Holiday

Thaisa Galvão

16 de junho de 2017 às 10:06

Após 2 anos investigando, MP faz operação para explodir PCC em 18 municípios e 13 presídios do RN [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Do MPRN:
Juízo final: MP investiga facção criminosa envolvida em vários crimes no RN 
Após quase dois anos de investigação, o Ministério Público do Rio Grande do Norte realizou operação contra integrantes da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC), com atuação em quase todo sistema penitenciário do RN de onde planejavam ações relacionadas a tráfico de drogas, roubo de veículos, estouros de caixas eletrônicos, homicídios, estruturação da facção, entre outros.

 

Denominada “juízo final”, O GAECO com apoio das Polícias Militar busca o cumprimento de 129 mandados de busca e apreensão, 21 mandados de prisão e 24 conduções coercitiva. 
As medidas estão sendo cumpridas em 18 cidades do estado, 13 estabelecimentos prisionais estaduais e um presídio federal.

 

A investigação mostrou que os alvos comandam o tráfico de drogas de dentro dos presídios apresentando uma área de atuação em praticamente todo o sistema carcerário potiguar e mantendo articulações com integrantes da investigada facção em outros estados do Brasil.

 

Cadernos apreendidos apontam a relação os integrantes da facção criminosa, data de batismo, função e número de telefones. 
Além disso, documentos com dados bancários foram apreendidos, o que colaborou para demonstrar a movimentação financeira do grupo.

 

A investigação conseguiu a fixação de multa a empresa proprietária do aplicativo whatsapp no valor de condenação de R$ 15 milhões pelo descumprimento reiterado de ordem judicial.

 

Os alvos da operação vão responder pelos crimes de organização criminosa, tráfico de drogas, lavagem de dinheiro, entre outros. 
O material apreendido no cumprimento de outros mandados será analisado junto com o que já estava em posse dos promotores que atuaram na operação.
 

Facção Criminosa PCC

 

O Primeiro Comando da Capital tem agido em quase todo o Brasil e também na América do Sul há mais de duas décadas comandando crimes dos mais variados. 
A facção se notabilizou por grandes ações criminosas como assaltos a bancos e carros-fortes além de rebeliões em presídios espalhados pelo Brasil, bem como por ataques a agentes de segurança pública. 
Em muitos casos, ações orquestradas dentro e fora da cadeia. 
Além do nome e da sigla, a facção é identificada pelo número 1533.​
Nos últimos anos, com o surgimento de outras facções nos estados e a disputa pelo domínio territorial do tráfico, o PCC começou a travar uma verdadeira guerra com os demais integrantes de facções inimigas nos mais variados presídios do Brasil.​
Após quase dois anos de investigação, foram apreendidos cadernos e papéis com nomes, apelidos, datas, identificações de “padrinhos” (pessoas da facção que apadrinham o novo integrante), a “quebrada de origem” (de onde vem aquele que busca entrar no PCC), “quebrada atual” (onde está atuando recentemente) e as “faculdades” (forma como identificam as unidades do sistema penitenciário).

 

Foram interceptadas conferências dos líderes da facção PCC nas quais os membros eram relacionados com nomes, alcunhas, matrícula e batismos. 
Nessas conferências, presos de praticamente todos os estados da federação se comunicavam.

16 de junho de 2017 às 10:01

PCC movimentou 6 milhões em 184 contas bancárias nos últimos 2 anos no RN [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O Ministério Público do RN divulgou detahes da operação que visa desarticular a atuação do PCC no RN. 

Veja os detalhes das investigações:
Telefonia era “arma” da facção 

Durante a análise dos áudios da operação, é mostrado que os principais investigados integram uma organização criminosa com divisões de tarefas bem definidas visando a prática de crimes, além de acirrarem a rixa contra a facção local – Sindicato do RN.

 

Resgate de presos, assaltos, roubo de veículos, tráfico e plano para matar rivais são alguns dos assuntos discutidos entre os investigados durante o período que tiveram suas ligações telefônicas monitoradas.

 

Em alguns dos áudios, é possível notar que alguns dos investigados estão comandando o tráfico de drogas de dentro dos presídios assim como na grande Natal e com atuação em Mossoró.

