Thaisa Galvão

8 de agosto de 2018 às 10:14

Folha de S. Paulo mostra os ‘caciques arranhados’ das eleições do RN [2] Comentários | Deixe seu comentário.

Da Folha de S. Paulo:

 

ELEIÇÕES 2018

‘Lula livre’ e caciques arranhados por investigações marcam eleição no RN

Lava Jato desgastou lideranças no estado, onde corrida ao governo é liderada por senadora do PT

 

Joelmir Tavares

NATAL

Até os ventos mais fortes que amenizam o calor na capital do Rio Grande do Norte nesta época do ano sabem que poucas famílias dominam a política no estado, que sobrenomes se revezam a cada eleição e que velhos conhecidos pulam de cargo em cargo.

Mas os ventos nesta eleição estão soprando em outras direções. Atingidas pela Lava Jato, lideranças locais se viram fragilizadas. A reorganização de forças colocou à frente das pesquisas para o governo estadual uma candidata do PT, algo inédito na história recente.

 

Empunhando a bandeira “Lula livre”, a senadora Fátima Bezerra rivaliza com o atual governador, Robinson Faria (PSD), e com Carlos Eduardo (PDT), que é da oligarquia Alves, mas fez carreira independente e já chegou a ficar rompido com os parentes.

Adversários dela cobram propostas para o estado e a acusam de fiar sua campanha só na defesa do ex-presidente.

“Ela tem pesquisa mostrando que o Lula vence aqui, então é um marketing”, diz Carlos Eduardo, que é primo do senador Garibaldi Alves e do ex-ministro e ex-presidente da Câmara dos Deputados Henrique Eduardo Alves (ambos do MDB e seus apoiadores).

“Respondo a isso dizendo que nossa candidatura é a que já avançou no debate programático”, afirma Fátima.

O atual governador, que não atendeu aos pedidos de entrevista da Folha, está desgastado pela crise financeira do estado, com salários atrasados –a maior parte dos servidores não recebeu o 13º de 2017.

O reequilíbrio das contas públicas é promessa de campanha dos outros candidatos.

“O estado está sem capacidade nenhuma de investimento”, diz Fátima, de terninho vermelho, durante entrevista na sede estadual do PCdoB, partido de seu vice.

 

A senadora subiu no palanque de Faria em 2014, mas se retirou do governo em 2015, em meio ao processo de impeachment de Dilma Rousseff.

Entrou para o anedotário político local o episódio em que o governador se negou a atender uma ligação de Lula quando Dilma estava na mira.

Além de se afastar de Fátima, Faria está rompido com seu vice, Fábio Dantas (PSB), que ensaiou disputar a sucessão estadual. Sem o apoio de sua sigla, Dantas desistiu, mas manteve a temperatura alta.

Ao anunciar a retirada da candidatura, disse que grande parte da classe política ao seu redor “luta para perpetuar as velhas práticas, o tráfico de influência, o uso desmascarado da máquina pública”.

Além dos Alves, os clãs Maia, Rosado e Faria disputam os espaços de poder no estado há pelo menos cinco décadas. É comum que lideranças dessas famílias articulem também a eleição de filhos e cônjuges.

Outra mudança na atmosfera potiguar em 2018 veio com as investigações da Polícia Federal e do Ministério Público.

 

A começar pelo governador, denunciado no ano passado pela Procuradoria-Geral da República sob suspeita de obstrução de Justiça em uma investigação sobre fraudes na Assembleia Legislativa.

Deputado de 1987 a 2010, ele é alvo de apuração sobre funcionários fantasmas na Casa, mas nega envolvimento.

A Lava Jato, em diferentes graus, pegou políticos como Garibaldi Alves, que tenta se reeleger senador, e Fátima Bezerra. Citados em delações sob suspeita de recebimento ilegal de doações, os dois contestam os relatos. Garibaldi foi denunciado no STF (Supremo Tribunal Federal).

Outro afetado, o senador Agripino Maia (DEM) – com mandato ininterrupto desde 1995— desistiu de concorrer à reeleição. Ele diz que o recuo não tem a ver com o fato de em junho ter virado réu no STF pela segunda vez, ligado a negociações de propina.

“Estou absolutamente tranquilo”, afirma o senador, que tentará ser deputado federal.

Cacique do MDB no estado, Henrique Alves foi o mais afetado pela onda de escândalos.

Implicado por delatores da Odebrecht, ele ficou na prisão por 12 meses (o último deles na domiciliar) por suspeita de envolvimento em desvios nas obras da Arena das Dunas, o estádio da Copa em Natal.

Libertado em julho, se dedica à sua defesa e descarta voltar agora à política.

Da porta do Palácio de Despachos se vê a grandiosa arena, que fica no mesmo terreno do centro administrativo estadual. No estacionamento, um circo está montado.

