Thaisa Galvão

13 de março de 2016 às 22:04

Prefeito Carlos Eduardo foi ao apartamento de João Maia neste domingo para tratar de aliança com o PR [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O prefeito Carlos Eduardo foi visto hoje no final da tarde entrando no prédio onde mora o presidente do PR, ex-deputado João Maia.

Carlos estava acompanhado do secretário de Meio Ambiente, Marcelo Rosado, pré-candidato do PR a prefeito de Mossoró.

A visita durou mais de duas horas e os dois já deixaram o prédio à noite.

João Maia conversou hoje com Carlos, e amanhã, segundo a deputada Márcia Maia, terá a última conversa com a ex-governadora Wilma de Faria.

Wilma e Márcia estão sem partido e o PR é uma das opções das duas.

Mas…num projeto onde Márcia seria candidata à prefeita.

Num projeto envolvendo o prefeito Carlos Eduardo, que já fechou a vaga de vice com o PMDB, para onde iria o projeto de Márcia?

E Wilma? Perderia a vaga de vice para o PMDB e permaneceria no grupo?

Poderia ser candidata à vereadora, mas…e o projeto dela não seria Márcia?

Assim…Wilma iria para o PR?

Ainda em discussão, o PPS do ex-deputado Wober Júnior, e agora o PSDB, para onde vão os deputados Ezequiel Ferreira, Gustavo Carvalho, Vivaldo Costa e Raimundo Fernandes…

O PR com Wilma e com o vereador Luiz Almir juntos preocupou o prefeito Carlos Eduardo.

E é esse risco que ele não quer correr, daí ter subido os 5 andares do prédio onde mora João Maia neste domingo.

13 de março de 2016 às 21:38

Michel Temer deu carona em avião da FAB a deputado que foi a SP protestar contra Dilma [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Da Folha:

Michel Temer deu carona para deputado participar de protesto


Cátia Seabra




Um dos mais aguerridos defensores do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), o deputado Carlos Marun (PMDB-MS) viajou num voo da FAB para participar do ato pelo impeachment realizado neste domingo (13) em São Paulo.
Ele pegou carona no avião do vice-presidente, Michel Temer, que deixou Brasília às 19h de sábado (12), após participar da convenção do PMDB.
Segundo Marun, Temer perguntou por que viajaria a São Paulo neste fim de semana.
O deputado explicou que participaria do protesto pelo impeachment da presidente Dilma Rousseff.
Segundo Marun, Temer não tentou demovê-lo da ideia. “Ele não disse para eu não vir nem para eu ir”.
Marun participou da comitiva que acompanhou Geraldo Alckmin e Aécio Neves.
Outro peemedebista foi Darcisio Perondi (RS). Segundo Marun, Temer estava feliz com o resultado da convenção. Para Temer, teria sido uma demonstração de sua capacidade de aglutinação de forças.

13 de março de 2016 às 20:05

Em nota Dilma diz a liberdade de manifestação é própria das democracias [0] Comentários | Deixe seu comentário.

A presidente Dilma Rousseff emite a segunda nota do dia.

Depois de se posicionar contra os ataques à sede da UNE, ontem, a presidente se posicionou em relação ao protesto deste domingo.

Eis a nota:
“A liberdade de manifestação é própria das democracias e por todos deve ser respeitada. O caráter pacífico das manifestações ocorridas neste domingo demonstra a maturidade de um país que sabe conviver com opiniões divergentes e sabe garantir o respeito às suas leis e às instituições”.

13 de março de 2016 às 19:54

Brasileiros que vivem em outros países também protestaram neste domingo [0] Comentários | Deixe seu comentário.

A Polícia Militar estima que 3 milhões de pessoas foram às ruas em todo o Brasil neste domingo.

A soma total dos números dos organizadores de cada estado chega a 6 milhões e 100 mil pessoas.

Levando em consideração os números da PM, o protesto já é o maior da história do país.

Brasileiros que vivem em outros países também protestaram.

  
  
  
  
  
  

13 de março de 2016 às 19:32

No maior protesto da história de São Paulo, Aécio, Alckmin e Marta foram hostilizados [1] Comentários | Deixe seu comentário.

O protesto de hoje no Brasil é da população e não cabe políticos.

Em São Paulo, que segundo a Polícia Militar, reuniu 1 milhão e 400 mil pessoas, o senador Aécio Neves e o governador Geraldo Alckmim foram hostilizados. Os dois não aceitaram discursar e foram embora logo.

