Thaisa Galvão

18 de abril de 2017 às 2:03

Plano de José Adécio para 2018 inclui espaço na chapa majoritária [3] Comentários | Deixe seu comentário.

O deputado estadual José Adécio (DEM) já traça planos para o próximo ano.

Se dependesse somente dele, o governador Robinson Faria (PSD) iria para a reeleição tendo seu nome na chapa majoritária como vice.

Não custa nada sonhar.

Quem viu Adécio na missa de aniversário do governador em São José de Mipibu, viu que os dois estavam bem afinados, falando a mesma língua.

 

José Adécio acha que já prestou serviços ao RN no parlamento estadual.

E agora pretende outros caminhos…

 

Agora…

Se engana quem acha que concretizando esse desejo, Adécio estaria abrindo mão de vaga na Assembleia.

Para o gabinete que ele pretende deixar, o parlamentar pretende candidatar ou o filho Gustavo ou o genro, Heroldinho Azevedo, vice-presidente da Emprotur.

18 de abril de 2017 às 1:54

Tião Couto de olho na Câmara Federal [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Quem conversa com o empresário mossoroense Tião Couto (PSDB), que foi candidato a prefeito de Mossoró e obteve quase metade dos votos, diz que ‘se engana quem acha que ele vai disputar vaga na Assembleia Legislativa.

 

O que Tião quer, segundo pessoas próximas, é disputar uma das 8 vagas de deputado federal.

O que pode botar em risco a boa relação dele com o deputado Rogério Marinho (PSDB), que deverá concorrer à reeleição, apesar de se falar no nome dele para o Senado.

18 de abril de 2017 às 1:53

Chapa de Rogério Marinho teria Ezequiel para o Governo [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Para o deputado federal Rogério Marinho (PSDB), a chapa dos seus sonhos no próximo ano teria o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Ezequiel Ferreira de Souza (PSDB), como candidato a governador.

 

Ele seria o nome para deputado federal.

Mas a chapa parece estar ficando inchada, com a possibilidade de ter como candidatos a mandato na Câmara, além de Tião Couto, o deputado estadual Gustavo Carvalho (PSDB).

18 de abril de 2017 às 1:32

Juiz Sérgio Moro convoca Lula para acompanhar 87 depoimentos [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O ex-presidente Lula vai se instalar em Curitiba.

Não que vá ser preso na cidade que abriga grande parte dos envolvidos na lava-jato.

 

É que Lula, que vai prestar depoimento ao juiz Sérgio Moro no dia 3 de maio, terá que acompanhar os depoimentos de todas as testemunhas arroladas por ele.

Ao todo, 87.

Moro achou demais, sugerindo que o petista queria ocupá-lo demais.

Aí o juiz decidiu dividir o tempo com Lula, e convocou o ex-presidente para acompanhar os 87 depoimentos.

 

“Não obstante, já que este julgador terá que ouvir oitenta e sete testemunhas da defesa de Luiz Inácio Lula da Silva, além de dezenas de outras, embora em menor número arroladas pelos demais acusados, fica consignado que será exigida a presença do acusado Luiz Inácio Lula da Silva nas audiências nas quais serão ouvidas as testemunhas arroladas por sua própria defesa”, justificou Moro.

18 de abril de 2017 às 1:23

Declaração de Temer atinfindo Cunha poderá ser incluída nas provas contra ele próprio [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Das frases para posteridade ditas pelo presidente Michel Temer, uma vai para os anais da justiça…contra ele próprio.

 

A declaração do presidente da República em entrevista à Band, dizendo que Dilma “caiu” porque não cedeu a “chantagens” do então presidente da Câmara, Eduardo Cunha, pode virar prova contra ele.

 

“A confissão do senhor Michel Temer é fato novo e será incluído no mandado de segurança que está tramitando no STF questionando a legalidade do processo de impeachment. É a prova de que Cunha abriu o processo por vingança”, afirmou o ex-ministro da Justiça José Eduardo Cardozo, que como advogado trabalha na defesa de Dilma.

 

Na entrevista, Michel Temer jogou Cunha na lata do lixo.

“Em uma ocasião, ele [Eduardo Cunha] foi me procurar. Ele me disse ‘vou arquivar todos os pedidos de impeachment da presidente, porque prometeram-me os três votos do PT no conselho de ética’. Eu disse que era muito bom, porque assim acabava com essa história de que ele estava na oposição. (…) naquele dia eu disse a ela [Dima] ‘presidente, pode ficar tranquila, o Eduardo Cunha me disse que vai arquivar todos os processos de impedimento’. Ela ficou muito contente e foi bem tranquila para a reunião”…disse Temer na entrevista, fazendo de conta que não queria a queda de Dilma e que estava ali para ajudar.

