Thaisa Galvão

30 de julho de 2015 às 23:57

Dilma não assume responsabilidade pela instabilidade e convoca governadores para barrar pauta-bomba [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Da Folha:

ANÁLISE

Dilma manda a governadores recado que eles não queriam ouvir

VERA MAGALHÃES

EDITORA DO PAINEL

 
Os dias que antecederam a reunião de Dilma Rousseff com os governadores foram cercados de certo desconforto por parte dos convidados.
Diante da crise econômica e política e da popularidade em franco derretimento da presidente, os chefes dos Executivos estaduais temiam ser chamados para dividir o fardo pesado que Dilma carrega desde que se reelegeu.
Mais: os que foram reeleitos no ano passado guardavam ainda fresca na memória a experiência pós-junho de 2013, quando Dilma chamou os 27 governadores para assistirem ao famoso discurso dos “pactos” nacionais –eram cinco, no fim nenhum deles se concretizou.
Os oposicionistas temiam cair na cilada de serem convidados a ajudar numa governabilidade que nem lhes interessa nem é sua responsabilidade. E os dos partidos aliados, que sentem no dia a dia a dificuldade de apoiar um governo impopular, também não queriam se tornar sócios nessa empreitada.
Foi com essa (pouca) disposição que a maioria dos 27 viajou a Brasília. Some-se a isso as trapalhadas de cerimonial, que só distribuiu os convites poucos dias antes do encontro, com pauta genérica e sem deixar claro quem falaria ou não, e dá para se ter ideia do clima pré-encontro.
Pois bem. Com todos dispostos em volta da mesa no Palácio da Alvorada, Dilma se pôs justamente a fazer um discurso genérico sobre várias áreas do governo, seguido de um chamado para que os ministros das áreas fizessem em seguida uma “rápida” explanação sobre projetos de suas pastas.
TRUQUE RETÓRICO
Na parte televisionada do encontro, a presidente leu um papel sem olhar nos olhos dos convidados. Citou de forma ensaiada um ou outro dos presentes, para afetar alguma intimidade e consideração –o efeito foi nulo, o truque retórico é manjado e não funcionou com o pouco traquejo de Dilma para o improviso.
E, já no finzinho, mandou o recado que os governadores não queriam ouvir: precisa da ajuda deles para barrar a pauta-bomba no Congresso. Pior: insistiu que a crise é uma “travessia”, sem assumir nenhuma responsabilidade pela instabilidade econômica, e repetiu várias vezes que ela atinge “to-dos”, assim mesmo escandido, os governos.
Equivaleu a dizer aos que se abalaram a Brasília: me ajudem a embalar Mateus porque não pari sozinha.
Acontece que os governadores pensam o contrário: a crise é do governo federal, que a criou e a agravou. Se Dilma quer ajuda para o ajuste fiscal, algo que muitos estão dispostos a ofertar, deveria pedir especificamente para isso e assumir a responsabilidade que lhe tange, sem tergiversar.
Na parte aberta do encontro, no entanto, a presidente passou longe disso.
Resta saber se os políticos que faziam reparos ao modelo da reunião nos bastidores terão coragem de explicitar as críticas diante de Dilma, se for dada a palavra a todos. O mais provável é que também eles se atenham a observações genéricas.
Nesse caso, o encontro terá sido mais uma reunião longa, cansativa e inócua, como aquela de 2013 e tantas outras. Dilma sairá dela tão impopular e desgastada quanto entrou, os governadores voltarão para seus Estados sem recursos e perspectivas de investimentos e a pauta-bomba continuará à espreita quando o Congresso retomar os trabalhos na segunda-feira. 

   
Governador Robinson Faria presente à reunião com a presidente 

30 de julho de 2015 às 23:24

Ameaçada por parlamentares, advogada fecha escritório e desiste da carreira para preservar segurança dos filhos [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Do G1 e Jornal Nacional

Advogada diz que encerrou carreira devido a ameaças de membros da CPI

Comissão convocou Beatriz Catta Preta para explicar origem de honorários. Presidente da CPI disse que convocação foi unânime e não há perseguição

 
 A advogada Beatriz Catta Preta afirmou em entrevista ao repórter César Tralli, na edição desta quinta-feira (30) do Jornal Nacional, que decidiu deixar os casos dos clientes que defendia na Operação Lava Jato porque se sentia ameaçada e intimidada por integrantes da CPI da Petrobras. Ela disse que, devido às supostas ameaças, fechou o escritório e decidiu abandonar a carreira.

