Thaisa Galvão

11 de julho de 2019 às 9:09

Previdência: Texto aprovado não altera aposentadoria rural [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Como fica a aposentadoria dos trabalhadores rurais?

Pelo texto aprovado ontem na Câmara, a idade mínima fica mantida em 55 anos para mulheres e 60 para homens.

O tempo mínimo de contribuição também fica em 15 anos, o mesmo tempo para mulheres e para homens.

A proposta atinge, além de trabalhadores rurais, pessoas que exercem atividade economia familiar, incluindo garimpeiro e pescador artesanal.

 

Fonte: G1

11 de julho de 2019 às 8:24

Previdência: Confira como acontecerá a transição [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Como será a transição que pode durar 12 anos dependendo do caso de cada contribuinte?

A proposta prevê 5 regras de transição para os trabalhadores da iniciativa privada que já estão no mercado.

Uma dessas regras vale também para servidores.

Além disso, esta categoria tem uma opção específica para todas as modalidades e vão vigorar por até 14 anos depois de aprovada a reforma.

Pelo texto, o segurado poderá sempre optar pela forma mais vantajosa.

Confira as regras da transição:

 

Transição 1: sistema de pontos (para INSS)

 

A regra é semelhante à formula atual para pedir a aposentadoria integral, a fórmula 86/96. O trabalhador deverá alcançar uma pontuação que resulta da soma de sua idade mais o tempo de contribuição, que hoje é 86 para as mulheres e 96 para os homens, respeitando um mínimo de 35 anos de contribuição para eles, e 30 anos para elas. A transição prevê um aumento de 1 ponto a cada ano, chegando a 100 para mulheres e 105 para os homens.

 

Transição 2: tempo de contribuição + idade mínima (para INSS)

 

Nessa regra, a idade mínima começa em 56 anos para mulheres e 61 para os homens, subindo meio ponto a cada ano. Em 12 anos acaba a transição para as mulheres e em 8 anos para os homens. Nesse modelo, é exigido um tempo mínimo de contribuição: 30 anos para mulheres e 35 para homens.

 

Transição 3: pedágio de 50% – tempo de contribuição para quem está próximo de se aposentar (para INSS)

 

Quem está a dois anos de cumprir o tempo mínimo de contribuição que vale hoje (35 anos para homens e 30 anos para mulheres) ainda pode se aposentar sem a idade mínima, mas vai pagar um pedágio de 50% do tempo que falta. Por exemplo, quem estiver a um ano da aposentadoria deverá trabalhar mais seis meses, totalizando um ano e meio. O valor do benefício será reduzido pelo fator previdenciário, um cálculo que leva em conta a expectativa de sobrevida do segurado medida pelo IBGE, que vem aumentando ano a ano.

 

Transição 4: por idade (para INSS)

 

É preciso preencher dois requisitos. Homens precisam de ter 65 anos de idade e 15 anos de contribuição. Mulheres precisam ter 60 anos de idade e 15 de contribuição. Mas, a partir de janeiro de 2020, a cada ano a idade mínima de aposentadoria da mulher será acrescida de seis meses, até chegar a 62 anos em 2023. Além disso, também a partir de janeiro de 2020, a cada ano o tempo de contribuição para aposentadoria dos homens será acrescido de seis meses, até chegar a 20 anos em 2029.

 

Transição 5: pedágio de 100% (para INSS e servidores)

 

Para poder se aposentar por idade na transição, trabalhadores do setor privado e do setor público precisarão se enquadrar na seguinte regra: idade mínima de 57 anos para mulheres e de 60 anos para homens, além de pagar um “pedágio” equivalente ao mesmo número de anos que faltará para cumprir o tempo mínimo de contribuição (30 ou 35 anos) na data em que a PEC entrar em vigor.

Por exemplo, um trabalhador que já tiver a idade mínima mas tiver 32 anos de contribuição quando a PEC entrar em vigor terá que trabalhar os 3 anos que faltam para completar os 35 anos, mais 3 de pedágio.