Çey…

 

“No dia seguinte eu vejo logo o noticiário dizendo que o presidente do PT e os três membros do partido se insurgiam contra aquela fala e votariam contra [Cunha no Conselho de Ética]. Mais tarde, ele me ligou e disse ‘tudo aquilo que eu disse, não vale, vou chamar a imprensa e vou dar início ao processo de impedimento’”. Temer conclui: “Que coisa curiosa! Se o PT tivesse votado nele naquele comitê de ética, seria muito provável que a senhora presidente continuasse”.

Çey…

 

“O Supremo tem agora a prova de que não foram as pedaladas fiscais que levaram Eduardo Cunha a aceitar o processo de impeachment, mas a vingança porque ela não cedeu às suas chantagens”, disse Cardozo.

18 de abril de 2017 às 1:11

Cunha revela que Temer agendou reunião com Odebrecht e confirma participação de Henrique – negada pelo presidente [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Por Thaisa Galvão

 

Do presídio, onde vive desde outubro do ano passado, em Curitiba, o ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB) rebateu declarações do presidente Michel Temer.

Temer prova mais uma vez da sua burrice.

 

A primeira vez foi quando resolveu derrubar a ex-presidente Dilma Rousseff do Governo, achando que iria assumir voando em céu de brigadeiro, sem ser importunado…

Tava na cara que seria, só ele não entendeu.

 

Outra burrice foi assumir o Governo rodeado de ministros suspeitos.

Uns caíram, e outros ele sustenta para ele próprio não cair.

 

A mais recente das burrices: brigar com Eduardo Cunha.

Cuidando da família de Cunha via intermediários muito próximos, Temer se vendo acuado pela lava-jato cada vez mais dentro do bolso do seu paletó de risca de giz, decidiu – se utilizando de sua falta de inteligência – dar entrevista atacando Cunha, a bomba atômica do Planalto.

 

O presidente declarou que Dilma “caiu” por não ceder a chantagens de Cunha.

Gota d’água.

De dentro da cadeia, Cunha emitiu nota abrindo o bocão.

 

Revelou que o presidente, que vinha negando detalhes da reunião com dirigentes da Odebrecht no seu escritório político de São Paulo, foi quem agendou a reunião.

Disse mais: que ao contrário do que defendeu o presidente, o ex-deputado Henrique Alves participou da reunião.

 

Da cadeia, para onde foi sozinho, Eduardo Cunha jogou água (?) no ventilador.

E deixou uma pulga encafifada atrás de muitas orelhas:

Temer teme…Henrique?

O que levaria o presidente a negar a presença do fiel aliado-amigo-afilhado de casamento na reunião em que, segundo ele, não teve nada demais?

Temer protege Henrique ou Henrique protege Temer?

Amizade… até que Cunha os separe.

18 de abril de 2017 às 0:57

Um delegado de fora para a Segurança do RN [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Um delegado de fora.
É essa a primeira informação sobre quem vai ocupar a Secretaria de Segurança Pública do Estado do Rio Grande do Norte.
Nome ainda não vazado…

Só para lembrar:
O ex-secretário de Segurança do Rio de Janeiro, José Mariano Beltrame, está na pista.
Ele se aposenta como delegado de Polícia Federal
Secretário no Rio por quase 10 anos, deixou o cargo em outubro e se aposentou como delegado da Polícia Federal.

17 de abril de 2017 às 20:25

Secretário de Segurança do RN deixa o cargo [1] Comentários | Deixe seu comentário.

Secretário de Segurança do Estado no pior momento do Rio Grande do Norte, César César Bezerra deixou o cargo…

Ele entregou uma carta ao governador Robinson Faria, justificando a secisão como sendo de “ordem estritamente particular”.
Apesar das dificuldades no setor, e dos índices crescentes de violência, ele disse na carta que se sente “feliz” por ter contribuído com os projetos para reformular a Segurança Pública do Estado.

17 de abril de 2017 às 14:19

Promotor Eudo Leite acaba de ser eleito procurador geral do MPRN [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O promotor de Justiça Eudo Rodrigues acaba de ser eleito procurador-geral do Ministério Público no Rio Grande do Norte para os próximos dois anos.

A eleição aconteceu durante a manhã.
Eudo obteve 148 votos contra 45 de Iadya Gama Maio e 30 de Ivanildo Alves da Silveira.

