#JornalismoSemFakeNews

28 de outubro de 2009 às 22:05

Micarla terá dois adversários em 2012: Rogério Marinho e Carlos Eduardo

[0] Comentários | Deixe seu comentário.

Eita…
No seu comentário de hoje, na 96FM, o publicitário Alexandre Macedo sinaliza:
Em 2012, além do deputado Rogério Marinho, o ex-prefeito Carlos Eduardo será adversário da prefeita Micarla de Sousa.
Eis o comentário na íntegra:
Por incrível que pareça, as discussões sobre a campanha eleitoral de 2010 já estão ficando meio sem graça e a turma que não pensa noutra coisa já começou a especular sobre 2012.
E se você pensa que isso é brincadeira de mau gosto, escute aí:
O deputado Rogério Marinho concedeu uma entrevista a revista Foco e externou algumas críticas à administração da prefeita Micarla de Sousa.
Rogério é, até que se prove o contrário, aliado de Micarla.
Essa aliança nasceu na campanha eleitoral do ano passado, quando ele apoiou o projeto dela, depois de ver rejeitado pelo PSB o seu projeto de ser o candidato daquele partido a prefeito de Natal. Naquela ocasião, o PSB abdicou de ter candidato próprio e partiu para apoiar a deputada Fátima Bezerra, do PT, que, pela quarta vez, foi candidata e perdeu a eleição para prefeito da capital do Estado.
Estando sentada na cadeira de prefeita há apenas dez meses, Micarla de Sousa talvez não esperasse ler, tão cedo, uma entrevista de um atual aliado questionando pontos de sua administração.
Na entrevista, Rogério Marinho, apesar de expor as dificuldades enfrentadas pelas prefeituras, se declarou frustrado em relação ao trabalho da PMN em algumas áreas.
Desse fato, surgem alguns questionamentos:
Primeiro: é proibido criticar aliado quando ele é gestor público?
Na fauna política vigente, criticar até pode, mas só se for ao pé do ouvido do criticado.
Nunca através da imprensa, criando dificuldades públicas para o aliado gestor.
É. Tem até fundamento, porque quem critica o aliado gestor em público, poderia, se quisesse, criticar ou sugerir de forma privada e discreta. Estaria ajudando do mesmo jeito e não criando dificuldades.
Segundo: e o gestor público pode se achar no direito de proibir qualquer aliado de lhe criticar?
A rigor, não, afinal, estamos em uma democracia e a crítica, desde que respeitosa e construtiva, deveria ser vista como positiva.
Mas não é assim que funciona a política. Nela, criticou, é porque está querendo alguma coisa: ou barganhar agora ou atrapalhar lá na frente.
E o pior é que isso parece que é verdade.
Vamos analisar o caso de Rogério Marinho e Micarla.
Rogério é aliado de Micarla, mas sabe que o PV, partido da prefeita, deve ter candidato próprio a deputado federal em 2010, e que esse nome vai disputar voto com ele, especialmente em Natal.
Rogério teve, aproximadamente, 45 mil votos em Natal na eleição passada e sabe que, dificilmente, manterá essa votação em perfeita paz com todos os aliados.
A regra, em tese, não é essa.
Micarla, por sua vez, sabe que Rogério Marinho, reeleito deputado federal, pode voltar a sonhar em ser candidato a prefeito em 2012, atrapalhando o sonho da atual aliada, que, naturalmente, vai pedir ou cobrar aos aliados o direito à reeleição.
E aí? o que faz o deputado atual aliado?
Passa a viver nessa corda bamba: uma hora elogia e mantém suas indicações na máquina municipal e em outra hora critica, tentando mostrar independência ao eleitor.
Mas o muro da política é sempre estreito, mesmo para um político do PSDB, partido conhecido pela ambiguidade em alguns momentos.
Mas se você está achando que Micarla só tem Rogério Marinho no retrovisor para 2010, saiba que isso não é verdade absoluta.
O ex-prefeito Carlos Eduardo é outro que não deixa a prefeita Micarla relaxar em paz.
Ele está sempre ali, na toca da oposição, atirando todas as vezes que ela ou alguém da sua administração dá uma brecha.
Nesse caso, ele está na dele.
Carlos Eduardo é oposição e não esconde isso de ninguém.
Além do mais, na minha opinião, mais do que oposição a Micarla, ele é candidatíssimo a prefeito de Natal em 2012.
Carlos Eduardo tem dito que é candidato a governador do Estado em 2010 e que somente no ano que vem é que pode mudar de projeto e pensar em outro cargo.
Anote aí a dica: vai ser candidato a deputado federal ou vice-governador em 2010, e em 2012 disputará a eleição de prefeito de Natal contra Micarla, Rogério ou qualquer outro.
Quem viver, deverá ver.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.