 

 

Cadernos do crime


Durante o período de investigação foram apreendidos cadernos e papéis com informações dentro de algumas unidades prisionais do RN.

As anotações contêm nomes, apelidos, datas e números de telefones. 
Além disso, há identificação dos “padrinhos” (pessoas da facção que anuem a entrada do novo integrante), a “quebrada de origem” (de onde vem aquele que busca entrar no PCC), “quebrada atual” (onde está atuando recentemente) e as “faculdades” (forma como identificam as unidades do sistema penitenciário).
Os dados contidos nas anotações registram toda a atividade criminosa e o quantitativo de integrantes da organização a qual conta hoje com mais de 600 integrantes do Estado.
 

“Cunhadas” movimentam finanças
A operação também revelou um esquema “familiar” usado pelos investigados que estão reclusos. Mulheres conhecidas como “cunhadas” fornecem seus dados bancários para transações financeiras dos presos.​
Houve o afastamento do sigilo bancário de 184 contas relacionadas com a facção, as quais movimentaram, num período de dois anos, aproximadamente 6 milhões de reais.

 

Participam da operação 200 policiais militares, promotores de justiça, servidores do Gaeco e agentes penitenciários estaduais e federais.

16 de junho de 2017 às 9:56

Saiba onde a operação que visa desarticular facção criminosa está acontecendo no RN [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Veja quais os locais onde estão sendo cumpridas medidas de prisão, buscas e apreensões e conduções coercitivas na operação Juízo Final que visa desarticular facção criminosa paulista com atuação no RN:
 

Natal, Parnamirim, Ceará Mirim, Macaíba, Baía Formosa, Mossoró, Itajá, Felipe Guerra, Baraúna, Caraúbas, Martins, Pau dos Ferros, São Francisco do Oeste, Tenente Laurentino Cruz.

 

As unidades prisionais alvos da operação, com mandados de prisões e buscas e apreensões são as seguintes:
-Penitenciária Rogério Coutinho Madruga – Pavilhão 5

-Alcacuz

-Cadeia Pública de Natal

-CDP Zona Norte

-Complexo penal João Chaves

-CDP Pirangi

-PEP Parnamirim

-CDP Parnamirim

-Cadeia Pública de Mossoró

-CPEAMN Mário Negócio

-Cadeia Pública de Caraúbas

-Presídio de Pau dos Ferros

-CDP Patu

-CDP Parelhas

-CDP Jucurutu

 -Presídio Federal de Porto Velho, em Rondônia.
 

Já estão sendo encaminhadas ao Poder Judiciário 26 denúncias contra os alvos da operação pelos crimes de tráfico de drogas e lavagem de dinheiro. 

Outras denúncias ainda serão oferecidas.

16 de junho de 2017 às 9:50

Governo decreta luto oficial por 3 dias no RN [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O Governo do Estado vai decretar luto oficial no Rio Grande do Norte por causa da morte da ex-governadora Wilma de Faria.
Serão 3 dias de luto.

O decreto será publicado no Diário Oficial de amanhã.

16 de junho de 2017 às 8:47

De Márcia Maia sobre a Wilma Mãe [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Da deputada Márcia Maia:

Não há, na face terrena, algo tão onipresente quanto a presença de uma mãe. 
Há, inclusive, quem diga que elas são justamente um presente de Deus. 

Talvez através dela, Ele nos observe de perto enquanto somos frágeis, indefesos, e nos proteja. E talvez por isso, pelo fato de tê-la sempre ao meu lado, nunca havia imaginado dizer adeus.
Às 23h40 dessa quinta-feira mamãe deixou o nosso convívio para encontrar o seu lugar ao lado de Deus.
Presente nos momentos mais intensos e também nos mais singelos da minha vida, ela sempre trazia consigo uma palavra de sabedoria para oferecer, de luta para entregar e de bom humor para nos fazer sorrir.
Exemplo como mãe, também protagonizou como mulher ao subjugar todo o preconceito da política e provar que não há vitória sem luta -, mas que era possível vencer nesse universo muitas vezes desleal e desigual para nós, mulheres.
Corajosa e apaixonada pelo que fazia, uniu lados, promoveu avanços, revolucionou no estado ao realizar uma política social que defendeu aqueles que mais precisavam.
A lista de feitos enquanto gestora é imensa, mas a lista de conquistas enquanto mãe e mulher são também exemplos que merecem ser exaltados. Posturas, palavras, olhares do dia a dia que ensinavam o melhor caminho a seguir.
Lutou enquanto as forças lhe permitiram, não desistiu. Apenas acolheu o chamado do Pai-Celestial que a convidou definitivamente para seu convívio. 