Foi registrada a participação de 187 votantes.
O nome do eleito pela categoria ainda passará pelo crivo do governador Robinson Faria que tem a incumbência de escolher o procurador entre os votados na lista tríplice.

17 de abril de 2017 às 13:39

Rogério Marinho é o entrevistado de hoje no Roda Viva [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Relator da reforma trabalhista, o deputado federal Rogério Marinho (PSDB) será o entrevistado do programa Roda Viva, da TV Cultura, desta segunda-feira.

 

A entrevista ao vivo vai ao ar às 22h15 e será retransmitida no Facebook e no YouTube da emissora.

E na Globonews, Rogério
debateu o assunto com o presidente do TST, ministro Ives Gandra Filho, no programa Alexandre Garcia.
Assista:

17 de abril de 2017 às 9:52

O desabafo da primeira-dama em defesa do governador [3] Comentários | Deixe seu comentário.

Da secretária de Assistência Social do Estado e primeira-dama, Julianne Faria, em defesa da gestão e do governador Robinson Faria:



15 de abril de 2017 às 9:40

PF quer rastrear repasses em dinheiro vivo e Procuradoria pede dados de acesso à casa de Michel Temer [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Da Folha:

 

Lava Jato prioriza mapear repasses de dinheiro vivo em propina

 

CAMILA MATTOSO

BELA MEGALE

DE BRASÍLIA

 

A Polícia Federal e o Ministério Público Federal já têm a primeira etapa de investigação traçada para tentar comprovar os relatos de delatores da Odebrecht de que houve pagamentos de caixa dois e propina em dinheiro vivo a políticos.

 

Os investigadores querem mapear onde, quando e como ocorreram as entregas de dinheiro em espécie informadas pelos executivos. Um dos maiores desafios agora será comprovar os pagamentos realizados em moeda.

 

A PF vai solicitar, por exemplo, o registro de controle de entrada no dia 28 de maio de 2014 no Palácio do Jaburu, residência oficial da vice-presidência da República, onde vive o hoje presidente Michel Temer.

 

O pedido faz parte de diligências autorizadas pelo ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo, na investigação sobre os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (Secretaria-Geral), acusados de receber propina.

 

Naquele data de maio de 2014, ocorreu jantar em que Temer e Padilha teriam discutido com Marcelo Odebrecht doação ao PMDB em 2014 –o valor entregue teria sido de R$ 10 milhões, em espécie.

 

A polícia, a pedido da Procuradoria-Geral da República, vai atrás de informações sobre possíveis encontros do ex-executivo da Odebrecht Henrique Valladares com Edison Lobão (PMDB-MA), senador e ex-ministro de Minas e Energia, outro apontado como destinatário de propina em dinheiro vivo. A PF vai pedir registros dos acessos ao ministério e ao Senado.

 

Também receberam recursos desta maneira, por meio de intermediários, segundo os delatores, o senador Renan Calheiros (PMDB-AL), o ministro de Relações Exteriores, Aloysio Nunes (PSDB), o ex-prefeito do Rio Eduardo Paes (PMDB), entre outros.

 

Ao menos 166 citados nos depoimentos serão intimados a depor a partir da próxima semana. A lista inclui políticos alvo de inquéritos, autoridades não investigadas, além de empresários, operadores, entre outros que vão falar como testemunhas.

 

O advogado José Yunes, ex-assessor de Temer e personagem do episódio dos R$ 10 milhões da Odebrecht ao PMDB, será chamado a depor.

 

Levantamento da Folha aponta que a PF terá de cumprir mais de 240 medidas neste primeiro momento, excluindo as que se referem a dados telefônicos, fiscais e bancários, mantidos sob sigilo.

 

A polícia tem reforçado seu efetivo em Brasília, sobretudo em razão da possibilidade de novas operações decorrentes desses inquéritos.

 

A polícia vai rastrear ações parlamentares em tramitações de medidas provisórias que interessavam à empreiteira –nas delações, os executivos apontam esquema de contrapartidas em troca da aprovação de projetos de interesse do grupo.

 

Os investigadores querem ainda obter informações sobre voos, hospedagens e registros de entradas e saídas em órgãos públicos, como Congresso, Ministério da Integração Nacional e Secretaria de Aviação Civil.