A senadora Marta Suplicy, que trocou o PT pelo PMDB, também foi vaiada.

Na Avenida Paulista o movimento foi pacífico.

A população protestou contra a corrupção, independente de partido. E pediu o impeachment da presidente Dilma e a prisão do ex-presidente Lula.

   
 

13 de março de 2016 às 18:58

Acidente com morte na BR-226 [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Acidente com morte na BR-226, próximo à Maniçoba.

Um veículo com placas de Caicó e outro de Currais Novos bateram de frente e uma pessoa morreu: o aposentado Erivânio Cândido de Medeiros.

  

13 de março de 2016 às 18:50

PM estima que 11 mil pessoas participaram do protesto em Natal [0] Comentários | Deixe seu comentário.

De acordo com a Polícia Militar, cerca de 11 mil pessoas participaram da manifestação em Natal, na praça Cívica e arredores.

Em Mossoró (última foto) a PM estimou em 350 o número de participantes.

  

13 de março de 2016 às 15:03

Presidente do PSDB de Natal, vereador Dickson Jr diz que não fica no partido se José Adécio se filiar [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Presidente do diretório municipal do PSDB, o vereador de Natal, Dickson Júnior, disse que já conversou com o deputado federal Rogério Marinho sobre a filiação dos deputados do grupo do presidente da Assembleia, Ezequiel Ferreira, ao seu partiro.

Mas…informado sobre a possibilidade do deputado José Adécio se integrar ao grupo, já adiantou:

Com Adécio no PSDB ele não continua.

Para Dickson Júnior, “não cabe” os dois no partido

E lembra que o irmão, ex-deputado Dibson Júnior, perdeu o mandato por uma manobra do DEM e do deputado José Adécio.
Pelo que o Blog apurou, o que há em torno do deputado José Adécio é a possibilidade dos novos tucanos de tentarem agregá-lo ao partido.

Mas, pelo que conversei com Adécio há alguns dias, o deputado tende a se filiar ao PSD do governador Robinson Faria.

13 de março de 2016 às 13:14

Dilma emite nota contra ataque à sede da UNE [0] Comentários | Deixe seu comentário.

A presidente Dilma Rousseff divulgou hoje nota à imprensa.

Eis:

“É intolerável a violência cometida por vândalos que neste sábado atacaram a sede da União Nacional dos Estudantes (UNE), em São Paulo. Trata-se de uma ação violenta, que confunde o debate político saudável e democrático com a disseminação do ódio. Como venho afirmando à imprensa, ações que constituam provocação, violência e vandalismo prestam enorme e preocupante desserviço ao Brasil.
 ​Lutamos por muitos anos para o restabelecimento da ordem democrática, para o funcionamento adequado das instituições e para o pleno exercício do direito à expressão e a manifestação política. O que se viu na sede da UNE, no entanto, foi um gesto de intimidação gratuita e uma afronta a democracia, e deve ser repudiado por todos aqueles que acreditam numa nação livre e democrática.
 Os mesmos princípios democráticos devem ser defendidos em relação ao episódio ocorrido na subsede do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em Diadema, na sexta-feira à noite. É preciso que o governo de São Paulo apure com rigor o ocorrido e as motivações para a ação de policiais armados durante uma plenária em apoio ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Que os fatos sejam plenamente esclarecidos”.
 Presidenta Dilma Rousseff 
 

13 de março de 2016 às 12:30

Protesto aconteceu pela manhã em Brasília, Rio e Recife [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O protesto em Brasília que aconteceu pela manhã, já começa a dispersar.

A Polícia Militar estimou em 100 mil pessoas no movimento considerado pacífico.

O protesto também acontece agora no Rio de Janeiro e em Recife.

Participantes manifestam apoio ao juiz Sérgio Moro.

  
Em São Paulo o protesto acontecerá logo mais à tarde.

Em São Bernardo do Campo, militantes se reuniram na frente do prédio onde mora Lula, numa manifestação de apoio ao ex-presidente.

  

13 de março de 2016 às 12:02

Ministro Henrique diz que não tentou segurar o PSDB para Rogério porque nunca interferiu em outras legendas [1] Comentários | Deixe seu comentário.

O ministro Henrique Alves nega que tenha tentado, junto ao PSDB, segurar o partido para o deputado Rogério Marinho.