A coragem com qual guiou todos os seus passos em vida é o seu grande legado.
Agradeço a todas as mensagens de conforto, carinho e admiração que temos recebido. Para todo o Rio Grande do Norte, fica a imagem da vitoriosa e guerreira do povo potiguar.
Para mim, o exemplo de mãe e mulher, os quais continuarão firmes em meu coração e como bussolas do meu caminhar, todos os dias, para manter vivo não apenas seu nome, mas principalmente, seu espírito de luta, ousadia, amor e vitória entre todos nós.
Muito obrigada por tudo, minha mãe. Vá em paz. 

Te amo eternamente.
Márcia

16 de junho de 2017 às 8:20

Velório de Wilma é transferido para a Catedral [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O velório da ex-governadora Wilma de Faria foi transferido de local. 
Será a partir das 9h na Catedral Metropolitana de Natal.
Decisão acertada, vez que o Palácio não oferece espaço para os amigos de Wilma se despedirem dela.

16 de junho de 2017 às 6:49

Velório de Wilma começa às 8 horas [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Vai começar daqui a pouco, às 8h30, o velório da ex governadora Wilma de Faria.

O corpo de Vilma será velado no Palácio da Cultura, onde será celebrada a missa de corpo presente às 17h30.
Depois o cortejo segue para o Cemitério Morada da Paz, em Emaús, onde a ex governadora do Rio Grande do Norte será sepultada.

16 de junho de 2017 às 6:30

O legado da governadora Wilma [2] Comentários | Deixe seu comentário.

A ex-governadora do Rio Grande do Norte, Wilma Maria de Faria era Mestre em Educação e especialista em Sociologia.
Ela nasceu em Mossoró e cresceu em Caicó.

É professora aposentada pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), onde se licenciou em Letras. 
Como governadora por dois mandatos, deixou como legado para o Estado a expansão da Universidade Estadual do Rio Grande do Norte (UERN), a Refinaria Clara Camarão, em Guamaré; a Ponte de Todos Newton Navarro, em Natal; a Ponte da Ilha de Santana, em Macau; a Ponte de Jucurutu; o Complexo Turístico Ilha de Santana, em Caicó; a Revitalização da Av. Rio Branco, a construção do Expocenter e a implantação do Curso de Medicina, em Mossoró.
Destaque ainda para o Programa de Segurança Alimentar, com os Restaurantes Populares, assim como a duplicação do número de Centrais do Cidadão. 
Também realizou um grande programa rural de apoio ao homem do campo: o Desenvolvimento Solidário.
Wilma sempre se orgulhou de ter conseguido melhorar os índices socioeconômicos do estado, sobretudo em energia eólica, que alçou o RN de zero em energia limpa,  ao 1º lugar nos leilões do país.
No turismo, principal atividade econômica, colocou o RN como destaque do Nordeste.

16 de junho de 2017 às 6:19

Robinson diz que faz parte de geração política que aprendeu muito com Wilma [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Do governador Robinson Faria:

Com profundo sentimento venho me somar aos familiares, amigos e admiradores da vereadora e ex-governadora Wilma de Faria, falecida hoje, nesse momento de perda irreparável.
Dona Wilma, como carinhosamente passou a ser chamada pelo povo do Rio Grande do Norte, deixará enorme lacuna na vida pública do nosso estado.
Sou parte de uma geração de políticos que muito aprendeu com ela, a partir da sua coragem, da inteligência emocional para tomar decisões importantes, da sua abnegação por servir ao povo e do espírito público exemplar.
O político britânico Thomas Paine, um dos fundadores da Democracia americana, dizia que admirava aqueles que conseguem sorrir com os problemas, reunir forças na angústia e ganhar coragem na reflexão. 
Insiro o perfil de Dona Wilma na declaração de Paine; ela foi exatamente isso em vida, uma figura destemida, cerebral e com capacidade de superar problemas, que fossem políticos ou pessoais. 
Em ninguém coube melhor o apelido de guerreira.
Tínhamos nossas diferenças, coisa normal na atividade política, mas também dividimos grandes momentos de parceria e aliança, de onde nasceu uma boa amizade e uma admiração mútua. 
Sua morte provoca um vazio na vida política e social do Rio Grande do Norte. 
Que Deus conforte a todos e a receba em sua eterna misericórdia.