 

Outra medida autorizada por Fachin trata da obtenção de registros de presença do ex-diretor da Odebrecht Sérgio Neves, hoje delator, e de outros funcionários da empreiteira na concessionária Minas Máquinas, em Belo Horizonte, ligada a Oswaldo Borges. Ele é apontado como operador financeiro do senador Aécio Neves (PSDB-MG) em obras da Cidade Administrativa, que abriga a sede do governo mineiro.

 

Na lista de políticos investigados no Supremo, há 8 ministros, 3 governadores, 24 senadores e 39 deputados.

 

Do total de pessoas que serão intimadas pela PF, cerca de 100 são políticos.

 

Ex-funcionários da Odebrecht também serão chamados para novos depoimentos em que detalharão os casos delatados por eles. O patriarca do grupo, Emílio Odebrecht, e seu filho Marcelo estão na lista.

15 de abril de 2017 às 9:34

Explicado porque ex-deputado potiguar será investigado pela justiça do Piauí [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Explicado porque os ex-deputados Geddel Vieira Lima e Henrique Alves, ambos do PMDB, serão investigados pela Justiça Federal do Piauí.

Os dois, sem foro privilegiados, foram remetidos à Justiça piauiense pelo relator da lava-jato, ministro Edson Fachin.

 

Com base na delação premiada dos ex-executivos Ariel Parente Costa, João Antônio Pacífico Ferreira, Cláudio Melo Filho e Paulo Falcão Corrêa Lima Filho, os dois teriam recebido suposto pagamento indevido de vantagens para a obra dos Tabuleiros Litorâneos, em Parnaíba, no ano de 2008.

 

Geddel, que era ministro da Integração Nacional entre 2007 e 2010, teria recebido R$ 210 mil.

Já Henrique, que presidia a Câmara dos Deputados entre 2013 e 2015 e foi ministro do Turismo no ano passado, teria ganho R$ 112 mil.

Documentos que atestariam a troca de e-mails entre as empresas e os políticos são mencionados como provas.

 

O projeto de irrigação teve concorrência vencida pelo consórcio formado entre a Odebrecht e a construtora Queiroz Galvão.

15 de abril de 2017 às 2:52

Delator da Odebrecht sobre Robinson Faria: “O candidato a vice não participou” [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Divulgado o vídeo com a delação do ex-executivo da Odebrecht Ambiental, Alexandre Barradas, que cita o governador Robinson Faria (PSD), a prefeita de Mossoró, Rosalba Ciarlini (PP) e o deputado federal Fábio Faria (PSD).

Barradas explicou que pretendia chegar ao Rio Grande do Norte com projeto de saneamento, feito depois de ter pesquisado sobre a necessidade do Estado, e foi apresentado ao deputado federal Fábio Faria, que seria o caminho mais curto entre a empresa e o Estado.

Barradas conta como conversou com Fábio, como veio a Natal, explica a conversa reservada que teve com a então candidata ao Governo, Rosalba Ciarlini, sua conversa sem detalhes com o então candidato a vice, Robinson Faria…

 

O delator diz que Rosalba se empolgou com o projeto apresentado de saneamento, e que não falou nada sobre ajuda de campanha.

Disse que na cabeça dela se passava uma coisa e na dele, outra coisa…

Que o codinome dela na Odebrecht Ambiental era DAMA.

 

O delator também declarou que a ajuda de campanha não passou por Robinson.

“O vice não participou”, disse o delator.

Também relatou que após a vitória voltou a Natal, foi ao gabinete da governadora, e ela teria se mostrada “apática” ao assunto, dizendo que não tinha como executar o projeto.

 

CLIQUE AQUI e confira

14 de abril de 2017 às 9:46

Quem quer dinheiro? [1] Comentários | Deixe seu comentário.

Pergunta besta de feriadão:

Se a Odebrecht contabiliza tantos milhões doados, mas os citados como beneficiados com a dinheirama dizem que nunca receberam um tostão, aonde foi parar tanto dinheiro?

A empresa distribuiu essa ruma de dinheiro…e ninguém quis?

14 de abril de 2017 às 9:36

Vídeo de Temer lendo teleprompter não convenceu [1] Comentários | Deixe seu comentário.

O presidente Michel Temer bem que poderia ter ficado só na nota mesmo ontem, após ser citado em delação como partícipe de uma reunião onde foi sacramentada a propina de 40 milhões para o PMDB.

A nota do Palácio do Planalto era suficiente, mas Temer precisava fazer besteira.

E fez.

Gravou um vídeo que não convenceu nem a ele mesmo.

Pior que o vídeo foi aprovado pela sua equipe de marketing, que deve ter especialista em televisão.