 

Transição específica para servidores

 

Para os servidores públicos, está prevista também uma transição por meio de uma pontuação que soma o tempo de contribuição mais uma idade mínima, começando em 86 pontos para as mulheres e 96 pontos para os homens.

A regra prevê um aumento de 1 ponto a cada ano, tendo duração de 14 anos para as mulheres e de 9 anos para os homens. O período de transição termina quando a pontuação alcançar 100 pontos para as mulheres, em 2033, e a 105 pontos para os homens, em 2028, permanecendo neste patamar.

O tempo mínimo de contribuição dos servidores será de 35 anos para os homens e de 30 anos para as mulheres. A idade mínima começa em 61 anos para os homens. Já para as mulheres, começa em 56 anos.

 

Fonte: G1

11 de julho de 2019 às 8:15

Previdência: Idade mínima terá transição de 12 anos e aposentadoria só por tempo de serviço se acaba [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Com quantos anos você vai se aposentar?

Acabou a regrinha da soma da idade mínima com o tempo de contribuição, mas antes de começar a valer valendo, o contribuinte tem um período de transição que vai durar 12 anos, quando as novas regras irão se encaixando a cada ano.

Pela proposta aprovada em primeiro turno ontem, mas que ainda irá para o Senado, fica estabelecida uma idade mínima de aposentadoria.

Ao final desse tempo de 12 anos de transição, a aposentadoria por tempo de contribuição se acaba e passa a valer a idade mínima: 62 anos para mulheres e 65 para homens.

Mas isso só depois de 12 anos de implantada a reforma.

Mas o tempo mínimo continua estabelecido, você só não pode se aposentar com base no tempo.

O novo tempo mínimo de contribuição será de 20 anos para homens e de 15 anos para mulheres. Para os servidores, o tempo de contribuição mínimo será de 25 anos.

Hoje o tempo de contribuição é de 30 anos para as mulheres e 35 para os homens.

Resumindo: o tempo de contribuição cai, mas a idade aumenta.

Se a mulher  chegar aos 62 anos mas só tiver 10 anos de contribuição, e não os 15 necessários, poderá se aposentar com um vencimento proporcional…

Ou seja…uma merreca.

Professores, policiais federais, agentes penitenciários e educativos terão regras diferenciadas.

As novas regras não valerão para os servidores estaduais e dos municípios com regime próprio de Previdência, uma vez que o projeto aprovado pela comissão especial tirou a extensão das regras da reforma para estados e municípios.

 

Fonte: G1

11 de julho de 2019 às 7:53

Previdência: Câmara aprova reforma em primeiro turno e hoje analisa emendas e destaques apresentados [0] Comentários | Deixe seu comentário.

A Câmara dos Deputados, que ontem aprovou, em primeiro turno, por 379 votos a 131, o texto-base da proposta de emenda à Constituição (PEC) de reforma da Previdência, tem três sessões extraordinárias hoje para concluir a análise das emendas e destaques apresentados pelos partidos para tentar alterar pontos específicos da proposta.

A primeira sessão está marcada para as 9h e as seguintes às 13h e às 19h.

A PEC de reforma da Previdência altera as regras de aposentadoria.

10 de julho de 2019 às 13:50

Deputado João Maia é o único potiguar na comissão da reforma tributária [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O deputado federal João Maia assumiu hoje a titularidade da Comissão Especial da Reforma Tributária.

“Eu vou focar meu trabalho pela redefinição do pacto federativo, que é a reforma tributária que define isso, priorizando recursos para os estados, mas principalmente para os municípios, que é onde as pessoas moram nas zonas urbana e rural. Quero também simplificar a tributação para auxiliar na geração de emprego e renda. Meu desejo é que a reforma tributária seja um instrumento de combate à desigualdade social e regional”, disse o parlamentar.