16 de junho de 2017 às 2:11

Para Agripino, “RN perde mulher de temperamento forte e atitudes destemidas” [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Do senador José Agripino Maia, que está na Argentina e não vai poder chegar em tempo de se despedir da ex-governadora Wilma de Faria:
mulher de temperamento forte e atitudes destemidas.
Nota

Natal e o Rio Grande do Norte vão sentir falta de uma mulher de temperamento forte e atitudes destemidas.

Assim foi Wilma, a secretária, a deputada Constituinte, a prefeita, a governadora.
Tive com ela momentos de convergência e de divergência, mas a política, com as suas circunstâncias, nao foi capaz de destruir os laços de amizade que cultivamos até o fim.
Ela vai deixar saudades.

Que Deus a guarde.

16 de junho de 2017 às 1:46

Em nota procuradora da República no RN diz que reportagem da IstoÉ é ‘irresponsável’ [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Da procuradora da República no RN, Caroline Maciel, sobre a reportagem na IstoE divulgando áudios com sua voz:

 

Nota

 

Acerca da matéria da Istoé (“O jogo político de Janot”) a procuradora da República Caroline Maciel esclarece que a revista deturpou as conversas privadas e sigilosas ocorridas entre então colegas de diretoria da Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR).

 

Os diálogos, na verdade, diziam respeito à adoção de postura de membros da diretoria no sentido de evitar apoio a qualquer candidatura ao cargo de procurador-geral da República, cujo processo de inscrição estava aberto, entretanto com período de campanha ainda não iniciado.

 

Mesmo diante disso, a revista optou, de forma irresponsável, por publicar as conversas parcialmente, com ilações a partir de palavras mais fortes que simplesmente externavam preocupações com eventual acirramento dos ânimos e com possíveis conversas de corredores que viessem a ocorrer entre aqueles que defendessem seus respectivos candidatos.

O fato é que, se na íntegra estivesse a publicação, verificar-se-ia que a procuradora da República preocupa-se em manter-se isenta na disputa.

 

No que concerne à reunião com o senador José Agripino, houve um encontro protocolar, pelo fato de a procuradora ser chefe administrativa da unidade do Ministério Público Federal do Estado do Rio Grande do Norte. Na ocasião, falou-se da investigação anunciada pela Procuradoria-Geral da República, entretanto a procuradora alegou não ter qualquer acesso à investigação realizada de maneira técnica e imparcial pela PGR.

 

Ainda durante o encontro institucional, a procuradora manifestou seu desconforto às equivocadas queixas feitas pelo senador a colegas, sendo certo que em absolutamente nada a reunião produziu resultados na operação Lava Jato, conduzida de maneira exemplar pelo Procurador Geral da República e pelos membros do MPF que atuam nas demais instâncias.

16 de junho de 2017 às 1:06

Wilma de Faria, por Cledivânia Pereira [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Da jornalista Cledivânia Pereira, assessora de imprensa da governadora Wilma de Faria:

De todas as lutas que D. Wilma enfrentou, a maior, mais dura, constante e ininterrupta foi a travada por ser mulher. 

Nessa, mesmo machucada, venceu todas as batalhas. Ela ousou – quando poucas ousavam – viver, amar e vencer!
Acompanhei alguns desses momentos mais de perto que a maioria dos que a conheceram. E sou grata por esse privilégio!
Segunda-feira passada tivemos nosso último encontro. 

Infelizmente eu não fui para ela o que ela foi para mim: a imagem do renascimento. 
Naquele mesmo hospital, há cinco anos, quando eu abri meus olhos após uma cirurgia delicada, foi o rosto dela que eu vi ao lado de minha cama e tive certeza, naquele momento, que Deus me dava uma segunda chance de viver!
Segunda-feira, quando estive no hospital, disse a ela que queria ficar visitando com frequência. E ela me respondeu: “Será um grande prazer. Você mora em meu coração”. 

