 habitantes tem SAMU. Nós avançamos na oncologia, acabamos com a fila, hematologia está funcionando bem, voltamos a fazer até transplante de fígado que tinha parado. Nada é perfeito, tem muito a fazer, mas já melhorou muito. O aeroporto saiu do papel. Mérito da governadora? Luta da governadora, porque não descansei um só segundo. Teve a presença da nossa bancada? Teve e o compromisso da presidenta Dilma, mas ele vinha se arrastando há 17 anos.



 

ÉPOCA – Quando a senhora teve sinais de que o PMDB, que apoiava seu governo, não a apoiaria num projeto de reeleição?


Rosalba – Teve um determinado momento em que o PMDB, que chegou a ocupar sete secretarias, deixou o governo. Naquele momento, o PMDB já dizia que queria uma candidatura própria. Começamos a ver entrevistas. Havia sinalizações de que ele estava formando um acordo muito grande, inclusive com partidos que têm ideologias diferentes. A candidata dele ao Senado (Wilma Faria) é do partido do Eduardo Campos (PSB). Henrique Alves dizia que apoiava a (presidente) Dilma (Rousseff). Já outros partidos desse acordão querem apoiar o (senador) Aécio (Neves, candidato pelo PSDB).



 

ÉPOCA – Qual a vantagem do DEM em apoiar Henrique Alves?


Rosalba – Olha, sinceramente, eu não sei. As bases no interior reagem muito porque sempre foram partidos historicamente, adversários. Isso aí só quem pode responder é quem… Eu não discuti isso, né? 



 

ÉPOCA – A senhora temeria confronto com Henrique Alves?


Rosalba – Não temeria confronto eleitoral com ninguém, porque era uma boa oportunidade para esclarecer muita coisa. Quem for governador do Rio Grande do Norte agora, vai encontrar um Rio Grande do Norte melhor. Nós ficamos entre os três estados, dito pelo próprio Tesouro, que fizemos o melhor ajuste fiscal. O Estado do Rio Grande do Norte conseguiu com o Banco Mundial o maior programa para ser desenvolvido da história do Rio Grande do Norte: US$ 540 milhões. Esse projeto começou comigo, começo, meio e fim. Já está andando o programa, começou este ano. (O estado) Nunca tinha conseguido. E conseguiu por que? Porque fez o ajuste fiscal, tem capacidade de pagamento, de endividamento e tem projetos.



 

ÉPOCA – A senhora tem um bom relacionamento com a presidente Dilma?

Rosalba – Tenho. Relacionamento republicano.



 

ÉPOCA – Ela ajudou a senhora?

Rosalba – Sempre que procurei, ela não se negou a ajudar. Isso aí eu tenho de lhe dizer: que a presidenta não criou nenhuma dificuldade. Por exemplo: a barragem de Oiticica, que havia uma dificuldade, vai ser, não vai, se é com Dnocs (Departamento Nacional de Obras de Contra às Seca), se é com o estado. Falei com ela, na mesma hora ela ligou para a (ministra do Planejamento) Míriam (Belchior) e mandou fazer a autorização da ordem de serviço.



 

ÉPOCA – Esse bom relacionamento com a presidente causou algum tipo de constrangimento para a senhora dentro do DEM?


Rosalba – Saíram dizendo que eu votaria em Dilma. Eu disse, na verdade, que poderei votar. E disse isso porque vi ações de combate à seca com as quais eu estava plenamente de acordo. Foi uma posição em cima de algo administrativo e a maneira republicana com a qual eu fui tratada pela presidente.



 

ÉPOCA – Houve alguma reação contrária do partido a sua manifestação?


Rosalba – Isso não deve ter agradado por eu ter elogiado tanto a presidenta Dilma. Eu disse que se estiver certo, eu aplaudo. Se estiver errado, também vou dizer.

 



ÉPOCA – Por que o DEM diminuiu tanto de tamanho?

Rosalba – O partido está precisando fazer uma análise de tudo isso. E acompanhar o rumo que o Brasil está tomando. É um tempo de mudanças e o DEM permaneceu muito estático.

 

8 de junho de 2014 às 12:52

Mais do mesmo na rede [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Pergunta de leitor atento:

O que ha em comum entre Luis Eduardo e Lucas Gabriel?

O endereço físico.

O IP.

O RG.

O CPF.

O registro de nascimento.

O cônjuge.

OK.

Explicado.

8 de junho de 2014 às 9:52

Deputado Felipe Maia prestigia eventos em Poço Branco e Natal [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O deputado federal Felipe Maia (DEM) passou o sábado entre Natal e Poço Branco.

Em Poço Branco, foi ao aniversário do ex-candidato a prefeito, Waldemar de Góis, que reuniu aliados no Cajueiro Bar.

