#JornalismoSemFakeNews

18 de março de 2010 às 20:55

DEM volta a cobrar vaga de vice mas evita citar nome de José Agripino

[0] Comentários | Deixe seu comentário.

Da Folha Online
DEM EXIGE VAGA DE VICE DE SERRA SE AÉCIO NÃO ACEITAR POSTO
DANIEL RONCAGLIA
colaboração para a Folha Online
O presidente do DEM, deputado Rodrigo Maia (RJ), afirmou que o vice na chapa à Presidência do governador de São Paulo, José Serra (PSDB), deve ser do seu partido, se o governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), não for o candidato.
"Se o Aécio decidir que não é candidato, naturalmente a vaga é nossa", disse o deputado nesta quinta-feira. Para ele, mesmo sendo uma chance remota, Aécio ainda é o melhor opção para a oposição.
Maia evitou, no entanto, citar um possível nome do partido entre os candidatos. "Tratar de algum nome agora pode atrapalhar, pode inviabilizar Aécio."
No começo desta semana, o Diretório do PSDB de Minas Gerais aprovou um documento que apresenta Aécio como pré-candidato do partido ao Senado. Segundo o texto, o partido reconhece Aécio como "líder maior com autoridade para articular e fortalecer o projeto tucano para Minas Gerais e para o Brasil".
Antes do escândalo do Distrito Federal, que começou em novembro passado, o governador cassado, José Roberto Arruda (sem partido, ex-DEM), era um dos mais cotados para ser o vice de Serra. No entanto, a crise arranhou não só Arruda como o partido.
Apesar disso, ainda são cotados para compor a chapa o próprio Rodrigo Maia e a senadora Kátia Abreu (TO). Outra opção, sugerida pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, é o senador Tasso Jereissati (PSDB-CE), ideia que não agradou o DEM.
Para o presidente do DEM, a questão do vice não deve ser tratada logo depois do anúncio de Serra como candidato, que deve acontecer no dia 10 de abril. Ele disse que a decisão deve ficar para final maio ou começo de junho, quando haverá a convenção.
O deputado também considerou positiva a pesquisa CNI/Ibope divulgada ontem. Segundo a sondagem, a ministra Dilma Rousseff (Casa Civil), pré-candidata do PT à Presidência, conseguiu subir de 17% para 30% na preferência do eleitorado, enquanto o governador de São Paulo, José Serra (PSDB), recuou de 38% para 35%. "Serra manteve o patamar dentro da margem erro", disse.
*
Do Blog: Pela primeira vez o DEM tratou sobre participação na chapa presidencial sem citar o nome do senador potiguar José Agripino.
De tanto Agripino declarar que não aceita ser vice, que o partido resolveu acatar sua posição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.