Não tivemos tempo para um outro encontro.
Mas a vida já tinha nos dado tempo para desenvolver os mais nobres dos sentimentos: respeito, admiração, bem-querer.
Vá em paz, D. Wilma. 

E obrigada por abrir caminhos!

16 de junho de 2017 às 0:48

As vitórias e derrotas que deram a Wilma o nome de Guerreira [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Wilma Maria de Faria nasceu no dia 17 de fevereiro de 1945.

E entrou para a vida pública como mulher de governador.

Era casada com Lavoisier Maia quando, em 1979, assumiu a presidência

do MEIOS – Movimento de Integração e Orientação Social.

À época ainda era conhecida por Wilma Maia.

 

Em 1983, já no governo de José Agripino Maia, Wilma foi nomeada titular da Secretaria de Trabalho e Bem-Estar Social.

Como gestora do órgão responsável por ações sociais do Governo, pôde demonstrar o carisma que tinha no contato, principalmente, com pessoas mais carentes, e em 1985 se afastou da gestão para disputar, pela primeira vez, a Prefeitura de Natal.

 

Começou mal a carreira política, perdendo para Garibaldi Filho, eleito prefeito da capital.

A derrota inicial deu o gás que ela viria a mostrar logo em seguida, quando ganhou dos eleitores o apelido de Guerreira.

 

Em 1986 Wilma se elegeu deputada federal e ajudou a escrever a Constituição que está em vigor.

Se destacou no Congresso Nacional pelos debates em torno dos direitos sociais e dos trabalhadores.

Na avaliação do DIAP – Departamento Intersindical de Assuntos Parlamentares, entre os 513 parlamentares da Câmara, ficou entre os deputados Nota 10.

 

Sem cumprir o mandato até o final, se candidatou novamente à Prefeitura de Natal em1988, derrotando o então candidato Henrique Alves, candidato do então prefeito Garibaldi Filho.

Foi eleita a primeira mulher prefeita de Natal.

 

Em 1992, ainda sem o instituto da reeleição em vigor, concluiu o mandato de prefeita e elegeu, derrotando mais uma vez Henrique Alves, o até então ilustre desconhecido engenheiro Aldo Tinoco.

A relação entre criador e criatura durou pouco mais de um ano e o rompimento foi inevitável.

Nessa época a Guerreira, que tinha como marca uma Rosa vermelha, símbolo do PDT, já estava separada de Lavoisier Maia.

Foi quando ela assumiu seu sobrenome e virou Wilma de Faria.

 

Sem mandato, disputou o Governo do Estado em 1994 e ficou em quarto lugar.

 

Dois anos depois, em 1996, disputou mais uma vez a Prefeitura de Natal e mais uma vez se elegeu, se reelegendo em 2000.

 

Em 2002, na metade do terceiro mandato de prefeita, renunciou ao cargo contra a vontade de aliados e assessores.

Ouviu a mãe, Dona Sally, e sem comunicar a ninguém, foi à Prefeitura e renunciou.

Entregou a administração ao seu vice, Carlos Eduardo Alves, e com apenas 2% de intenção de votos nas pesquisas realizadas com vistas ao Governo do Estado, disputou a eleição e ganhou.

Derrotou o então governador-candidato à reeleição, Fernando Freire.

 

Sozinha e desacreditada inicialmente até por seus sábios conselheiros, foi eleita a primeira mulher governadora do Rio Grande do Norte.

 

Se reelegeu em 2006 derrotando o ex-governador Garibaldi Filho.

Foi o troco da eleição de 1985, quando Garibaldi a derrotou na sua primeira disputa eleitoral.

 

Em 2008, no meio do segundo mandato de governadora, Wilma enfrentou uma de suas maiores batalhas.

Acusado de envolvimento num esquema de desvio de dinheiro da Secretaria de Saúde, o filho Lauro, que vislumbrava uma carreira política, foi preso.

Golpe fatal para o começo de uma virada na história política da Guerreira destemida Wilma Maria de Faria, que em 2010, depois de renunciar ao Governo, passando o cargo ao vice Iberê Ferreira de Souza, disputou e perdeu a campanha para o Senado.

