Thaisa Galvão

25 de novembro de 2015 às 22:36

Um apostador do Distrito Federal ganhou sozinho o prêmio de 205 milhões da Mega-Sena [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Do G1

Mega-Sena, concurso 1.764: aposta única fatura R$ 205 milhões

Veja as dezenas sorteadas: 

06 – 07 – 29 – 39 – 41 – 55

Quina teve 401 ganhadores, que levaram R$ 58.622,54 cada
Uma aposta única acertou os seis números do concurso 1.764 da Mega-Sena, sorteados nesta quarta-feira (25), em Cândido Mota (SP) e irá levar o prêmio de R$ 205.329.753,89.
A quina teve 401 ganhadores, que levaram R$ 58.622,54 cada. 

Outros 33.850 bilhetes acertaram a quadra e irão levar R$ 992,09 cada um.

Segundo a Caixa Econômica Federal (CEF), além de ser o maior prêmio sorteado em 2015, esse também é o maior prêmio da história da modalidade, excluindo os da Mega da Virada.

Para apostar

As apostas podem ser feitas até as 19h (de Brasília) do dia do sorteio, em qualquer lotérica do país. A aposta mínima custa R$ 3,50.

Probabilidades

A probabilidade de vencer em cada concurso varia de acordo com o número de dezenas jogadas e do tipo de aposta realizada. Para a aposta simples, com apenas seis dezenas, com preço de R$ 3,50, a probabilidade de ganhar o prêmio milionário é de 1 em 50.063.860, segundo a Caixa.

Já para uma aposta com 15 dezenas (limite máximo), com o preço de R$ 17.517,50, a probabilidade de acertar o prêmio é de 1 em 10.003, ainda segundo a Caixa.

25 de novembro de 2015 às 22:20

Robinson entrega projeto de ponte ao ministro Kassab e vai ao Tesouro cobrar liberação de empréstimo [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O governador Robinson Faria entregou hoje ao ministro das Cidades, Gilberto Kassab, o projeto de uma ponte ligando Natal a Macaíba.

Pelo projeto, a estrutura será erguida sobre o rio Jundiaí e vai facilitar o fluxo do trânsito entre a  zona Norte de Natal, São Gonçalo do Amarante e Ceará-Mirim.
Robinson também atualizou o ministro sobre o andamento das obras de saneamento em curso no Rio Grande do Norte, administradas pela Caern. 

Depois da audiência, Gilberto Kassab acompanhou o governador em uma reunião com o secretário do Tesouro Nacional, Marcelo Saintive, para o governador pedir mais uma vez a liberação de recursos federais para o Proinvest e para operações de crédito junto ao Banco do Brasil.

  
 

25 de novembro de 2015 às 21:49

Delcídio Amaral continua preso por tempo indeterminado [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Do G1

Em votação aberta, Senado dá aval à prisão de Delcídio decretada pelo STF

Líder do governo foi preso nesta quarta-feira (25) por ordem do Supremo. Cabia ao Senado referendar prisão, que é mantida por tempo indeterminado
Por Laís Alegretti e Nathalia Passarinho 
O Senado decidiu nesta quarta-feira (25), em votação aberta no plenário, manter a ordem de prisão expedida pelo Supremo Tribunal Federal (STF) contra o senador Delcídio do Amaral (PT-MS), líder do governo na Casa. 

Com isso, o parlamentar petista continuará preso por tempo indeterminado. A manutenção da prisão foi decidida por 59 votos favoráveis, 13 contra e 1 abstenção.

Delcídio foi detido nesta quarta, pela Polícia Federal (PF), acusado de atrapalhar as investigações da Operação Lava Jato. 

Em uma gravação, ele oferece R$ 50 mil mensais à família de Nestor Cerveró para tentar convencer o ex-diretor da área internacional da Petrobras a não fechar um acordo de delação premiada com o Ministério Público Federal (MPF).