Após a aprovação no último dia 9 do requerimento que a convocou para depor à comissão, a advogada desistiu de continuar defendendo três clientes que fizeram acordo de delação premiada no âmbito da investigação do esquema de corrupção na Petrobras. A CPI quer que ela explique a origem do dinheiro recebido a título de honorários.

Indagada sobre quais eram os autores das supostas tentativas de intimidação, Catta Preta respondeu: “Vem dos integrantes da CPI, daqueles que votaram a favor da minha convocação”, declarou.

Sem citar nomes, Catta Preta, especializada em acordos de delação premiada, disse que decidiu encerrar a carreira a fim de zelar pela segurança da família.

“Depois de tudo que está acontecendo, e por zelar pela segurança da minha familia, dos meus filhos, eu decidi encerrar a minha carreira na advocacia. Eu fechei o escritório”, declarou.

A advogada disse na entrevista ao JN que recebeu ameaças de maneira “velada”. “Não recebi ameaças de morte, não recebi ameaças diretas, mas elas vêm de forma velada, elas vêm cifradas”, disse.

Beatriz Catta Preta atuou em nove dos 18 acordos de delação premiada firmados por investigados da Operação Lava Jato com o Ministério Público. Esses nove delatores são os executivos Júlio Camargo e Augusto Mendonça (Toyo Setal); o ex-gerente de Serviços da Petrobras Pedro Barusco; o ex-diretor de Abastecimento da estatal Paulo Roberto Costa, a esposa dele, as duas filhas e dois genros. Embora tenha atuado nesses nove casos, se mantinha na defesa de três – Barusco, Julio Camargo e Augusto Mendonça.

Membros da CPI contestam

O deputado Hugo Motta afirmou por meio da assessoria que a convocação para depoimento não significa perseguição à advogada.

“O requerimento de convocação da advogada Beatriz Catta Preta foi aprovado por unanimidade no plenário da CPI da Petrobras. A vontade de investigar a origem dos honorários da advogada é suprapartidária, o que afasta de vez a acusação de perseguição”, declarou em nota.

O autor do requerimento de convocação da advogada, deputado Celso Pansera (PMDB-RJ), disse que apresentou o pedido dentro do seu direito de cidadão e de deputado e afirmou que a aprovação foi consensual. Segundo ele, Beatriz Catta Preta não será intimidada pela CPI.

Júlio Camargo

Catta Preta afirmou na entrevista que passou a sofrer intimidação depois que o empresário Júlio Camargo, que ela defendia, mudou o teor do que tinha afirmado.

Inicialmente, em depoimento do acordo de delação premiada, ele disse que não tinha conhecimento de envolvimento no esquema de corrupção da Petrobras de pessoas com foro privilegiado. Depois, declarou que o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), tinha pedido US$ 5 milhões de propina – o deputado nega.

Depois da revelação, Catta Preta foi convocada para depor à CPI. “Vamos dizer que [depois do depoimento de Júlio Camargo] aumentou essa pressão, aumentou essa tentativa de intimidação a mim e à minha família”, declarou.

Indagada sobre o motivo pelo qual Júlio Camargo não tinha mencionado Eduardo Cunha inicialmente, a advogada disse que foi por medo. “Receio. Ele tinha medo de chegar ao presidente da Câmara”, disse. Segundo ela, ele mudou de ideia devido “à colaboração dele, a fidelidade, a fidedignidade da colaboração, o fato de que um colaborador não pode omitir fatos, não pode mentir”.

De acordo com a advogada, Camargo apresentou provas. “Todos os depoimentos prestados sempre vieram respaldados. Com informações, dados, documentos, provas definitivas. Nunca houve só o dizer por dizer”, declarou.

Eduardo Cunha

Nesta quinta, Eduardo Cunha não quis falar sobre o assunto. “Eu não comento sobre isso. Eu não comento isso. Então, pergunte à CPI. Sobre isso eu não falo”, declarou.

O advogado do deputado, Antonio Fernando de Souza, disse que as declarações de Beatriz Catta Preta não fazem sentido, uma vez que Júlio Camargo já havia negado o envolvimento de Cunha publicamente. No entendimento do advogado, as declarações da advogada dão a impressão de “coisa montada”.