 

Em 2012 ela inverteu papéis.

E virou vice-prefeita de Carlos Eduardo Alves, que foi seu vice duas vezes e de quem herdou a Prefeitura.

 

Em 2013 perdeu a mãe, Dona Sally.

Sua eterna conselheira a deixou aos 87 anos.

 

Em 2014, na dúvida entre disputar o Governo, a Câmara e o Senado, apostou errado e mais uma vez perdeu a eleição, ao concorrer à única vaga de senador.

Perdeu para a senadora Fátima Bezerra.

 

Aí veio o câncer…

E a luta da Guerreira passou a ser mais difícil.

Restava a ela uma eleição municipal.

Para fechar a trajetória com chave de ouro, tinha que disputar um mandato de vereadora.

Era a chance de voltar a se sentir vitoriosa.

 

No meio da campanha, viagens a São Paulo e até uma cirurgia.

Pouco tempo e pouca disposição para andar de casa em casa abraçando o povo como gostava de fazer.

Se elegeu, mas sem a quantidade de votos esperada.

Mas se elegeu.

Tomou posse, elegeu presidente da Casa, assumiu cadeira na Mesa Diretora como segunda-vice-presidente, e conquistou espaço nas comissões temáticas.

 

Estava terminada a batalha.

Estava encerrada a vida.

Wilma de Faria deixa escrita a história mais bonita de uma mulher que um dia sonhou, e conseguiu, trabalhar pelo povo de sua cidade e de seu estado.

16 de junho de 2017 às 0:38

Filhos e fieis escudeiros de Wilma acompanharam seus últimos segundos de vida no hospital [0] Comentários | Deixe seu comentário.

A ex-governadora Wilma de Faria morreu às 23h40 no apartamento transformado em UTI no Hospital São Lucas.

Ela respirava com ajuda de aparelhos.

Estava ofegante e foi parando aos poucos.

 

Estavam no quarto com ela a deputada Márcia Maia e as filhas, Lauro Maia e a esposa, Ana Xavier, Cláudio Porpino e Vagner Araújo, esses últimos, eternos escudeiros da Guerreira.

Logo depois chegaram a filha Ana Cristina, o irmão Rui Faria e a amiga Graça Motta.

16 de junho de 2017 às 0:21

Corpo de Wilma de Faria será velado no Palácio da Cultura [1] Comentários | Deixe seu comentário.

O corpo da ex-governadora Wilma de Faria será velado no Palácio da Cultura, na Praça 7 de Setembro.

As cerimônias de despedida estão sob os cuidados das equipes de Cerimonial do Governo do Estado e da Câmara Municipal.

O sepultamento será no Cemitério Morada da Paz, em Emaús.

Os horários de todas as cerimônias ainda serão anunciados.

16 de junho de 2017 às 0:09

Morre a ex-governadora Wilma de Faria [6] Comentários | Deixe seu comentário.

Morreu às 23h40 a ex-deputada federal, ex-prefeita de Natal, ex-governadora do Rio Grande do Norte, ex-vice-prefeita da capital e atual vereadora, Wilma de Faria.

Aos 72 anos, Wilma perde a batalha para o câncer que mudou o rumo de sua história há dois anos.

 

Deixa 4 filhos: a deputada estadual Márcia Maia, Ana Cristina, Cíntia e Lauro.

E 13 netos.

 

Wilma estava bem em casa até o final de semana passado.

Na sexta-feira, dentro das limitações do seu quadro de saúde, conversou com os netos sobre o Brasil, a economia, a política, sempre muito lúcida.

Mas no sábado à noite voltou para o hospital.

Morreu nesta madrugada em um apartamento do São Lucas transformado em UTI.

15 de junho de 2017 às 22:45

A última e mais dura batalha da Guerreira [2] Comentários | Deixe seu comentário.

De Lauro Maia, filho da ex-governadora Wilma de Faria, revelando que a mãe continua lutando antes de se despedir da vida..

15 de junho de 2017 às 20:48

Arcebispo de Natal e padres visitam ex-governadora Wilma de Faria que permanece em estado grave no hospital [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Em estado grave no Hospital São Lucas, em Natal, a ex-governadora Wilma de Faria recebeu hoje visita de católicos amigos.

