Holiday
Holiday

Thaisa Galvão

8 de fevereiro de 2018 às 23:45

Chapa da quinta-feira questiona fidelidade do grupo de empresários que defende novo modelo de gestão [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Enquanto 7 de abril não chega, e o prefeito de Natal Carlos Eduardo Alves (PDT) ou o governador Robinson Faria (PSD) renunciam ou não renunciam, dando início, finalmente, ao processo sucessório, muitos são os cenários discutidos nos bastidores da política do Rio Grande do Norte.

Em conversas de bastidores, onde o nome do vice-governador Fábio Dantas (PCdoB) continua despontando como pré-candidato ao Governo, a chapa da quinta-feira pré-carnavalesca era a seguinte:

Fábio governador com a deputada mossoroense Larissa Rosado (PSB) vice, por indicação da prefeita Rosalba Ciarlini (PP)…

O nome do vice seria o do deputado federal Beto Rosado (PP), porém, o grupo da Rosa não abre mão de apoiar a reeleição do parlamentar.

Quem seriam os senadoráveis nessa chapa da quinta-feira?

O empresário Luiz Roberto Barcellos, que ainda não tem partido, e o senador Garibaldi Filho (MDB)…que deixaria o palanque do primo prefeito-governadorável Carlos Eduardo Alves (PDT).

Na conversa da quinta-feira, Carlos Eduardo não renunciaria para disputar o Governo e Garibaldi se sentiria liberado para compor a chapa.

Aí ficam no ar vários questionamentos, apesar da chapa da quinta-feira ser apenas a chapa da quinta-feira…

A composição da chapa com o grupo de Rosalba atrairia mesmo o empresário Luiz Roberto Barcellos?

Barcellos integra um grupo de empresários que defende um novo modelo de gestão, sem nomes tradicionais, formado pelos adversários do grupo de Rosalba em Mossoró, como os empresários Marcelo Alecrim, Marcelo e Genivan Rosado, e Tião Couto e Jorge do Rosário, que foram candidatos a prefeito e vice, exatamente contra Rosalba…

Em conversas na semana passada, contando com empresários, o nome de Fábio Dantas passou no crivo, porém, o grupo abriria mão de indicar a cabeça da chapa para indicar o vice, além da vaga do Senado que seria disputada por Barcellos.

Mas…

A chapa da quinta-feira foi apenas a chapa da quinta-feira.

Mas pode continuar sendo a chapa do pós-carnaval, já que deputados que defenderm o nome de Fábio e o de Larissa programam uma conversa com Rosalba, Sandra…

É aguardar a quarta-feira de…cinzas.

8 de fevereiro de 2018 às 20:43

Citado em depoimentos e delações, João Maia diz que delatores confirmaram que não o conhecem nem entregaram dinheiro a ele [0] Comentários | Deixe seu comentário.

A ação que envolve pagamento de propina a funcionários do DNIT no Rio Grande do Norte, e que teria o ex-deputado João Maia como beneficiário, voltou à tona diante das oitivas dos 25 réus.

Sobrinho de Maia, Gledson Golbery, que chegou a ser preso e é réu no processo, confirmou o que já havia dito em delação premiada.

Empresários contratados pelo DNIT para as obras de duplicação da BR-101 também foram ouvidos e apontaram João como beneficiário, embora tenham afirmado não conhecer o ex-deputado, e reforçado que nunca entregaram dinheiro a ele

Hoje, através de sua defesa, João Maia emitiu a nota abaixo:

NOTA

Pelo zelo com a verdade e o compromisso da transparência com o povo do meu Estado, esclareço:

No início de Abril de 2017, tomei conhecimento, pela imprensa, de uma delação feita por Gledson Golbery, ex-diretor do DNIT, dando conta de que parte dos desvios por ele perpetrados naquele Departamento era destinada a minha atividade política.

Já naquela época esclareci que não tive acesso ao conteúdo da referida delação, tendo em vista a decretação de sigilo das investigações. Hoje sou surpreendido, novamente pela imprensa, de que outros delatores teriam confirmado a versão dada por Gledson, embora, ao mesmo tempo, tenham dito que sequer me conheciam pessoalmente.

Repudio veementemente qualquer tipo de ilação que essas pessoas, com o claro objetivo de tentarem se livrar dos seus próprios delitos, querem a mim imputar.

Ratifico a verdade imperiosa da própria realidade: não tenho qualquer participação nesses fatos.

As denúncias contra mim narradas são inverídicas, o que é facilmente constatado porque nem mesmo a mim os supostos acusadores conhecem e sempre afirmam que entregaram os recursos provenientes desses desvios a terceiros, não tendo nenhuma afirmação de que me repassaram valores, seja em dinheiro, seja em depósitos bancários, ou qualquer outro meio.

As investigações tramitam em segredo e, embora tenha solicitado formalmente acesso ao conteúdo do que foi dito pelos delatores, até hoje não houve deferimento do meu pleito.