João Maia é o único potiguar nesta comissão.

10 de julho de 2019 às 9:09

Tirado do ar há menos de um mês, jornalista Paulo Henrique Amorim sofre infarto e morre [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Um infarto matou hoje o jornalista Paulo Henrique Amorim.

Ele tinha 76 anos e se tornou conhecido quando trabalhou na TV Globo, inclusive como correspondente internacional.

No final de junho ele foi afastado do Domingo Espetacular, da TV Record, programa que apresentou por 14 anos.

Mesmo assim ele permanecia funcionário da emissora, com a qual tinha contrato até 2021.

Ele estava fora do ar.

10 de julho de 2019 às 1:21

Câmara dá sinais de que aprovará a reforma da Previdência nesta quarta-feira [0] Comentários | Deixe seu comentário.

A reforma da Previdência deverá ser votada hoje em Brasília.

Os deputados esperam que por volta das 10h30 haja quorum para retomada dos trabalhos.

Ao rejeitar, no final da noite desta terça, um requerimento protelatório da oposição, e ao aprovar na madrugada o encerramento dos debates, o plenário deu sinais favoráveis à reforma —331 votos a 117 e 353 votos a 118, respectivamente —é preciso 308 dos 513 votos para a aprovar a nova Previdência.

10 de julho de 2019 às 1:16

Secretário da Previdência Rogério Marinho anuncia fim do e-Social [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O secretário especial de Previdência e Trabalho, o potiguar Rogério Marinho, afirmou nesta terça-feira que o eSocial só funcionará até janeiro de 2020.

Segundo Marinho, a partir do ano que vem o eSocial será substituído por outros dois sistemas: um da Receita Federal e outro de Trabalho e Previdência.

O eSocial é uma plataforma de registro informações para o cumprimento de obrigações trabalhistas, tributárias e previdenciárias.

“O fato de ser dois sistemas não quer dizer que vai aumentar a complexidade. Serão dois sistemas bem mais simples, esse é o nosso compromisso”, disse Rogério.

Rogério afirmou que com a aprovação da MP da “liberdade econômica” o governo vai criar a carteira de trabalho digital.

O sistema eletrônico substituirá a carteira de trabalho de papel. Segundo o secretário, a instituição da carteira de trabalho digital está prevista no relatório do deputado Jerônimo Goergen, relator da MP.

A previsão é que a carteira de trabalho eletrônica comece a ser implantada em setembro deste ano.

Do G1

10 de julho de 2019 às 1:10

Deputados aproveitam férias de Moro para retirar ‘prisão após condenação em segunda instância’ do pacote anticrime apresentado na Câmara [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Foi só o ministro da Justiça Sérgio Moro dar as costas…

O grupo de trabalho criado na Câmara para analisar o projeto apresentado por Moro, com medidas anticorrupção e antiviolência, decidiu nesta terça-feira, por 7 votos a 6, retirar a prisão após condenação em segunda instância do pacote anticrime apresentado pelo ex-juiz da Lava Jato.

Embora tenha sido modificado pelo grupo de trabalho – composto por 16 deputados –, o projeto de lei anticrime ainda precisará ser analisado pelas comissões temáticas e pelos plenários da Câmara e do Senado.

A próxima etapa é o projeto ser analisado em uma comissão especial, que ainda tem que ser criada.

*

O ministro Sérgio Moro está de férias.

9 de julho de 2019 às 21:24

Ministro do TST, potiguar Emmanoel Pereira tem nome aprovado para compor vaga do tribunal no CNJ [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Do portal do Senado:

O senado aprovou com 64 votos favoráveis, 7 contrários e 1 abstenção, a indicação do ministro do Tribunal Superior do Trabalho (TST) Emmanoel Pereira, para ocupar a vaga do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), destinada ao tribunal.

O ministro está no TST desde 2002, já foi consultor jurídico da Câmara Municipal de Natal e procurador-geral da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte.