Pela Constituição, prisões de parlamentares que estejam no exercício do mandato têm de ser submetidas à análise da casa legislativa a qual ele atua. Mais cedo, por meio de nota, o advogado Maurício Silva Leite, responsável pela defesa do parlamentar, divulgou nota em que manifesta “inconformismo” com a decisão do STF de determinar a prisão do senador e em que afirma ter “convicção” de que a decisão será revista.
Com a decisão do Senado de manter a prisão, Delcídio Amaral só poderá ser solto quando o STF entender que ele não mais coloca em risco a investigação e não pode cometer crimes fora da prisão. Agora, a Procuradoria Geral da República terá 15 dias para apresentar ao STF uma denúncia, com acusações formais contra o senador.

A votação ocorreu de forma aberta, com a divulgação do voto de cada parlamentar, conforme decidiu a maioria dos senadores instantes antes.
Mais cedo, por 52 votos a 20, com uma abstenção, o plenário do Senado decidiu pela votação aberta. Momentos antes, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), havia defendido que a sessão fosse secreta, mas decidiu submeter a palavra final ao plenário.
O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), também havia decidido, enquanto os senadores discutiam no plenário, que o Senado realizasse uma votação aberta ao decidir pela manutenção ou revogação da prisão de Delcídio. O pedido para realização de votação aberta foi enviada ao Supremo Tribunal Federal por vários senadores de oposição.
O líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), orientou a bancada a votar contra a manutenção da prisão de Delcídio Amaral porque, para ele, validar a decisão do Supremo abriria caminho para a derrubada do princípio constitucional da “inviolabilidade do mandato”.

“O que está em discussão é se um Poder pode mandar prender um parlamentar no exercício do seu mandato, que é o que diz a Constituição. Se nós queremos mudar a Constituição, mudemos. Mas é isso que ela diz, e é isso que está ligado à inviolabilidade do mandato. Imagine se a partir de agora os tribunais de Justiça resolvam por alguma razão passar a mandar prender deputados estaduais, outros aqui ou outros lá na Câmara dos Deputados sem que isso seja no entendimento do que foi efetivamente um flagrante. É isso que está sendo neste momento colocado”, disse Humberto Costa.
Os autos do processo relativo a Delcídio Amaral chegaram ao Senado na tarde desta quarta. O líder do governo foi preso, em Brasília, pela Polícia Federal por decisão do ministro do STF Teori Zavascki sob acusação de tentar prejudicar as investigações do esquema de corrupção na Petrobras. Na manhã desta quarta, Zavascki submeteu a determinação aos ministros da Segunda Turma da Corte, que decidiram por unanimidade ratificar a decisão.

Mais presos

Também foram presos pela PF nesta manhã o banqueiro André Esteves, do banco BTG Pactual e o chefe de gabinete de Delcídio, Diogo Ferreira. As prisões são preventivas, ou seja, não há data para vencer.
No pedido para que o líder do governo fosse preso, a Procuradoria-Geral da República afirmou que o petista ofereceu R$ 50 mil mensais ao ex-diretor da área internacional da Petrobras Nestor Cerveró para que o ex-dirigente não o citasse em seu acordo de delação premiada.

Além disso, os procuradores da República alegam que Delcídio havia planejado uma rota de fuga para Cerveró, que passava pelo Paraguai e ia até a Espanha. Segundo a Procuradoria, Delcídio também prometeu a Cerveró influir em julgamentos no STF para ajudá-lo. O senador disse que falaria com o vice-presidente da República, Michel Temer, e com o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL) para influenciar a Corte.

A prova da tentativa de obstrução é uma gravação feita pelo filho de Cerveró que mostra a tentativa do senador de atrapalhar as investigações e de oferecer fuga para o ex-diretor não fazer a delação. Conforme a Secretaria-Geral da Mesa do Senado, Delcídio é o primeiro senador em exercício preso desde a Constituição de 1988.

