#JornalismoSemFakeNews

1 de novembro de 2007 às 18:16

Andrei e o pai Amilton: sucessão de mentiras nos depoimentos à polícia

[0] Comentários | Deixe seu comentário.

O sargento da Aeronáutica, Andrei Thies, confessou ao delegado Raimundo Rolim que matou, ele sozinho, sua mulher, Andréia Rodrigues.

Agora seu pai, Amilton Thies, declara que ele foi quem matou Andréia.

Eu acho – e sempre achei – que Mariana, a mãe de Andrei, tem muitas revelações a fazer.

Sinceramente, não acho que os dois estejam falando a verdade.

Os dois já provaram que mentiram.
O sargento, quando disse que não havia matado a mulher.
Depois quando disse que os pais não tinham nada com o crime.
Depois quando disse que enterrou o corpo de Andréia em um terreno dentro da Base Aérea.

O pai do sargento provou que estava mentindo quando se disse surpreso com o aparecimento do corpo da mulher no quintal de sua casa.

Também quando disse que não tinha nada com o crime.

E eu acho que ele continua mentindo ao dizer que foi ele quem matou a nora.

Na minha imaginação de leiga em assuntos policiais, eu continuo, cá com meus botoões, achando que, no seio familiar, a mulher determina tudo.

Ela tanto é capaz de demover marido e filho da infeliz idéia de praticar um crime…

Quanto é capaz de envolver marido e filho num episódio como o que vem chocando o Rio Grande do Norte nos últimos dias.

Eu só acho que na prisão, Mariana, a mãe de Andrei, ainda tem muito o que falar sobre o que aconteceu com a nora que ela odiava.

Só ela sabe dizer, com detalhes, o que significavam aquelas velas pretas e vermelhas dentro da sua casa.

E a foto do delegado Rolim, além de papéis com o nome dele, dentro de um freezer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.