Thaisa Galvão

19 de abril de 2016 às 22:39

Comissão de Ética da Câmara dá continuidade a processo entre os vereadores Júlio Protásio e Amanda Gurgel [0] Comentários | Deixe seu comentário.

A Comissão de Ética da Câmara Municipal de Natal (CMN) vai dar prosseguimento ao processo que envolve os vereadores Júlio Protásio (PDT) e Amanda Gurgel (PSTU), após não ocorrer conciliação proposta pela Comissão. 

A última reunião entre as assessorias jurídicas dos vereadores e a Procuradoria da Casa Legislativa foi realizada nesta terça-feira, porém sem êxito, já que os parlamentares não chegaram a um acordo.
A Comissão presidida pelo vereador Joanilson Rêgo (PSDC) analisa quatro representações protocoladas por Júlio e Amanda.

Protásio apresentou três processo contra Amanda Gurgel por quebra de decoro parlamentar e ela é autora de uma representação contra ele. 

 

ACUSAÇÕES NA COMISSÃO

 

O primeiro processo apresentado por Júlio Protásio informa à Comissão que a vereadora como presidente da ONG Zuzu Angel, responde no Tribunal de Contas da União (TCU) a um processo por ter recebido R$ 262.422.66, e não prestado contas.

A vereadora alega que não era presidente da ONG. 

De acordo com o processo, o vereador acusa a vereadora de faltar ao afirmar na imprensa que não era presidente da ONG, mesmo constando no processo, documento de assinatura dela no convênio com o Ministério do Turismo.
Na segunda acusação, Protásio denuncia Amanda por ter faltado com a verdade ao informar à imprensa e eleitores que só recebia como salário, R$ 3.680,00. 

O vereador juntou provas de depósitos da Câmara na conta corrente da vereadora de salários no valor bruto de R$ 17.000,00 e de verba de gabinete bruto de R$ 18.000,00 depositados mensalmente na conta bancária da vereadora. 

Ele solicita a averiguação do dinheiro recebido pela vereadora.
A última representação feita pelo vereador Júlio Protásio, com base em documentos expedidos pelo Secretaria Municipal de Educação, solicita que a Comissão investigue Amanda Gurgel acerca de um suposto abandono de emprego.
Já a vereadora Amanda Gurgel representou contra Júlio Protásio por quebra de decoro parlamentar, por ter dito em plenário que a vereadora nunca deu uma aula.

A vereadora afirma que sempre trabalhou como professora.
A assessoria do vereador Júlio Protásio informou à Comissão que ainda apresentará mais uma denúncia que envolve a vereadora Amanda. 
De acordo com a assessoria do parlamentar, o documento protocolado ontem é referente a omissão de prestação de contas do valor R$ 251.210,31 alusivo a convênio com o Ministério do Desenvolvimento Agrário.
Sem consenso entre as partes, a Comissão de Ética vai continuar a análise do processo, sendo o próximo passo a designação dos relatores para distribuir o processo para instrução na próxima reunião do colegiado com a data a definir.

19 de abril de 2016 às 16:46

Leitor diz que PT que fez um estadual e nenhum federal, não teria feito senador sem os votos de Robinson [4] Comentários | Deixe seu comentário.

Do leitor Marcel Ribeiro ao ler nota do Blog onde o deputado Fernando Mineiro (PT) diz que governador Robinson Faria (PSD) e os deputados federais Fábio Faria (PSD) e Beto Rosado (PP) não teriam sido eleitos sem os votos do PT…

“E o PT só fez um deputado estadual, zero federal, e se não fosse a coalizão com Robinson Faria não faria senador. Curioso.

19 de abril de 2016 às 16:39

Senado marca para 17 de maio a sessão para votar abertura do processo de impeachment da presidente Dilma [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Da Folha:

Renan planeja votar impeachment de Dilma no Senado em um mês

LEANDRO COLON
MARIANA HAUBERT
DÉBORA ÁLVARES
ISABEL FLECK
DE BRASÍLIA

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), planeja votar em plenário no dia 17 de maio, uma terça-feira, a admissibilidade do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff, que, se aprovado, levará ao afastamento.