Repercussão

A notícia da prisão de Delcídio foi recebida com “perplexidade” pelos parlamentares, alguns dos quais são suspeitos de envolvimento no esquema de corrupção investigado pela Operação Lava Jato. Há um temor por parte dos políticos alvos de inquérito de que eles próprios sejam presos.

Já parlamentares petistas tentaram dissociar do governo o episódio ocorrido com Delcídio. “É importante registrar também que não há, em nada que foi dito até agora, qualquer tipo de envolvimento ou participação do governo. Isso é importante dizer,” disse o líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE).

O líder do governo na Câmara, José Guimarães (PT-CE), afirmou que a prisão do colega de partido o deixou “abalado” e é uma “questão inusitada”, mas não pode, segundo ele, “paralisar país”.

Guimarães defendeu que seja realizada sessão do Congresso Nacional nesta tarde, apesar do clima de perplexidade que tomou conta do Legislativo com a prisão do petista.

A preocupação do governo é viabilizar a aprovação do projeto de lei que reduz a meta fiscal para 2015. “O governo quer votar. O governo não pode, em função desse episódio, paralisar o país. Há uma questão inusitada. Há um ineditismo. Mas as coisas tem que caminhar em seus leitos normais. Houve uma decisão do Supremo. Uma decisão inusitada. E cabe ao Senado dar uma solução para o problema”, disse Guimarães.
Colaborou Renan Ramalho.

25 de novembro de 2015 às 21:33

Os olhos marejados de Humberto Costa [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Os olhos marejados do senador Humberto Costa (PT-PE) chamaram atenção dos fotógrafos que acompanharam a votação do Senado.

Duro para o companheiro ver o colega na situação de constrangimento total.

No discurso que fez, Costa criticou a prisão inconstitucional de Delcídio Amaral e questionou:

-Já pensou se os Tribunais de Justiça dos estados passarem a mandar prender os deputados estaduais?

  

25 de novembro de 2015 às 21:08

Apenas 13 senadores votaram contra a continuidade da prisão de Delcídio Amaral  [1] Comentários | Deixe seu comentário.

Coincidência ou não, mas somente 13 senadores – número do PT – votaram contra a continuidade da prisão do senador Delcídio Amaral (PT).

A maioria – 59 votantes que optaram pelo voto aberto – se pronunciou pela continuidade da prisão.

  
 

25 de novembro de 2015 às 20:33

Do senador José Agripino, a favor da continuidade da prisão de Delcídio: “Eu votei contra o coração, mas a favor da razão” [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Do senador José Agripino Maia, líder do DEM, senpronunciando pela continuidade da prisão do senador Delcídio Amaral (PT):
“Nós estamos vivendo a sessão constrangimento. Estou no quarto mandato e essa sessão ficará marcada dessa forma. A quarta-feira foi de semblantes carregados e nenhum sorriso. Eu votei contra o coração, mas a favor da razão. O Senado hoje se confundiu com Delcídio Amaral. E o senador Delcídio não agiu corretamente. O Senado tem que se preservar porque a instituição é maior”.

  

25 de novembro de 2015 às 20:09

Senador Garibaldi Filho se pronuncia pela continuidade da prisão do colega Delcídio Amaral [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O senador Garibaldi Filho, do PMDB governista, acaba de declarar que vota para que o senador Delcídio Amaral (PT), líder do governo, continue preso.

Durante votação sobre voto aberto ou fechado – ganhou aberto – Garibaldi fez um grande discurso.

E disse que o voto “cortou seu coração” porque nenhum senador pode falar da postura de Delcídio para com os colegas.
“Mas esse é o momento de mostrar transparência”, declarou um Garibaldi bem abatido, lembrando que sempre foi amigo de Delcídio.

Da bancada do Rio Grande do Norte, o senador José Agripino Maia (DEM) também deverá votar pela continuidade da prisão do líder do Governo.

Já a senadora Fátima Bezerra (PT) não vota porque está em missão no Nepal.