Antônio Fernando voltou a negar veementemente o envolvimento do presidente da Câmara nas fraudes e disse ter certeza de que Júlio Camargo não tem nenhum documento que ligue Eduardo Cunha às irregularidades.

Honorários

Catta Preta negou ter recebido mais de R$ 20 milhões de honorários. “Esse número é absurdo. Não chega perto da metade disso”, disse. Segundo ela, o dinheiro foi recebido no Brasil por meio de transferência bancária ou em cheque, com emissão de nota fiscal e recolhimento de impostos.

Nesta quarta, a pedido da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, criticou a convocação pela CPI e autorizou a advogada a não se manifestar à comissão sobre assuntos que envolvam sigilo profissional, como o recebimento de honorários advocatícios. A data do depoimento da advogada à CPI ainda não foi marcada.

“Se eu tiver que ir à CPI, infelizmente tudo o que eu vou poder dizer a eles é que eu mantenho o sigilo profissional e não vou revelar nenhum dado que esteja protegido por sigilo”, declarou.

Estados Unidos

A advogada também afirmou na entrevista que não se mudou para Miami (EUA) em razão das supostas ameaças, mas viajou de férias com os filhos para os Estados Unidos, onde permaneceu por 34 dias.

“Nunca cogitei sair do país ou fugir do país como está sendo dito na imprensa”, disse.

30 de julho de 2015 às 23:04

Ex-governador Fernando Freire recebe visitas no Quartel da PM [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Discretamente, e de acordo com o permitido pelas regras da polícia militar, o ex-governador Fernando Freire, que está preso em Natal, recebeu visitas…

Foram ao Quartel Geral da PM, o senador Garibaldi Filho, de quem Freire foi vice por dois mandatos, o deputado estadual Ricardo Motta, o ex-prefeito de Francisco Dantas, Carlito Meireles e o ex-assessor de governo, Cid Montenegro.

30 de julho de 2015 às 22:17

Ney Júnior e Cyrus Benavides trocam os cargos nas diretorias do Ipem e Procon [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Mudanças no Governo 1

Ipem e Procon farão um cruzamento.

O títular do Ipem, ex-vereador Ney Lopes Júnior, advogado com experiência em Direito do Consumidor e ex-diretor geral do Procon estadual, reassumirá o cargo.

O atual do Procon, Cyrus Benavides, vai para o Ipem.

A troca é consensual e Ipem e Procon atuarão em conjunto.

A troca será oficializada na próxima semana.

30 de julho de 2015 às 22:12

Detran e Engern: Marcos Freire e Júlio César trocam os cargos [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Mudanças no Governo 2

O ex-vereador de Ceará-Mirim, Júlio César, cotado para disputar a Prefeitura no próximo ano, deixa a Engern e assume o comando do Detran.

O atual diretor geral do Detran, Marcos Freire, assumirá o lugar de Júlio na Engern.

30 de julho de 2015 às 22:04

Vice-prefeito de Mossoró acelera processo de disputa entre PT e PSD [0] Comentários | Deixe seu comentário.

A declaração do vice-prefeito de Mossoró, Luiz Carlos, do PT, dizendo que seu partido deverá disputar a Prefeitura no próximo ano, e colocando seu nome à disposição, pode ser apenas o primeiro passo de um racha muito maior entre o PT e o PSD.

Luiz Carlos, do PT, é vice de Francisco José, do PSD, e em vez de seguirem unidos na sucessão municipal, deverão dividir o palanque.

Em nível estadual, Fátima Bezerra, do PT, é senadora aliada do governador Robinson Faria, do PSD.

E em 2018…já se fala em palanques opostos.

Fátima nega, porém, em Mossoró Luiz Carlos acelera o processo.

30 de julho de 2015 às 21:21

Ao assumir gestão, vice-prefeito de Mossoró coloca nome à disposição para disputar eleição com Francisco José Jr [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Em Mossoró, a interinidade da Prefeitura, pelo vice Luiz Carlos (PT), foi marcada, pasme….pela traição do vice ao titular.

Em entrevista ao jornal Gazeta do Oeste, que será veiculada domingo, o vice anunciou que seu nome está à disposição do PT para disputar…a Prefeitura.
Isso mesmo: o vice pode ir para a disputa com o atual titular, Francisco José Júnior, desfazendo, a partir de agora, a aliança firmada na eleição suplementar de maio do ano passado.
  

