Holiday

Thaisa Galvão

14 de novembro de 2017 às 6:00

Lava-jato: Polícia prende empresário e filho do presidente da Assembleia do Rio de Janeiro [2] Comentários | Deixe seu comentário.

Do G1

PF faz operação para cumprir mandado de prisão contra Jacob Barata e contra o filho do presidente da Alerj

Agentes estão desde o começo da manhã na casa do maior empresário do setor de ônibus e na casa de Felipe Picciani, filho de Jorge Picciani. Os policiais também estão na casa de Lélis Teixeira, presidente da Fetranspor

A Polícia Federal está nas ruas do Rio na manhã desta terça-feira (14) para tentar cumprir mandados de prisão contra o empresário Jacob Barata Filho e contra Felipe Picciani, filho do presidente da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), Jorge Picciani.

Os agentes estão nas ruas desde o começo da manhã e também fazem buscas nas residências de Lélis Teixeira, ex-presidente da Federação das Empresas de Transportes de Passageiros do Estado do Rio de Janeiro (Fetranspor), e do deputado Paulo Mello.

A Operação Cadeia Velha é um desdobramento da Lava Jato no Rio.

Jacob Barata é o maior empresário do setor de ônibus do Rio e cumpria prisão domiciliar desde agosto.

A ação é um desdobramento da operação Ponto Final, que investiga o setor de transporte no estado.

Entre os políticos que devem ser levados para prestar depoimento está o deputado Paulo Mello mas, segundo o delegado, ele não foi encontrado em casa na manhã desta terça, pois o apartamento está vazio e foi colocado à venda.

Os agentes também cumprem mandados de busca e apreensão em gabinetes da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj).

A operação é um desdobramento da Operação Ponto Final, um desdobramento da Lava Jato no Rio que investiga desvios de verba no transporte público do estado.

Em julho, quando a operação Ponto Final foi deflagrada, foram presos o empresário Jacob Barata, Lélis Teixeira, o ex-presidente do Departamento de Transportes Rodoviários do Rio (Detro), Rogério Onofre, e mais de 10 pessoas envolvidas no esquema de corrupção.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*