No painel do plenário, o nome de Fátima está apagado.

  

25 de novembro de 2015 às 17:38

Blog publica foto do encontro de Delcídio Amaral com Bernardo Cerveró, Eduardo Paes e Romário [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Na conversa do senador Delcídio Amaral com Bernardo Cerveró, filho de Nestor Cerveró, onde eles discutem uma forma de tirar do Brasil o ex-diretor da Petrobras, o papo conversou com Delcídio falando de sua agenda…

Dizendo que na sua agenda naquele dia tudo estava bem certinho, até que chegou o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes com seu auxiliar e pré-candidato, Pedro Paulo, e ainda o senador Romário.

Delcídio conta a Bernardo sobre o encontro e solta uma declaração, bem natural pra eles, mas surpreendente para o Brasil: que Romário tem sim, conta em banco da Suíça.

Romário já tinha feito sua defesa pública, negando a informação, e anunciando que iria processar a revista Veja, que deu a notícia.

A conversa foi registrada em foto…

Foto que o Blog publica:

  
No áudio que o Blog publicou, Delcídio Amaral relata que eles haviam tirado a foto com as mãos, uma em cima da outra…

25 de novembro de 2015 às 17:09

Começa sessão onde os senadores definirão, com voto secreto, se Delcídio Amaral permanecerá preso [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Começou agora a sessão do Senado que vai decidir sobre prisão de Delcídio Amaral.

O presidente da Casa, senador Renan Calheiros, citado na conversa de Delcídio com o filho de Nestor Cerveró, como indicado para ter uma conversa na tentativa de salvar o ex-diretor da Petrobras, disse que, segundo a Constituição, o voto dos parlamentares, para definir se o líder do governo, Delcidio Oliveira (PT-MS) permanecerá ou não preso, será secreto.

O líder do PSDB, senador Cássio Cunha Lima, discursa…

  
No plenário, o senador do PT, Humberto Costa, com cara de quem nÃo sabe o que virá por aí…

  
  

25 de novembro de 2015 às 15:37

Áudio: Ouça conversa de Delcídio planejando fuga com o filho de Cerveró, onde o senador relata que Romário tem conta na Suíça [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Vazou a conversa do senador Delcídio Amaral (PT), líder do PT no Senado, com o filho do ex-diretor da Petrobras, Nestor Cerveró, Bernardo Cerveró, onde os dois planejam a fuga de Cerveró para a Espanha.

De barco ou de avião?

E o que o senador Romário tem a ver com essa conversa?

Delcídio diz que ele tem, sim, contas na Suíça.

Eita piula/

Ouçaí…

Uma hora e meia de conversa de arrepiar…

ÁUDIO Clique Aqui e escute a conversa de Delcídio Amaral com o filho de Nestor Cerveró.

Sobrou até para Romário…

  

25 de novembro de 2015 às 12:48

tvTG: Deputado José Dias diz que todas as suas emendas de 2016 serão para ações de combate aos efeitos da seca [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Nas discussões sobre seca no Rio Grande do Norte, ficou definido na Assembleia Legislativa que os deputados destinarão parte de suas emendas ao Orçamento Geral do Estado, em 2016, para ações de combate aos efeitos da seca.

Das emendas que no total somam 1 milhã ne 800 mil reais, cada deputado destinará 600 mil para  essas ações.

O deputado José Dias saiu na frente, e disse que todas as suas emendas serão para os municípios enfrentarem os efeitos da estiagem.

Veja a entrevista de José Dias:

25 de novembro de 2015 às 12:28

Senadora Fátima Bezerra está em missão no Nepal e não se pronuncia sobre prisão de Delcídio Amaral [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Pouco tempo depois que o senador líder do Governo, Delcídio Amaral, foi preso, a senadora Fátima Bezerra (PT) dava entrevista na Rádio Senado.