Atualmente atua como membro do Conselho da Ordem do Mérito Judiciário do Trabalho.

Em sua sabatina na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) no início de julho, Pereira lembrou que, há 17 anos, também foi sabatinado no Senado quando da sua indicação a ministro do TST e foi recebido pelo ex-senador Ramez Tebet (1936-2006).

Desta vez, ele foi recebido pela senadora Simone Tebet (MDB-MS), atual presidente da CCJ e filha do ex-senador.

Na sabatina, o ministro relatou aos senadores suas principais atividades no CNJ, como a criação da Comissão de Conciliação. Hoje, são 36 comissões no país.

O senador Veneziano Vital do Rêgo (PSB-PB) defendeu a indicação do ministro.

“Expresso meu voto favorável à indicação não somente pelo apreço pessoal que tenho pelo ministro, mas também pela certeza do alto grau de competência que ele expõe”, explicou, em declaração no Plenário.

Também o senador Eduardo Braga (MDB-AM), que relatou a indicação do ministro, se manifestou de forma favorável.

“O ministro tem uma vida dedicada à legislação, ao judiciário e ao TST e agora, mais uma vez, é exemplo do trabalho bem sucedido […], porque o filho do ministro Emmanoel (Emmanoel Campelo), já cumpriu mandato no CNJ com apoio do Senado. Dessa feita, o nosso ministro Emmanoel Pereira vai ao CNJ”, celebrou.

9 de julho de 2019 às 18:44

Vaza Jato com áudio: ouça como o procurador Deltan Dellagnol comentou sobre decisão que barrou entrevista de Lula [1] Comentários | Deixe seu comentário.

O site Intercept divulgou mais informações sobre as conversas vazadas entre integrantes da força-tarefa da Lava Jato e o ex-juiz Sérgio Moro.

Dessa vez, com direito a áudio do procurador Deltan Dallagnol.

HÁ UM MÊS, o Intercept iniciou uma série de reportagens que mudaram para sempre a história da operação Lava Jato, de seus procuradores e do ex-juiz e atual ministro de Jair Bolsonaro, Sergio Moro.

Antes vistos como heróis intocáveis, os monopolistas do combate à corrupção (que tentavam silenciar qualquer voz que se levantasse para expor seus erros, abusos e ilegalidades) hoje são vistos de outra maneira pela população:

58% dos brasileiros acreditam que as conversas de Moro com procuradores são inadequadas. A desconfiança é ainda maior entre os jovens: na faixa etária de 16 a 24 anos, 73% não querem um país guiado pelo espírito justiceiro de Moro.

Em seus primeiros capítulos, as histórias dos arquivos secretos da Vaza Jato mostraram Moro atuando como chefe de fato dos procuradores, o que é ilegal; expuseram o coordenador da força-tarefa Deltan Dallagnol apresentando uma denúncia contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva da qual ele próprio duvidava; e revelaram os procuradores da Lava Jato (incluindo Deltan) operando secretamente para evitar que Lula desse uma entrevista durante a campanha eleitoral por medo que pudesse ajudar a “eleger o Haddad”.

A propósito disso, nós publicamos agora, pela primeira vez, um áudio da conversa entre os membros da força-tarefa a respeito da guerra jurídica em torno da entrevista.

Na manhã do dia 28 de setembro de 2018, a imprensa noticiou que o ministro do STF Ricardo Lewandowski autorizara Lula a conceder uma entrevista ao jornal Folha de S.Paulo.

Em um grupo no Telegram, os procuradores imediatamente se movimentaram, debatendo estratégias para evitar que Lula pudesse falar.

Para a procuradora Laura Tessler, o direito do ex-presidente era uma “piada” e “revoltante”, o que ela classificou nos chats como “um verdadeiro circo”.

Uma outra procuradora, Isabel Groba, respondeu: “Mafiosos!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!”