No Palácio da Resistência poucos entenderam porque na interinidade do cargo, o vice-prefeito não tentou articular o fim da greve dos servidores, vez que o movimento é comandada por companheiros de partido do vice.
Já são 60 dias de paralisação.
O pior de tudo nessa história é que, poucos dias antes do prefeito interino se apresentar como provável pré-candidato-adversário do prefeito Francisco José Júnior, o PT emitiu nota desautorizando um assessor de Luiz Carlos a falar em nome do partido.
O episódio causou um mal-estar grande, deixando o vice-prefeito em maus lençóis, mas agora é o vice-prefeito que deixa o prefeito em maus lençóis.
Luiz Carlos integra uma das seis correntes do PT de Mossoró e se tornou vice-prefeito por escolha de Francisco José, e não pelo apoio das alas de sua legenda.
Em Mossoró se diz que, nos dez dias de interinidade, o vice-prefeito serviu mais à oposição do que à própria gestão da qual faz parte.
A interinidade do vice-prefeito Luiz Carlos terminou hoje.
O prefeito reassume, certo de que, a partir de agora, terá um inimigo ao seu lado.

30 de julho de 2015 às 16:50

Deputado Tomba Farias lembra missa de 30 dias de morte do fundador da rádio Santa Cruz, o poeta Hugo Tavares [1] Comentários | Deixe seu comentário.

O deputado estadual Tomba Farias (PSB) quer reunir a colônia de Santa Cruz em Natal, mais os amigos e admiradores do poeta, músico e ativista político, Hugo Tavares Dutra, para a sua missa de trigésimo dia de morte.

A missa será celebrada neste sábado, dia 1, na Igreja Matriz de Santa Rita de Cássia, em Santa Cruz, às 19 horas.

Hugo Tavares morreu no dia primeiro deste mês, na Policlínica de Natal. Hugo destinou boa parte da vida à comunicação, tendo fundado em Santa Cruz a Associação Rádio Comunitária Santa Rita AM. 

  

30 de julho de 2015 às 16:43

Carlos Eduardo e Garibaldi Filho circularam em Caicó tão aliados como estiveram em 2014 [0] Comentários | Deixe seu comentário.

E os palanques de Natal que prometem dividir o prefeito Carlos Eduardo da vice-prefeita Wilma de Faria nas eleições do próximo ano, já começaram a dividir hoje em Caicó.

Onde Wilma circulou de um lado…e Carlos Eduardo do outro.

Wilma com o ex-prefeito de Caicó, Bibi Costa.

Carlos com o senador Garibaldi Filho (PMDB), com o deputado Álvaro Dias (PMDB), o presidente da Fecomércio, Marcelo Queiroz (PDT) e o diretor do Procon e pré-candidatíssimo a vereador em Natal, Kléber Fernandes, presidente do PDT/Natal.

Carlos e Garibadi deram entrevistas e reafirmaram o que já vem dizendo quando abordados: a intenção é permanecerem aliados no próximo ano, como estiveram no ano passado.

  

30 de julho de 2015 às 14:32

Em Caicó, Wilma de Faria disse que palanque de Natal não será o mesmo da eleição de 2012 [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Presidente do PSB no Rio Grande do Norte, a vice-prefeita de Natal, Wilma de Faria disse há pouco, em Caicó, que o pessebista Bibi Cota foi um excelente prefeito…

O que não significa que ele poderá ser o candidato do partido no próximo ano.

Nas entrevistas que concedeu, Wilma disse que o partido ainda vai analisar.

Sobre sucessão em Natal, Wilma disse que será outra eleição, deixando claro que o palanque de 2016 não deverá ser o mesmo do de 2012, e que o PSB está discutindo com outros partidos.

Mas ele disse que a reforma política, que ainda não foi concluída, poderá influenciar na tomada de decisões para a próxima eleição.

Questionada sobre o governo Robinson Faria, Wilma disse que espera que ele faça a boa gestão que o povo do Rio Grande do Norte está precisando.

