Thaisa Galvão

7 de outubro de 2019 às 17:02

MPF apreende documentos de contratos sem prestação de contas da antiga e atual gestões do município de Extremoz [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Do portal do MPF no Rio Grande do Norte:

O Ministério Público Federal (MPF) promoveu na manhã desta segunda-feira (7) a busca e apreensão de documentos relacionados a convênios e programas financiados pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) no Município de Extremoz e cujas prestações de contas não foram apresentadas.

As buscas – autorizadas pela Justiça Federal e realizadas com o apoio da Polícia Militar e do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do MP Estadual – ocorreram na atual e na antiga sedes da prefeitura, bem como na antiga sala do chamado “arquivo morto”.

Os recursos federais relativos a esses programas foram repassados ainda na gestão do ex-prefeito de Extremoz, Klauss Rego, porém os prazos finais para prestação de contas se encerravam já na gestão do atual prefeito, Joaz Oliveira.

O primeiro alega ter entregue ao atual gestor toda a documentação necessária e o segundo, por sua vez, afirma que seu antecessor ocultou esses documentos.

O MPF dará continuidade às investigações para só então poder se posicionar quanto à responsabilidade pela inadimplência.

Deixar de prestar contas resulta em pendências junto ao FNDE, com possíveis prejuízos ao futuro repasse de verbas da União ao Município.

Os convênios e programas em questão incluem:

Convênio 701928/2010 – Universidade Aberta do Brasil;

PAC2 256/2011 – Construção de uma unidade de educação infantil Tipo C na Rua Umbuzeiro, Centro, Extremoz/RN;

PAC2 942/2011 – Construção de quadra coberta com palco na Escola Municipal Coronel Franco Ribeiro;

Programa Brasil Alfabetizado de 2013 – PBA/2013;

Programa Dinheiro Direto na Escola de 2015 – PDDE/2015;

Programa Nacional de Alimentação Escolar de 2016 – PNAE/2016;

Programa Nacional de Transporte Escolar de 2016 – PNATE/2016.

7 de outubro de 2019 às 16:46

Corpo da mãe de Garibaldi será velado hoje e sepultado nesta terça-feira [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Terá início logo mais às 19 horas o velório de Dona Vanice Chaves Alves, mãe do ex-senador Garibaldi Filho que morreu nesta segunda-feira no Hospital São Lucas, em Natal.

O corpo será velado no Morada da Paz, em Emaús, onde será sepultado nesta terça-feira, depois da missa de corpo presente que será celebrada às 11 horas.

7 de outubro de 2019 às 16:42

Morre Dona Vanice, mãe do ex-senador Garibaldi Filho [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Morreu na tarde desta segunda-feira no Hospital São Lucas, em Natal, dona Vanice Chaves Alves.

Ela é a mãe do ex-senador Garibaldi Filho, do conselheiro do TCE, Paulo Roberto Alves, e de ‘Dodora e Dadaça’.

E avó do deputado federal Walter Alves e do vereador de Natal, Felipe Alves.

Ela deixa viúvo o ex-vice-governador e ex-senador Garibaldi Alves.

Dona Vanice e Garibaldi Alves

Os filhos Dadaça, Dodora, Paulo Roberto e Garibaldi

7 de outubro de 2019 às 9:01

Cirurgião plástico do Rio Grande do Norte é resgatado após 13 horas à deriva em mar de Pernambuco [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Entre os mergulhadores desaparecidos no mar de Pernambuco, e resgatados nesta segunda-feira, está o poriguar Alan Filgueira.

Alan é médico, cirurgião plástico.

Saiba mais sobre o assunto:

Quatro mergulhadores desapareceram no mar na tarde do domingo (6) e foram encontrados na madrugada desta segunda-feira (7), na Região Metropolitana do Recife. De acordo com o grupo, eles ficaram cerca de 13 horas à deriva.

Os quatro homens saíram do Cabanga Iate Clube para realizar um mergulho técnico com o Rebreather, aparelho que possibilita que o mergulhador inspire novamente o gás expirado, no naufrágio Corveta Camaquã.

O naufrágio fica localizado a 22 milhas náuticas, o que equivale a aproximadamente 40 quilômetros da costa, na posição relativa à Coroa do Avião, no município de Itamaracá. Equipes da Marinha e o helicóptero do Corpo de Bombeiros participaram das buscas.