Eram 10h11 da manhã. A angústia do grupo – que, mostram claramente os diálogos, agia politicamente, muito distante da imagem pública de isenção e técnica que sempre tentaram passar – só foi dissolvida mais de doze horas depois, quando Dallagnol enviou as seguintes mensagens, seguidas de um áudio.

A comemoração de Dallagnol expõe mais uma vez sua hipocrisia e sua motivação política: antes de serem alvos de vazamentos, os procuradores da força-tarefa enfatizavam – em chats privados com seus colegas – a importância de uma imprensa livre, o direito de jornalistas de publicar materiais obtidos por vias ilegais e que a publicação desses materiais fortalece a democracia.

No passado, Dallagnol era o maior entusiasta das garantias que foram justamente a base para a decisão de Lewandowski autorizar a entrevista de Lula. Em novembro de 2015, como o Intercept publicou, Deltan alertou seus colegas que investigar jornalistas que publicavam material vazado não seria apenas difícil mas “praticamente impossível”, porque “jornalista que vaza não comete crime”. Naquela época, ele era um dos principais defensores da importância de uma imprensa livre em uma democracia, um princípio que abandonou quando poderia, aos seus olhos, ajudar o PT a vencer a eleição.

Apesar do apelo do procurador para que a informação não fosse compartilhada, a notícia já se espalhava pela internet.

Depois do impacto inicial da Vaza Jato, o Intercept e seus parceiros continuaram a publicação de uma sequência de reportagens que mostraram as entranhas da operação, iluminando as conversas secretas que o público brasileiro e mundial precisavam ver.

Em parceria com Folha de S.Paulo, revista Veja e o jornalista Reinaldo Azevedo, mostramos comportamentos antiéticos e transgressões.

O ex-juiz Sergio Moro pediu aos procuradores da Lava Jato uma nota à imprensa para rebater o que chamou de “showzinho” da defesa de Lula, logo após o depoimento do ex-presidente no caso do triplex do Guarujá. A Lava Jato seguiu a sugestão como uma ordem.

Enquanto Lula era o alvo central da operação, o também ex-presidente Fernando Henrique Cardoso era poupado pelos investigadores por ser considerado por Moro um aliado. Quando viu na TV uma notícia sobre uma investigação contra FHC, Moro chamou Dallagnol no Telegram e, mais uma vez, fez uma de suas sugestões: era melhor não seguir a investigação porque ela “melindra alguém cujo apoio é importante”.

A postura de Moro, escancarada pelas revelações da série, já eram conhecidas entre os procuradores – que o elogiavam em público, mas criticavam no privado. “Moro viola sempre o sistema acusatório e é tolerado por seus resultados”, disse a procuradora Monique Cheker.

A violação do sistema levou a Lava Jato a conspirar, depois de um comentário de Moro, para além das fronteiras do Brasil. Os procuradores se articularam para vazar informações sigilosas da delação da Odebrecht para a oposição venezuelana, mesmo que isso representasse “mais convulsão social e mais mortes”, como ponderou o procurador Paulo Galvão em um grupo. O colega dele, Athayde Ribeiro Costa, advertiu: “Imagina se ajuizamos e o malucomanda prender todos os brasieliros no territorio venezuelano”. Deltan Dallagnol não se comoveu: “é algo que cabe aos cidadãos venezuelanos ponderarem”.

Como dissemos em nosso editorial, logo no primeiro dia das publicações, “esse escândalo generalizado envolve diversos oligarcas, lideranças políticas, os últimos presidentes e até mesmo líderes internacionais acusados de corrupção”. O combate à corrupção é fundamental em qualquer democracia, por isso a importância de todo esse trabalho: para melhorar a conduta dos agentes escalados pela sociedade para liderar a luta contra os desvios éticos e o roubo do dinheiro público. Nosso parágrafo final, publicado em 9 de junho, serve também para fechar esse primeiro mês – e é um farol para o que ainda está por vir.