A Folha teve acesso a um calendário por escrito montado pelo senador com seis etapas até a votação no dia 17.

A primeira é a leitura nesta terça (19) da decisão da Câmara, que aprovou a abertura do processo no último domingo (17). O próximo passo é sexta (22), prazo final para indicação dos membros da comissão.

O calendário então menciona o dia 26 para eleição desta comissão em plenário e cita sua instalação como “possivelmente” no mesmo dia ou na quarta (27).

O quinto passo do rito menciona as datas de 10 e 11 de maio para votação do parecer na comissão especial. A partir daí, o documento destaca a necessidade de 48 horas para que a decisão seja levada à plenário.

O último ponto do calendário estabelece então 17 de maio, uma terça-feira, como votação em plenário, já que, pela interpretação de Renan, não pode ocorrer sessão deliberativa às sextas e segundas.

O presidente do Senado reuniu-se com líderes dos partidos nesta terça para definir o rito. A oposição, pró-impeachment, pressiona para que a trâmite seja acelerado, mas o senador, próximo politicamente da presidente Dilma Rousseff, sinaliza que não vai ceder.

19 de abril de 2016 às 16:29

Ministros do PMDB que prometeram amor eterno a Dilma já estão debandando para os lados de Temer [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Ministros do PMDB que não queriam perder a boquinha, já debandaram…
Foi só ver que a presidente Dilma já não tem mais o que oferecer…
As benesses agora estão no Palácio do Jaburu, e não mais no Alvorada.

De Gerson Camarotti:

Ministros Eduardo Braga e Helder Barbalho devem deixar governo

Os ministros do PMDB Eduardo Braga (Minas e Energia) e Helder Barbalho (Secretaria de Portos) avisaram ao partido que devem deixar o governo nesta quarta-feira


Os dois já entregaram a carta de demissão à presidente Dilma Rousseff na segunda-feira (18). Mas, abatida, a presidente fez um apelo para que voltassem a conversar na quarta.

Outro ministro do PMDB, Celso Pansera (Ciência e Tecnologia), deve permanecer como deputado e não vai reassumir o cargo no governo.
Pansera, que votou contra o impeachment, está atendendo a um pedido do comando do PMDB.

As renomeações de outros ministros com mandato de deputado que votaram contra o impeachment, Marcelo Castro (Saúde), do PMDB, e Patrus Ananias (Desenvolvimento Agrário), do PT, foram publicadas nesta terça no “Diário Oficial da União”.
Com isso, Katia Abreu (Agricultura) e Marcelo Castro são os únicos ministros do PMDB que sinalizam disposição para permanecer no governo Dilma.

19 de abril de 2016 às 16:21

Servidores reclamam de interferência política no hospital de Parnamirim [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Em Parnamirim, servidores reclamam de problemas no atendimento do Hospital Regional Deoclécio Marques por causa de ingerência política.
Inclusive, parte da insatisfação do secretário de Saúde, médico Ricardo Lagreca, vem sendo atribuída a interferência de deputados do PSD no hospital de Parnamirim.
O assunto é comentado nos corredores do próprio hospital.

19 de abril de 2016 às 16:15

Escuridão por falta de pagamento [0] Comentários | Deixe seu comentário.

A coisa não está fácil pra ninguém.
Apagão na Secretaria de Administração da Prefeitura de Natal foi atribuída a um curto circuito.
Na própria pasta, servidores falaram em falta de pagamento.
A Cosern foi lá e…cortou.

19 de abril de 2016 às 16:11

Governo não confirma pedido de exoneração da secretária de Segurança Kalina Leite [0] Comentários | Deixe seu comentário.

No Centro Administrativo do Estado ninguém confirma o pedido de exoneração da secretária de Segurança, Kalina Leite.
Nem nos gabinetes mais próximos do governador Robinson Faria, nem mesmo a assessoria de imprensa da Segurança.
A informação é que ela está trabalhando.

A saída de Kalina da Secretaria foi assunto desde o começo da manhã e tomou mais corpo depois de pronunciamentos de alguns deputados no plenário da Assembleia Legislativa.