8 de agosto de 2018 às 10:02

Leitor cobra de Carlos Eduardo a prometida revitalização do hotel Reis Magos [1] Comentários | Deixe seu comentário.

Do leitor Sandro Amaral de Souza, sobre a propagada revitalização do Hotel Reis Magos:

Cara Thaisa

Como leitor assíduo do seu blog desde que foi criado, gostaria muito que tornasse pública a minha crítica ao que acontece na minha cidade.

Quem acompanha as redes sociais como o Instagram deve se lembrar do que estou dizendo.

Em abril do ano passado o prefeito de Natal Carlos Eduardo publicou sobre a revitalização do Hotel Reis Magos e dizia que a prefeitura já tinha o dinheiro e que era “irreversível transformar aquela área que está degradada”.

Já se passaram 16 meses do alarde e a área próxima do hotel continua completamente degradada. E o que é pior é que o hotel continua abandonado, servindo de abrigo para usuários de drogas e criminosos.

O prefeito não conseguiu transformar um hotel velho num espaço de empreendimentos comerciais e o local continua sendo uma lixeira a céu aberto e espantando os turistas.

Se ele não é capaz de revitalizar um hotel, quanto mais administrar um estado inteirinho.

8 de agosto de 2018 às 9:36

Rivaldo Fernandes e Ricardo Caxangá são os suplentes de Magnólia Figueiredo [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Até pouco tempo pré-candidato a deputado estadual, o empresário Ricardo Caxangá, dono do restaurante Caxangá, na praia de Pipa, retirou a candidatura.

Filiado ao Solidariedade, foi confirmado como suplente da candidata ao Senado, Magnólia Figueiredo (SD).

O outro já havia sido anunciado: o presidente de honra do PV, Rivaldo Fernandes.

8 de agosto de 2018 às 9:14

Tião Couto rebate boatos e se mantém vice de Robinson [1] Comentários | Deixe seu comentário.

Na linha da boataria, a nova do dia é a desistência do empresário Tião Couto (PR) de ser vice do governador Robinson Faria (PSD).

Boato puro.

Tião Couto continua vice.

A assessoria do empresário nega qualquer notícia em torno do assunto.

8 de agosto de 2018 às 1:58

UFMG inaugura curso “O impeachment de Dilma Rousseff como golpe de estado” com presença da personagem principal [1] Comentários | Deixe seu comentário.

Da Folha:

Dilma avalia que aceitar indicação de Janot foi um erro de seu governo

Ex-presidente, que agora é pré-candidata ao Senado, falou para estudantes da UFMG

Carolina Linhares

Belo Horizonte

“Mas a Dilma vai entrar por aqui?”, perguntava um jovem entre as dezenas deles que se amontoavam na porta do auditório da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais na noite desta terça-feira (7).

À espera de uma palestra da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), que inaugura o curso “O impeachment de Dilma Rousseff como golpe de estado”, os jovens pressionavam para entrar no auditório lotado, obstruindo completamente a circulação e a passagem.

“Só se ela passar pela janela”, respondeu outro. A ex-presidente entrou por uma porta lateral e somente depois que a confusão do lado de fora se resolveu. Para ocupar corredores do local, público precisou forçar a abertura da porta.

Outras três salas com telas para transmissão da palestra também lotaram. A fila chegou a dar volta no prédio da faculdade.

Foi o primeiro evento público de Dilma após ter sua candidatura ao Senado confirmada em convenção no domingo (5). Ela integra a chapa do governador Fernando Pimentel (PT), que tenta reeleição em Minas.

“Não imaginava que teria um público tão grande”, disse o professor Thomas Bustamente, da Faculdade de Direito, responsável pelo curso. Os cerca de 130 matriculados tiveram preferência para entrar no auditório, que comportou cerca de 500 pessoas.

O curso vale créditos de disciplina optativa para alunos da UFMG, mas é aberto ao público em geral. Serão 30 palestras com professores de direito, sociologia, educação e economia da UFMG para dar a resposta científica, segundo Bustamante, de por que o impeachment foi um golpe.

“Não encontrei até agora nenhum argumento jurídico, teórico e moral para dizer que não foi golpe”, disse o professor, justificando a falta de opiniões contrárias em seu curso. “As justificativas jurídicas do impeachment são inexistentes. Estamos a um passo de perder a democracia. É preciso evitar que aconteça de novo.”

Após ser ovacionada em sua chegada, Dilma discursou por uma hora e vinte minutos, sendo vez ou outra interrompida por aplausos e risadas, num discurso repleto de ironias.

Mesmo tratando de temas sérios, ela arrancava risos.

“O golpe foi misógino. O homem é uma pessoa forte. Eu não, eu era dura. Eu era uma mulher também frágil, porque eles não têm o menor compromisso com a lógica”, disse.

A plateia gargalhou. “E era uma pessoa obsessiva e compulsiva que obrigava todo mundo em volta de mim… a trabalhar”, completou em tom de sarcasmo.