“Tendo em vista o imenso poder dos envolvidos e o grau de sigilo com que eles operam– até agora –, a transparência é crucial para que o Brasil tenha um entendimento claro do que eles realmente fizeram. A liberdade de imprensa existe para jogar luz sobre aquilo que as figuras mais poderosas de nossa sociedade fazem às sombras.”

O Intercept enviou para a Lava Jato o conteúdo do áudio. A força-tarefa respondeu: “O site se recusou a enviar o material usado na reportagem para avaliação da força-tarefa, prejudicando o direito de resposta e de análise do material. As mensagens que têm circulado como se fossem de integrantes da força-tarefa são oriundas de crime cibernético e não puderam ter seu contexto e veracidade verificados. Diversas dessas supostas mensagens têm sido usadas, de modo fraudado ou descontextualizado, para embasar falsas acusações que contrastam com a realidade dos fatos.”

9 de julho de 2019 às 18:24

Mudança no comando da redação do jornal Agora [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Mudanças na redação do Agora.

O jornalista João Ricardo Correia assume a direção de redação do jornal impresso.

Thiago Rebolo, que ocupava o cargo, fica com a editoria de política e com um espaço na 97FM.

E Anna Karina Castro, que chegou a cogitar a saída da rádio, permaneceu no horário da manhã e assume a gerência de redação da emissora.

9 de julho de 2019 às 16:41

Nora e mulher de jornalistas da Globo, assessora de Sérgio Moro entrega o cargo [0] Comentários | Deixe seu comentário.

A assessora especial de imprensa do ministro Sérgio Moro, jornalista Giselly Siqueira, pediu demissão do cargo.

“Motivo especial”, justificou a assessora, que pelos corredores do Ministério, revelam que ela atendeu pedido do marido, o repórter da Globo, Vladimir Netto, com quem tem duas filhas.

Vladimir é filho da jornalista, também da Globo, Míriam Leitão.

Ela informou que já tinha pedido para deixar a assessoria do Ministério da Justiça, mas Moro solicitou que ela ficasse até o final do semestre.

A jornalista atuou como assessora no Conselho Nacional de Justiça (CNJ) da gestão dos ministros Dias Toffoli e Ricardo Lewandowski. Também chefiou a assessoria de imprensa do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), quando Gilmar Mendes presidiu a Corte.

9 de julho de 2019 às 16:32

Governadora Fátima recebe Cônsul da China para discutir investimentos no RN [0] Comentários | Deixe seu comentário.

A governadora Fátima Bezerra recebeu hoje, no aeroporto em São Gonçalo do Amarante, uma comitiva do governo da China que veio ao Rio Grande do Norte tratar de possíveis investimentos nas áreas de energia, mineral, agrícola, ferroviária e turismo.

A Cônsul Geral da China no Brasil, Yan Yuqing chefia a delegação composta por 30 integrantes.

Ainda hoje a comitiva seguiu para Mossoró, para visitar as instalações da fazenda Famosa, maior produtora e exportadora de melão do país.

“O nosso RN é um estado rico em recursos naturais, mas não temos estrutura para explorá-la. Os investimentos chineses poderão gerar trabalho, emprego e renda. O governo está atuando fortemente neste sentido visando gerar oportunidades e riqueza para o nosso povo”, afirmou Fátima.

“O Rio Grande do Norte é um estado com localização estratégica e muitas oportunidades para investimentos. Viemos aqui manter contatos com o Governo estadual e com empresários para construirmos relações e definir possíveis investimentos”, afirmou a Cônsul-Geral da China.

Fotos Elisa Elsie

 

9 de julho de 2019 às 15:14

Hospitais de Caicó e Pau dos Ferros firmam parceria para realização de cirurgias ortopédicas [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Os hospitais de Caicó e Pau dos Ferros firmaram parceria para realização de cirurgias ortopédicas eletivas de média e alta complexidade.