19 de abril de 2016 às 15:14

Prefeitura confirma nome de Valério Sá para a Urbana [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Confirmado pela assessoria de imprensa da Prefeitura de Natal.
O economista Valério Sá assumirá a direção geral da Urbana.
A nomeação será publicada na edição de amanhã do Diário Oficial do Município.

19 de abril de 2016 às 14:48

Valério Sá cotado para assumir a Urbana [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Circulou hoje como certo em alguns gabinetes do Município de Natal, o nome do engenheiro Valério Sá como novo diretor geral da Urbana.

O órgão vinha sendo paquerado pelo PMDB para indicação do deputado Hermano Morais.

E o ex-diretor Sávio Hackradt, afastado para disputar uma vaga na Câmara de Vereadores, havia indicado seu chefe de gabinete, Adriano.

Na Prefeitura, a assessoria de imprensa diz não ter sido informada sobre o assunto.

19 de abril de 2016 às 12:54

Mineiro diz que sem os votos do PT, Fábio Faria e Beto Rosado não seriam deputados [1] Comentários | Deixe seu comentário.

Depois de oficializar o rompimento do PT com o governo do Estado, e entregar os cargos indicados pelo partido, o deputado estadual Fernando Mineiro (PT), até bem pouco tempo líder do governador Robinson Faria (PSD) na Assembleia Legislativa, disse há pouco, em pronunciamento, que o PSD “embarcou na canoa do golpe”.

Mineiro se referiu ao voto do deputado federal Fábio Faria (PSD) em favor do impeachment da presidente Dilma Rousseff.

Também citou o deputado Beto Rosado, do PP, partido que havia se comprometido com o governo, mas terminou votando pelo impeachment.

“Não fosse o voto do PT nós não teríamos hoje os deputados Fábio Faria e Beto Rosado”, declarou Mineiro, que passou a chamar o PSD e o PP de “traidores e golpistas”.

“Lamentável que quem ganhou a eleição se some agora aos derrotados de 2014… Depois que o PT contribuiu com a vitória do governador Robinson Faria e dos deputados Fábio Faria e Beto Rosado”, discursou Mineiro.

19 de abril de 2016 às 11:56

Mor Gouveia: Rua da agência bancária onde bandidos fizeram arrastão está no escuro há dias [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O arrastão realizado ontem à noite, na agência do Banco do Brasil da Avenida Capitão-Mor Gouveia,  onde cerca de 20 clientes foram vítimas, teve um facilitador para a bandidagem desenfreada:

“Todos os postes do canteiro central  da Mor Gouveia estão apagados, o que facilita muito a ação dos bandidos”, disse ao Blog um morador da região

O arrastão foi feito por 3 bandidos, um deles armado.

  

19 de abril de 2016 às 11:22

Policial é assassinado em Caicó [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O policial militar Edinaldo da Costa Rangel, o “cabo Rangel”, foi assassinado hoje em Caicó.

Por volta das 8h ele seguia pelo Alto da Boa Vista, quando dois homens se aproximaram em uma moto e atiraram diretamente contra ele.

O policial foi atingido no peito, e sem controle da direção, o carro que dirigia bateu em um carro.

19 de abril de 2016 às 11:07

Coleecione: Revista que circula em Caicó será lançada hoje em Natal [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Será lançada logo mais a partir das 18h, no Douce France, a primeira edição da revista Collecione Natal. 

A revista, que já circula em Caicó desde 2010, chega à capital, mas seguindo a mesma linha editorial que a tornou conhecida na revião do Seridó.

A revista é comandada pelo publicitário Fred Costa.
  

Fred Costa

19 de abril de 2016 às 9:57

Para Lula, se processo for aberto no Senado, Dilma sai e não volta [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Da Folha:

Lula diz que não há volta caso Senado afaste Dilma temporariamente

CATIA SEABRA
CAMILA MATTOSO
DE SÃO PAULO

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva reconheceu, nesta segunda-feira (18), que a presidente Dilma Rousseff dificilmente voltará ao Palácio do Planalto caso o Senado aprove a abertura do processo de impeachment na Casa.