  

30 de julho de 2015 às 14:10

Justiça acata ação do MPF e determina retirada do ar do site Tudo Sobre Todos [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Da assessoria do Ministério Público Federal no RN:

A Justiça Federal deferiu integralmente a liminar pedida pelo Ministério Público Federal no Rio Grande do Norte (MPF/RN) e determinou a retirada do ar do site que disponibilizava informações pessoais de brasileiros, o “tudosobretodos.se”. A decisão do juiz federal Magnus Delgado determina às empresas brasileiras que atuam com a Internet que insiram obstáculos tecnológicos para inviabilizar o acesso à página, até o julgamento definitivo do processo.
O magistrado também determinou que o Ministério da Justiça solicite ao Reino da Suécia a retirada provisória do site, uma vez que seu domínio pertence àquele país. Magnus Delgado requereu ainda os dados completos das pessoas físicas que criaram e mantêm o Tudo Sobre Todos, inclusive números de IP, logs de acesso e endereço de e-mail, atendendo a pedido do MPF.ê
“A empresa demandada, ao disponibilizar, através do site http://tudosobretodos.se, dados de caráter pessoal, sem que tenha autorização dos seus titulares para tanto, viola a Constituição Federal, atingindo-lhe o núcleo dos direitos e garantias individuais, mais especificamente, os direitos à intimidade e à vida privada”, escreveu o magistrado na decisão.
A ação cautelar do MPF, que deu origem à decisão judicial, é de autoria do procurador da República Kleber Martins e tem como ré a empresa Top Documents LLC, sediada na República de Seicheles e que mantém o site. As investigações sobre as irregularidades relacionadas ao Tudo Sobre Todos continuam e novas ações judiciais ainda poderão ser propostas.
O processo tramita sob o número 0805175-58.2015.4.05.8400 na 1ª Vara Federal do Rio Grande do Norte. Confira a íntegra da ação clicando aqui.

30 de julho de 2015 às 12:06

Acampados em frente à Prefeitura de Natal, grevistas anunciam feijoada para o almoço [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Na frente da Prefeitura de Natal, os servidores do Município que estão em greve, anunciam para daqui a pouco uma feijoada.

“O arroz está chegando”, disse uma liderança do acampamento.

  

30 de julho de 2015 às 12:01

Nome do advogado João Braz é apresentado à senadora Fátima Bezerra como candidato do PCdoB a prefeito de Caicó [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O PCdoB anunciou agora há pouco, em Caicó, o nome do advogado João Braz como pré-candidato a prefeito no próximo ano.

O anúncio foi feito num encontro do partido com o PDT e o PT, com a presença da senadora Fátima Bezerra.

“João Braz é um bom nome, um profissional respeitado e tem uma trajetória reconhecida na militância das causas sociais. O PT de Caicó está unido e mostrou interesse em fazer parte desse movimento. Vamos aprofundar o debate, pois existe em Caicó o sentimento de renovação”, disse Fátima Bezerra.

Participaram do encontro o presidente do PT de Caicó, Gilberto Costa e demais membros do partido.

O vereador de Natal, Hugo Manso (PT), o presidente estadual do PCdoB, Antenor Roberto e o vereador Rangel (PDT) também se fizeram presentes.
Fotos Heldon Simões

  

30 de julho de 2015 às 10:16

Feira do Bode de Mossoró será apresentada logo mais à imprensa [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O prefeito em exercício de Mossoró, Luiz Carlos, apresenta à imprensa logo mais às 11h30, a 17ª edição da Festa do Bode.

A Prefeitura é parceira da Associação dos Criadores de Caprinos e Ovinos de Mossoró e Região (Asccom), produtora do evento.

A apresentação será no parque de exposições Armando Buá, onde será servido um almoço oferecido pela Asccom. 

A maior feira da caprinovinocultura do estado do Rio Grande do Norte receberá expositores e criadores de todo o país. 

A expectativa é que se movimente 3 milhões em negócios este ano.

30 de julho de 2015 às 10:13

Prefeitura de Parnamirim confirma para amanhã pagamento dos salários [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O prefeito Maurício Marques confirma para amanhã, 31, o pagamento de todos os servidores do município de Parnamirim.
São R$ 10 milhões de reais que irão garantir o pagamento de 4.500 funcionários públicos.
Na semana passada o prefeito anunciou uma série de cortes que ajudarão ao município manter os serviços em dia e com qualidade.
Na oportunidade ele reforçou que entre as prioridades da administração está o cumprimento do calendário de pagamento.
“Aqui em Parnamirim não atrasamos em um só dia os salários dos servidores. Fazemos isso desde o primeiro mês de nossa administração e iremos continuar assim apesar de todas as dificuldades”, disse o prefeito Maurício Marques.