As duas unidades atendem pacientes dos mais de 35 municípios que integram a 6ª Região de Saúde do Rio Grande do Norte.

Os procedimentos serão iniciados no dia 18 de julho.

Um Termo de Cooperação prevendo a realização das cirurgias em Caicó foi assinado entre os diretores dos dois hospitais de Caicó, e a intenção é reduzir o tempo de espera.

9 de julho de 2019 às 1:24

Natal Shopping estreia projeto musical com show de Plutão já foi Planeta [1] Comentários | Deixe seu comentário.

Será aberto neste sábado, com show d banda Plutão já foi Planeta, o projeto musical “Te encontro na música”, que acontecerá de julho a novembro na área externa do Natal Shopping.

A atração de abertura será a banda ‘Plutão’ que se apresentará em Natal em tom de despedida, já que a baixista Vitória de Santi deixará a banda.

O projeto é realizado pelo DoSol, e patrocinado pelo Natal Shopping e Ancar Invanhoe, através da Lei Djalma Maranhão e Prefeitura do Natal.

“Apoiar um projeto como este, que estimula a promoção e valorização da cultura local se encaixa dentro da nossa filosofia: acreditamos que temos um papel social a cumprir. Com o ‘Te encontro na música’ vamos dar visibilidade a diversos artistas locais ao mesmo tempo em que promovemos diversão e entretenimento gratuitamente aos nossos clientes”, destaca Diana Petta, gerente de marketing do Natal Shopping.

As apresentações acontecerão aos segundos sábados de cada mês a partir das 17h com discotecagem antecedendo os shows que iniciam às 18h.

9 de julho de 2019 às 1:12

Três ministros deixam o governo e reassumem mandatos para votar reforma da Previdência [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O Governo começa a terça-feira sem 4 de seus ministros.

Além de Sérgio Moro (Segurança), que se afasta por 5 dias para cuidar da própria vida, os ministros Onyx Lorenzoni (Casa Civil), Tereza Cristina (Agricultura), e Marcelo Álvaro Antônio (Turismo) se afastam para cuidar da vida do presidente Jair Bolsonaro.

Os 4 ministros – fora Moro – tem mandato de deputado, e reassumem na Câmara para votar a proposta da reforma da Previdência do jeitinho que o presidente Jair Bolsonaro quer.

Serão 3 votos em favor da reforma eu o Executivo quer.

E os ministros voltam para votar…evitando que os suplentes que estão no cargo não se sintam comprometidos com o governo.

O ministro Osmar Terra (Cidadania) também tem mandato mas não vai se afastar.

Onyx e Tereza Cristina são do DEM; Antônio é do PSL, partido de Bolsonaro; e Terra é do MDB.

Os 4 ministros bate-volta saem hoje e já deverão estar retornando à Esplanada dos Ministérios na quinta-feira.

9 de julho de 2019 às 0:49

Prefeito de Apodi contabiliza crescimento na área de Educação [0] Comentários | Deixe seu comentário.

A Secretaria de Educação do município de Apodi, no Oeste do Rio Grande do Norte, anunciou que foi registrado, nos últimos dois anos, um aumento de mais de 400 matrículas na rede municipal de ensino.

De acordo com os dados divulgados, o prefeito Alan Silveira recebeu o município com 3.100 alunos matriculados, e hoje conta com mais de 3.500.

“Com a inauguração da Creche Modelo conseguimos ampliar o número de matrículas para 300. Esse fator foi impactante nos dados”, explicou o secretário de Educação, Elmo Alves.

“Mantemos uma política de valorização dos nossos profissionais e docentes. Estamos fazendo o pagamento do sexto de férias para os professores, sendo 15 dias de recesso remunerado entre os meses de junho e julho. Estes estão recebendo ainda o reajuste do piso anual, além do rateio do Fundeb, realizado pela gestão. Com isso os servidores desempenham suas funções com muito mais qualidade e empenho”, completou o secretário.