Essa avaliação foi feita durante reunião com o presidente do PT, Rui Falcão, e representantes de movimentos de esquerda.
É necessária a maioria simples para que o processo de impeachment tenha prosseguimento no Senado. Essa votação deverá ocorrer no início de maio.
Num prazo de até 180 dias depois, os senadores têm que decidir sobre o mérito do pedido de impeachment, cuja aprovação requer dois terços da Casa.

Nesse interregno, Dilma fica afastada do cargo, que passa às mãos do vice-presidente Michel Temer. Numa reunião realizada no Instituto Lula, o ex-presidente admitiu a dificuldade de Dilma reassumir a Presidência depois que Temer ocupe a cadeira e conquiste o poder de negociação com os senadores.
Lula também avaliou como remotas as chances de impedir o prosseguimento do processo no Senado. Rouco e visivelmente cansado, ainda segundo os aliados, Lula ouviu a opinião dos participantes do encontro.

A reunião teve a participação de Guilherme Boulos, coordenador do MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto), Gilmar Mauro, líder do MST (Movimento dos Sem Terra), do presidente do PT, Rui Falcão e do prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, além de presidentes de sindicatos e diretores do Instituto Lula.

“Colocamos a necessidade de construir uma mobilização de forma sistemática contra o golpe”, relata Boulos, segundo quem “Lula mais ouviu do que falou” durante as mais de quatro horas de reunião.
“Foi uma conversa para fazer um balanço do que aconteceu ontem e pensar no que vamos fazer”, afirmou Rui Falcão, na saída do encontro.

A exemplo de Boulos, Gilmar Mauro propôs uma agenda de mobilização, com nova palavra de ordem, para reverter a situação no Congresso. Ele afirma que o desempenho dos deputados na sessão de domingo (17) pode criar uma reação na sociedade. O dirigente do MST disse que, embora não tenha ainda consenso na reunião, sua opinião é de que não existe chance de o governo se sustentar caso se consuma a saída de Dilma.

“Não há nenhuma chance de o governo Temer/Cunha andar. Nenhuma. A população não deixará. Essa é a certeza que eu tenho e a avaliação que eu faço. Não posso dizer que foi uma avaliação da reunião toda, mas muitos concordam. O que vimos ontem em Brasília foi uma aula de cretinice. Acredito que a partir do que os deputados mostraram para o Brasil, muitas mudanças vão acontecer na consciência das pessoas”, completou.
Na reunião, a proposta de antecipação das eleições foi alvo de discussão. A maioria dos participantes lançou dúvidas sobre sua viabilidade.
Na manhã desta terça (19), Lula participará de reunião do diretório nacional do PT para avaliação do cenário. Na quarta-feira, ele prestigiará o ato das frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo. Também na quarta, o STF (Supremo Tribunal Federal) deverá decidir se ele pode assumir um ministério do governo Dilma.

19 de abril de 2016 às 9:48

Senadores Antônio Anastasia (PSDB) e Ana Amélia (PP) cotados para presidência e relatoria da Comissão do Impeachment [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB) reunirá novamente por volta das 11 horas, os senadores Cássio Cunha Lima (PSDB), José Agripino Maia (DEM), Ronaldo Caiado (DEM), Romero Jucá (PMDB), e outros parlamentares para discutir a formação da comissão que irá tratar do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff.

O processo aprovado na Câmara, foi entregue ontem pelo presidente Eduardo Cunha a Renan e já será lido na sessão de hoje à tarde.
Será na sessão de hoje que Renan vai solicitar aos partidos que indiquem seus representantes para a comissão do impeachment.

Os senadores citados acima se reuniram ontem à tarde e debateram a possibilidade do PT se recusar a indicar representantes para a comissão, porém, a sugestão dos senadores Cássio Cunha Lima e José Agripino Maia é de levarem o caso ao Supremo, para que, em 48 horas, o Senado possa apresentar a comissão.

Porém, Renan Calheiros já adiantou que, se o PT não indicar, ele mesmo indica.

“Temos pressa para não correr risco do Senado procrastinar”, afirmou Agripino, líder da oposição no Senado Federal.