30 de julho de 2015 às 10:10

Prefeitura de Parnamirim confirma para amanhã o pagamento dos salários [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O prefeito Maurício Marques confirma para amanhã, 31, o pagamento de todos os servidores do município de Parnamirim.
São R$ 10 milhões de reais que irão garantir o pagamento de 4.500 funcionários públicos.
Na semana passada o prefeito anunciou uma série de cortes que ajudarão ao município manter os serviços em dia e com qualidade.
Na oportunidade ele reforçou que entre as prioridades da administração está o cumprimento do calendário de pagamento.
“Aqui em Parnamirim não atrasamos em um só dia os salários dos servidores. Fazemos isso desde o primeiro mês de nossa administração e iremos continuar assim apesar de todas as dificuldades”, disse o prefeito Maurício Marques.

30 de julho de 2015 às 9:19

Em Caicó, Fátima Bezerra anuncia que governo discute realização de conferência nacional do artesanato [0] Comentários | Deixe seu comentário.

A senadora Fátima Bezerra (PT) que estará na feirinha de Santana logo mais, está em Caicó desde ontem.

Ela prestigiou a abertura da 32ª Feira de Artesanato dos Municípios do Seridó (Famuse), e teve o trabalho em prol do artesanato como parlamentar citado pela presidente da Cracas, Arlete Silva, e pelo diretor técnico do Sebrae, João Hélio.

A senadora adiantou que o Governo está discutindo anrealização da 1ª Conferência Nacional do Artesanato.

Fotos Heldon Simões

  

30 de julho de 2015 às 9:03

Enquanto no Brasil eles roubam à luz do dia, político inglês renuncia porque foi flagrado em farra com drogas e prostitutas [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Ah, se no Brasil fosse assim.

Na Inglaterra um político renuncia porque é flagrado fazendo uma farra pessoal.

No Brasil eles roubam o dinheiro do povo, sem dó nem piedade, e fazem manobras jurídicas de toda qualidade para não perderem as boquinhas.

Vergonha que é bom, falta por aqui.

Da Folha de hoje:

Lorde inglês renuncia após flagra com prostitutas e consumo de drogas

LEANDRO COLON

DO BLOG ‘DO REINO UNIDO’
O político inglês John Buttifant Sewel, 69, renunciou nesta terça-feira (28) à cadeira na Câmara dos Lordes, no Parlamento britânico, em meio ao escândalo pelo flagra dele numa farra com duas prostitutas e consumo de drogas.
“Quero me desculpar pela dor e pelo constrangimento que possa ter causado. Espero que minha decisão ajude a reparar o dano à instituição”, disse, num comunicado.

 
 Ele era o vice-presidente da Câmara dos Lordes, a nobreza do Parlamento, onde ocupava uma vaga desde 1996. A situação se complicou depois que o jornal “The Sun” publicou domingo (26) e segunda (27) fotos dele com duas garotas de programa contratadas pelo telefone, em Londres. Ele pagou 200 libras para cada, algo em torno de R$ 1 mil – uma recebeu em dinheiro vivo e outra em cheque.
Na gravação, ele insinua que gasta com suas farras as 200 libras diárias que recebe para despesas do cargo. “É para o almoço?”, diz uma das prostitutas sobre essa verba. “Não, querida, é para pagar por isso”, responde o político, casado e pai de quatro filhos.
Uma imagem mostra Sewel cheirando, segundo o jornal, cocaína por meio de uma nota de 5 libras enrolada. Em outra, aparece com nariz no seio de uma das garotas – de acordo com o tabloide, também consumindo a droga.
Na capa do jornal, ele está praticamente nu com o sutiã da cor laranja de uma das mulheres. Outras fotos indicam bebidas e fileiras do que seria mais cocaína. “Eu só quero ser levado para o mau caminho”, diz o político às duas.
Ele aparece no vídeo falando mal de políticos. Chamou o primeiro-ministro David Cameron de “superficial” e o prefeito de Londres, Boris Johnson, de “piada”. Ainda reclama do salário de 84 mil libras por ano. Nesta terça (28), o tabloide publicou mais detalhes do encontro.
Sewel foi filiado ao Partido Trabalhista até 2012 – hoje, não pertence a nenhuma sigla.
A presidente da Câmara dos Lordes, a baronesa D’Souza, havia repudiado a conduta do colega e anunciado uma apuração formal para avaliar se ele violou regras. “As revelações chocam e são inaceitáveis”, declarou.
Antes de renunciar, Sewel havia abdicado da vice-presidência da Casa e pedido afastamento temporário de todas as funções. A polícia Metropolitana de Londres anunciou uma investigação.

