#JornalismoSemFakeNews

5 de setembro de 2010 às 19:50

Associação nega declaração de vereadora em seu blog e diz que a mesma não atua em defesa da PM

[0] Comentários | Deixe seu comentário.

 

Foi na sede da Assoxiação de Cabos e Soldados da PM que a vereadora Sargento Regina falou o que queria e o que não devia, e um dos amigos-aliados gravou…e jogou tudo na internet.
Só que a Associação, pelo que se vê, não acata as declarações bombásticas da vereadora, que após tomar posse na Câmara Municipal de Natal, perdeu o apoio dos associados.
No texto publicado em seu blog pessoal, a vereadora explicou que teve que falar "grosso" sobre alguns políticos – Agripino, Raniere, Álvaro Dias…", porque alguns policiais da Associação queriam tirar proveito financeiro de alguns…
Eis a nota divulgada pela Associação:

NOTA DE ESCLARECIMENTO DA ASSOCIAÇÃO DOS CABOS E SOLDADOS DA POLÍCIA MILITAR DO RIO GRANDE DO NORTE

Em virtude de comentários e questionamentos feitos em relação ao posicionamento da Associação dos Cabos e Soldados da Polícia Militar do Rio Grande do Norte – ACSPM/RN no tocante as eleições do próximo dia três de outubro, na qual a entidade decidiu por não apoiar a candidatura da vereadora “Sargento Regina” na disputa por uma vaga na Assembléia Legislativa do nosso Estado, faz-se necessário a exposição dos reais motivos que levaram a diretoria executiva da entidade a tomar essa posição.
Em primeiro momento, esclarecemos que a ACSPM/RN não é oposição a candidatura da vereadora “Sargento Regina”, bem como não tem acordo firmado em apoiar nenhum outro(a) candidato(a) que disputa o cargo de deputado estadual. Como também não estamos induzindo aos associados que não votem na “Sargento Regina”, apenas nos abstemos de apoiá-la por entender que a mesma não correspondeu aos anseios da categoria, após a sua eleição como vereadora da cidade do Natal. Cargo no qual a mesma foi eleita com o compromisso de usar o mandato em prol de melhorias para a categoria e não o fez.

Tal afirmação pode ser comprovada pela omissão da vereadora em participar das mais importantes lutas e conquistas da categoria em seu passado recente. Para entendermos melhor esse posicionamento apontaremos as principais vitórias da classe policial militar em que a “Sargento Regina” não utilizou o seu mandato em benefício da luta da categoria.
No tocante a Conferência Nacional de Segurança Pública (CONSEG), evento realizado em Brasília que traçou metas importantíssimas como a desmilitarização, a ACSPM/RN teve um papel fundamental na colheita de assinaturas, participação nos debates para a aprovação dos temas. Mas a vereadora “Sargento Regina” não participou de tão relevante conquista para a categoria.

Em relação à anistia dos policiais e bombeiros militares do RN e de mais nove estados brasileiros, a ACS realizou trabalho de convencimento no congresso nacional e ainda realizou diversas viagens ao Distrito Federal, inclusive patrocinando as passagens de associados da entidade que a vereadora é vice-presidente.
Em relação à mobilização nacional em prol da PEC 300/446 que cria o piso nacional da categoria, a ACSPM/RN não mediu esforços na mobilização através de caravanas a Brasília, marchas em diversos Estados, passeatas, cafés da manhã, distribuição de material, promoção de eventos com autoridades nacionais, audiência pública com a presença dos deputados federais e policiais militares – Major Fábio e Capitão Assunção. No entanto, a vereadora “Sargento Regina” não se engajou na batalha por esse sonho da categoria.

Nas lutas locais da categoria como a reformulação da legislação policial militar – Estatuto e Código de Ética, os concursos de sargentos e cabos que passaram a ser somente internos com metade das vagas preenchidas por antiguidade, Plano de Carreira, Carga horária, proposta de subsídio, dentre outros, a ACSPM/RN vem negociando com o Comandante Geral da PM/RN e com a classe política no sentido de efetivar esses benefícios para a categoria. No entanto a vereadora “Sargento Regina” não teve nenhum aparição para somar esforços na busca pela melhoria da qualidade de vida do policial militar.

Vale ressaltar que não podemos amenizar a situação afirmando que a cadeira no legislativo municipal não dá espaço para que a vereadora trabalhe pela categoria, pois se como sargento PM ela peregrinava pelos gabinetes das autoridades, então porque não continua essa luta na condição de vereadora do Natal.
Ratificamos, dizendo que a ACSPM/RN não tem nada contra a pessoa da “Sargento Regina”, no entanto entendemos que, enquanto vereadora, ela não contribui da forma esperada em prol da categoria. De modo que a conduta do agente político “Sargento Regina” deixou a desejar aos anseios dos policiais militares que investiram, em muitos casos, do próprio bolso para eleger a mesma vereadora, bem como angariaram votos com seus amigos e familiares. A ACSPM/RN considera o mandato como sendo uma espécie de “procuração” que damos a determinado político para nos representar, e sendo assim, nos casos em que ele não trabalhe em prol da categoria, devemos “revogar” essa procuração.

Em relação à nota divulgada nos meios de comunicação pelo grupo político da “Sargento Regina” com acusações falsas e levianas que imputam a entidade a postagem dos vídeos em que a vereadora faz afirmações comprometedoras. A ACSPM/RN nega veementemente que tenha feito, participado ou tenha conhecimento da origem da postagem das imagens.
O que a diretoria executiva da ACSPM/RN recorda é que foi a partir da referida reunião com todas as entidades representativas, que aconteceu no final de 2009 em pleno movimento reivindicatório, que a entidade decididamente optou por não acompanhar as posturas políticas da vereadora. As entidades que continuaram apoiando a candidata, mesmo após terem conhecimento dessa postura é quem devem prestar explicações a categoria policial militar.

Esclarecemos que desde a posse da vereadora na Câmara Municipal de Natal, a ACS, não comungou com os posicionamentos políticos adotados pela mesma. Já no episódio da eleição para presidência da Câmara, enquanto a entidade defendia a candidatura da vereadora a presidência da Casa, ela optou por defender e votar na candidatura do atual presidente.
O que notamos é que o grupo político vem a público tentar tirar o foco de atenção do conteúdo dos vídeos em detrimento de quem supostamente teria disponibilizado as imagens, quando na verdade o que importa são as afirmações presentes nos vídeos.

Esclarecemos também que ao contrário do que foi divulgado na nota do grupo político da vereadora, quanto à postura adotada pela ACS em relação a favores políticos pessoais e financeiros é totalmente inverídica, uma vez que todos os diretores da entidade que receberam vantagens pessoais foram afastados da diretoria.
A Diretoria Executiva da ACSPM/RN deliberou que vai continuar com a postura de isenção sem ataques a candidata. Lamentamos mais um episódio envolvendo representantes políticos da instituição e esperamos que a vereadora esclareça os fatos alencados nos vídeos e divulgados na imprensa.
Concluímos informando a todos que iremos buscar judicialmente o espaço para exercer o direito de resposta, bem como a responsabilização dos assinantes e divulgadores da nota irresponsável.

Diretoria da ACS PM/RN

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.