  
Porém, Fátima não estava falando da prisão do companheiro, acusado de obstruir as investigações da Lava Jato e de articular a fuga do ex-diretor da Petrobras, Nestor Cerveró.

Segundo a assessoria de Fátima, a quem o Blog procurou para repercutir a prisão, a senadora está no Nepal e foi procurada pela rádio para falar da Missão à qual participa, e por causa do fuso-horário que tem uma diferença de 7 horas em relação ao Brasil, quando Fátima gravou a entrevista a prisão ainda não havia sido efetuada.

No Nepal, Fátima participa do EvalPartners Global Forum, a convite da ONU.

25 de novembro de 2015 às 11:50

No Uol: Senador do PR Wellington Fagundes deverá ser o líder do Governo [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Está no blog de Fernando Rodrigues, no UOL:

A presidente Dilma Rousseff decidiu que Wellington Fagundes (PR-MT) deverá ocupar interinamente o cargo de líder do governo no Senado.

Até 10h prevalecia a intenção de indicar indicar José Pimentel (PT-CE) para a função, mas como ele já é líder do governo no Congresso, optou-se por Fagundes, considerado um fiel aliado do Palácio do Planalto, apesar de não ser filiado ao PT.

25 de novembro de 2015 às 11:32

Para Erick Pereira, discussão hoje é sobre “flagrante” que levou Delcídio à prisão [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Do Congresso em Foco:
Senado tem até 72h para decidir sobre prisão de Delcídio

Pela Constituição, Supremo deve encaminhar em 24 horas autos que embasaram decisão do tribunal. Em seguida, senadores terão até 48 horas para decidir, em votação secreta, se mantêm o colega preso
POR EDSON SARDINHA· PUBLICADO EM 25/11/2015 10:29
O Senado deve decidir nas próximas 72 horas se mantém ou não a prisão do senador Delcídio do Amaral (PT-MS). Pelo artigo 53 da Constituição, o Supremo Tribunal Federal (STF) tem 24 horas, a contar do auto de prisão, para encaminhar o inquérito que embasou a decisão do tribunal. A partir daí, os senadores terão 48 horas para decidir se mantêm ou não a prisão do colega, acusado de obstruir as investigações da Operação Lava Jato, de acordo com o Regimento Interno. 

A decisão será da maioria absoluta (41 dos 81 senadores) em votação secreta.
“É um julgamento eminentemente político, não tem julgamento jurídico nesse caso”, explica o advogado e professor Erick Wilson Pereira, doutor em Direito Constitucional. 
Parlamentares só podem ser presos em flagrante delito, por crimes inafiançáveis ou após decisão em que não caiba mais recurso (transitada em julgado). 

Ele explica que a sessão é secreta, mas há possibilidade de os parlamentares optarem pela abertura da reunião, como tem defendido o Supremo.
Os ministros da 2ª Turma do STF, responsável pela Lava Jato, estão reunidos neste momento decidindo aspectos da prisão de Delcídio. 

Teori Zavascki argumenta que a prática do crime de organização criminosa permite flagrante a qualquer momento. Até o momento, nenhum ministro divergiu do relator da Lava Jato. 
“A grande discussão que se trava é qual é o flagrante que houve. Como se caracteriza? O ministro entendeu que a obstrução da investigação é um crime permanente, que se renova dia a dia”, observa Erick Pereira.
Para o constitucionalista, a prisão do senador já produziu efeitos. 

“O efeito pedagógico foi dado e é muito maior que o efeito jurídico. Precisamos acabar com senso de impunidade, essa zona de conforto de que a impunidade impera. Não há autoridades acima da lei, a Constituição é o senhor de todos nós. Não podemos imaginar que somos senhores dela”, disse.
Delcídio foi citado pelo ex-diretor da área internacional da Petrobras Nestor Cerveró e pelo lobista Fernando Baiano como beneficiário do esquema de corrupção na Petrobras.
Segundo as investigações, o senador tentou impedir a delação premiada de Cerveró, oferecendo-lhe até uma ajuda de fuga, conforme indica gravação feita pelo filho do ex-diretor da Petrobras. Em depoimento, Baiano afirmou que Delcídio recebeu US$ 1,5 milhão de propina pela compra da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos.
O senador fez parte da diretoria de Gás e Energia da Petrobras entre 2000 e 2001, no governo Fernando Henrique Cardoso. Desde o início do ano, é líder do governo Dilma no Senado.