Assista a um dos vídeos divulgados pelo “The Sun” (as imagens são fortes):

30 de julho de 2015 às 8:17

8ª fornecedora que mais recebeu dinheiro da campanha de Dilma tem como presidente motorista com salário abaixo de 1.500 reais [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Da Folha:

Gráfica que recebeu R$ 6 mi do PT desperta suspeita da Justiça Eleitoral

ANDRÉIA SADI e RANIER BRAGON

De Brasília

GUSTAVO URIBE

De São Paulo

  
A campanha da presidente Dilma Rousseff à reeleição pagou R$ 6,15 milhões a uma gráfica que não tem nenhum funcionário registrado e cujos documentos apontam como presidente o motorista Vivaldo Dias da Silva, que em 2013 recebia R$ 1.490.
A Rede Seg Gráfica e Editora, de São Paulo, aparece como a oitava fornecedora que mais recebeu dinheiro da campanha presidencial petista no ano passado, de acordo com os registros do TSE (Tribunal Superior Eleitoral).
Funcionários do TSE que examinaram as contas da campanha de Dilma descobriram a situação da gráfica ao cruzar as informações da empresa com o banco de dados do Ministério do Trabalho.
A descoberta fez surgir a suspeita de que a gráfica não tinha a estrutura necessária para prestar os serviços pelos quais foi remunerada pelo PT.
Algumas das notas da gráfica entregues pelo partido ao TSE trazem a afirmação de que a empresa produziu folders para a campanha eleitoral.
As contas da presidente foram aprovadas em dezembro por unanimidade pela Justiça Eleitoral, mas com ressalvas. Por isso, o tribunal continuou analisando os casos que provocaram as ressalvas.
Não é a primeira vez que vem à tona que uma empresa contratada pela campanha de Dilma Rousseff em 2014 tem como dono, nos documentos oficiais, um motorista.
Como a Folha revelou em dezembro de 2014, a Focal Comunicação, a segunda que mais faturou na campanha presidencial de Dilma (R$ 24 milhões), também tinha um motorista (salário de cerca de R$ 2 mil até 2013) como sócio.
A Focal só ficou atrás da empresa do marqueteiro João Santana, destinatária de um montante de R$ 70 milhões.
O empresário Carlos Cortegoso admitiu na época que era o verdadeiro dono da Focal, tendo justificado o registro em nome do motorista como fruto de uma inclinação sua de dar chances para seus empregados progredirem.
A Justiça Eleitoral pediu à Polícia Federal apuração sobre a Focal e outra gráfica, a VTBP, que ganhou R$ 23 milhões da campanha. O TSE agora poderá enviar novo ofício à PF pedindo que investigue também a Rede Seg.

IDAS E VINDAS

A Folha visitou a sede da gráfica nesta quarta-feira (29). Segundo Rogério Zanardo, que recebeu a reportagem no local, a Rede Seg pertence a sua família e o motorista Vivaldo não é dono, mas funcionário da empresa.
Ele não soube explicar por que a gráfica está registrada em nome do motorista e afirmou que o maquinário estava desligado porque a gráfica está sem serviço no momento.
“Ele é um bom motorista, não pega guia [de rua] e dirige faz tempo”, afirmou.
O irmão de Rogério Zanardo, no entanto, deu versão diferente. De acordo com Rodrigo Zanardo, que se apresentou como gerente da gráfica, Vivaldo é mesmo dono da empresa, além de motorista.
Segundo ele, o maquinário é de propriedade do motorista, que pediu ajuda a ele para administrar a empresa, uma vez que os irmãos são proprietários de outra gráfica, a Graftec.
Segundo consulta feita pelo TSE, Vivaldo possuiu vínculo empregatício entre 2006 e 2007 como eletricista com a Graftec e, de 2009 a 2013, como motorista em uma empresa chamada Artetécnica Gravações, com salário mensal de R$ 1.490.
Mais tarde, o próprio Vivaldo chegou ao local e afirmou ser “sócio” e “motorista”. “Eu gosto de trabalhar, e é um rendimento a mais que tenho.”