Que foram rezar pela sua saúde.

Estiveram no apartamento, onde Wilma está com os familiares, o arcebispo de Natal, Dom Jaime Vieira da Rocha e os padres Valdir, Augustin e Marcelo.. 

15 de junho de 2017 às 19:38

Em nota, MPF culpa revista IstoÉ por “matéria leviana” [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Em nota sobre a reportagem da IstoÉ, falando sobre o que seria “o jogo político de Janot”, o Ministério Público Federal culpou a revista pela “matéria leviana”.
NOTA
A leviana matéria da revista Istoé (“O jogo político de Janot”) tem como único objetivo tumultuar o processo de elaboração da lista tríplice para a escolha do próximo chefe do Ministério Público da União e desgastar a imagem do Procurador-Geral da República em meio às mais graves investigações sobre corrupção já vistas na história do Brasil.
A matéria vale-se de ilações fantasiosas, tendenciosas e alimentadas por interesses espúrios, de deplorável conteúdo difamatório, muito distanciado da boa prática jornalística. 
É, sobretudo, um vil ataque à autonomia do Ministério Público, com a clara intenção de interferir na escolha a ser feita nos próximos dias sobre quem será responsável pelo destino do MPU nos próximos dois anos.
Esclarece a PGR que a divulgada conversa entre os membros do MPF não está mencionada no auto circunstanciado (relatório) da PF, juntado ao processo que hoje se encontra no Tribunal Federal da 3ª Região. 
Trata-se de conversa privada, irrelevante para a apuração dos graves crimes revelados nos autos. 
Deliberadamente, a revista omitiu as informações da PGR acerca dos fatos que estavam em apuração, apesar de a resposta ter sido enviada dentro dos prazos jornalísticos estipulados pelo veículo de comunicação. 
O procurador-geral da República Rodrigo Janot pauta-se por uma atuação técnica, no estrito rigor da lei, tanto na esfera judicial quanto na administrativa. 
Espera ser sucedido por qualquer um dos três integrantes da lista tríplice a ser enviada ao presidente da República, conforme anseio dos membros do MPF de todo o país.
É descabida a afirmação de que houve perseguição ao procurador Ângelo Villela. O membro do MPF teve prisão decretada pelo STF por grave risco à investigação da Operação Greenfield, como comprovado por meio de ação controlada. Os fatos são objeto de denúncia contra ele e o advogado Willer Tomaz de Souza, oferecida pela Procuradoria Regional da República da 3a Região.
Da mesma forma, não há perseguição a parlamentares. O procurador-geral da República não tem preferências políticas, não atua contra ou a favor de nenhum político ou partido. 
Deve obediência à Constituição e às leis, normativos que dão norte à sua atuação. 
O STF, pelo seu Ministro Relator ou pelo Colegiado, avalia todas medidas requeridas pelo PGR, na forma constitucional vigente. 
A Procuradoria-Geral da República, repudia, por fim, a impressionante e não menos leviana versão de que sua atuação tenha sido motivada por suposto apoio de políticos a candidatos à sucessão do PGR. 
Os indícios de fatos criminosos é que orientam as investigações do Ministério Público Federal. 
A Instituição não dá e nem dará tratamento diferenciado para investigados por estes terem ou deixarem de ter ligação de qualquer espécie com membros da Instituição.

15 de junho de 2017 às 18:57

Diálogo envolvendo procuradora da República do RN revela intenção de Rodrigo Janot de “lascar” José Agripino [0] Comentários | Deixe seu comentário.

A revista IstoÉ publica, na sua versão online, diálogo entre a procuradora da República Caroline Maciel, do Rio Grande do Norte, e o procurador Ângelo Goulart, que foi preso.
No diálogo, a procuradora potiguar revela a intenção da PGR de “lascar” o senador José Agripino.

CLIQUE AQUI e leia a reportagem da IstoE com os diálogos entre os procuradores Caroline Maciel e Angelo Goulart.

O diálogo foi gravado poucos dias antes do procurador, apontado como eleitor da adversária de Rodrigo Janot na disputa pelo cargo de Procurador Geral da República, ser preso.

Abaixo imagens de mais diálogos: