Thaisa Galvão

3 de outubro de 2019 às 17:46

Em seu livro, Rodrigo Janot fala do choro do ‘amigo sincero’ Henrique Alves, da cachaça e da carta que ele lhe mandou, e do apoio que lhe ofereceu, para quê…ele não sabe [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O ex-procurador-geral da República, Rodrigo Janot, disse em seu livro “Nada menos que tudo”, que o ex-deputado Henrique Alves forçou uma barra para se aproximar dele e não ter seu nome incluído na temida “lista de Janot”.

Janot falou do choro de Henrique ao receber um envelope e constatar que estava livre de um processo – sem imaginar que outros viriam.

Remetendo aos primórdios da Lava Jato, vem à mente as declarações do ex-deputado, afirmando que não estava na ‘lista de Janot’.

E Janot conta que recebeu uma cachaça de presente de Henrique, e depois uma carta adiantando que, passadas toda essa confusão, voltaria para a política e iria apoiar Janot.

O Ex-procurador-geral ironiza questionando qual necessidade ele teria do apoio de Henrique.

Para quê?

Leia esses trechos do livro de Rodrigo Janot.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*