E disse que jamais “ousou” interferir nas questões de outras legendas…

O ministro considera a informação um “desatino” e desafia quem diga com quem ele se reuniu para tratar do assunto.

13 de março de 2016 às 11:52

Piloto da Avianca convoca passageiros para o protesto [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Passageiros que saíram de Natal na quinta-feira, às 20 horas, quando pousaram em São Paulo no final da noite ouviram a seguinte despedida do comandante:

“Encontro vocês domingo na Avenida Paulista”.

Foi no voo da Avianca.

13 de março de 2016 às 11:09

Protesto em Natal acontecerá das 15 às 18 horas na Praça Cívica [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Marcado para começar às 15 horas, em Natal, o protesto contra a corrupção e a favor do impeachment da presidente Dilma Rousseff.

Abaixo a programação:

  

13 de março de 2016 às 10:01

As 10 melhores cidades para se viver no mundo não estão no Brasil [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Da Veja:
Descubra quais são as 10 melhores cidades para se viver no mundo
Pelo sétimo ano consecutivo, Viena foi reconhecida como a melhor cidade para se viver. 

A pesquisa feita pela consultoria americana Mercer classificou 230 cidades em 2015, tendo Bagdá como última colocada e quatro representantes brasileiras no ranking: 

Brasília, na posição 106, 

Rio de Janeiro, na 117ª, 

São Paulo, na 121ª, 

Manaus, na 125ª.
O estudo examinou as condições sociais e econômicas das cidades, além da saúde, educação, moradia e opções de lazer. A possibilidade de alugar um apartamento bem localizado por um preço relativamente baixo foi um dos fatores que fez com que a capital da Áustria ficasse à frente de cidades europeias famosas, como Paris (37) e Londres (39). 

As ameaças de ataques terroristas também foram consideradas no quesito segurança e prejudicaram a colocação das capitais da França e Inglaterra. 

Confira abaixo as dez primeiras cidades da lista.

  
   
  
  
  
  
  
  
  
  

13 de março de 2016 às 9:21

Reações violentas às barreiras da Lei Seca provocam acidentes na madrugada em Natal [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Por Anderson Barbosa, do G1-RN:
Embriagados, jovem capota carro e psicólogo atropela PMs em Natal

Motoristas furaram barreiras da Lei Seca realizadas neste domingo (13). Ambos foram presos; policiais atingidos foram socorridos e passam bem

  
Um jovem de 18 anos, sem carteira de habilitação, furou uma blitz da Operação Lei Seca na madrugada deste domingo (13), perdeu o controle do veículo, bateu em um poste de alta tensão e capotou o carro na Av. Engenheiro Roberto Freire, na Zona Sul de Natal. O impacto da batida foi tão grande que o motor ficou no meio da pista. Segundo o capitão da PM Styvenson Valentim, um psicólogo reformado da Marinha do Brasil também não respeitou a barreira e, na tentativa de escapar da fiscalização, atropelou dois policiais e ainda bateu na moto de um dos PMs.
Styvenson contou ao G1 que três barreiras foram montadas ao longo da madrugada na Zona Sul da cidade. Além da Av. Engenheiro Roberto Freire, também foram fiscalizados trechos da Rota do Sol, que dá acesso às praias do litoral Sul, e da Via Costeira, corredor dos principais hotéis da cidade. Ao todo, 76 carteiras de habilitação foram retidas e 8 pessoas presas, incluindo o rapaz que capotou o carro e o militar aposentado que atropelou os PMs.
A batida no poste, ainda de acordo com o capitão Styvenson Valentim, aconteceu por volta das 2h30, nas proximidades do CCAB Sul. O veículo transitava no sentido Ponta Negra-Centro. “O garoto estava em um Citroën C4. Ele passou direto pela barreira e acelerou. Depois de alguns metros, perdeu a direção, subiu na calçada, bateu forte em um poste e capotou. E não bateu em um poste pequeno. Foi em um daqueles postes bem grandes, de alta tensão. O motor do carro foi parar longe. O rapaz deu muita sorte de ter escapado com vida. Estava visivelmente embriagado e não usava cinto de segurança. Foi sorrido ao hospital com uma lesão em um dos ombros e passa bem. Por estar sem habilitação, ter furado a barreira e ter causado dano ao patrimônio, foi preso e levado para a delegacia. Ele se recusou a fazer o teste do bafômetro, mas também foi autuado por crime de embriaguez ao volante. E ainda causou transtornos aos moradores da região, que ficaram sem luz por um bom tempo”, relatou o comandante.
Já o psicólogo da Marinha, foi perseguido até a avenida Ayrton Senna, onde foi preso em flagrante. Ao ser detido, o militar ainda tentou subornar os policias oferecendo R$ 10 mil. “Ele não parou e jogou o carro em cima de um dos nossos policiais. O PM conseguiu segurar no capô do carro e foi levado em alta velocidade por uns 200 metros ou mais”, afirmou o capitão Isaac Paiva, subcoordenado da operação. “Graças a Deus nada de grave aconteceu com ele”, ressaltou. “Na fuga, ele ainda atropelou um segundo PM, que tentou para-lo colocando a motocicleta na frente do carro. A moto foi danificada e o policial levado ao hospital com luxações e dores na cabeça”, acrescentou.

13 de março de 2016 às 9:07

Depois que decidiu pela condução coercitiva de Lula, juiz Sergio Moro passou a receber ameaças de morte [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Da Veja:
Ameaças de morte elevam segurança em torno de Moro


Juiz da Lava Jato resistia a mudar sua rotina, mas desde o depoimento de Lula conta com esquema ostensivo de proteção
Por  Rodrigo Rangel

  
Mesmo com a Operação Lava Jato já debruçada sobre políticos influentes e empresários poderosos, o juiz Sergio Moro sempre resistiu a qualquer mudança de rotina. 

Apesar dos alertas para cuidar da própria segurança, prosseguiu fazendo rigorosamente tudo o que fazia antes de assumir os processos e enfrentar a corrupção. Moro ia trabalhar de bicicleta. Frequentava restaurantes e shoppings de Curitiba e corria, sozinho, pelas ruas da cidade. 

Com o passar do tempo, aceitou fazer algumas concessões. Aposentou a bicicleta, passou a evitar programas familiares em lugares públicos e trocou o cooper ao ar livre pela esteira de uma academia. 

Mas nunca admitiu andar com escolta, embora estivesse no centro de uma atividade naturalmente fadada a despertar rancores. 

Por mais de uma vez, a Polícia Federal lhe ofereceu proteção. Sempre que ouvia a sugestão, o magistrado repetia uma pergunta: “Há alguma ameaça concreta?”. Não havia, mas aparentemente agora há. 

Desde a semana passada, Moro está sob a proteção de uma equipe de agentes altamente treinados.
Fazia tempo que o juiz era alvo de ataques virtuais, a exemplo do que aconteceu com o ex-ministro Joaquim Barbosa durante o julgamento do processo do mensalão. 

Mas nada que fosse suficiente para fazê-lo mudar de conduta. 

O ponto de inflexão brotou com a decisão de mandar a Polícia Federal conduzir o ex-presidente Lula para depor sobre suas ligações com o petrolão, na sexta-feira 4. 

A ordem de Moro, expedida como parte da 24ª fase da Operação Lava-Jato, atiçou a militância petista mais radical – em muitos casos, pode ser apenas histeria, dada a facilidade de gritar nas redes sociais. 

Do ponto de vista policial, contudo, impõem-se cautela e atenção. 

Ainda no dia da condução coercitiva de Lula, à medida que o ex-presidente e outros hierarcas do PT subiam o tom do discurso, mais agressivas se tornavam as ameaças da tropa cibernética.
Pelo menos três desses ataques resultaram em abertura de inquérito por um motivo muito simples: incitaram, entre outras barbaridades, ao assassinato do juiz da Lava-Jato. 

“Chega de palhaçada de acreditar na democracia de direita. Matem o Moro”, escreveu no Twitter um agressor já identificado. 

“Tenhamos coragem. Matemos Moro e acabemos com esta festa”, emendou o militante. 

“Todos de esquerda nas ruas já e com armas! É guerra civil”, postou outro radical no Facebook. 

“Matar o Moro e todos os fascistas. É guerra”, prosseguiu. 

Mensagens desse quilate puseram a polícia e Moro em alerta. 

A “ameaça concreta” que o juiz paranaense dizia inexistir despontou como uma possibilidade real. 

Prudência agora é o nome do jogo. Desde aquela sexta-feira em que Lula depôs numa sala do Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, agentes da Polícia Federal se revezam num esquema ostensivo ao redor de Moro. 

Em paralelo, policiais rastreiam a origem das ameaças e de telefonemas que o magistrado tem recebido. 

“Identificaremos todos eles”, disse a VEJA um investigador que trabalha no caso.