25 de novembro de 2015 às 9:31

Quem se garante e se habilita a ser líder do Governo no Senado? [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Brasília pegando fogo e as labaredas mais altas sobem no Palácio do Planalto com a prisão do lídeo do Governo no Senado, senador Delcídio Amaral.

Ministros da linha política do governo vão se reunir daqui a pouco para avaliar os estragos provocados pela prisão do senador do PT e definirem quem será o líder do Governo no Senado.

Quer saber o que eu acho?

Tá fácil não!!!

Quem não teme, de jeito nenhum, por hipótese alguma, ser citado por um dos muitos delatores da Lava Jato?

25 de novembro de 2015 às 8:46

Lava Jato: Como o pecuarista Bumlai, preso ontem, se aproximou do PT e virou o melhor amigo de Lula [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Quem é o agropecuarista José Carlos Bumlai, amigo do presidente Lula, que foi preso ontem na 21ª etapa da operação Lava Jato?

Da Folha:
Bumlai fez carreira com o ex-rei da soja e é visto como supersticioso
BELA MEGALE

MARIO CESAR CARVALHO

DE SÃO PAULO

RICARDO MENDONÇA

EDITOR-ADJUNTO DE “PODER”
  
É o próprio José Carlos Bumlai, 71, que costuma contar como foi sua aproximação com o PT. O episódio-chave foi em 1998, quando um desconhecido Zeca do PT foi eleito para comandar o Mato Grosso do Sul, na primeira geração de governadores petistas.
Sem experiência e sem poder contar muito com ajuda federal, já que o tucano Fernando Henrique acabara de ser reeleito presidente, Zeca procurou o engenheiro que fazia uma bem-sucedida carreira na Constran do “visionário” Olacyr de Moraes (1931-2015), também conhecido na época como “o rei da soja”.
Bumlai foi prestativo. Na frente de Zeca, ligou para o mais improvável colaborador do PT, o economista ultraliberal Roberto Campos (1917-2001, parente de sua mulher morta precocemente), e pediu apoio para conseguir recursos junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento.
Apesar do estranhamento inicial do petista, Bumlai conseguiu viabilizar uma viagem de Zeca e Campos a Washington, investida que resultaria na liberação de US$ 250 milhões para projetos do Estado.
Na volta dos EUA, o governador teve que explicar a inusitada pareceria com Campos num congresso da sigla. Pendengas ideológicas à parte, o fato é que a encomenda feita a Bumlai havia sido entregue.
Quatro anos depois, Zeca do PT intermediaria a aproximação de Bumlai com Lula, que naquele ano disputava a Presidência pela quarta vez.
A empatia foi imediata. Lula gravou um programa numa fazenda do pecuarista em Rio Brilhante (MS) e o transformou em conselheiro/interlocutor para assuntos relacionados ao agronegócio.
Sete anos depois, numa entrevista à revista “Istoé Dinheiro”, Bumlai definiu esse primeiro encontro como “um marco histórico”. Disse que o petista passou quatro dias em sua fazenda e o comparou a Getúlio Vargas e JK. “Ficávamos conversando até as três, quatro da manhã [sobre como fomentar a agricultura].”
A ligação ficou mais evidente após a vitória de Lula. No início do governo, Bumlai foi um dos escolhidos para integrar, com sindicalistas, ativistas e outros empresários, o Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social. Envolveu-se com grupos de trabalho de bioenergia, pecuária, infraestrutura, reforma tributária e previdenciária.
Bumlai parecia ter algo mais que os outros 91 membros do Conselhão. Ainda no primeiro semestre de 2003 ele financiou, com o empresário José Alberto de Camargo (CBMM), a instalação da hoje esquecida ONG Apoio Fome Zero, que tinha a primeira-dama Marisa Letícia como presidente de honra e disparava cartas a empresários pedindo doações proporcionais ao faturamento de suas empresas.
Desde então, sua proximidade com Lula foi alardeada em variadas situações. Ora como fornecedor de churrasco para o arraial de São João que o petista promovia na Granja do Torto; ora como primo do empresário que cedeu ou alugou um escritório para montagem de uma firma por parte de filhos de Lula, Glaucos Costamarques.
Entre os amigos, Bumlai é visto como alguém muito religioso e supersticioso. Devoto de Santo Antônio, é do tipo que faz novena, vai à missa todos os dias e carrega uma imagem de Nossa Senhora na lapela –presente do ex-governador do Mato Grosso Blairo Maggi. Também tem mania com o número 9, presente na placa de seu carro, no prefixo do avião, no celular.
Eclético na vida profissional, foi sócio de figuras como o narrador Galvão Bueno, o deputado Beto Mansur (PRB-SP), o ex-piloto de Fórmula 1 Emerson Fittipaldi e o piloto Hélio Castro Neves, este último na primeira franquia do Burger King em São Paulo.
A Lava Jato não é o primeiro caso em que ele ou firma de seu grupo aparece sob suspeita. Em 2010, funcionários de sua Usina São Fernando e de uma empresa de segurança foram apontados pela Funai e pelo MPF (Ministério Público Federal) como responsáveis pelo ataque a um acampamento indígena guarani-kaiowá em Dourados (MS).
Barracos foram incendiados e um indígena de 62 anos foi ferido à bala. Os citados negaram envolvimento.
No ano seguinte, um inquérito mirou na desapropriação de outra fazenda de seu grupo no Estado, a São Gabriel. Entregue ao Incra por R$ 21 milhões (2005), era avaliada em R$ 14 milhões em perícia.
Em seguida, Bumlai foi acusado de atuar como distribuidor de propina pelo delator de um esquema de corrupção na Prefeitura de Campinas. Grampeado, um dos investigados do caso disse que o pecuarista estudava virar delator para “proteger Lula”.
O Ministério Público paulista chegou a pedir a prisão de Bumlai na época, mas o juiz do caso rejeitou sob o argumento de falta de elementos mais consistentes.
Nesta terça (24), quando a notícia de sua prisão e embarque para Curitiba começou a circular na sede da Polícia Federal, um dos presos da Lava Jato voltou a especular sobre uma possível delação de Bumlai. “Ele é tão medroso que pode começar a delatar ainda no avião”, disse.

  
   
   

25 de novembro de 2015 às 8:19

Lava Jato agora tem senador e banqueiro [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Depois de empresários, lobistas, doleiros, deputado…agora engrossam a lista de presidiários, um senador e um banqueiro.

Qual a participação do banqueiro André Esteves, CEO do BTG Pactual, na Lava Jato?

  

O BTG é um dos acionistas da Sete Brasil, criada para fornecer equipamentos à Petrobrás, entre eles sondas para exploração de petróleo. 

A empresa está sendo investigada pela Operação Lava Jato.

O banqueiro André Esteves se aproximou do PT e do governo e é conhecido pelo jeito afoito de atuar.

25 de novembro de 2015 às 8:03

No plano de fuga de Cerveró traçado por Delcídio, constavam uma mesada e um avião Falcon 50 para levá-lo à Espanha [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Do Radar Online, da Veja:


Plano de fuga tinha Espanha como destino e envolvia mesada a Cerveró

Por: Vera Magalhães


Nas discussões sobre o plano de fuga para Nestor Cerveró, o senador Delcídio Amaral negociava uma “mesada” para bancar a permanência do ex-diretor da Petrobras no exterior.