Estou à disposição da Justiça para esclarecer quaisquer fatos, embora, até a presente data, nunca tenha sido instado a me manifestar nem no Judiciário nem nas instituições de fiscalização.

João da Silva Maia

8 de fevereiro de 2018 às 16:04

Leitor pede ao deputado Gustavo Carvalho que entregue os cargos que tem no governo Robinson [2] Comentários | Deixe seu comentário.

De um leitor do Blog, governista de carteirinha, depois de ler as declarações do deputado Gustavo Carvalho sobre o Governo do ‘amigo’ Robinson Faria:

“Por que além de expor tudo do Governo, o deputado Gustavo Carvalho também não entrega os cargos que tem no Executivo”?

Tá feito o registro.

8 de fevereiro de 2018 às 9:06

Gustavo Carvalho sobre o Governo: “O que não foi exposto até o momento será exposto por mim a partir de hoje” [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Aliado e amigo do governador Robinson Faria (PSD), o deputado Gustavo Carvalho fez discurso de rompimento nesta quarta-feira na Assembleia Legislativa, quando aparteava o deputado George Soares (PR).

George fez críticas contundentes ao teor da mensagem anual lida pelo governador na terça-feira.

“O que deseja o governador com essas linhas? Que achemos que foi gozação com o parlamento? Gozação com o povo? Erro do redator? Preferia que ninguém tivesse ouvido os devaneios e poderíamos ter sido poupados das infelizes palavras”, desabafou George, que recebeu os parabéns de vários parlamentares, entre eles Gustavo, que é vice-presidente da Assembleia.

“O seu discurso retrata majoritariamente o sentimento desta casa legislativa desde o fim do pronunciamento do governador Robinson Faria”, disse Gustavo, afirmando que desde o início sua posição foi de apoio ao pacote de “medidas impopulares” enviadas à Casa pelo Executivo, mas que ele decidiu que apoiaria, mesmo sabendo que correria risco de perder votos.

 

“Minha decisão foi de apoio por saber que o Rio Grande do Norte está em jogo, está em xeque”.

Gustavo justificou a mudança no seu comportamento diante de matérias que ele não podia dar encaminhamento.

 

“Por inconsistência de todas elas. Os erros de todas. E a Assembleia teve uma maturidade muito grande. A Assembleia foi fidalga e foi cortês com o Governo”, disse Gustavo Carvalho, afirmando que a Casa que foi presidida pelo governador, entendia a crise e até então, evitava mostrar à sociedade a fragilidade do que foi o material encaminhado para votação durante a convocação extraordinária.

 

“Mas a partir da leitura de ontem, do desenrolar da pauta feita pela Comunicação do Governo do Estado nos diversos órgãos de imprensa do Rio Grande do Norte, eu não vou ficar com essa culpa no meu colo. O meu mandato não se permite assumir essa culpa e esses erros”, declarou Gustavo Carvalho.

“E o que não foi exposto até o momento, será exposto por mim a partir de hoje. Será exposto pelo meu mandato”, disse o parlamentar, começando pelo que ele identificou como erros do pacote do governo.

 

“A sociedade tem que saber que o Governo enviou à Casa, 20 projetos numa convocação extraordinária. Três deles, PECs, Propostas de Emenda à Constituição, que a tramitação é totalmente diferente do regime extraordinário. E dos 17 restantes, 14 tinham erros de inconsistência e de inconstitucionalidade. E a Casa foi responsável”, justificou o deputado, reclamando que a Assembleia poupou o governo, mas o Governo não poupou a Assembleia.

Para Gustavo Carvalho, a casa legislativa tentou ajudar “e o governador sabe disso”.

 

O discurso de Gustavo foi de rompimento.

Questionado pelo Blog, ele disse que apenas estava marcando posição pela “deselegância” da mensagem.

“Tenho amizade com o governador, fui defensor dos projetos e me senti atingido pelo conteúdo da sua mensagem”.

8 de fevereiro de 2018 às 8:59

Sem fiscalização, camelôs interditam ruas comerciais de Petrópolis [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Motoristas que trafegam pelo bairro de Petrópolis agora pela manhã, e comerciantes do bairro, ficaram sem entender porque vários trechos da área estavam interditados com cones.

A rua Potengi e trechos do entorno do colégio Atheneu, onde tem várias clínicas, também estavam fechados.

Irritado um leitor do Blog retirou uns cones que fechavam a Potengi e foi perguntara um guarda da STTU o motivo da interdição, já que o carnaval acontece somente à noite.

Pasmem!

O guarda afirmou que a interdição não era feita por eles, e sim pelos camelôs, já reservando espaço para a festa de abertura oficial do carnaval que acontecerá hoje com o tradicional Baile de Máscaras.

Pode, Arnaldo?

Que coisa mais sem controle…