De acordo com o que foi discutido ontem, como o PMDB e o PT, principais envolvidos na questão do impeachment, não deverão ocupar presidência nem relatoria da comissão, os nomes cotados são os do senador mineiro Antônio Anastasia (PSDB) para presidir, e a senadora gaúcha Ana Amélia (PP) para relatar o processo.

19 de abril de 2016 às 9:30

Citações a Michel Temer nas delações da Lava jato começam a ganhar espaço na mídia [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Engana-se quem acha que o vice Michel Temer terá paz para substituir a presidente Dilma Rousseff.

Da Folha:

Vice-presidente já foi citado por dois delatores da Operação Lava Jato

MARIO CESAR CARVALHO
FLÁVIO FERREIRA
DE SÃO PAULO

O vice-presidente Michel Temer (PMDB-SP) sempre conseguiu contornar escândalos que citavam seu nome, mas deverá enfrentar o teste da Lava Jato. Dois delatores que fizeram acordo com os procuradores da operação citam o nome de Temer como padrinho de diretores que operavam esquemas de propina na Petrobras.

Os delatores são o senador Delcídio do Amaral (sem partido-MS) e o empresário Julio Camargo, que intermediou negócios bilionários na estatal econfessou ter pago propina a integrantes do PMDB, entre os quais o deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ).
Camargo afirma ter ouvido que Temer era um dos beneficiados pelo suborno, o que o vice-presidente nega.
A Lava Jato também encontrou uma mensagem no celular de um dos sócios da OAS, Léo Pinheiro, que cita um pagamento de R$ 5 milhões ao vice-presidente, segundo denúncia apresentada pela Procuradoria Geral da República contra Eduardo Cunha.

O procurador-geral, Rodrigo Janot, escreveu na acusação ao Supremo que “Eduardo Cunha cobrou Léo Pinheiro por ter pago, de uma vez, para Michel Temer a quantia de R$ 5 milhões, tendo adiado os compromissos com a ‘turma'”. Temer diz que os R$ 5 milhões foram doação legal.
Uma das acusações mais contundentes contra Temer partiu de Delcídio. O senador responsabiliza o vice pela indicação de um diretor da BR Distribuidora, que ocupou o cargo entre 1997 e 2000, no governo de Fernando Henrique Cardoso, que teria feito negócios ilícitos com etanol.
Tal executivo, João Augusto Henriques, está preso em Curitiba sob acusação de intermediar propina em contratos da Petrobras.
Delcídio classifica o negócio com etanol como “um dos maiores escândalos envolvendo a BR Distribuidora”.

Temer também teria indicado Jorge Zelada em 2008 para a diretoria internacional da Petrobras, segundo Delcídio. Zelada foi condenado a 12 anos de prisão sob acusação de ter desviado US$ 31 milhões da Petrobras para o PMDB e para si próprio. Numa conta de Zelada, as autoridades de Mônaco encontraram 11,6 milhões de euros, o equivalente a R$ 47,5 milhões.
A Operação Lava Jato também apreendeu planilhas na Camargo Corrêa em 2014 que citam dois pagamentos de US$ 40 mil a Temer, relacionados a obras em estradas.

Outra investigação da Polícia Federal sobre a Camargo Corrêa, a Operação Castelo de Areia, encontrou documentos que citam 21 vezes o nome de Temer e a cifra de US$ 345 mil. A planilha vai de 1996 a 1998, quando ele era deputado federal. A operação foi anulada pelo Superior Tribunal de Justiça sob o argumento de que ela foi iniciada a partir apenas de denúncia anônima, o que seria ilegal.
Ele também já foi acusado duas vezes de desvios de recursos do porto de Santos, apontada pelos próprios peemedebistas como sua área de influência, mas as investigações foram arquivadas.