 

Durante os últimos dois anos a Prefeitura de Apodi construiu uma escola na zona rural e outra na zona urbana, recuperou outras 22.

“Estamos investindo na educação por entendermos que o caminho para a ascensão do indivíduo é a educação. Valorizamos profissionais, investimos em alimentação escolar de qualidade, reformamos, ampliamos e climatizamos escolas, colocamos cuidadores para crianças com deficiência e oferecemos transporte escolar para todos, inclusive com atenção especial para o aluno cadeirante, que conta hoje com um veículo específico para o transporte, buscando e deixando o aluno na porta de sua casa”, explicou o prefeito Alan Silveira.

 

8 de julho de 2019 às 16:53

Datafolha aponta empate entre aprovação e desaprovação do governo Bolsonaro e mais da metade acha que presidente fez menos do que devia [1] Comentários | Deixe seu comentário.

Zero a zero no Governo…

Pesquisa Datafolho revela que 33% dos brasileiros aprovam e 33% desaprovam o governo Bolsonaro.

Os dados foram coletados nos dias 4 e 5 de julho com 2.086 entrevistados com mais de 16 anos, em 130 cidades do país.

A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou menos.

Os números são os seguintes:

Ótimo/bom: 33%

Regular: 31%

Ruim/péssimo: 33%

Não sabe/não respondeu: 2%

Em abril, quando foi realizada a pesquisa anterior, os índices foram:

Ótimo/bom: 32%

Regular: 33%

Ruim/péssimo: 30%

Não sabe/não respondeu: 4%

Mais da metade da população acha que Bolsonaro fez menos do que devia pelo Brasil.

Os resultados foram os seguintes:

-Fez pelo país mais do que esperava: 12% (eram 13% em abril)

-Fez pelo país o que esperava que ele fizesse: 22% (eram 22%)

-Fez pelo país menos do que esperava: 61% (eram 61%)

8 de julho de 2019 às 16:42

Prazo do TCU para Paulo Guedes informar se Coaf investiga jornalista Gleen Greenwald está se acabando [1] Comentários | Deixe seu comentário.

Da Agência Brasil:

TCU pede para Guedes informar se Coaf investiga Glenn Greenwald

Por Andreia Verdélio

O ministro do Tribunal de Contas da União, Bruno Dantas, deu um prazo de 24 horas para que o ministro da Economia, Paulo Guedes, informe se o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), ligado ao Ministério da Economia, está investigando movimentações financeiras do jornalista do Intercept Brasil Glenn Greenwald.

O site tem divulgado troca de mensagens atribuídas a procuradores da Lava Jato e ao ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, então juiz da operação Lava Jato em Curitiba.

O despacho de Dantas foi baseado na representação do subprocurador-Geral do Ministério Público de Contas, Lucas Rocha Furtado, para apurar possíveis irregularidades no Coaf, que estaria verificando, a pedido da Polícia Federal, movimentações atípicas que pudessem estar relacionadas à invasão dos celulares de agentes públicos envolvidos com trabalhos da Lava Jato.

“A motivação dessa investigação teria sido, mediante perseguição e abuso de poder, intimidar o jornalista”, diz o documento.

No argumento do Ministério Público de Contas e do ministro do TCU, se confirmada, a investigação do Coaf poderia caracterizar “grave desvio de finalidade” e dispência de recursos públicos.

“Por óbvio, isso nada tem a ver com a prevenção e combate à lavagem de dinheiro e ao financiamento do terrorismo”, diz Bruno Dantas.

No despacho, o ministro também dá 24 horas para que o presidente do Coaf, Roberto Leonel de Oliveira Lima, se manifeste.

+

Do Blog: o prazo de 24 foi estipulado há dois dias…

Final de semana…

Está se esgotando!!!