Pois ontem esse especialista certamente estava de férias, já tinha viajado para curtir o feriado de páscoa.
No vídeo que se espalhou pelas redes sociais, Temer mais parece um estagiário no estúdio de TV lendo um texto no teleprompter.

Nenhuma palavra convencia porque todas pareciam lidas.

Sem sentimento.

E sem sentimento, o que ele quis dizer para se defender, caiu em desgraça.

Temer não deve ter convencido nem Michelzinho, o filho pequeno que aprova ou desaprova as peças de marketing do seu governo/
Acho que faltou mostrar o vídeo a Michelzinho antes de botarem no ar.

Certamente Michelzinho não teria aprovado o desastre do pai.

Confira:

14 de abril de 2017 às 9:19

Para presidente da Fiern, quem se diz contra reforma da Previdência não apresenta proposta alternativa [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Do presidente da Federação das Indústrias do Rio Grande do Norte – FIERN – Amaro Sales, sobre a reforma da Previdência:

Qual é a proposta?
O debate sobre a reforma da Previdência Social está dominando a pauta nacional. A discussão é legítima e necessária. Tornou-se, contudo, ideológica em alguns momentos e vazia – pela desinformação – em outros. 
Os que são contrários, obviamente, torpedeiam a proposta do Governo Federal, mas, em regra, não apresentam uma proposta alternativa. O Governo, por sua vez, não tem conseguido transmitir a população o quanto é grave o atual momento da Previdência Social.
A Confederação Nacional da Indústria, por sua vez, avalia imprescindível a medida, considerando o equilíbrio das contas públicas e a necessidade de pagamento das aposentadorias e pensões aos brasileiros. Ademais, as regras previdenciárias precisam abalizar a evolução demográfica e o processo de envelhecimento da população. 
Pesquisas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) neste sentido indicam que a expectativa de vida do brasileiro passou de 69,8 anos em 2000 para 75,5 anos em 2015. Segundo projeções feitas, em 2030, os idosos serão 13,44% dos brasileiros. 
Se o déficit, portanto, já é gigantesco, o quadro tende a se agravar ainda mais e o sistema objetivamente entrará em colapso nos próximos anos. A previsão para 2017 é um déficit de 181 bilhões de reais. É muito dinheiro! Aliás, além de significativo, é um déficit crescente que gera um desequilíbrio nas contas públicas e ameaça a estabilidade da economia brasileira. Podemos melhorar a gestão, conter desvios, melhorar controles, mas não há conta que feche se a arrecadação não for maior, ou igual, a despesa. Daí, inclusive, uma pergunta a quem é contra a reforma da Previdência: qual é a proposta, afinal, para enfrentarmos o déficit e permitimos que amanhã tenhamos aposentados e pensionistas pagos?
Não menos graves, aliás, gravíssimas, e motivo de preocupação, são as situações das previdências estadual e municipal. Estado e municípios passam pelos mesmos problemas estruturais que, se não forem enfrentados com coragem e determinação trarão consequências trágicas para a população. Soluções paliativas como temos visto até agora, comprometem o futuro das novas gerações.
Por isso, antes de um discurso puramente ideológico ou corporativista, precisamos fazer a conta certa e, sobretudo, valorizar o segurado, contribuinte, empreendedor, enfim, entender que a arrecadação de impostos, contribuições ou taxas depende do esforço de muitas pessoas e empresas. 
A Previdência Social, importante para todos nós, não pode sofrer um colapso definitivo. Para tanto, além das reformas necessárias, cujas novas regras devem provocar mudanças, sobretudo nas corporações funcionais melhor remuneradas, as empresas não podem suportar novos encargos. Os empreendedores já pagam a conta que podem pagar! No mais, preservados os mais pobres, o debate precisa apontar soluções, reconhecendo que a idade mínima e o tempo de contribuição serão maiores. Diante da gravidade do problema, as medidas de equilíbrio terão de ocorrer agora.
Amaro Sales de Araújo, industrial, Presidente da FIERN e do COMPEM/CNI
*
Do Blog – A sugestão pequenininha do Blog para o tema tão importante: taxar grandes fortunas e cobrar das grandes empresas e grandes indústrias o que elas devem à Previdência.

Por que o povo, que já é quem paga tudo, tem que pagar mais essa conta?

E com um detalhe: pagar com a dignidade.

14 de abril de 2017 às 8:53

Odebrecht diz que Palocci começou a pedir doação para pleitos municipais em 2008, quando Lula veio a Natal ‘destruir’ Agripino [1] Comentários | Deixe seu comentário.

