#JornalismoSemFakeNews

9 de outubro de 2007 às 9:29

Ministério Público questiona repasse de mais de 8 milhões da Prefeitura de São Gonçalo para Oscip pe

[0] Comentários | Deixe seu comentário.

O vereador Geraldo Veríssimo de Oliveira, de São Gonçalo do Amarante, vai abrir o bocão na sessão desta manhã da Câmara Municipal.

E promete contar tudo-tudo sobre o Inquérito Civil Público, aberto pelo Ministério Público estadual, através dos promotores Lucy Figueira Peixoto Mariano da Silva, Luciana Andrade D´Assunção e Luiz Eduardo Marinho Costa, que apura a regularidade da parceria da OSCIP AGENDI (espécie de Ong), com a Prefeitura de São Gonçalo.

 

O que causou estranheza e fez o assunto virar pauta no Ministério Público, foi o volume de repasses da Prefeitura para a entidade.

Que no primeiro contrato com a Prefeitura se chamava AJUDE, e agora se chama AGENDI, e que ela tinha sede em Jaboatão dos Guararapes (PE), mas transferiu para Natal.

 

No inquérito, publicado no Diário Oficial de sexta-feira, dia 5, estão os valores repassados pela Prefeitura.

Entre outros repasses, o Blog publica os de valores mais altos, que vêm sendo acompanhados pela Câmara de Vereadores da cidade.

 

No dia 2 de julho de 2006, a Oscip recebeu 1 milhão, 307 mil, 39 reais e 50 centavos.

 

Dois meses depois, no dia primeiro de setembro, o repasse foi de 1 milhão, 449 mil, 247 reais e 78 centavos.

 

Três meses depois, no dia primeiro de dezembro, a AGENDI recebeu da Prefeitura mais 1 milhão, 514 mil, 82 reais e 98 centavos.

 

E apenas um mês depois, no dia 2 de janeiro de 2007, o repasse foi de 1 milhão, 307 mil, 922 reais.

 

Totalizando 8 milhões, 89 mil, 316 reais e 29 centavos em apenas 6 meses.

 

Segundo o inquérito civil público, a Oscip, mesmo tendo sido criada em Pernambuco, “mantém termos de parceria apenas com a Prefeitura Municipal de São Gonçalo”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.