Em Natal, Felipe foi prestigiar o "Arrasta-Pé da Melhor Idade" no bairro de Ponta Negra.

A festa aconteceu na Associação dos Moradores dos Parques Residenciais de Ponta Negra e Alagamar (Ampa) e além de quadrilha teve leilão, balaio e a escolha da Rainha do Milho.

20140608-095311-35591295.jpg

8 de junho de 2014 às 9:12

Chega a Natal helicóptero do governo do Maranhão emprestada ao Samu-RN durante a Copa [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Chegou a Natal um helicóptero cedido pelo Governo do Maranhão.

Durante a Copa, a aeronave emprestada à Secretaria de Saúde, será utilizada pelo Samu-RN.

Esse tipo de parceria está sendo feita entre Estados que têm e os que não têm Copa.

Enquanto isso, o helicóptero Potiguar 01 será utilizada somente pela Segurança.

20140608-091323-33203816.jpg

8 de junho de 2014 às 5:04

Garibaldi e Walter Alves na convenção do PMDB em Arez [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O ministro Garibaldi Filho e o deputado e pré-candidato a federal, Walter Alves, foram ao município de Arez neste sábado.

Recebidos pelo prefeito Erço Paiva, eles foram à convenção do PMDB que reconduziu Basílio Nascimento à presidência do PMDB.

20140608-050527-18327606.jpg

8 de junho de 2014 às 4:54

Coletiva vai detalhar medidas de proteção à criança durante a Copa [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O Ministério Público do Estado, a Vara da Infância e da Juventude e a Secretaria de Asssitência Social do Município vão anunciar as medidas de proteção à criança e ao adolescente no período da Copa em Natal.

O anúncio será feito na coletiva marcada para terça-feira, às 9h30, no auditório do MP da rua Poty Nóbrega.

8 de junho de 2014 às 4:44

Sessão solene da AL adiada por causa da inauguração do aeroporto [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Adiada a sessão solene para entrega do título de cidadão norte-rio-grandense ao empresário José Walter de Carvalho.

A homenagem do presidente da Casa, Ricardo Motta, nesta segunda-feira, não mais acontecerá por causa da inauguração aeroporto de São Gonçalo com a presença da presidente Dilma Rousseff.

A nova data será anunciada.

8 de junho de 2014 às 4:30

Domingo: Dia Mundial dos Oceanos [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Da Rádio ONU:

 

ONU celebra o Dia Mundial dos Oceanos neste domingo

 

Assembleia Geral reconhece os oceanos e mares como parte importante do desenvolvimento sustentável; presidente do órgão afirmou que eles são fonte de atividade econômica e a alimentos

Edgard Júnior

da Rádio ONU em Nova York

 

A ONU celebra neste domingo o Dia Mundial dos Oceanos.

A Assembleia Geral reconhece os mares e oceanos como partes importantes do desenvolvimento sustentável, como previsto pela Declaração dos Objetivos do Milênio.

 

Homenagem

Em mensagem especial para marcar a data, o presidente da casa, John Ashe, incentivou todos ao redor do planeta a homenagear os oceanos.

Segundo Ashe, essas regiões são grandes fontes de atividades econômicas, de alimentos e são também parte da biosfera.

Ele disse que desde 2009 a "família ONU" se reúne todos os anos para pedir as comunidades que assegurem que os mares continuem limpos, despoluídos e saudáveis.

 

Poder

O tema da comemoração em 2014 ressalta o poder dessa colaboração: "Juntos nós temos o poder de proteger o oceano!"

No momento em que o mundo se prepara para implementar a Agenda de Desenvolvimento Pós-2015, Ashe pediu aos Estados-membros e outros parceiros que continuem adotando medidas para proteger os oceanos.

Entre elas estão ações para reduzir a poluição e proteger a vida marinha para as gerações futuras.

O presidente da Assembleia Geral disse que "bilhões de seres humanos, plantas e animais dependem dos oceanos diariamente e, juntos, devemos nos esforçar para protegê-los e para criar um futuro melhor e mais limpo para o planeta".

 

 

 

8 de junho de 2014 às 4:23

Ex-prefeito de Macau Flávio Veras não acata pedido de Henrique para apoiar Sávio Hackradt (PDT) e decide deixar o PMDB [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Publiquei aqui há dois dias que o ex-prefeito de Macau, Flávio Veras, líder peemedebista no município, não acatou a decisão do deputado Henrique Alves (PMDB), que sempre teve os votos de Macau, de repassar para a base eleitoral, para ser votado em seu lugar, o ex-chefe da Casa Civil da Prfeitura de Natal, Sávio Hackradt, do PDT.

Veras tirou o time de campo e se acertou com a candidatura a federal do vereador de Natal e presidente do PROS, Rafael Motta.

