Thaisa Galvão

1 de março de 2019 às 8:03

Planalto não resiste e já admite liberar 5 milhões para cada novo deputado para conseguir apoio à reforma da Previdência [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Demorou pouco essa história do Planalto não negociar com o Congresso.

E o Estadão mostra hoje que sem conseguir até agora apoio suficiente para aprovar a reforma da Previdência, o Palácio do Planalto decidiu abrir o cofre.

A estratégia do governo foi feita sob medida para agradar a deputados e senadores de primeiro mandato com repasses individuais que podem ficar perto de R$ 5 milhões.

O valor ainda não está fechado, mas a Casa Civil negocia a concessão de uma espécie de bônus para os novatos, já que eles só terão direito às emendas parlamentares a partir de 2020, é o que diz a reportagem assinada por Vera Rosa.

Então…

O voto do novo parlamentar vai custar 5 milhões.

Negócio aberto, com valor adiantado.

E estamos conversados…

Sempre assim, tudo igual.

Os veteranos vão chiar, e deve vir aí a parte deles…

Tudo igual.

A desculpa esfarrapada é que os calouros do Congresso possam destinar recursos a seus redutos eleitorais para a conclusão de obras já em curso e também para ações e serviços em saúde e educação.

Dos 513 deputados, 243 estão no primeiro mandato.

No Senado, 46 dos 81 são novos.

Se a equipe econômica aprovar o valor próximo a R$ 5 milhões, o total liberado será de aproximadamente R$ 1,4 bilhão para deputados e senadores eleitos em primeiro mandato.

Tá, isso não é compra de votos…çey…

Porque nunca foi lei um parlamentar eleito ter poder sobre a legislatura anterior…

Se não for compra de votos, vamos escolher outro nome, então.

Alguém me ajude aí.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*