#JornalismoSemFakeNews

23 de agosto de 2010 às 23:26

Presidente Café Filho foi o primeiro potiguar a defender profissão de jornalista

[0] Comentários | Deixe seu comentário.

“Quando eu comecei na profissão, o repórter tinha liberdade até onde o patrão deixava”, disse Lucidio Castelo Branco, 84 anos, ex-presidente da Federação Nacional dos Jornalistas, durante a miniconferência sobre os 40 anos da regulamentação da profissão de jornalista, que fez parte da programação do Congressso Nacional de Jornalistas, que aconteceu em Porto Alegre-RS.
Castelinho – como é conhecido – disse uma frase que de antiga não tem nada.
Tudo continua como antes…
E falando sobre regulamentação da profissão de jornalista, durante sua palestra ele perguntou se ali havia alguém do Rio Grande do Norte.
E lá estavam os jornalistas Nelly Carlos (presidente do Sindicato dos Jornalistas do RN), Breno Perrucci (diretor e candidato a presidente no próximo pleito) e Hudson (também diretor)…
Foi aí que Castelino revelou: o ex-presidente Café Filho, potiguar, foi o primeiro a defender a regulamentação da profissão de jornalista. Mas, ao assumir a presidência, acabou vetando seu próprio projeto, alegando que sofria fortes pressões dos donos de jornais da época…
Então…quer discurso mais atual o de Castelinho, aos 84 anos, relembrando os idos de 1954, 1955…???
*
Castelo Branco, ex-presidente do Sindicato dos Jornalistas do Estado e ex-presidente da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), começou a atuar como repórter no Rio de Janeiro nos anos 40.
Em 1949 se mudou para o Rio Grande do Sul, onde iniciou sua luta pela regulamentação da profissão, aprovando seu pleitoem 1969.
“A coisa mais importante que eu fiz foi conseguir a regulamentação da profissão”, ressaltou ao final de sua explanação, aplaudido de pé pela platéia formada…por jornalistas diplomados…com diplomas sem valor…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.