Afirmando ter sido condenada por mudanças em 0,3% do Orçamento, Dilma criticou a mídia e a Operação Lava Jato. Nesse momento, sem mencionar o ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot, disse ter sido um erro nomeá-lo.

“Eu acredito que talvez nós tenhamos cometido um erro, que foi aceitar a indicação, pelo Ministério Público, de tês candidatos a procurador e, entre os três, o mais votado nós indicaríamos”, disse.

Dilma afirmou também que o impeachment teve o objetivo de enquadrar o Brasil, inclusive geopoliticamente, porque era um país com condições de desenvolvimento, estatais fortes e política externa independente, próxima da América Latina, da África e dos BRICS.

“Ou seja, na contramão de tudo que é o receituário do processo de hegemonia dos Estados Unidos e mesmo da Europa”, disse.

A petista voltou a condenar as reformas e o teto de gastos do governo Michel Temer (MDB) e defendeu a inocência do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Segundo ela, o povo percebeu que o novo governo, de homens ricos e brancos, era um retrocesso: “uma parte da derrota deles é que não provaram que não era golpe”.

Falando sobre a necessidade de subsídios e enveredando por explicações econômicas, Dilma foi aplaudida novamente ao dizer que “se existe uma coisa fake news no Brasil é a meritocracia”.

Certa hora, após algumas digressões e esquecimentos, Dilma mencionou até o ator Danny Glover, tentando lembrar o nome de outra pessoa. “É um grande ator, fez Máquina Mortífera, né? Mas o que vocês não sabem é que ele é assessor do Bernie Sanders [político americano progressista].” A plateia se divertiu.

Ao final, Dilma foi cercada por estudantes em busca de uma selfie e, apesar dos esforços de sua equipe, foi perseguida por eles até entrar no carro e bater a porta, carregando flores.

8 de agosto de 2018 às 1:25

Dez candidatos a presidente terão poucos segundos na propaganda e Alckmin terá maior tempo na TV [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Para quem aposta na propaganda de televisão, eis os tempos determinados pela justiça eleitoral para os candidatos a presidente da República:

Geraldo Alckmin (PSDB): 6 minutos e 3 segundos

Fernando Haddad (PT): 2 minutos e 7 segundos

Henrique Meirelles (MDB): 1 minuto e 38 segundos

Alvaro Dias (Podemos): 33 segundos

Ciro Gomes (PDT): 33 segundos

Marina Silva (Rede): 16 segundos

Terão menos de 15 segundos:

Jair Bolsonaro (PSL)

Guilherme Boulos (PSOL)

Cabo Daciolo (Patriota)

José Maria Eymael (DC)

Vera Lúcia (PSTU)

João Goulart Filho (PPL)

João Amoêdo (Novo)

8 de agosto de 2018 às 0:51

Presidente do PMB, Raimundo Mendes troca candidatura federal pela disputa de uma vaga na Assembleia [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Presidente do PMB, o vereador de São Gonçalo do Amarante, Raimundo Mendes Alves, mudou os planos eleitorais.

Até então candidato a deputado federal, Mendes vai disputar mesmo uma vaga na Assembleia Legislativa.

Em nota o vereador declarou que “o entendimento e a vontade de trabalhar pelo povo prevalecem”.

8 de agosto de 2018 às 0:39

Mulher do prefeito de Parnamirim e vereador de São José de Mipibu são os suplentes de Antônio Jácome [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Candidato a senador, o deputado federal Antônio Jácome (Podemos) fechou os seus suplentes.

Na primeira suplência, a professora Alda Leda Taveira (MDB), mulher do prefeito de Parnamirim, Rosano Taveira (PRB).

Na segunda, o vereador em segundo mandato no município de São José do Mipibu, Joelmo Teles (Podemos).

8 de agosto de 2018 às 0:21

Juiz potiguar na entrada do plenário da Câmara [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Flagrante da noite desta terça-feira, em Brasília:

O juiz potiguar Herval Sampaio, presidente da Associação de Magistrados do RN, em uma das entradas do plenário da Câmara Federal.

Para onde iria?

8 de agosto de 2018 às 0:14

Suplente da senadora Fátima Bezerra, Jean-Paul Prates diz ao Jornal Nacional que o Brasil tem muito potencial para crescer em terra e no mar [2] Comentários | Deixe seu comentário.

No Jornal Nacional desta terça-feira, a notícia de que o vento pode ser a segunda principal fonte de energia elétrica do país em 2019.

Com destaque para os estados do Ceará e Rio Grande do Norte.

Especialista em energia, o suplente da senadora Fátima Bezerra (PT), Jean-Paul Prates (PT), que não vê a hora da titular do mandato se eleger governadora, deu entrevista ao jornal da TV Globo.

CLIQUE AQUI para assistir