OUTRO LADO

Questionada sobre o gasto de R$ 6 milhões com a gráfica Rede Seg, a Secretaria de Comunicação Social (Secom) da Presidência informou que a campanha de Dilma Rousseff recebeu várias propostas de prestação de serviços e selecionou as empresas que apresentaram preços mais baixos.
A Secom é comandada pelo ministro Edinho Silva que, à época, atuou como tesoureiro da campanha petista.
“A elaboração do material foi auditada pela campanha e a documentação que comprova a elaboração e entrega do material foi auditada pelo TSE”, disse.
A secretaria não informou qual serviço foi prestado pela gráfica à campanha.
A Rede Seg, cujo registro mostra o motorista Vivaldo Silva como presidente, informou, por meio de nota, não haver qualquer irregularidade em suas atividades. “Sendo necessário, informações complementares e documentos serão apresentados oportunamente às autoridades competentes”, afirmou.
Rodrigo Zanardo, que se apresentou como gerente da gráfica, disse que a empresa contratou funcionários terceirizados durante a campanha e, por isso, não tem nenhum registrado.
“[Quando] não tem serviço, como vou fazer folha de pagamento?”, questionou.
Ele disse que viajou a Brasília para conversar com representante da campanha de Dilma e que a empresa produziu panfletos e folhetos.
Reynaldo Borba, que figura como dono de outra empresa em que Vivaldo trabalha como motorista, a Artetécnica, afirmou não poder dar informações sobre o caso. Ele disse que as relações da Rede Seg e de Vivaldo com a campanha de Dilma não dizem respeito à sua empresa.

INFOGRÁFICO Clique Aqui para saber como a campanha de Dilma gastou

30 de julho de 2015 às 8:09

Dilma convida governadores para serem sócios da crise [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Da Folha:

Dilma recebe governadores no Planalto

Marina Dias – Brasília

A presidente Dilma Rousseff recebe nesta quinta (30), no Palácio do Planalto, os governadores para discutir a reforma do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) e dividir com eles a responsabilidade de evitar a aprovação das chamadas pautas-bomba no Congresso.
O governo quer que os chefes estaduais articulem suas bancadas na Câmara e no Senado para impedir a aprovação de projetos que custem caro aos cofres públicos.
Entre as demandas, impedir a derrubada de vetos presidenciais, como ao reajuste do salário dos servidores do Judiciário, ajudar na aprovação do projeto que permite a repatriação do dinheiro de brasileiros no exterior e tentar barrar a aprovação da medida que muda a correção dos recursos do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço), de 3% para quase 6%.
O Planalto também quer unificar as alíquotas de ICMS em 4% para todo o país. Atualmente, cada Estado adota um percentual, criando uma espécie de “guerra fiscal”.
Em 13 de julho, Dilma assinou uma medida provisória que cria dois fundos para, segundo a presidente, compensar as perdas nos Estados prejudicados com a eventual unificação do ICMS.
O debate deve ser fechado e terá a participação do vice-presidente, Michel Temer (PMDB), e dos ministros Aloizio Mercadante (Casa Civil), Nelson Barbosa (Planejamento) e Joaquim Levy (Fazenda).
Até a noite desta quarta (29), segundo a Secretaria de Comunicação Social da Presidência, dos 27 governadores, 26 haviam confirmado presença. Apenas o representante do Mato Grosso do Sul, em viagem internacional, enviará a vice-governadora.
FORMATO
O formato do encontro gerou polêmica nos bastidores do Planalto. Inicialmente, a ideia era convidar os governadores da base aliada e apenas alguns nomes da oposição. Depois, definiu-se que os 27 governadores seriam convidados para pedir um “pacto federativo”.
Segundo a Folha apurou, não vão entrar na pauta assuntos como um pedido de ajuda para evitar que o TCU (Tribunal de Contas da União) rejeite as contas de 2014 do governo. Auxiliares de Dilma avaliam que esses temas poderiam inviabilizar a reunião.
A aposta é atender a demanda dos governadores que, preocupados com a crise econômica, sabem que medidas que ampliam gastos da União têm impacto nos Estados.