Uma coisa que chamou atenção no depoimento de Marcelo Odebrecht no dia 10 passado, se referindo a doações de campanha para o PT:
Ele disse que o ex-ministro Palocci começou a lhe pedir doações em 2008, justificando que o PT tinha algumas demandas nas eleições municipais.

Odebrecht chegou a dizer que poderia ser a campanha de Marta Suplicy para a Prefeitura de São Paulo, e afirmou que teria dito a Palocci que em 2008 não faria doações, deixando para 2010, quando haveria pleito presidencial, maaaasss…se ele já quisesse ir usando o dinheito – o pedido era 18 milhões – ele descontaria nas eleições seguintes.
Marcelo Odebrecht não concluiu o raciocínio.

Não disse se adiantou algum dinheiro…

Mas, em 2008, todo mundo sabe que todo mundo sabe, que o interesse número 1 do então presidente Lula era a capital do Rio Grande do Norte.

Não porque ele estaria determinado a eleger a hoje senadora Fátima Bezerra (PT), para a prefeitura de Natal.

Em 2008 Fátima foi candidata.
O que Lula queria mesmo, e para ele deve ter sido caro tentar pôr em prática seu plano, era “destruir” o senador José Agripino Maia. Era “destruir” o DEM.

Destruir: palavra do próprio Lula nas entrevistas e discursos que fazia na época em que rebatia o entrevero ocorrido entre Agripino e a então ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff.

Tanto que veio a Natal, subiu num palanque munido de algo mais do que um discurso pronto – à época se falou em goles a mais – atacou Agripino e atacou a candidata Micarla de Sousa, que poucos dias depois do discurso descontrolado de Lula, ganhou a eleição no primeiro turno derrotando a candidata do PT, Fátima Bezerra.
Então, se Palocci usou dinheiro da Odebrecht na campanha de Natal em 2008, certamente esse dinheiro chegou por aqui como dinheiro do PT, porque não há citações ao nome de Fátima nem de ninguém do partido.
Só uma delação de Palocci detalharia essas demandas do PT em 2008 citadas na delação de Marcelo Odebrecht.
Citei o caso só para complementar a revelação de Marcelo Odebrecht sobre demandas do PT em 2008.

A maior era Natal.

E ponto.

13 de abril de 2017 às 15:03

Áudio: Ouça a íntegra do depoimento em que Marcelo Odebrecht revela esquemas da empreiteira com políticos poderosos [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Combinado para permanecer sob sigilo, o depoimento do empresário Marcelo Odebrecht ao juiz Sérgio Moro, na 2ª feira, vazou…
No depoimento, onde a filmagem não mostrou a imagem do empresário, captando só o áudio, Marcelo confirmou que “amigo” era o codinome de Lula nas planilhas de peopina da Odebrecht, disse que pagou propina ao ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, que pagou pelo menos R$ 50 milhões ao grupo de Aécio Neves, e contou como funcionava a relação da empreiteira com o PMDB.
Abaixo a íntegra do depoimento de Marcelo Odebrecht a Moro:

13 de abril de 2017 às 12:12

Advogado de Henrique diz que, assim como falou Temer, o potiguar nunca participou de reunião com o delator Márcio Faria [1] Comentários | Deixe seu comentário.

Do advogado do ex-deputado Henrique Alves (PMDB) sobre citação ao nome dele pelo delator da Odebrecht, Marcio Farias, relatando em seu depoimento que participou de reunião com Michel Temer, Henrique e Eduardo Cunha, onde os 3 teriam negociado propina de 40 milhões:

NOTA À IMPRENSA

 
A defesa de Henrique Eduardo Alves repudia veementemente as afirmações feitas pelo executivo da Odebrescht Márcio Faria em delação premiada, na qual aponta a sua participação em reunião ocorrida no dia 15 de julho de 2010 no escritório político do presidente Michel Temer, em São Paulo, com a presença deste, do então deputado Eduardo Cunha e do delator, ocasião em que teria tratado do pagamento de propina decorrente de contrato com a Petrobras.
Conforme já afirmado pelo próprio presidente da República, o acusado não se fazia presente em dita reunião, jamais tratou do assunto mencionado e sequer conhece o indigitado delator.

É inaceitável que seja dado crédito a afirmação realizada por pessoas envolvidas em ilícitos que se colocam na obrigação de acusar para gozar de benefícios legais.

Todas as medidas serão tomadas para esclarecimento da verdade e a responsabilização cível e criminal do dito delator.
Marcelo Leal

Advogado