O Blog só não publicou uma coisa:a coisa foi tão séria que Flávio Veras vai deixar o PMDB.

Tudo pronto para se filiar ao PROS.

Como não é candidato, pode fazer isso a hora que quiser.

8 de junho de 2014 às 4:13

João Maia e Jaime Calado recebem Wilma e Márcia para acertar dobradinha [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O deputado João Maia (PR), vice na chapa puxada pelo governadorável Henrique Alves (PMDB), recebeu neste sábado em seu apartamento a visita da senadorável Wilma de Faria (PSB) e da filha deputada Márcia Maia (PSB).

Com João, na recepção, o prefeito de São Gonçalo do Amarante, Jaime Calado (PR).

Encontro com cara e jeito de fechamento de dobradinha entre Márcia e a médica Zenaide Maia (PR), mulher de Jaime, pré-candidata à deputada federal.

Márcia e João são vizinhos de prédio: ela no primeiro andar e ele no quinto.

20140608-041447-15287004.jpg

8 de junho de 2014 às 4:07

Obras de mobilidade da Copa serão inauguradas nesta segunda-feira em Natal [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O prefeito Carlos Eduardo inaugura nesta segunda-feira, às 9 da manhã, o Complexo Viário Dom Eugênio Sales.

A assessoria da Prefeitura está dizendo que vão ser entregues à população de Natal nesta segunda-feira, um viaduto estaiado (aonde?), um túnel ligando a Lima e Silva à rua São José, e túneis entre Jerônimo Câmara e Mor Gouveia.

A solenidade de inauguração será na avenida Lima e Silva, em frente à casa do ex-governador Geraldo Melo.

Fazem parte do Complexo, mas só serão inaugurados depois, o viaduto que está sendo levantado ao lado da Arena das Dunas e um túnel na rua Norton Chaves.

A assessoria da Prefeitura garante que esse túnel fica pronto no dia 12, 3 dias depois da inauguração.

Já o viaduto ao lado da Arena das Dunas está sendo empacotado.

Será escondido para evitar um cenário feio ao lado do estádio da Copa.

Será transformado num paredão.

Os trabalhadores já estão virando noite para arrumarem o pacote.

De acordo com a assessoria da Prefeitura, esses túneis que serão abertos na segunda-feira vão eliminar 8 sinais, fazendo fluir o trânsito na região.

As obras foram orçadas em 224 milhões, sendo 180 milhões repassados pelo governo federal.

Ah..

A assessoria da Prefeitura está dizendo que o viaduto que não será entregue agora, será inaugurado no dia 30 de junho.

Significa então que, mesmo empacotado, as obras continuarão durante a Copa?

Foi o que deu para entender.

 

8 de junho de 2014 às 3:43

Zenaide Maia e George Soares fazem dobradinha no encontro da Colônia Assuense em Natal [1] Comentários | Deixe seu comentário.

No clima de dobradinha, o deputado estadual George Soares (PR) e a pré-candidata à deputada federal, Zenaide Maia (PR), participaram neste sábado, de uma missa que reuniu a Colônia Assuense em Natal.

Missa celebrada pelo padre Flávio Melo na igreja de São João Batista.

Com Zenaide, o marido prefeito de São Gonçalo do Amarante, Jaime Calado.

20140608-034428-13468834.jpg

8 de junho de 2014 às 3:16

Apostador de Macaíba ganha sozinho 31 milhões na Mega Sena [0] Comentários | Deixe seu comentário.

É de Macaíba, no Rio Grande do Norte, o mais novo milionário.

Foi um apostador do município da Grande Natal que levou sozinho o prêmio da Mega Sena, sorteado neste sábado.

Ele acertou as dezenas 01, 15, 37, 42, 46 e 54 e faturou R$ 31.599.293,88.

8 de junho de 2014 às 1:47

Robinson e Fábio Faria prestigiam abertura do São João de Mossoró [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O pré-candidato ao Governo do RN, Robinson Faria (PSD), foi neste sábado a Mossoró prestigiar o prefeito correligionário Francisco Silveira Júnior (PSD).

Acompanhado do deputado federal Fábio Faria (PSD), Robinson foi acompanhar o 'Pingo da Mei Dia', evento tradiciona que abre a programação do 'Mossoró Cidade Junina'.

 

20140608-014754-6474548.jpg

8 de junho de 2014 às 1:38

Fátima Bezerra costura apoios em Areia Branca [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Além de participar da abertura do São João em Mossoró, a senadorável Fátima Bezerra (PT) foi a Areia Branca.

No municipio, se reuniu com 8 vereadores e com o ex-prefeito, Souza.

A deputada-candidata saiu de Areia Branca com garantia dos apoios.

 

20140608-013950-5990353.jpg