Pelo fato de Cerveró ter nacionalidade espanhola, o destino final cogitado era a Espanha.


O plano era tão detalhado que o Ministério Público descreve até o avião que seria usado na fuga: um Falcon 50.


*




Senado terá de votar prisão de Delcídio

Por: Severino Motta
Preso no exercício do mandato, o futuro do senador Delcídio Amaral dependerá agora de seus colegas de Senado.

A Justiça tem 24 horas para enviar os autos da prisão à Casa. Os senadores avaliarão o material e farão uma votação para decidir se a prisão será mantida.

*

Advogado de Cerveró tem prisão pedida, mas está viajando

Por: Vera Magalhães

  
O advogado Edson Ribeiro, que defende o ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró na Lava Jato, está com a prisão decretada pelo STF, mas não foi preso ainda porque está viajando, segundo fontes ligadas ao Supremo e à Polícia Federal.
Ribeiro também aparece nas gravações combinando a fuga de Cerveró.

*

Casa de Delcídio também é alvo da Polícia Federal

Por: Vera Magalhães
A Polícia Federal cumprirá ainda nesta manhã mandados de busca e apreensão na casa do senador Delcídio Amaral em Mato Grosso do Sul.
A família do senador foi avisada de sua prisão em Florianópolis, pelo advogado. Delcídio não teve tempo de falar com a mulher, Maica, e com as filhas.

*

Delcídio discutiu rotas e só aguardava HC de Cerveró para fuga de ex-diretor

Por: Vera Magalhães
Nas gravações em que foi flagrado e que o levaram à prisão, o senador Delcídio Amaral discutiu possíveis maneiras para a fuga do ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró.
Nas conversas gravadas ele discutia em detalhes com o filho de Nestor Cerveró e o advogado do ex-diretor que rotas deveriam ser usadas na evasão.
O plano seria implementado tão logo fosse concedido habeas corpus para livrar Cerveró da cadeia.

*

Polícia Federal faz busca na liderança do governo no Senado

Por: Severino Motta
Devido à prisão do líder do governo no Senado, Delcídio Amaral, a Polícia Federal realizou buscas no Congresso nesta manhã.
Foram apreendidos computadores e documentos na liderança do governo no Senado.

*

Teori convocou turma para ratificar prisão de Delcídio

Por: Vera Magalhães
A sessão extraordinária que o ministro Teori Zavascki convocou para a manhã desta quarta-feira foi para ratificar com os demais colegas da turma do STF a liminar que concedeu para prender o líder do governo no Senado, Delcídio Amaral (PT-MS).
Quando comunicou os ministros e o presidente da corte, Ricardo Lewandowski, sobre a sessão extra, Teori apenas disse que gostaria de tratar de algo referente à Lava-Jato, mas não antecipou que concordaria com a prisão do senador petista.

25 de novembro de 2015 às 7:41

Senador Delcídio Amaral tentou articular fuga da prisão do ex-diretor da Petrobras, Nestor Cerveró [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O filho do ex-diretor da Petrobras, Nestor Cerveró, teria sido decisivo para a prisão do senador Delcídio Amaral.

Ele gravou a tentativa do senador, líder do governo, de articular a fuga de Cerveró do presídio e entregou à justiça.

Resta saber se Delcídio queria tirar Cerveró da prisão em defesa própria ou do Governo, do qual é líder no Senado Federal.

25 de novembro de 2015 às 7:33

Senador Delcídio foi preso no mesmo hotel onde a PF prendeu ontem o empresário José Carlos Bumlai [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Coincidência…

O senador Delcídio do Amaral, que teria recebido até um milhão e meio de dólares no esquema da refinaria de Pasadena, foi preso hoje em Brasília em um hotel.

Mesmo hotel onde foi preso ontem o empresário José Carlos Bumlai, na etapa 21 da Operação Lava Jato.

Triste coincidência para o hotel.