Entre os mergulhadores que saíram no catamarã Mandacaru, estava o médico Alan Filgueira. “À deriva, foram 13 horas solto, derivando em direção à praia. De mergulho, foram aproximadamente duas horas. A gente subiu por volta das 13h30”, contou nesta segunda.

Como a Corveta Camaquã fica a 56 metros de profundidade, chegar à superfície exige descompressão, explicou Filgueira. Segundo ele, uma forte correnteza, que não havia sido identificada na rota, provavelmente causou o acidente.

“Quando a gente desceu, não tinha corrente. Provavelmente, dentro do mergulho, a corrente cresceu e nós não sentimos. Quando a gente voltou a subir no cabo, vimos que estava correndo bastante água e que o barco estava muito longe”, disse.

Para Figueira, a correnteza pode ter afundado a boia, que serve de referência para o barco localizar os mergulhadores. Ele e outros três mergulhadores conseguiam ver o barco, mas, por causa da distância, a tripulação não conseguia encontrá-los.

“A gente viu o barco, porque ele é grande. Vimos quando começaram a fazer o padrão de busca, mas a melhor opção foi soltar o cabo e derivar até a praia. […] Passamos muito tempo em alto mar”, afirmou.

O grupo foi encontrado nas proximidades da praia do Janga, por um barqueiro que estaria ajudando nas buscas com outra embarcação, segundo o Corpo de Bombeiros.

O helicóptero do Corpo de Bombeiros chegou a ser utilizado para auxiliar nas buscas. O G1 entrou em contato a Marinha, mas não recebeu resposta até a última atualização desta reportagem.

7 de outubro de 2019 às 8:43

No twitter, Henrique Alves chama Rodrigo Janot de mentiroso ao se referir a citações a seu nome no livro do ex-chefe do Ministério Público Federal [1] Comentários | Deixe seu comentário.

O ex-deputado Henrique Alves, citado em dois capítulos do livro do ex-procurador-geral da República, Rodrigo Janot, chamou o ex-chefe do Ministério Público Federal, que o denunciou, inclusive, de mentiroso.

Ele se referiu às citações ao seu nome.

Para o leitor lembrar o que o ex-deputado escreveu em seu twitter, CLIQUE AQUI para ler um capítulo, e AQUI para ler o outro.

Depois de reler o que disse Rodrigo Janot sobre Henrique, fica a pergunta:

O que é mentira nos escritos de Janot?

1- Que Henrique e o então vice-presidente Michel Temer receberam o procurador-geral da República Rodrigo Janot no Palácio do Jaburu?

2- Que Henrique pediu para o procurador-geral não investigar Eduardo Cunha?

3- Que num outro contato ele chorou ao receber um envelope pardo com documento que não continha seu nome numa das ‘listas de Janot’, o retirando de um dos procesoss por falta de elementos?

4- Que Henrique mandou uma garrafa de cachaça de presente para o chefe do Ministério Público?

5- Que ele enviou a Janot uma carta?

6- Que nesta carta Henrique sugeria que poderia voltar à política e apoiar os projetos futuros de Rodrigo Janot?

7- Que nesta carta Henrique chamou Janot de correto, ético e ‘sobretudo’ justo?

8- Que ele (Henrique) foi vítima de um episódio ‘distorcido e calunioso’?

9- Que Janot escreveu que o nome de Henrique surgiu em várias delações, em uma delas como destinatário de propinas em contas no exterior num esquema do ex-deputado Eduardo Cunha?

Pelas citações variadas a Henrique, ficou vago entender o que Henrique chama de mentira do ex-procurador-geral da República.

Será tudo mentira?

Será Rodrigo Janot um exímio mentiroso?

Não seria então a hora de Henrique dar o troco?

Denunciar Rodrigo Janot, processá-lo e fazê-lo pagar pena com uma indenização milionária?

#ficaadica

7 de outubro de 2019 às 0:25

Pedido do fisiológico Sarney ainda é uma ordem [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Sarney sendo Sarney…do MDB.

De Lauro Jardim, no Globo deste domingo:

E como se diz na política no Brasil…

Pedido de Sarney nunca é um pedido dentro do MDB.

É uma ordem!