Thaisa Galvão

5 de julho de 2008 às 6:38

João Faustino e Edson Ferreira se baseiam nas declarações do presidente do STF para acionar União [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Secretário adjunto da Casa Civil do governador José Serra, em São Paulo, o ex-deputado João Faustino foi ao aniversário de Helena, a filha de Izabelle e do advogado Robson Maia.
Com ele, o filho Edson Faustino.
Os dois conversaram sobre a prisão de Edson, que teve o nome envolvido na Operação João de Barro, deflagrada em Minas gerais.
E disseram que estão estudando entrar com uma ação contra a União, já que nada ficou provado contra Edson, que foi acusado de ser lobista.
Os dois querem tomar, como base, as recentes declarações do ministro-presidente do STF, Gilmar Mendes sobre as operações deflagradas pelo Brasil afora..
Acusando a Polícia Federal de “canalhice”, de fazer "terrorismo com a democracia". O presidente do Supremo criticou alguns mecanismos utilizados pela Polícia Federal em suas investigações, como o uso indiscriminado de escutas telefônicas, e sugeriu que seja revista a atual lei contra o abuso de autoridade.
Para Gilmar Mendes, o excesso de grampos telefônicos por parte da PF representa um verdadeiro "quadro de intimidações" e o mau uso deles "um terrorismo lamentável", "coisa de gângster".

Foto: www.versatilnews.com.br\"\"                                                       Sônia Ferreira e João Faustino no aniversário de Helena Maia

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.