OUTRO LADO

O vice Michel Temer negou envolvimento em qualquer dos temas investigados na Lava Jato ou nos outros casos em que foi mencionado.
Sobre o repasse citado em mensagem de Léo Pinheiro, a assessoria de Temer informou que “a doação eleitoral mencionada está declarada” na prestação de contas de Dilma Rousseff, na conta Michel Temer 2014, e tal valor não está ligado a ato ilícito.
Temer afirmou que as indicações de João Augusto Henriques e Jorge Zelada foram do PMDB de Minas Gerais e que jamais atuou em compra ilícita de etanol.
Em relação às declarações de Fernando Soares, a assessoria afirmou que o próprio Soares mudou sua versão.
Quanto à planilha da década de 90, Temer disse que não era parlamentar no período e não tinha com apresentar emendas sobre obras.
Na Castelo de Areia e no caso de Santos não foram encontradas provas contra o vice, segundo a assessoria.

19 de abril de 2016 às 9:21

Economista Armínio Fraga não topa ser ministro da Fazenda [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O economista Armínio Fraga já avisou.
Pode até ajudar, mas ministro da Fazenda não será.
O Brasil não tem agradado…

O PSDB e o DEM estão dizendo também que não farão parte do eventual governo Temer e que, se alguém assumir alguma pasta, não será por indicação dos partidos.

Além do PMDB, ninguém quer assumir a paternidade do “novo Brasil”…

19 de abril de 2016 às 9:17

O Brasil da brincadeira [0] Comentários | Deixe seu comentário.

No Contraponto de hoje, da coluna Painel, o retrato mais fiel do Brasil:

CONTRAPONTO

Nada à minha altura

A festa de um deputado da oposição para comemorar a votação do impeachment já chegava ao fim. Dois parlamentares tomavam a saideira, relembrando momentos da sessão decisiva, quando um comentou:
— Tudo muito bacana. Mas que foi golpe…. Ah, foi golpe, hein? — afirmou, às gargalhadas.
O colega reagiu, acusando-o de não ter lido sobre as pedaladas. E ameaçou delatá-lo a Michel Temer.
— Você vai ficar é sem ministério! — disse, aos risos.
Ao que o deputado rebateu:
— Não tenho espaço no governo mesmo… A pasta que quero não existe. Queria o Ministério da Perseguição!

19 de abril de 2016 às 9:01

Lobistas ligados ao PMDB vão depor no Conselho de Ética sobre o caso Eduardo Cunha [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Da coluna Painel, da Folha, a notícia que promete incendiar o mundinho político:

Tela quente Os lobistas Fernando Soares, o Baiano, e João Augusto Henriques, ambos presos pela Lava Jato, confirmaram depoimentos ao Conselho de Ética no caso do presidente da Câmara. Prometeram falar na semana que vem aos parlamentares.

19 de abril de 2016 às 8:23

Para advogado tributarista, solução para o Brasil pode revoltar classes empresariais que pediram saída de Dilma [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Advogado especialista em Direito Tributário, com escritório respeitado em São Paulo, onde atende políticos, grandes empresas,  detentores de grandes fortunas, traçou para o Blog o que, na visão dele seria um modelo para se tentar uma solução para o Brasil.

Maia está na Itália onde foi fazer uma palestra na Universidade C’afoscaro de Veneza.
“Parece-me que, considerando o avanço da crise, uma medida é certa: corte de despesas com o custeio da máquina pública. Só depois dessa medida, caso ela não surta os efeitos desejados, é que a classe política poderá pensar em aumentar a arrecadação. Neste caso, duas medidas são possíveis, em conjunto ou separadamente: revogar alguns incentivos e benefícios fiscais e/ou aumentar ou criar novos tributos. Aqui, poderíamos pensar numa CPMF ou em eventual imposto sobre grandes fortunas, ou ainda, em aumento dos tributos já existentes. São medidas impopulares e que podem provocar a ira das ruas. Qualquer governante terá sérias dificuldades. Estamos em estágio avançado de estrangulamento com a alta carga tributária, baixa atividade econômica e alta rejeição política. Quem se habilita? Eis a questão”.
Perguntei se o empresariado que pediu a saída da presidente Dilma, que hoje combate a criação de impostos – a campanha do ‘quem vai pagar o pato foi encampada pela Fiesp – não seria a primeira parcela da população a se rebelar…
“Não tenha dúvida. Quando falo nas ruas, falo do empresariado”, respondeu o advogado Robson Maia.